Internacional 2 x 0 Cruzeiro

Vitória amarga: Vitinho faz 2 e Inter vence Cruzeiro, mas fica fora do G-4

Colorado faz 2 a 0 na Raposa, mas não conseguiu a classificação à Libertadores de 2016 porque o São Paulo superou o Goiás por 1 a 0 no Serra Dourada

A energia positiva criada com os eventos para homenagear os 40 anos do primeiro título do Brasileirão ajudou parcialmente. No Beira-Rio, o Inter fez a sua parte e conseguiu superar o time reserva do Cruzeiro por 2 a 0 na tarde deste domingo em jogo válido pela última rodada do Brasileirão, que também marcou a despedida de Mano Menezes do clube mineiro. No entanto, o resultado não serviu para levar a equipe de Argel à Libertadores porque o São Paulo conseguiu vencer por 1 a 0 o Goiás no Serra Dourada e confirmou sua vaga no G-4.

Vitinho atacante Inter Internacional (Foto: Ricardo Duarte / Divulgação, Inter)

Os gols da partida, como de hábito, foram de Vitinho. Aos 25 minutos do primeiro tempo, Ernando cruzou da esquerda. Rodrigo Dourado trombou com a defesa da Raposa e a bola sobrou para o atacante que, da entrada da área, chutou de primeira, no canto direito de Rafael, que se atirou, mas não conseguiu evitar. Na etapa final, aos 26, o atacante recebeu assistência de Lisandro López e só precisou completar, deixando os gaúchos, enfim, com saldo de gols positivo no Brasileirão.

Com o resultado, o Inter terminou em quinto no Brasileirão com 60 pontos, dois atrás do São Paulo, que fechou o G-4. O Cruzeiro ficou em oitavo com 55.

Protesto e gol de Vitinho

Tão logo André Luiz de Freitas Castro autorizou o início da partida, os jogadores das duas equipes realizaram um protesto. Orquestrado pelo movimento Bom Senso FC, tanto colorados quanto cruzeirenses permaneceram alguns segundos com os braços cruzados, como forma de pedir a renúncia do presidente da CBF Marco Polo Del Nero. Já com o jogo em andamento, os dois times se atiraram ao ataque. No primeiro lance da partida, William avançou pela direita e cruzou. Douglas Grolli, de maneira atabalhoada, conseguiu mandar para escanteio. O lance não abateu o Cruzeiro. Os visitantes aproveitaram o passe errado de Alex e arrancaram em velocidade. Marcos Vinicius acionou Willian, que tocou para Arrascaeta obrigar Alisson a fazer grande defesa.

A intensidade do confronto apareceu também no tumulto. Aos 14 minutos, Alex e Willian Farias dividiram uma jogada com ambos deixando o braço. A rispidez não diminuiu nem com o comandado de Mano Menezes no chão, que ainda foi vítima de alguns chutes do meia. Castro chegou e acabou com o tumulto. O Inter não deixou o clima quente tirar o foco. Aos 25, Vitinho, sempre ele, abriu o placar. O atacante aproveitou cruzamento de Ernando e chutou cruzado no canto direito, sem chances para Rafael. Vitinho ainda deu passe milimétrico para Alex ampliar 13 minutos depois, mas o canhoto, que se atirou, não conseguiu alcançar a bola.

Vitinho amplia, mas a vaga não vem

A segunda etapa começou bem mais devagar do que o primeiro tempo. As equipes optaram em trocar passes, sem levar perigo aos gols de Alisson e Rafael. Aos poucos, o Inter começou a se soltar. Primeiro, Alex cruzou para Paulão, que teve duas oportunidades, mas se atrapalhou com a bola. Depois, Lisandro aparou lançamento de William e mandou para fora.  Os lances empurraram os mandantes ao campo de ataque. Aos 16 minutos, em uma falha do sistema defensivo da Raposa, veio o segundo gol. Douglas Grolli cabeceou para trás. Esperto, Lisandro López carregou a bola e, na saída de Rafael, tocou para Vitinho, que só teve o trabalho de empurrar para o fundo das redes.

