Flamengo 5 x 1 Chapecoense

DESTAQUE

PRAZER, GUERRERO!

O peruano respondeu a todas as críticas nesta quinta-feira. No seu primeiro jogo na Ilha do Urubu, Guerrero marcou três vezes. No primeiro tempo, desviou de leve cruzamento de Diego. Na etapa complementar, viu a bola bater no travessão após cabeçada de Arão e completou mostrando oportunismo. Deu números finais de cabeça e foi para a galera. Foi o primeiro hat-trick do artilheiro com a camisa do Flamengo – o 16º gol dele na temporada.

O JOGO

“Guerrero ainda não marcou no Brasileiro”. “Guerrero só sabe perder gols”. Tudo que foi dito a respeito do peruano caiu por terra nesta quinta-feira. Na Ilha do Urubu, o atacante balançou a rede três vezes, deu assistência para Diego – que marcou dois – e comandou a goleada por 5 a 1 contra a Chapecoense. A partida ainda foi marcada pela estreia de Rhodolfo, substituto de Réver na segunda etapa, e falha do jovem Thiago no gol de Victor Ramos, o de honra do time de Santa Catarina.

DESTAQUE

PRIMEIRO TEMPO

A Chape não se intimidou com o caldeirão da Ilha do Urubu e esboçou pressão nos minutos iniciais. Quase surpreendeu Thiago num lance de lateral cobrado na área; Wellington Paulista antecipou Juan e deu toquinho no canto, direto pela linha de fundo. Afobado no início, o Flamengo começou a controlar o jogo quando colocou a bola no chão. Assim, foi premiado aos 13 minutos com um golaço: Diego, de primeira, de direita, de fora da área no ângulo de Jandrei.

 

O barulho aumentou cinco minutos mais tarde. Guerrero desencantou. Arão iniciou a jogada com belo lançamento para Diego. O camisa 35 carregou com liberdade pela esquerda, levou para o pé direito e levantou com precisão para o peruano, que aparece nas costas da marcação para resvalar na bola e tirar o goleiro da jogada: 2 a 0. Poderia ter feito o seu segundo no Brasileirão, mas perdeu chance clara, sozinho contra Jandrei.

DESTAQUE

SEGUNDO TEMPO

O Flamengo parecia caminhar para uma vitória tranquila. Aos três minutos, Guerrero por pouco não ampliou, mas de novo parou em Jandrei. Porém, uma falha de Thiago colocou o time visitante novamente na partida. O goleiro soltou bola fácil após cobrança de lateral de Reinaldo na área e deixou nos pés de Victor Ramos, que só teve o trabalho de empurrar para a rede. Daí em diante uma sequência de jogadas aéreas dos visitantes, sempre com perigo, mas cortadas pela defesa.

 

A partida perdeu intensidade e as duas equipes abusaram dos erros de passe no meio. A individualidade, então, falou mais alto. E falou o nome de Guerrero. O centroavante decidiu o jogo e incendiou a Ilha. Mostrou oportunismo ao aproveitar rebote de Jandrei e bola no travessão, deu passe para Diego marcar seu segundo no jogo e fechou a conta com um de cabeça: 5 a 1, passeio no Rio de Janeiro e terceiro triunfo no Brasileirão.

DESTAQUE

PANORAMA

Com a terceira vitória na competição, o Flamengo foi a 14 pontos na tabela de classificação e pulou para a oitava colocação. No domingo, às 18h30 (de Brasília), encara o Bahia na Fonte Nova. A Chape estacionou com 13 pontos e caiu para a 10ª posição. Na próxima rodada, na Arena Condá, recebe o Atlético-MG, também no domingo, às 19h.

DESTAQUE

EVITOU O PIOR

Não é o jogo dos sonhos para o goleiro, longe disso. Mas Jandrei deixou a Ilha como destaque da Chape. Apesar das cinco bolas na rede, parou Guerrero duas vezes, tentou evitar o terceiro do Fla ainda na cabeçada de Arão – peruano aproveitou o rebote – e não deixou o Rubro-negro sair de campo com uma goleada história. No Cartola FC, saiu no “lucro”: só -0,50 pontos.

