Náutico 2 x 3 Goiás

DESTAQUE

REFLEXO DA REALIDADE

O jogo entre Náutico e Goiás não foi nada mais que o espelho do momento que as duas equipes vivem na Série B. Os nordestinos, lanternas da competição, até que lutaram, mas saíram novamente derrotados – foi o sétimo revés em nove jogos na competição. Já os goianos mostraram que podem brigar na ponta de cima da tabela. Mesmo sofrendo o empate duas vezes, a equipe não esmoreceu e buscou a vitória a todo momento. O resultado de 3 a 2 coroou o empenho esmeraldino.

DESTAQUE

NÁUTICO LUTA, MAS GOIÁS SE IMPÕE

A segunda etapa foi ainda mais movimentada. Novamente o Verdão tomou a iniciativa e perdeu boa chance com Carlos. A pressão continuava e o gol não demorou a sair. Aos 15, Alex Alves marcou de cabeça. No entanto, o Timbu não se deu por vencido e correu atrás do empate outra vez, desta feita com Vinícius, aos 31. Mas quando a fase é ruim… Aos 40, Jarlan aproveitou boa jogada de Michael pela esquerda e só escorou para o gol vazio. Primeiro tento dele pelo Goiás, que deu a vitória à equipe fora de casa.

DESTAQUE

GOL RÁPIDO E PÊNALTI PERDIDO

O Goiás começou a mil por hora e abriu o placar logo na primeira volta do relógio. Após jogada pela direita de Tiago Luis, a bola sobrou para Carlos, que empurrou para o gol vazio. Os dois times saíram para o jogo e ambos tiveram boas chances, mas os visitantes sempre levavam mais perigo. Até que aos 26, o juiz marcou pênalti para o Náutico. Gilmar cobrou fraco e Rangel defendeu sem dificuldade. Os esmeraldinos pareciam estar tranquilos, mas aos 38, Everton Sena tentou tirar o cruzamento rasteiro e jogou contra o patrimônio, empatando a partida.

DESTAQUE

TABELA

Com a vitória, o Goiás pegou o elevador e chegou ao 4º lugar. A equipe goiana agora está com 14 pontos. Já o Náutico segue sua sina na competição. Ainda sem vencer, o time soma apenas dois pontos e ocupa o último lugar na tabela.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Bahia 2 x 4 Palmeiras

DESTAQUE

E O RETROSPECTO?

O Palmeiras não havia conquistado um ponto sequer como visitante. O Bahia estava com 100% de aproveitamento como mandante. Essas duas marcas acabaram na tarde deste domingo, na Arena Fonte Nova, em Salvador. Num jogo muito movimentado do início ao fim, o Palmeiras venceu o Bahia por 4 a 2.

DESTAQUE

OS GOLS

O Verdão abriu o placar com Róger Guedes, de pênalti, mas o Bahia empatou no último lance do primeiro tempo com Vinícius. Logo no início da etapa final, Keno botou o Verdão novamente em vantagem. Depois dos 37 minutos, a partida, que já era quente, ficou maluca. Mina fez o terceiro gol do Verdão, João Paulo recolocou o Bahia na partida e deu mostras de que o empate seria possível. Mas o Palmeiras matou o jogo no contra-ataque, com Willian.

DESTAQUE

NÚMEROS

As estatísticas mostram como o jogo foi movimentado: o Bahia teve 15 finalizações, só uma a menos do que o Palmeiras. A posse de bola, porém, foi majoritariamente do time baiano: 63% contra 37%.

DESTAQUE

NA TABELA

Com o resultado, Bahia e Palmeiras agora estão empatados com 10 pontos na 11ª e 12ª colocação, respectivamente. Ambos podem ser ultrapassados por Cruzeiro e Sport no complemento da oitava rodada.