O atacante ainda teve a oportunidade de fazer o terceiro. Em mais um descuido de Grolli, ficou cara a cara com Rafael, mas arrematou para fora. O lance explodiu o Beira-Rio. A torcida cantava forte nas arquibancadas, como se tentasse passar energia positiva até o Serra Dourada. Aos 35, o último lance de gol. Anderson cruzou da esquerda, a bola desviou e sobrou para Rodrigo Dourado, que chutou para fora. Não fazia diferença. O que importava estava em Goiás. E a cabeça dos colorados também estava lá. Sem sentir ameaça dos comandados de Mano Menezes, os gaúchos trocavam passes e aguardavam a informação de que o Esmeraldino vencia o São Paulo. Algo que não ocorreu. Apesar do triunfo por 2 a 0, o Inter se despede do Brasileirão como o Cruzeiro: fora da Libertadores.

GLOBO ESPORTE.COM

Fluminense 1 x 1 Internacional

Com um a mais, Inter cede empate ao Flu no Maraca e fica mais longe do G-4

Vitinho marca de novo, mas Colorado desta vez não segura a vantagem diante do mistão tricolor. Jogo é marcado por reclamação de pênaltis e penalidade polêmica

O Fluminense deu uma pausa nas “férias” e frustrou os objetivos do Internacional na noite deste sábado, no Maracanã, pela penúltima rodada do Campeonato Brasileiro. Herói das últimas vitórias e artilheiro do time no torneio com nove gols, Vitinho voltou a deixar a sua marca num primeiro tempo inteiro do Colorado. Mas o mistão tricolor, com só seis titulares em campo, reagiu na etapa final com um jogador a menos – Osvaldo foi expulso – e empatou com Cícero cobrando pênalti polêmico sofrido por Magno Alves. Aliás, o jogo teve mais reclamações de penalidades não marcadas para os dois lados. O placar de 1 a 1, diante de 6.645 pagantes (7.691 presentes) e renda de R$ 231.990,00, foi ruim para o time de Argel Fucks, que ficou mais longe do G-4.

Vitinho Inter x Fluminense (Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter)
Vitinho fez seu nono gol no Brasileiro, mas cometeu pênalti que custou o empate
(Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter)
O Inter segue com chances de chegar à Libertadores, mas agora está com dois pontos a menos que o São Paulo, quarto colocado com 59. Com o empate, o Flu subiu uma posição e virou o 13° na tabela com 47 pontos, mas ainda pode ser ultrapassado pela Chapecoense, que joga neste domingo. Na última rodada, o Colorado vai receber no Beira-Rio o Cruzeiro, que cumpre tabela. O Tricolor, por sua vez, visitará o Figueirense, que briga contra o rebaixamento, no Orlando Scarpelli. As duas partidas acontecem no domingo que vem, às 17h (de Brasília).

O primeiro tempo representou a diferença entre um time ainda com objetivo no campeonato e outro já de férias e só seis titulares: Diego Cavalieri, Wellington Silva, Marlon, Cícero, Gustavo Scarpa e Marcos Junior. O Inter, com chances de G-4, pressionou o mistão do Fluminense no Maracanã desde o início. Abriu o placar com três minutos de jogo, num chutaço de Vitinho da entrada da área, e perdeu chances claras de gol na sequência. Lisandro López carimbou a trave, William errou a mira cara a cara com Diego Cavalieri… O Tricolor, que só deu uma finalização em 45 minutos, ainda teve Osvaldo expulso direto por agredir Anderson – revidando uma mão de Anderson que bateu em seu rosto na disputa de bola. Mas o Colorado parou, e o Flu melhorou com um a menos na etapa final. O empate quase saiu em cabeçada de Marcos Junior, só que Muriel fez milagre. Mas quando o árbitro marcou pênalti polêmico de Vitinho em Magno Alves, aos 28 minutos, Cícero não perdoou e deu números finais ao placar.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Internacional 1 x 0 Grêmio

Vitinho decide de novo, Inter vence
o Gre-Nal 408 e vê G-4 mais próximo

Atacante fez gol da sexta vitória colorada no Brasileirão por 1 a 0 e coloca time com mesmo número de pontos do São Paulo. Grêmio não consegue se aproximar do Galo.

gre-nal 408 grêmio inter beira-rio vitinho (Foto: Diego Guichard/GloboEsporte.com)

Vitinho fez o gol aos 7 minutos do segundo tempo (Foto: Diego Guichard/GloboEsporte.com)

O G-4 é logo ali. Mais uma vez com gol de Vitinho, o Inter venceu o Gre-Nal 408 por 1 a 0 na tarde deste domingo, pela 36ª rodada do Brasileirão, no Beira-Rio, e vê a classificação à Libertadores de 2016 mais próxima. Longe de uma boa apresentação, o Grêmio não conseguiu se aproximar do vice-líder Atlético-MG e só não viu a diferença para o São Paulo diminuir devido à goleada sofrida para o Corinthians.