DESTAQUE

PÚBLICO E RENDA

Público presente: 14.632 presentes

Público pagante: 13.436 pagantes

Renda: R$ 834.628,00

GLOBO ESPORTE.COM

Vasco 1 x 4 Palmeiras

Palmeiras atropela o Vasco, entra no G-4 do Brasileirão e complica o rival

Paulistas abrem boa vantagem no primeiro tempo, vencem fora de casa e sobem para a 3ª posição. Na zona de rebaixamento, cariocas veem Herrera perder gol feito

Em boa fase no Campeonato Brasileiro, o Palmeiras soube se aproveitar da irregularidade do Vasco na temporada para sair de São Januário com uma goleada. Com um primeiro tempo perfeito, o Verdão não se intimidou por atuar fora de casa e conseguiu vencer por 4 a 1, resultado que faz a equipe paulista subir na tabela de classificação. Leandro Pereira (2), Dudu e Victor Ramos marcaram para o time alviverde; Riascos descontou para a equipe carioca.

Agora com 28 pontos, o Palmeiras se aproveitou também do empate entre Grêmio e Sport e da vitória da Chapecoense sobre o Fluminense para ganhar três posições, subir para a terceira colocação e entrar no G-4. Já o Vasco, com apenas um triunfo nas últimas cinco rodadas, se mantém na zona de rebaixamento, na 18ª colocação, com 12 pontos.

Leandro Pereira gol Palmeiras Vasco (Foto: Wilton Junior / Agência Estado)

Estádio com bom público e torcida animada. Cenário perfeito para o Vasco entrar em campo pressionando o Palmeiras. Mas quem sobrou nos primeiros 45 minutos foi o Palmeiras. Seguros na marcação e eficientes no ataque, os paulistas não precisaram nem forçar muito para abrir o placar, com Leandro Pereira logo aos três minutos. E ampliar para 2 a 0, com Dudu aos 17. E depois fazer o terceiro, com Victor Ramos aos 34… A conta só não foi maior por causa da trave.

Perdidos, os cariocas sentiram a pressão do rival e não conseguiram criar chances de perigo. Aos 40 minutos, após desarme de um marcador palmeirense, Herrera protagonizou um lance bizarro. O argentino invadiu a grande área, driblou Fernando Prass, dominou a bola e, sem goleiro, conseguiu fazer o mais difícil: acertar o travessão. Um lance que resumiu o total descontrole vascaíno no primeiro tempo.

Depois do intervalo, Celso Roth resolveu “mudar tudo”. Saíram o goleiro Martin Silva, o zagueiro Aislan e o atacante Dagoberto para as entradas do goleiro Jordi, o volante Serginho e o atacante Riascos. O Vasco até tentou esboçar uma produção mais eficiente no setor ofensivo, mas foi o Palmeiras que conseguiu ser mortal novamente.

Logo aos nove minutos, Robinho cruzou da direita para Leandro Pereira marcar o quarto do Verdão, o sexto do atacante no Brasileirão. A resposta vascaína foi imediata. Mas nas arquibancadas. Alguns torcedores deixaram São Januário e não acompanharam nem mesmo o gol de honra dos donos da casa, marcado Riascos.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Palmeiras 4 x 0 São Paulo

28/06/2015 – 17h51 – Atualizado em 28/06/2015 17h51

Com direito a olé, Palmeiras mostra força e goleia o São Paulo em casa

Com contra-ataques rápidos e correção nos passes, Verdão atropela o rival e sobe na tabela do Brasileirão. Tricolor se mantém no G-4, mas perde moral com a derrota

Foi um massacre. O Palmeiras passou por cima do São Paulo neste domingo, na arena alviverde, pela nona rodada do Brasileirão, com uma goleada por 4 a 0 que fez o Tricolor entrar em parafuso. Mesmo sem ter a bola na maior parte do tempo, mas apostando em contra-ataques muito bem armados, o Verdão atropelou. Leandro Pereira, Victor Ramos, Rafael Marques e Cristaldo marcaram. O Tricolor apresentou deficiência nos passes, arremates a gol e marcação. Assim, acabou virando presa fácil para o time da casa.

