Avaí 0 x 0 Vitória

DESTAQUE

Para os fãs de Cartola que escalaram jogadores de Avaí e Vitória na primeira rodada do Brasileirão, melhor para os atletas de defesa, que garantiram ao menos o saldo de gols. Na tarde deste domingo, na Ressacada, um duelo com algumas oportunidades – duas bolas na trave dos visitantes e uma reclamação de pênalti dos mandantes -, mas que terminou 0 a 0 e dividiu os pontos no começo da Série A.

 

O confronto marcou a volta dos catarinenses à elite após o rebaixamento em 2015, e 4.798 mil pessoas estiveram presentes na Ressacada. Do lado rubro-negro, Petkovic estreou à beira do gramado. Anunciado nesta semana, o novo treinador mostrou-se participativo e em alguns momentos parecia querer entrar dentro de campo.

DESTAQUE

SEQUÊNCIA DA SÉRIE A

Avaí e Vitória voltam a jogar na próxima semana. Na segunda-feira, 20h, os catarinenses encaram o São Paulo, no Morumbi. No domingo, 16h, o Rubro-Negro estreia em casa no Brasileirão, contra o Corinthians.

DESTAQUE

POLÊMICA!

Aos 36 minutos do segundo tempo, o atacante Júnior Dutra foi derrubado por René dentro da área do Vitória e pediu a penalidade. A torcida azurra também reclamou muito do lance nas arquibancadas, mas o árbitro nada marcou.

DESTAQUE

DUAS NA TRAVE!

O Vitória teve as melhores oportunidades na partida e não marcou porque a trave impediu. No primeiro tempo, Willian Farias acertou de fora da área. Na etapa final, foi a vez de Paulinho mandar a bola no poste defendido por Kozlinski.

DESTAQUE

CHEIO DE ESTILO… E INTENSIDADE

Petkovic estreou no comando do Vitória, colocou um terno alinhado, um tênis da moda e suou bastante. À beira do gramado, o comandante orientou os jogadores e em alguns momentos até parecia querer entrar em campo.

DESTAQUE

O QUE ROLOU NO PRIMEIRO TEMPO?

Apesar de jogar diante da torcida, o Avaí adotou o estilo que se sente mais à vontade, com marcação a partir do meio e transição em velocidade. Os visitantes tiveram então a posse, mas na primeira etapa sem grande sucesso. De destaque do Vitória, o estilo do técnico Petkovic, novo comandante baiano. De terno, o treinador participou intensamente e até arriscou uns piques na área reservada. As melhores chances ficaram para depois dos 30 minutos, com Judson, do Leão da Ilha, e Willian Farias, do Rubro-Negro, que acertou a trave.

DESTAQUE
…E NO SEGUNDO?

Na volta do intervalo, os papéis de comando mudaram. O Avaí passou a ficar mais solto em campo e arriscou uma pressão nos minutos iniciais. Quando o ímpeto dos mandantes passou, o Vitória novamente buscou a bola e acertou a trave novamente, dessa vez com Paulinho. Depois do lance, o jogo ficou mais aberto, e o Leão da Ilha tentou novamente ser mais intenso. Aos 36, Júnior Dutra reclamou de pênalti de René, mas o árbitro nada marcou, e o duelo na Ressacada terminou empatado.

GLOBO ESPORTE.COM

A Lei do Amor : Augusto e Vitória trocam juras de amor

Raquel Cunha/Globo

Em “A Lei do Amor”, Vitória vai atrás de Augusto

Esquentando

Em cena prevista para ir ao ar na semana que vem, em “A Lei do Amor”, Vitória (Camila Morgado) toma coragem e vai atrás de Augusto (Ricardo Tozzi).

E ele promete cuidar dela. “Não posso mais ficar naquela casa… E não tenho pra onde ir… Daí, pensei em você…”, diz Vitória.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Espírito Santo prevê R$ 1 bilhão aos cofres com a nova concessão de gás

Na quarta (29), foi negada liminar que suspendia contrato com distribuidora.
Opção mais bem avaliada é de o estado tornar sócio da BR Distribuidora.