A vitória deixa o Inter momentaneamente na quinta colocação, com os mesmos 56 pontos do tricolor paulista. Ainda pode ser ultrapassado pelo Santos ao final da rodada. O Grêmio estaciona nos 62 pontos, segue em terceiro, porém, não garante a classificação à Libertadores e vê a distância para o Galo aumentar para quatro pontos.

Na penúltima rodada do Campeonato Brasileiro de 2015, o Inter vai ao Rio de Janeiro enfrentar o Fluminense, no próximo sábado, às 19h30. Já o Grêmio recebe o Atlético-MG, na Arena, no domingo, a partir das 17h.

Sem Juan e Réver, Argel optou por devolver Ernando à zaga e apostou no jovem Artur na lateral esquerda. Roger, por sua vez, manteve a escalação que venceu o Fluminense na última quinta-feira. O equilíbrio marcou os primeiros minutos de jogo, com intensidade e chegadas mais ríspidas em alguns momentos. Superior, o Inter finalizou aos 17 minutos com Vitinho, de fora da área. Na sequência do lance, Everton disparou e respondeu com um chute fraco, sem problemas para Alisson.

gre-nal 408 grêmio inter beira-rio anderson ramiro (Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter)
Anderson teve atuação destacada no Inter (Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter)

Mas a melhor chance viria aos 33. O Inter se aproximou da área gremista a passes, Anderson largou para Vitinho pelo lado direito, o atacante cruzou rasante, e o camisa 8 cabeceou por cima, quase dentro do gol. Artur ainda assustaria em chute de longe, cinco minutos depois.

No intervalo, Roger tirou Everton e colocou Pedro Rocha para conter as investidas pelo lado esquerdo de defesa tricolor. No primeiro minuto, Douglas cobrou falta e Marcelo Oliveira cabeceou por cima. Aos cinco, Vitinho fez boa jogada pelo lado direito e cruzou na cabeça de Ernando, mas a finalização saiu rente à trave direita de Marcelo Grohe.

O protagonismo de Vitinho iria aparecer aos sete minutos. O volante Rodrigo Dourado ganhou duas disputas de bola pelo lado direito da área adversária e, na linha de fundo, rolou para trás. O camisa 21 pegou livre, de primeira, e mandou para o fundo do gol. A torcida colorada desatou a cantar no Beira-Rio, e Lisandro López quase ampliou aos 14 em chute forte defendido por Grohe.

Como não haveria de faltar, o Gre-Nal também teve confusão. Após perder a bola para William, Ramiro foi ao chão reclamando que o lateral adversário teria acertado um tapa em seu rosto. Alisson discutiu com o volante gremista e, depois, empurrou Marcelo Oliveira. Após a confusão, o árbitro Ricardo Marques Ribeiro deu o cartão amarelo ao goleiro.

Dominado em campo, o Grêmio teve a melhor oportunidade aos 28. Giuliano invadiu a área pela esquerda e tocou para trás. Luan chegou na bola, driblou Alisson, mas perdeu ângulo. A saída foi lançar para o meio, e Giuliano chutou travado na defesa. Em seguida, Pedro Rocha obrigou Alisson a uma boa defesa em chute de fora da área. Ainda assim, foi pouco para um time que busca o segundo lugar do Brasileirão.

gre-nal 408 grêmio inter beira-rio lisandro lópez galhardo (Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter)
Lisandro López disputa com Galhardo (Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter)
G1.COM.BR

Internacional 1 x 0 Ponte Preta

Com gol de Vitinho no final, Inter vence a Ponte Preta e segue na cola do G-4

Atacante colorado marca aos 42 do segundo tempo e mantém time vivo em busca pela Libertadores de 2016; Ponte perde fôlego e ainda pode cair na tabela da Série A

Internacional x Ponte Preta Beira-Rio inter (Foto: Ricardo Duarte / Internacional / Divulgação)

Vitinho marcou o gol da vitória (Foto: Ricardo Duarte / Internacional / Divulgação)

No sofrimento, o Inter voltou a ter o “fator Beira-Rio” a favor e venceu a Ponte Preta na tarde deste sábado, pela 34ª rodada da Série A. O gol de Vitinho, marcado aos 42 do segundo tempo, manteve o Colorado na busca pelo G-4. O time de Argel chegou aos mesmos 53 pontos do quarto e quinto colocados, Santos e São Paulo, mas continua em sexto. Já a Macaca perde fôlego, fica com 50 e ainda pode deixar a sétima posição ao final da rodada.