DESTAQUE

AGENDA

O próximo jogo do Palmeiras será na quarta-feira, às 21h, em casa, contra o Atlético-GO. Já o Bahia joga na quinta, contra o Corinthians, às 19h30, em Itaquera

DESTAQUE

CARTOLA FC

Yerry Mina (9 pontos), Willian (8.90), Keno (8.40), Prass (8) e Guerra (6.40) foram os palmeirenses que mais pontuaram no Cartola. Tchê Tchê (0.30) foi o único que negativou.

 

No Bahia, João Paulo, que saiu do banco, fez 10.70 e foi o maior pontuador do jogo. Vinícius, autor do outro gol tricolor, fez 7.10. O goleiro Jean, vazado quatro vezes, negativou (-5 pontos).

DESTAQUE

PRIMEIRO TEMPO

Os primeiros 45 minutos foram muito movimentados. Com ritmo intenso, Bahia e Palmeiras tiveram boas chances para abrir o placar logo no início da partida. Na primeira oportunidade, os donos da casa pararam em Fernando Prass, que defendeu chute de Renê Júnior e evitou cruzamento de Edigar Junio na sequência. A resposta dos visitantes foi quase que imediata, e com gol. Após lançamento de Guerra, Keno só foi parado após carrinho de Rodrigo Becão dentro da área – os tricolores reclamaram da marcação de pênalti, alegando que o zagueiro tocou apenas na bola. Na cobrança, Róger Guedes bateu cruzado e abriu o placar. Bem posicionado na defesa, o Verdão viu sua vantagem acabar na última jogada do primeiro tempo após uma linda jogada individual de Zé Rafael. O meia driblou Mina e finalizou dentro da área. Fernando Prass defendeu o primeiro chute e também o rebote de Edigar Junio, mas não conseguiu evitar o empate dos donos da casa após chute forte de Vinicius.

DESTAQUE

SEGUNDO TEMPO

O Palmeiras voltou para a etapa final com Tchê Tchê na vaga de Mayke, com Jean sendo deslocado para a lateral direita. Coincidência ou não, o time melhorou. Aos 2, Róger Guedes marcou, mas o gol foi corretamente anulado por impedimento. Aos 3, Keno puxou contra-ataque e acertou belo chute de fora da área. O ritmo foi caindo. O Palmeiras passou a cozinhar o time do Bahia, administrando o tempo e os espaços. E chegou ao terceiro gol em cobrança de falta de Jean, desviada de cabeça por Juninho e completada por Mina, de carrinho, quase em cima da linha, aos 37. Dois minutos depois, porém, Juninho falhou de forma bizarra, e João Paulo recolocou o Bahia no jogo. O tricolor baiano tinha pouco mais de cinco minutos para pressionar o time paulista em busca do empate. A equipe comandada por Jorginho foi para o abafa, enquanto o Verdão esperava a chance do contra-ataque, num cenário muito semelhante ao da vitória palmeirense por 3 a 1 sobre o Fluminense, na semana passada. E foi dessa forma que o time chegou ao quarto gol, com Willian, em chute de fora da área: 4 a 2 Palmeiras

 

GLOBO ESPORTE.COM

Náutico 1 x 2 Paraná

Imagem

 

O Timbu bem que tentou, apresentou um futebol melhor, mas ainda não foi desta vez que venceu na Série B do Campeonato Brasileiro. Na noite desta terça-feira (13), o Náutico perdeu para o Paraná por 2×1, na Arena de Pernambuco. Vinícius abriu o placar no início, mas logo na sequência Minho empatou e no final do jogo Robson garantiu a vitória para os visitantes. Na próxima rodada, sábado (17), o Alvirrubro enfrenta o Boa Esporte-MG, às 16h30, no Estádio Dilzon Melo, em Varginha.

O técnico Waldemar Lemos apostou em uma formação mais ofensiva com Giovanni e Renan Paulino no meio-campo, além de Jeanderson e Joazi nas laterais. Outra novidade foi a entrada de Feliphe Gabriel na vaga do suspenso Nirley. E em apenas cinco minutos, o Timbu abriu o placar. O goleiro do Paraná deu um chutão na bola e errou. Vinícius dominou na área, fintou o zagueiro e arrematou firme para abrir o placar: 1×0. Porém, logo na sequência, o time visitante empatou com Minho em chute de fora da área.