Bandeira do estado do Espírito Santo

Nova concessão pode render R$ 1 bilhão ao
estado (Foto: Dvulgação/ Agência Petrobras)

Nova concessão pode render R$ 1 bilhão ao Espírito Santo (Foto: Dvulgação/ Agência Petrobras)

O governo do Espírito Santo estima que a nova concessão da distribuição do gás canalizado no estado levante R$ 1 bilhão para os cofres capixabas.

O processo ganhou fôlego após a decisão da Justiça. Na quarta-feira (29), o desembargador substituto do Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJ-ES), Delio Rocha Sobrinho, negou o pedido de liminar da BR Distribuidora para impedir a anulação do contrato da estatal com o governo capixaba.

Com a decisão, agora, a equipe do governador Paulo Hartung avalia duas possibilidades: a de conceder a distribuição da rede de gás à iniciativa privada ou se tornar sócia da BR Distribuidora.

O procurador-geral do estado, Rodrigo Rabello Vieira, considerou que a decisão reforça que a atitude do governo, de romper o contrato, “é fundamentada e mais uma vez confirmada por uma decisão judicial”.

A opção de modelo mais bem avaliada e defendida pelo governo do estado, conforme o procurador-geral, é a segunda, com a criação de uma companhia pública de gás, em que a Petrobras seria sócia minoritária. Esse entendimento evitaria, inclusive, que uma batalha judicial com a companhia se arraste por anos.

“Estamos conversando com a Petrobras com o objetivo de fazer essa parceria. O estado contaria com a expertise da BR e transformaria esse ativo em riqueza para os capixabas. Ainda estamos em negociação, mas dá para adiantar que a Petrobras tem sinalizado interesse nessa sociedade”, observou, após comentar que, até o final deste ano, o estado deve ter uma posição consolidada do assunto.

Alternativa
Entretanto, caso a BR Distribuidora não aceite a proposta do estado, o segundo caminho, também previsto na legislação estadual, vai ser realizar um processo licitatório, em que a empresa vencedora será responsável por indenizar a Petrobras pelos investimentos já realizados na rede desde 1993, ano de celebração do contrato.

“Ninguém quer dar prejuízo. Mas não podemos abrir mão de um ativo tão importante. E da forma como estamos construindo esse processo não criamos insegurança jurídica”, frisou Rabello, ao citar que em caso de licitação o contrato de concessão deve ser superior a 20 anos.

Procurada, a Petrobras informou que não iria se manifestar sobre a nova lei. Mas ressaltou que “continua cumprindo normalmente o contrato de concessão da distribuição de gás natural canalizado no Espírito Santo, mantendo abertos todos os canais de negociação para permanecer prestando este serviço no estado”.

 

G1.COM.BR

Seca e excesso de chuva ameaçam estoques de café no Espírito Santo

Enquanto o Espírito Santo tem seca, Minas sofre com excesso de chuvas.
Por conta dos extremos climáticos, qualidade da produção também caiu.

Bandeira do estado do Espírito Santo

A estiagem já provocou a perda de metade da safra do café conilon no Espírito Santo (Foto: Reprodução / TV Gazeta)

A estiagem no ES prejudica produção do café (Foto: Reprodução / TV Gazeta)

Uma combinação desastrosa de excesso de chuva em alguns estados produtores de café  e de seca extrema, em outros, tem acarretado na menor oferta dos grãos no país e já provoca disputa interna pelo produto na indústria. Em todo o país, os estoques de café  estão quase zerados.

“Estamos tendo uma dificuldade muito grande na aquisição da matéria-prima para abastecer as indústrias”, afirma Egídio Malanquini, presidente do Sindicato da Indústria do Café (Sincafé-ES).

A safra do arábica deve superar a do ano passado, mas as chuvas vão provocar uma quebra de qualidade de parte do produto. Já a produção do conilon despenca pelo segundo ano consecutivo nas duas principais regiões produtoras: Espírito Santo e Rondônia.

“O que mais preocupa é que havia uma forte expectativa de suprir a falta do conilon com a oferta do arábica, mas as regiões produtoras de arábica, como Minas Gerais, estão tendo excesso de chuva, ao contrário da seca no Espírito Santo”, explica Malanquini.