Ao final do jogo, houve confusão entre os jogadores de ambas as equipes e seguranças. A Ponte Preta reclama de falta de fair play pelo lado colorado no lance que originou o único gol da partida. O atacante Alexandro teria colocado a bola para fora em uma possível falta. Porém, o Inter não devolveu a bola, o jogo seguiu e Vitinho fez o gol. Biro Biro e Argel discutiram após o tento ser anotado. O empurra-empurra perdurou até a porta do vestiário do time campineiro, mas foi contido sem ocorrências mais graves.

O Brasileirão volta a parar e os jogos serão retomados somente no dia 18 (quarta-feira). A Ponte Preta recebe o Figueirense às 21h, no Moisés Scarpelli. Já o Inter enfrenta a Chapecoense na quinta-feira, dia 19, na Arena Condá, às 19h30.

 

Enquanto Argel colocou o time em campo com D’Alessandro e Lisandro López no lugar de Anderson e Alex, Felipe Moreira optou por Alexandro na vaga de Borges. No 4-2-3-1, o Inter pressionou nos primeiros minutos e quase abriu o placar aos 4. Mas o atacante perdeu o equilíbrio ao driblar Marcelo Lomba. Sem Felipe Azevedo, Clayson e Biro Biro infernizaram a defesa colorada pelos lados pelo lado da Macaca.

Tanto que Argel trocou os laterais William e Ernando de lado. Porém, a mudança durou três minutos. Aos 19, Clayson invadiu a área driblando e finalizou no canto para defesa de Alisson. O técnico do Inter desfez o que havia mexido. A Macaca igualou a partida, e o Colorado, que chegou a ter 65% de posse de bola, terminou o primeiro tempo com 55%. Renato Chaves perdeu chance na cara de Alisson. Mas Valdívia e Vitinho também obrigaram boas defesas de Marcelo Lomba.

Com apenas 10 minutos da segunda etapa, Argel trocou Nilton por Anderson. Mesmo com o time mais ofensivo, o Colorado pouco produziu ofensivamente. A Ponte manteve a marcação forte e seguiu com a aposta nos contra-ataques pelos lados. Clayson deu lugar ao “novo Neymar”, Leandrinho. Em uma das poucas oportunidades, porém, Vitinho fez o gol da vitória. Aos 42, recebeu na entrada da área e chutou cruzado no canto direito de Marcelo Lomba.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Internacional 1 x 0 Joinville

D’Ale sai do banco, dá assistência e Inter vence o Joinville no Beira-Rio

Argentino fez cruzamento para gol de cabeça de Vitinho, aos 20 do segundo tempo

Vitinho agradece D'Alessandro por assistência (Foto: Diego Guichard)

Vitinho agradece D’Alessandro por assistência na partida (Foto: Diego Guichard)

O Inter precisou tirar D’Alessandro do banco de reservas para vencer o Joinville no Beira-Rio, neste sábado, pela 32ª rodada do Brasileirão. O gringo fez o cruzamento para o gol de Vitinho que definiu o placar, no segundo tempo. Os catarinenses até mostraram aplicação para reduzir os espaços dos gaúchos, principalmente na primeira etapa, mas sucumbiram na falta de qualidade.

Com mais três pontos na conta, o Inter ocupa momentaneamente a quinta colocação, com 50 pontos. O Joinville permanece em penúltimo, com 30. Na próxima rodada, o Colorado vai ao Serra Dourada enfrentar o Goiás no domingo, às 19h30. Já o JEC sai de casa novamente. Vai até Campinas duelar com a Ponte Preta, no sábado, às 19h30.

O jogo logo começou e teve polêmica. Valdívia invadiu área pelo lado esquerdo e caiu na área. A torcida pediu pênalti, o árbitro mandou seguir. A resposta catarinense veio em seguida, após erro de Rodrigo Dourado na saída de bola. O volante Anselmo ficou com a bola, mas foi desarmado com um carrinho certeiro de Juan, o substituto de Paulão. Apesar de mais incisivo, o Inter pouco assustou o gol de Agenor no primeiro tempo. O Joinville terminou a etapa com mais posse de bola, inclusive.