O confronto esfriou após os dois gols. O Paraná passou a ter mais posse de bola, porém, sem conseguir finalizar na meta de Tiago Cardoso. O Timbu explorou os contra-ataques em velocidade e, por pouco, não ficou na vantagem novamente. Erick fez linda jogada individual, enfileirou a defesa adversária e mandou no canto do goleiro, mas a bola foi para fora. Em seguida, depois de troca de passes dos alvirrubros, Erick ajeitou para Giovanni chutar forte e obrigar o goleiro adversário a fazer uma grande defesa. Apesar de melhora nos minutos finais, o Náutico não chegou ao segundo gol antes do intervalo.

Na volta para o segundo tempo, o comandante alvirrubro colocou Iago no lugar de Geronimo. E assim que a bola rolou, Erick foi derrubado na área, mas o árbitro não marcou o pênalti e gerou reclamações. Aos 10 minutos, Giovanni foi substituído por Esquerdinha, que reestreou com a camisa do Timbu. Com as duas mudanças, os donos da casa pressionaram os visitantes em busca do segundo tento. Contudo, faltou acertar o último passe para deixar os atacantes em condição de marcar.

Após os 20 minutos, o Paraná equilibrou as ações e assustou por duas vezes o goleiro Tiago Cardoso, que fez duas boas defesas. Para voltar a ter força ofensiva, Vinícius, já cansado, deu lugar a Alison. Assim que entrou, o atacante arriscou de fora da área e quase marcou o segundo. Com a pressão nos minutos finais em busca do gol da vitória, o Náutico cedeu espaços para o contra-ataque e, aos 45 do segundo tempo, sofreu o tento que sacramentou a derrota. Robson marcou para o Paraná e fechou o placar em 2×1.

 

Site do Clube Náutico Cabiparibe

 

Internacional 4 x 2 Náutico

O JOGO

Neste sábado, o Internacional venceu o Náutico e engatou o terceiro jogo sem perder, voltando ao G-4. O Colorado marcou quatro vezes, mas podia ser ainda mais. Isto porque, só no segundo tempo, o time teve quatro penalidades a favor – perdeu duas em defesas de Tiago Cardoso. Com gols de Carlos, D’Alessandro, William Pottker e Cirino, os gaúchos chegaram aos 11 pontos e ocupam a terceira posição. O Náutico, que diminuiu com Vinícius e Iago, continua com dois pontos, na lanterna.

DESTAQUE

PRIMEIRO TEMPO

Empurrado pela torcida, o Inter começou a todo vapor. E deu mostras de que o que era “lógico” iria acontecer. Colocou-se no papel de favorito e amassou o Náutico. Logo aos três minutos, Carlos fez um gol, mas o juiz anulou erroneamente. Mas, aos nove, o camisa 11 marcou de novo e, desta vez, valeu. O Colorado, na frente, continuou pressionando os pernambucanos, mas à medida em que o tempo foi passando, as coisas foram ficando equilibradas. Depois dos 30 minutos do primeiro tempo, o Timbu começou a fazer-se mais presente, mesmo que de forma tímida, no campo de ataque. Eis que Erick fez uma ótima jogada pela direita, cruzou e Vinícius, um dos estreantes do dia, marcou o seu primeiro gol com a camisa alvirrubra.

