A palavra de ordem no TV Xuxa se chama TRABALHO

Xuxa com bebê em foto de Natal

Na Globo, ou no programa da Xuxa, a palavra de ordem é trabalho.

Para que todos tenham um 2013 bastante intenso, a equipe de criação tem marcada a sua primeira reunião do ano já no dia 3 de janeiro.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Diretor de Xuxa compara jornalistas com “papa defuntos”


Irritado com matérias sobre audiência do “TV Xuxa”, diretor solta o verbo no Twitter
Reprodução

https://i0.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20120719224456.jpg

Caro Mário Meirelles, diretor do programa “TV Xuxa”, antes de tudo é importante lembrar que quando não se quer discutir uma crítica seriamente, com argumentos profundos, precisos e, sobretudo, respeitosos, é normal que se tente desqualificar o crítico. 

Essa tática já foi muito usada antes e vez ou outra alguém a utiliza para desviar o foco do principal problema e não precisar solucioná-lo. Isso exige trabalho, exige arte. E falta arte na TV. Porém, não é mais honroso usar essa tática de defesa.
 
Você, que se irritou com a imprensa e comparou os críticos de TV com “papa defuntos” por conta dos mesmos noticiarem que Xuxa deu somente 6,6 pontos de média no último sábado (14), se esqueceu de alguns detalhes. Disse que os mesmos críticos não escreveram a respeito quando, na semana passada a esta, Xuxa conseguiu 12 pontos.
 
Então aí vai um segredo: conseguir números altos no Ibope quando se está num horário importante do sábado, na líder disparada de audiência no país e terceira maior do mundo, ou quando a empresa te dá todo o suporte necessário para tal, é obrigação de qualquer diretor. Principalmente quando se trata de Xuxa, cujo valor para a nossa televisão é incalculável e indelével. Mesmo assim, o NaTelinha já noticiou quando a atração foi bem.
 
Agora, ao programa. Desde que se tentou fazer de Xuxa uma criatura parecida com Regina Casé, visando atingir mais a tão comentada classe C, falar com todos os públicos e conseguir, assim, atrair mais olhares ao programa, o “TV Xuxa” perdeu o sentido. Quem está na mira? Os baixinhos? Os jovens? Escolher um público-alvo é tão importante quanto escovar os dentes todos os dias.
 
Quando não se faz, provoca ruídos no telespectador. Incomoda.
 
Há dois erros nisso tudo. Xuxa não é popular e não seria de uma hora pra outra que ela poderia vir a ser. Regina Casé tem anos de estrada e sempre foi vista como a apresentadora do povão, sabe falar sua língua, tem intimidade com a galerinha do fundão. O segundo vem do fato de que, ao tenta imitar o incomparável “Esquenta”, perde-se a identidade do “TV Xuxa”.
 
Um programa sem identidade está fadado a perder 50% de audiência em uma semana, como aconteceu, de fato, neste último sábado. E aí, diretor, a culpa não é dos críticos de TV – ou papa defuntos, como preferir chamar.
 
 
Breno Cunha escreve sobre mídia e televisão há quatro anos, passou por vários sites, onde sempre foi conhecido por grandes discussões provocadas por suas críticas. Agora ele está no NaTelinha. Twitter: @cunhabreno