O presidente do Centro do Comércio de Café de Vitória (CCCV), Jorge Luiz Nicchio, acredita que a disputa pelo café é algo pontual. Ele prevê que, nos próximos dias, com o andamento da colheita em Minas Gerais, deve ter início a recuperação dos estoques para suprir o mercado interno.

“Esse momento é pontual. Como a produção mineira é muito grande, a oferta para a indústria deve aumentar nos próximos dias”.

Apesar do temor do desabastecimento, Egídio também acredita ser “prematuro” dizer que vai faltar café no mercado, mas ele aponta que as indústrias nacionais terão dificuldade para manter o volume de vendas, já que o preço do produto deve continuar a subir.

Só em 2015 a alta foi de 17% nas prateleiras do supermercado, enquanto neste ano o aumento é de 6%. “Com certeza quando você tem um aumento de custo, você vai ter um repasse para o consumidor”, assinala.

A baixa produção já provocou alta de 73% nos preços pagos pelo café conilon nos últimos 12 meses. No caso do arábica, a alta foi de 8% no período. Mesmo assim, esse aumento não tem sido a altura dos prejuízos sofridos pelos produtores.

“O que mais nos preocupa são os municípios do interior, quem em sua maioria tem a economia centrada na cafeicultura”, frisa Egídio.

Em 2016, a perda da produtividade também já interferiu na exportação, que teve queda de 17% em maio. “2014 foi um ano muito bom de produção no Estado. Esse café , que estava armazenado pelo produtor, foi colocado no mercado externo por causa da desvalorização do real frente ao dólar. Agora estamos com um estoque remanescente muito baixo”, completa Nicchio.

Produção tem queda de 50%
O Centro do Comércio de Café de Vitória estima que a queda na produção de café conilon do Estado deva chegar a 50%, em 2016, em relação à sua capacidade produtiva. Além do menor volume de grãos colhidos nas lavouras, o café está chegando às processadoras com qualidade inferior e com menor capacidade de rendimento no memento da pilagem.

Nas alturas
As dificuldades de acesso ao crédito, apontadas por 36% dos clientes do comércio de Vitória, continuam no governo Temer. A Selic não mudou. Por óbvio, a taxa básica de juros em 14,25% afeta o crediário. O reflexo se vê em pesquisa da Fecomércio-ES: 74% dos clientes consideram o cenário inadequado para comprar bens duráveis.

Custo do conilon
Pela primeira vez, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) apurará o custo da produção do café conilon no maior produtor do país, o Espírito Santo. As pesquisas, iniciadas nesta semana, se restringirão ao município de Jaguaré – destaque nacional em conilon.

Preço mínimo
Os relatórios sobre custos de produção do conilon englobam mais de 300 itens. Investigam preparo de solo, plantio, adubação, tratos culturais, mecanização etc. Os valores servirão de base para o cálculo do preço mínimo fixado pela Conab. Produtores esperam patamares mais realistas.

Guerra dos custos
O Conselho Nacional do Café faz duras críticas aos desembolsos dos produtores causados pelas legislações ambiental e trabalhista. “Vietnã – segundo maior produtor mundial de   café  –, Indonésia e Colômbia, que não possuem nenhuma legislação ambiental ou social, são concorrentes do Brasil com um custo infinitamente menor“, diz o boletim da CNC. Na verdade, produzir no Brasil é muito caro. Seja no campo, na indústria ou nos serviços.

 

G1.COM.BR

Nutricionista e 7 pessoas são presas por venda de anabolizantes no Espírito Santo

Anabolizantes eram indicados pela nutricionista nas consultas.
Remédios para animais eram vendidos para aplicação em humanos.

Bandeira do estado do Espírito Santo

Remédio de aplicação em animais eram vendidos para atletas, no ES (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

Remédio de aplicação em animais eram vendidos para atletas, no ES (Foto: Reprodução/ TV Gazeta)

Oito pessoas foram presas, nesta sexta-feira (10), suspeitas de envolvimento na venda de anabolizantes a frequentadores de academias de bairros nobres da Grande Vitória. Entre os detidos estão uma nutricionista, um farmacêutico e dois professores de educação física. Todos foram levados para o Centro de Triagem de Viana.