DESTAQUE

SEGUNDO TEMPO

Prepare-se: Você vai ler muito a palavra “pênalti” nas próximas linhas. Isto porque o Inter teve quatro – isto mesmo, quatro – marcados a seu favor no segundo tempo. No primeiro, o juiz marcou falta de Nirley sobre Marcelo Cirino. William Pottker foi para a bola e converteu. Quatro minutos depois, Pottker, sozinho, chutou para o gol e Nirley deu um carrinho, mas usou o braço para ajudar no corte. Novo pênalti marcado. D’Alessandro na bola: 3 a 1. Não parou por aí. Aos 18 minutos, o zagueiro Aislan cometeu outra penalidade. Só que desta vez, Marcelo Cirino bateu fraco e Tiago Cardoso fez a defesa. Com um a mais e com 3 a 1 no placar, coube ao Inter administrar o placar. O Timbu ainda diminuiu com um gol de outro estreante, o atacante Iago. E para quem pensa que acabou… Aconteceu mais um pênalti. Tiago Cardoso derrubou Juan, mas, na cobrança, o arqueiro alvirrubro foi mais uma vez decisivo e pegou. Só que, um minuto depois, Cirino marcou o quarto do Náutico.

DESTAQUE

PRÓXIMOS JOGOS

O Internacional volta a jogar na próxima terça-feira, às 21h30, contra o América-MG, fora de casa. O Náutico também atua, no mesmo dia, só que às 19h30, quando recebe o Paraná na Arena de Pernambuco.

DESTAQUE

FESTIVAL DE PÊNALTIS

 Só no segundo tempo, o Inter teve quatro pênaltis a seu favor. Os dois primeiros foram convertidos por William Pottker e D’Alessandro. Marcelo Cirino e William Pottker, por outro lado, perderam outras duas cobranças – Tiago Cardoso defendeu os dois.

DESTAQUE

ESTREANTES APROVADOS

 O primeiro gol do Náutico foi marcado pelo estreante Vinícius, que desviou de cabeça após uma boa jogada de Erick. A jogada do segundo gol do Timbu foi construída por outros dois estreantes que saíram do banco de reservas: Giovanni deu um bom lançamento para Iago diminuir para o Alvirrubro.

DESTAQUE

DUAS PARA VALER UMA

 Carlos não marcava um gol pelo Inter desde a vitória de 3 a 0 sobre o Sampaio Corrêa-MA, pela Copa do Brasil, no dia 15 de março (naquele dia, marcou duas vezes). Desta vez, também teve de fazer dois, mas para valer um. Logo aos três minutos, teve um gol mal anulado pela arbitragem. Mas depois, aos nove do primeiro tempo, completou – de novo de cabeça – um cruzamento de Pottker para tirar o jejum.

GLOBO ESPORTE.COM

Juventude 1 x 0 Criciúma

O JOGO

Não foi uma partida de muitos atrativos técnicos, longe disso. Mas o Juventude venceu o Criciúma por 1 a 0 na superação na noite desta terça-feira, com gol no fim do zagueiro Vinícius, e assumiu a liderança isolada da Série B do Campeonato Brasileiro. Após cinco rodadas, o time de Caxias do Sul ainda comemora a invencibilidade na competição. Já o Criciúma segue sem vencer e volta para a lanterna.

DESTAQUE

GOL DA LIDERANÇA

Vinicius saiu do banco de reservas para fazer o gol que colocou o Juventude na liderança do Campeonato Brasileiro da Série B. Aos 41 minutos do segundo tempo, o zagueiro mandou de cabeça para o fundo das redes.

DESTAQUE

NA TABELA

O Ju soma mais três pontos e chega aos 11, na liderança isolada da Série B. O Tigre fica com apenas um, na 20ª e última posição. Na próxima sexta-feira, o Criciúma abre a sexta rodada em casa, contra o CRB, às 19h15. O Juventude entra em campo no sábado, às 16h30, contra o Boa, em Minas Gerais.

DESTAQUE

JEJUM

O Criciúma ainda não conheceu o sabor da vitória na Série B do Campeonato Brasileiro de 2017. O time do Sul de Santa Catarina soma quatro derrotas e um empate na competição nacional. Em função do fraco desempenho, o Tricolor tem um ponto e está na lanterna.