Para tentar resolver seus problemas ofensivos, o Inter voltou do vestiário com D’Alessandro no lugar de Alex. E deu certo. O argentino passou a procurar a bola a todo tempo. Aos 20, cruzou na cabeça de Vitinho, que nem precisou pular para abrir o placar. Antes, porém, Kempes havia obrigado Alisson a espalmar para escanteio, em chute cruzado. Depois de sofrer o gol, o JEC ensaiou uma pressão final, mas o Colorado soube suportá-la até o apito final.

Juan tenta de cabeça contra o Joinville (Foto: Diego Guichard)
Juan sobe antes de Agenor, mas cabeceia por cima (Foto: Diego Guichard)
GLOBO ESPORTE.COM

Coritiba 0 x 1 Internacional

Com gol de Vitinho, Internacional vence o Coritiba e cola no G-4

Colorado aproveitou uma das raras chances e garantiu a primeira vitória fora de casa sob o comando do técnico Argel Fucks. Coritiba segue na zona de rebaixamento

Com gol de Vitinho, o Internacional venceu o Coritiba por 1 a 0, no Couto Pereira, neste sábado, pela 24ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado deixa o Colorado mais perto do G-4, enquanto o Alviverde segue na zona de rebaixamento. O time gaúcho conquistou a primeira vitória fora de casa sob o comando do técnico Argel Fucks no Brasileirão. O jogo também foi marcado pelo alto número de cartões amarelos: 11, sendo sete para jogadores do Inter e quatro para os do Coritiba.

O Internacional chegou aos 37 pontos, sobe provisoriamente para a oitava colocação e dorme apenas um ponto abaixo do Flamengo, quarto colocado. Agora, o Colorado seca os cariocas, Santos, Atlético-PR e São Paulo, que estão à frente na briga pela vaga. Já o Coritiba vai fechar a rodada na 17ª colocação, com 27 pontos, dentro do Z-4.

Vitinho Internacional (Foto: Giuliano Gomes/PR PRESS)
Vitinho marcou o gol da vitória do Internacional no Couto Pereira
(Foto: Giuliano Gomes/PR PRESS)

Na próxima rodada, o Internacional recebe o Corinthians, quarta-feira, às 22h (horário de Brasília), no Beira-Rio. O Coritiba joga na quinta-feira contra o Flamengo, às 21h (horário de Brasília), no Mané Garrincha.

O jogo

O primeiro tempo foi de raras emoções, muitos cartões e gol no fim. Coritiba e Internacional encontraram dificuldades para chegar ao ataque, mas abusaram das faltas duras. Ao todo, o árbitro distribuiu seis cartões amarelos, sendo quatro para os gaúchos e dois para os paranaenses.

Quando chegaram ao setor ofensivo, os dois times não chegaram a criar chances reais de gol. A única boa oportunidade foi aos 47 minutos. Vitinho recebeu de Valdívia e ficou na cara do gol. No primeiro chute, Wilson defendeu, mas o atacante ficou com o rebote e abriu o placar para o Colorado no Couto Pereira.

O gol antes do intervalo fez o jogo ficar mais aberto na segunda etapa. Atrás no placar, o Coritiba começou pressionando, enquanto o Inter seguiu apostando no contra-ataque. O Alviverde teve as melhores oportunidades, mas parou no goleiro Alisson, nos erros de finalização e na boa marcação gaúcha.

Aos 37 minutos, o Coritiba pediu pênalti após Rafael Moura dividir com Kleber dentro da grande área. O árbitro Raphael Claus, que distribuiu mais cinco cartões amarelos no segundo tempo, não marcou nada. No fim, o Colorado se segurou como pode e garantiu a vitória fora de casa.

 

GLOBO ESPORTE.COM

 

Internacional 2 x 0 Ituano – Copa do Brasil 2015

 

O Internacional estreou na Copa do Brasil em grande estilo. Superior desde o primeiro minuto, o Colorado aplicou 2 a 0 no Ituano e arrancou em vantagem nas oitavas de final da competição. O jogo marcou o reencontro de Argel, agora como treinador, com o torcedor colorado no Beira-Rio. A equipe demonstrou intensidade e teve capacidade de criar e converter as oportunidades em gols. Na partida de volta, dia 27/08, no Estádio Novelli Júnior, o Inter pode perder por um gol de diferença, ou até por dois, desde que marque gols, para obter classificação às quartas de final.

Capitão de volta ao time

O retorno de Andrés D’Alessandro foi a novidade na escalação colorada. O capitão esteve ausente da equipe desde o jogo contra a Chapecoense, no Beira-Rio, pela 16ª rodada do Brasileirão, devido a dores no ombro direito e no quadril. O camisa 10 entra na vaga do uruguaio Nico Freitas. D’Alessandro entrou em campo inspirado já que esta foi a primeira partida após a chegada de Gonzalo, terceiro filho do argentino e sua esposa Erica, nascido na última sexta-feira (14/08), em Porto Alegre.