As investigações que resultaram na operação “Efeito Colateral” começaram há seis meses, após a polícia ter recebido uma denúncia de que uma rede de lojas de suplementos alimentares estava vendendo anabolizantes.

Durante a ação policial, foram apreendidos frascos de anabolizantes e um revólver nas lojas e casas dos investigados. Segundo o delegado, remédios para animais também eram vendidos por integrantes do grupo para frequentadores de academias de bairros nobres.

No esquema, a polícia descobriu a participação de empresários, professores de educação física, um farmacêutico e uma nutricionista.

A participação da nutricionista intrigou os policiais. O delegado explicou que os pacientes dela recebiam a indicação de onde comprar os anabolizantes.

“A gente pode constatar que o paciente chegava lá e ela indicava um ciclo desses medicamentos anabolizantes para seus pacientes. O tráfico de anabolizantes não é muito conhecida na sociedade como um todo e fica essa sensação de impunidade”.

A suspeita é de que médicos podem estar envolvidos no esquema. Eles entregavam aos pacientes receitas com grandes quantidades para que pudessem tirar em farmácias regularizadas.

A venda de anabolizantes só podem ser feitas em farmácias e com receita médica. Quem vende sem receita comete crime de tráfico de drogas.

 

G1.COM.BR

Estátua de Maurício de Oliveira é pichada mais uma vez em Vitória

Crime aconteceu seis dias após primeira ocorrência.
Local ganhou uma câmera de videomonitoramento para inibir ações.

Bandeira do estado do Espírito Santo

Estátua de Maurício de Oliveira é pichada mais uma vez, no ES (Foto: Divulgação)

Estátua de Maurício de Oliveira é pichada mais uma vez, no ES (Foto: Divulgação)

A estátua de bronze do violonista capixaba Maurício de Oliveira, na Praia de Camburi, em Vitória, foi alvo de vandalismo novamente. A pichação foi feita na madrugada desta sexta-feira (10), seis dias depois da primeira ocorrência. Para inibir a ação de pichadores, o local vai ganhar uma câmera de videomonitoramento.

A atual câmera registrou a ação, mas pela distância, cerca de 300 metros, a identificação do criminoso foi comprometida. No banco em que a estátua de Maurício se encontra foi escrita a palavra “ruje”. A estátua foi limpa na manhã desta sexta.

O secretário de Segurança Urbana de Vitória Frônzio Calheira informou que, além da nova câmera, a iluminação foi melhorada com a troca da lâmpada por uma mais clara. Segundo o secretário, a ação aconteceu por volta das 3h50 e foi rápida, não dando tempo para chegada da Guarda Municipal.

“A iluminação anterior era cênica e produzia muitas sombras. Com essa iluminação, tudo vai ficar mais claro no local, o que pode inibir as ações de vandalismo e ajudar no monitoramento”, comenta Frônzio.

A estimativa é que a nova câmera de videomonitoramento, giratória e com capacidade de zoom, seja instalada na próxima semana, mais perto da estátua. Para isso, será necessária a instalação de fibras óticas.

Para denúncias sobre o caso a pessoa pode ligar para a polícia, pelo 181, ou para a prefeitura, pelo 156.

Recorrente
Na madrugada do último sábado, a estátua foi pichada pela primeira vez. Na ocasião, a Prefeitura de Vitória informou que as câmaras de videomonitoramento filmaram o momento da pichação e que as imagens foram encaminhadas para a polícia, que investiga o caso. A prefeitura informou que não tem novidades sobre a investigação da primeira ocorrência.

Lei
A prefeitura de Vitória sancionou uma lei contra a pichação em prédios e muros da cidade no dia 19 de maio, deste ano. Com essa nova legislação, quem for flagrado fazendo pichação deve pagar multa de R$ 9.007,80 aos responsáveis pela edificação atingida e reparação dos danos causados.

Quando o ato for praticado contra grafite, monumento ou coisa tombada em virtude de seu valor artístico, arqueológico ou histórico, ou contra bem público, como é o caso da estátua, a multa será aplicada em dobro. No entanto, ela pode ser substituída por serviços comunitários.

 

G1.COM.BR