DESTAQUE

INVICTO

Por outro lado, o Juventude não sabe o que é ser derrotado nesta Série B do Campeonato Brasileiro. Em cinco rodadas, o time comandado por Gilmar Dal Pozzo tem três vitórias e dois empates. Com os 11 pontos somados, o Verdão assumiu a liderança da competição. Os gaúchos tem 100% de aproveitamento dentro do Alfredo Jaconi.

DESTAQUE

O PRIMEIRO TEMPO

Enquanto o Juventude praticamente repetiu a equipe que começou no empate contra o Inter, na rodada passada, Luiz Carlos Winck optou por colocar o zagueiro Diego Giaretta na lateral esquerda. Com o frio da serra gaúcha, o jogo só foi esquentar depois dos 15 minutos. Aos 19, Tiago Marques fez fila pelo lado esquerdo, mas foi desarmado na entrada da área. A bola respingou, Juninho deu um toque à frente, mas muito forte. Luiz se atirou em seus pés para segurar firme.

 

Aos 26, Fabinho Alves cruzou da esquerda, Zé Roberto cabeceou fraco, mas o suficiente para tirar Matheus da jogada. Então, Domingues apareceu em cima da linha para evitar o gol catarinense. No lance, o zagueiro Ruan dividiu pelo alto com Zé Roberto, o atacante levou a pior, mas não teve maiores problemas para voltar à partida. Na sequência, Ramon avançou pela esquerda e tentou o cruzamento para a área. A bola bateu no braço do zagueiro do Criciúma, porém, o árbitro Francisco Carlos Nascimento disse que não houve pênalti.

DESTAQUE

O SEGUNDO

Os times foram para o intervalo com a missão de se tornarem mais agressivos no segundo tempo. E o Juventude assustou logo aos dois minutos. Em contra-ataque, Leílson deixou Juninho na boa para chutar cruzado. Mas o tiro saiu muito aberto, à direita de Luiz. O Criciúma respondeu aos oito, em chute de Alex Maranhão que Matheus segurou firme.

 

Em seguida, Jocinei avançou pela esquerda, puxou para o meio e chutou alto, no ângulo, mas sem muita força. Matheus não teve muito trabalho para saltar e agarrar a bola. E se estava difícil por baixo, o Juventude resolveu por cima. Aos 41, Wallacer cobrou escanteio da direita, e Vinícius nem precisou pular para testar com precisão. A bola ainda tocou o travessão antes de entrar. Foi o gol do desafogo. E da liderança da Série B!

 

GLOBO ESPORTE.COM

Bahia 3 x 0 Atlético Goianiense

O JOGO

Imagina estrear em sua nova equipe e de cara já balançar as redes? Os meias Vinícius e Gustavo Ferrareis experimentaram a sensação na noite desta segunda-feira. Anunciados na semana passada, os dois balançaram as redes no triunfo por 3 a 0 do Bahia sobre o Atlético-GO, na Arena Fonte Nova. Renê Junior, com um belo gol, completou o placar para o Tricolor, que fez mais uma boa exibição dentro de casa. Ótimo início de trabalho do técnico Jorginho, que comandou o Bahia pela primeira vez desde a saída de Guto Ferreira.

DESTAQUE

PRIMEIRO TEMPO

Mesmo sem Régis, principal jogador da temporada, o Bahia mostrou grande poderio ofensivo, com muita velocidade nas transições ofensivas. Destaque para a inteligência de Allione, responsável pela assistência para o primeiro gol de Renê Junior, e a movimentação de Zé Rafael, que puxou o contra-ataque que resultou no gol do estreante Vinícius. O Tricolor até poderia ter feito mais pela produção ofensiva, sobretudo pelo lado esquerdo do ataque. O Atlético-GO mostrou enorme fragilidade quando atacado e foi dominado pela equipe da casa. A principal chance dos goianos aconteceu em chute de Bruno Pacheco defendido por Jean.

DESTAQUE

SEGUNDO TEMPO

O segundo tempo não foi tão bom quanto o primeiro. Com boa vantagem no marcador, o Bahia diminuiu a intensidade e passou a controlar o jogo em ritmo lento. O marasmo só acabou quando Jorginho promoveu a estreia de Gustavo Ferrareis, que precisou de apenas três minutos para ampliar a vantagem tricolor e pôr números finais à partida.