Início avassalador

O Internacional começou tomando iniciativa da partida, com ampla movimentação do trio Vitinho, Valdívia e Sasha. A primeira finalização veio 9min: D’Alessandro cobrou escanteio e o zagueiro Ernando cabeceou para defesa do goleiro Fábio. A maior posse de bola deu frutos no minuto 14. Após tabela com Rodrigo Dourado, Vitinho teve vitória pessoal sobre o marcador e disparou um potente chute de fora da área contando com desvio na defesa para encobrir o goleiro e abrir o marcador.

O gol aumentou a confiança da equipe, que soube aproveitar o momento. Aos 17min, veio o segundo gol. Eduardo Sasha roubou bola no campo de ataque e passou para Vitinho. O autor do primeiro gol dessa vez foi o garçom e assistiu Valdívia ampliar o placar a favor do Inter, com chute colocado no canto esquerdo do arco. Alguns torcedores ainda chegavam ao Gigante e o placar já estava 2 a 0.

O Ituano tentava reagir, mas a formação vermelha estava segura, impedindo as investidas dos paulistas. Aos 37min aconteceu a ação mais perigosa do adversário quando João Paulo cobrou falta lateral pela esquerda e o zagueiro Naylhor cabeceou com liberdade mas sem direção. Aos 43min, o mesmo zagueiro aproveitou novo cruzamento e, em posição duvidosa, cabeceou por sobre o gol. O primeiro tempo foi vermelho, para alegria da torcida e do técnico Argel.

Trave impede um placar maior

A segunda etapa começou com o Inter controlando a partida, trocando passes com inteligência, valorizando a bola e esperando os momentos certos para atacar. E foi o que aconteceu logo aos 4min. D’Alessandro deu lindo passe para Valdívia, que invadiu a área e soltou a bomba, mas o travessão impediu o que seria um golaço. Argel esteve tranquilo na sua estreia na beira do gramado do Gigante, vendo sua equipe atuar de forma segura e compacta, dominando completamente a partida.

Valdívia finalizou com perigo mais uma vez aos 13min. D’Alessandro armou a jogada e encontrou William apoiando pela direta. O lateral acertou cruzamento e o Pokopika desviou de cabeça, mas Fábio defendeu. Pela primeira vez na temporada, o camisa 29 foi utilizado como atacante e acabou sendo o jogador que mais finalizou na partida. A pressão colorada era grande. Aos 15min, novamente William foi ao fundo e cruzou, a bola atravessou a grande área e terminou com perigosa finalização de Vitinho por cima da goleira.

Mesmo com o revés no placar, o Ituano não conseguia reagir e o Inter seguia impondo seu jogo. Aos 29min, William e Vitinho tabelaram pela direita e o atacante cruzou rasante para Lisandro López, que entrou na vaga de Valdívia. O argentino finalizou mas o zagueiro Leo salvou o Ituano, desviando pela linha de fundo. Aos 31min, novamente Lisandro provocou intervenção importante do goleiro adversário ao chutar cruzando com força, após jogada de Zé Mário, outra novidade da segunda etapa.

A trave estava ajudando o Ituano e dessa vez frustrou o que seria a segunda comemoração de Vitinho. O camisa 21 recebeu passe dentro da área e chutou com efeito, acertando o poste e aliviando o time do interior paulista. No final do jogo, por muito pouco não saiu outro golaço. Alex, que entrou na vaga de Sasha, articulou com D’Alessandro e Lisandro e finalizou de voleio, rente à trave esquerda.

Ficha técnica:

Internacional (2): Alisson; William, Paulão, Ernando e Geferson (Zé Mário, no intervalo); Rodrigo Dourado, Nilton, D’Alessandro e Eduardo Sasha (Alex, aos 35/2º); Valdívia (Lisandro López, aos 23min/2º) e Vitinho. Treinador: Argel Fucks.

Ituano (0): Fábio; Dick, Naylhor, Leo e João Paulo; Jonatan Lima, Ewerton (Gercimar, aos 37/2º), Cristian e Claudinho; Marcão (Rodrigo Bassani, aos 26min/2º) e Zambi (Guilherme, aos 31/2º). Treinador: Tarcísio Pugliese.