O São Paulo tinha esperança de revanche após o Choque-Rei do Paulistão, quando também foi mal e perdeu por 3 a 0. Ficou só na vontade. O Verdão mostrou mais uma vez quem manda na arena.

Com o triunfo, Palmeiras vai a 12 pontos e sobe para o 10º lugar. O São Paulo se mantém no G-4, mas caiu para o quarto lugar, com 17 pontos.

 

leandro pereira palmeiras x são paulo (Foto: Marcos Ribolli)
Leandro Pereira festeja o gol que abriu a goleada do Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli)

O Palmeiras foi preciso, objetivo, não enrolou. Enquanto o São Paulo, com 68% da posse de bola no primeiro tempo, acertou bola na trave, com Pato, e desperdiçou três chances claras, todas em chutes errados de Michel Bastos, o Verdão mostrou como se faz: quando o espaço se abriu, o time da casa não perdoou.

Primeiro, com Leandro Pereira, chutando de primeira, de fora da área, aos 31 – a bola desviou em Souza e enganou Ceni, que chegou a desviar, mas não o suficiente para evitar o gol. O segundo, com Victor Ramos, que subiu livre para completar de cabeça a cobrança de escanteio de Robinho, aos 40.

Ao tentar reagir, o Tricolor abusou dos passes errados, entregando a bola de bandeja para contra-ataques do Verdão.

O panorama se manteve no segundo tempo: o São Paulo, que perdeu o técnico Juan Carlos Osorio, expulso no intervalo por reclamação, tinha a bola, mas não sabia o que fazer com ela. O Palmeiras, muito mais encorpado, seguiu apostando em contra-ataques rápidos, com passes certos.

Foi assim que saiu o terceiro gol, aos 13 minutos: a bola roubada no meio-campo passou por Dudu, Arouca e Egídio antes do toque final de Rafael Marques.Tudo de primeira. Detalhe: essa jogada saiu quando o Verdão tinha um a menos: Leandro Pereira se machucou e teve de deixar o campo. Cristaldo, o substituto, aguardava autorização para entrar enquanto a jogada se desenrolava.

Cristaldo, aliás, deixou o dele, completando a goleada. Com o São Paulo totalmente desorganizado, deixando enormes espaços às costas de seus laterais, o Verdão se aproveitou. Egídio acertou um cruzamento longo e achou o argentino livre para ampliar.

À essa altura, o São Paulo era uma bagunça só. Um time sem coordenação e força, o que permitiu ao Palmeiras tocar a bola e ouvir o “olé” nas arquibancadas da arena.

GLOBO ESPORTE.COM

Palmeiras deve terminar o Brasileirão com mais contratações do que pontos

Mattos sorri, mas torcedores choram (FOTO: Kelvin)

Mattos sorri, mas torcedores choram
(FOTO: Victor Ramos)

Pelo que dá para perceber, o planejamento do Palmeiras não está dando muito certo. O clube, que bateu o recorde de contratação para uma temporada, com 24 reforços, corre o risco de pagar um mico daqueles.

O clube palestrino deve terminar o Brasileirão com mais contratações do que pontos. Esta é a projeção realizada de acordo com o desempenho atual da equipe. Se não melhorar, o time terá de conviver com esta marca absurda.

“Eu até deixei de falar que seria difícil ganhar da gente nesse ano para não dar azar como deu em 2014, mas não adiantou. O time conseguiu perder do Goiás em casa e empatar com o Joinville e por isso reformulei a minha frase: vai ser difícil não ganhar da gente esse ano”, disse o presidente palmeirense.

Apenas um mico é maior que este: a milionária contratação do atacante Dudu.