DESTAQUE

PÚBLICO E RENDA

Público Pagante: 13.364

Renda: R$ 228.613,00

DESTAQUE

PRÓXIMOS JOGOS

O Tricolor volta a jogar na Arena Fonte Nova nesta quinta-feira, quando encara o Cruzeiro, às 21h (horário de Brasília). No mesmo dia, só que às 19h30, o Dragão recebe a Ponte Preta.

DESTAQUE

COMO FICA

Com o triunfo, o Bahia sobe quatro posições e agora é o 9º colocado, com seis pontos ganhos. O Atlético-GO ainda não venceu e segura a lanterna da competição.

DESTAQUE

ESTREIA ABENÇOADA

Quer coisa melhor do que estrear em seu novo clube balançando as redes? Vinícius marcou aos 40 do primeiro tempo, após ótimo contra-ataque puxado por Zé Rafael. Além do gol, ele se movimentou bastante e deu uma dinâmica importante ao ataque tricolor.

GLOBO ESPORTE.COM

Fluminense 0 x 1 Atlético Paranaense

 

Depois de muita confusão, a Copa Sul-Minas-Rio saiu do papel e foi para o campo. Nesta quarta-feira, Fluminense e Atlético-PR se enfrentaram em Volta Redonda, e o Rubro-Negro levou a melhor: 1 a 0. Coube ao meia Vinicius, que recentemente saiu pela porta dos fundos das Laranjeiras e que foi vaiado a cada toque na bola, fazer o gol da vitória do Furacão. O capitão Fred foi expulso junto com Léo, após dar um soco no adversário.
Com os três pontos somados, o Atlético assumiu a liderança do Grupo A, já que Cruzeiro e Criciúma, os outros integrantes, empataram por 1 a 1 no Heriberto Hulse. O próximo jogo do Flu pela Copa Sul-Minas-Rio está marcado para o dia 17 de fevereiro, contra o Cruzeiro, no Mineirão. O Atlético, dia 18, recebe o Criciúma na Arena da Baixada. As equipes fazem a estreia em seus estaduais no próximo domingo. Pelo Carioca, o Tricolor enfrenta o Volta Redonda, no Raulino de Oliveira, às 19h30. Já o Furacão encara o Operário no estádio Germano Krüge, às 17h.

 

Público: 6.005 presentes. Sem renda (ingresso foi 1kg de alimento não perecível).

 

O Flu conseguiu criar a primeira – e sua única no primeiro tempo – boa oportunidade. Felipe Amorim foi até a linha de fundo e cruzou para Fred, que pegou de primeira e mandou com perigo. Vilches teve boa chance para o Atlético, mas Wellington Silva salvou em cima da linha.

Na volta do vestiário, os ânimos ficaram exaltados entre Fred e Léo. O jogador do Flu acertou o do Atlético com um soco e, na confusão, os dois foram expulsos. Sobrou polêmica, mas faltaram boas jogadas.

As emoções mais fortes ficaram reservadas para reta final. E coube ao ex-tricolor Vinicius marcar após falha de cobertura da zaga. O Flu teve a chance na mão para empatar o jogo já perto do fim, após o pênalti cometido por Eduardo, mas Weverton defendeu a cobrança de Cícero no canto direito.

 

VINÍCIUS, O PERSONAGEM DA PARTIDA

O meia deixou o Fluminense ao fim da última temporada e se transferiu para o Atlético-PR. A saída foi conturbada, com troca de acusações. No reencontro com a torcida tricolor, ele foi hostilizado antes mesmo do início de partida, e as vaias continuaram a cada toque. Coube a ele, no entanto, resolver a partida ao fazer o gol da vitória, na segunda etapa.