Gols: Vitinho, aos 14min do primeiro tempo, e Valdívia, aos 17min do primeiro tempo.

Cartões amarelos: Geferson e Vitinho (Inter). Dick, João Paulo, Zambi e Rodrigo Bassani (Ituano).

Arbitragem: Elmo Alves Resende da Cunha (GO), auxiliado por Márcio Eustáquio Santiago (MG) e Daniel Henrique Andrade (DF).

Público total: 27.349 (Pagantes: 24.283, Menores: 1.658, Não pagantes: 1.408).

Renda: R$ 340.490,00.

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

 

Site do Sport Club Internacional

Renato Maurício Prado comenta Internacional 1 x 0 Fluminense

Zero à esquerda

A atuação de Ronaldinho Gaúcho, diante do Internacional, no Beira-Rio pode ser comparada às que ele teve no Flamengo e no Atlético Mineiro, no segundo ano em cada um dos clubes. Apático e sumido do jogo, limitou-se a cobrar escanteios e faltas. Em seu favor, pode-se lembrar que sem Fred o ataque tricolor se enfraquece muito e diminuem as suas opções de lançamentos. Pode ser. Mas bem que ele poderia, ao menos algumas vezes, tentar algo diferente e não se limitar a passes burocráticos como fez na derrota no Sul.

Em tempo: apesar de atuar a maior parte do segundo tempo com um a menos, por causa da estúpida atitude de Marcos Júnior, provocando a própria expulsão, o Flu vinha conseguindo neutralizar bem as investidas do colorado e até arriscar alguns contra-ataques. Bastou Enderson Moreira tirar o centroavante Wellington Paulista para colocar o zagueiro Antônio Carlos e o castigo veio a cavalo. Diego Cavalieri, que vinha pegando uma barbaridade, acabou levando o gol, no qual teve participação involuntária, mas decisiva: o chute de Vitinho ia pra fora, mas desviou no peito do goleiro e morreu no fundo da rede. A bola pune, já dizia Muricy.

Renato Maurício Prado – O GLOBO – 14/08/2015

Internacional 1 x 0 Fluminense

O JOGO

ALÍVIO COLORADO

Um gol de sorte. Era o que bastava para o Internacional amenizar a crise instalada após a goleada sofrida por 5 a 0 para o Grêmio, no último fim de semana. E conseguiu. Em jogo tenso, com nove cartões amarelos e dois vermelhos – para Marcos Junior e Antônio Carlos -, o Colorado venceu o Fluminense por 1 a 0, no Beira-Rio. Vitinho acertou o chute que desviou em Diego Cavalieri e entrou. No lado do Tricolor, que saiu do G-4, atuação discreta de R10 e dos dois estreantes no time titular, Cícero e Wellington Paulista.

DESTAQUE

PANORAMA

Com o resultado, o Internacional foi para a 10ª colocação, com 24 pontos. Na próxima rodada, o Colorado enfrenta o Cruzeiro, no Mineirão, domingo, às 16h (de Brasília). O Fluminense deixou a zona de classificação para a Libertadores e agora ocupa o quinto lugar, com 30 pontos. Também no domingo e no mesmo horário, o Tricolor recebe o Figueirense no Maracanã.

DESTAQUE

PÚBLICO E RENDA

Público pagante: 9.222
Público presente: 11.415
Renda: R$ 208.025.

DESTAQUE

OS 90 MINUTOS

Foi um primeiro tempo sem muitas emoções. O Flu ameaçou apenas em chute cruzado de Gustavo Scarpa e Ronaldinho Gaúcho, em cobrança de falta sofrida por Marcos Junior. No lado do Inter, Wellington recebeu na pequena área e finalizou mal. Logo depois, Nilton pegou forte da intermediária, Cavalieri fez boa defesa. Os ânimos voltaram para o segundo tempo mais exaltados. Marcos Junior fez falta infantil e foi expulso. Com um a mais, o Inter pressionou, mas esbarrou na ótima atuação de Diego Cavalieri. O goleiro só deu azar no chute de Vitinho, que ia para fora, desviou no arqueiro e entrou. O único do jogo. No fim, Antônio Carlos foi expulso por reclamação.

DESTAQUE

VITINHO

Foi na sorte, mas fez o gol salvador para amenizar a crise do Internacional após a goleada sofrida por 5 a 0 para o Grêmio, no último fim de semana. A finalização do atacante no segundo tempo não tinha a direção do gol. Desviou em Cavalieri e entrou. Único a balançar as redes na partida tensa no Beira-Rio. Depois do jogo, disse que a equipe entrou em campo com uma atitude diferente e mais comprometimento.