 

FRED ESTREIA EM 2016 COM EXPULSÃO

Em sua primeira partida na temporada, Fred mostrou nervosismo acima do normal e acabou expulso após dar um soco no lateral-direito Léo, que também levou o vermelho. Os dois se estranharam desde o primeiro tempo. Antes de ir para o vestiário mais cedo, o capitão tricolor teve uma ótima chance de marcar, mas chutou rente ao travessão.

 

FALA, WEVERTON

É o que eu sempre falo, é tentar ser mais frio e tranquilo porque a responsabilidade é do batedor. Mais uma vez fui feliz, assim como no rebote. Temos que parabenizar toda a equipe, que foi muito bem hoje. Começamos bem o ano, agora é continuar assim daqui para a frente.

 

FALA, EDSON

Infelizmente a gente sabe que é muito pouco, né, por se falar em Fluminense, um clube de tradição. A gente sabe que o mais importante é que fizemos uma boa pré-temporada, mas não estamos colocando em prática os resultados. Hoje futebol é resultado. Temos que melhorar bastante. Um clube grande como o Fluminense não pode tomar gol bobo. Temos que entrar mais ligados.

 

GLOBO ESPORTE.COM

 

 

 

 

Fluminense 2 x 0 Ponte Preta

O JOGO

CAI UM INVICTO

Era o duelo dos invictos. O invicto no Maracanã e o invicto em todo o campeonato. Falou mais alto o fator casa, e o Fluminense venceu a Ponte Preta por 2 a 0 – gol de Wellington Silva e Vinícius. Jogando no seu estádio, o Tricolor conta, agora, com quatro vitórias e dois empates. A Macaca, por sua vez, conhece seu primeiro revés no Brasileirão, na 8ª rodada. Agora, o único que mantém sua invencibilidade na competição é o líder Sport.

DESTAQUE

RENDA E PÚBLICO

O Maracanã recebeu 7.954 torcedores na noite desta quarta-feira, sendo 7.033 pagantes. A renda da partida foi de R$ 201.580,00.

 

DESTAQUE

OS 90 MINUTOS

Não foi um jogo de grandes emoções, é verdade, apesar do grande número de finalizações (foram 30, ao total). A apatia do time da casa chegou a irritar os torcedores tricolores, que vaiaram o Fluminense no intervalo da partida. A Ponte é que era melhor, com mais inteligência e disciplina tática. Mas, no segundo tempo, o panorama se inverteu. As vaias, ao que parece, surtiram efeito. O Flu voltou muito mais ligado e conseguiu marcar aos 9 minutos, com Wellington Silva. Teve ainda mais chances para marcar, com bola parada em Lomba ou passando muito perto do gol. No fim do jogo, ampliou com Vinícius.

DESTAQUE
VISITA AMIGA 

Um velho conhecido do Fluminense marcou presença na noite desta quarta-feira, no Maracanã. Thiago Neves foi ao estádio para torcer com um casado tricolor, e deu sorte: vitória por 2 a 0 sobre a até então invicta Ponte Preta. O meia que assinou há pouco tempo com o Al Jazira, dos Emirados Árabes, passa férias no Brasil e foi ovacionado pelos torcedores ao aparecer no telão.

Ceará 1 x 3 Sampaio Corrêa

Jogando no PV, Ceará perde para o Sampaio Corrêa: 3 x 1

Em casa, o time de Porangabuçu foi superado pelo adversário

Site do Ceará Sporting Club

Renato Maurício Prado comenta qual é o melhor time carioca atualmente…

O melhorzinho

O caso do Fluminense é diferente, por motivos óbvios. Ainda conta com um punhado de jogadores acima da média (Fred, Cavalieri, Jean, Gérson, Vinícius e Wágner) que, juntos, permitem que o tricolor sonhe mais alto. Não creio que tenha possibilidades de título — o considero inferior ao Atlético Mineiro, ao Inter e ao São Paulo, pelo menos. Mas, se estiver bem armado e com os salários em dia, dá pra brigar por uma vaga na Libertadores.

 

Renato Maurício Prado – O GLOBO – 06/06/2015