DESTAQUE

DIEGO CAVALIERI

Cavalieri sofreu durante o jogo. Foi obrigado a fazer várias defesas, em finalizações de Valdívia, Juan, Alex… Foi bastante exigido tanto no primeiro tempo quanto no segundo. As boas defesas, porém, não isentaram o goleiro de um saldo negativo na partida. Após lance de Rafael Moura, Vitinho ficou com a sobra e arriscou o chute. A bola desviou no camisa 12 e balançou as redes. Depois, aos 42 da etapa final, ainda levou o terceiro cartão amarelo, que o deixa fora do próximo jogo, contra o Figueirense no Maracanã.

 

GLOBO ESPORTE.COM

 

 

 

 

 

 

Joinville 0 x 2 Internacional

Inter reserva leva a melhor sobre o Joinville e descola do grupo do Z-4

Árbitro Francisco Carlos do Nascimento ajuda, mas Internacional ganha do JEC na Arena Joinville com tranquilidade e mandantes na lanterna do Campeonato Brasileiro

O erro do árbitro Francisco Carlos do Nascimento não tira o mérito do Inter. O juiz assinalou uma penalidade máxima inexistente que Vitinho utilizou para decretar o 2 a 0 colorado. Porém, o JEC perdeu o confronto na Arena Joinville por suas próprias falhas, do vacilo no tento de Réver, de cabeça, para abrir o placar após escanteio ou dos problemas no passe para fazer com que a bola chegasse em condições de arremate – três chances reais de gol contra cinco dos visitantes.

Mais que o da arbitragem, o principal empurrãozinho ao Internacional pode ser visto na classificação após o triunfo neste domingo. Os três pontos fazem os gaúchos saltarem para longe da zona de rebaixamento, na 12ª colocação. O Joinville não sai.

Pelo Campeonato Brasileiro, o Inter volta a campo às 18h30 de sábado, recebe o Goiás no Beira-Rio. O Joinville joga novamente em casa, no mesmo horário, porém às 18h30 e contra a Ponte Preta. Os colorados, porém, têm outro compromisso antes, no meio de semana e em casa. Na quarta, às 22h, começa a disputa contra o Tigres-MEX por vaga na final de Libertadores.

Joinville x Inter gol de Réver (Foto: João Lucas Cardoso)
Joinville perdeu para o Inter por 2 a 1 em casa e segue na lanterna
(Foto: João Lucas Cardoso)

O jogo

Dono do campo e da posse (57%), o Joinville não conseguiu transformar leve – e falsa – superioridade no primeiro tempo em vantagem. Na intermediária encontrava resistência e as jogadas pelas pontas ocorreram sem efeito. Tanto que terminou a etapa sem chance real de gol e apenas duas finalizações. Apesar de estar repleto de reservas, o Inter não sofreu com falta de entrosamento, tampouco de ficar sem a bola. O gol de Réver, na cabeçada certeira após escanteio de Vitinho, foi justo pela incisão colorada até aqueles 32 minutos.

Porém, o segundo tento do Inter, ainda antes do intervalo, não teve muito de justiça. É que o zagueiro Rafael Donato acertou apenas a bola e fora da área para frear a penetração de Taiberson. Francisco Carlos do Nascimento estragou a boa arbitragem até então ao anotar uma penalidade máxima que não existiu. Vitinho, o bom nome colorado no jogo, converteu. Do lance ao fim do jogo o árbitro alagoano seria hostilizado pela maior parte dos 10.924 torcedores (renda de R$ 188.270,00) que estiveram na Arena Joinville neste domingo.

A saída de Marcelo Costa para a entrada do agressivo William Popp foi a tentativa de Adilson Batista fazer do Joinville mais ofensivo. Porém, as finalizações dos mandantes não ocorriam, seguiam prejudicados pelos erros nos passes do meio para frente. O avanço fez apenas com que o Inter jogasse um pouco mais atrás, e mantivesse o placar no 2 a 0. As melhores tentativas terminaram em lances esporádicos, seja de um chute de fora de Marion que parou no travessão, ou uma pequena pressão em escanteios seguidos.

Quando a chuva apareceu, a torcida da casa começou a tomar o caminho de casa. A partida estava resolvida e a água serviu para o Inter esfriar o jogo que teve sob seu domínio pela maior parte do tempo.

 

GLOBO ESPORTE.COM