Flávio Ricco elogia desempenho de Vera Holtz na novela A Lei do Amor

291cd-logo-da-globo1

 

Talento
“A Lei do Amor” está seguindo em frente, mostrando que aquela baixa audiência do começo, foi só uma impressão inicial.

Aliás, no decorrer dos seus capítulos, destaque-se o talento de Vera Holtz, uma alguém sempre muito pronta para qualquer papel.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Vera Holtz, como a vilã Magnólia, e seu neto Tiago, Humberto Carrrão, em “A Lei do Amor”, substituta de “Velho Chico” na Globo

Estevam Avellar/Divulgação/TV Globo 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

“A Lei do Amor” não terá gravações fora do Brasil

Grazi nos bastidores de "A Lei do Amor", em que vive uma ex-garota de programa

Grazi nos bastidores de “A Lei do Amor”, em que vive uma ex-garota de programa

As gravações de “A Lei do Amor”, substituta de “Velho Chico” que estreia dia 3 de outubro na Globo, serão realizadas inteiramente no Brasil, principalmente no eixo Rio-São Paulo.

Os trabalhos estão acontecendo a toque de caixa, movimentando nomes como Otávio Augusto, Reynaldo Gianecchini, Cláudia Abreu, Denise Fraga, Isabela Santonni, Vera Holtz, José Mayer, Thiago Lacerda, Tarcísio Meira, Camila Morgado, Emanuelle Araújo, Grazi Massafera, Renato Góes, Humberto Carrão e Heloísa Périssé.

Até em função dos altos gastos que as viagens com equipes para o exterior acarretam, cada vez mais nossas emissoras de TV estão centralizando as ações de suas tramas no Brasil.

Gravações lá fora, só em casos excepcionais.

E na “Lei do Amor” que vem por aí, a Grazi vai interpretar Luciane, uma ex-garota de programa, casada com Hércules (Danilo Grangeia), filho de Fausto (Tarcísio Meira) e Magnolia Leitão (Vera Holtz).

Ela é descrita como alguém muito ambiciosa.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Isabella Santoni, Reynaldo Gianecchini, Vera Holtz, Otávio Augusto e Cláudia Abreu vão participar da novela Velho Chico

Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari continuam trabalhando normalmente na novela que substituirá ” Velho Chico”…
 … Os dois, inclusive, além do texto, têm estudado as possibilidades para o elenco…
… Isabella Santoni, Reynaldo Gianecchini, Vera Holtz,  Otávio Augusto e Cláudia Abreu, entre outros, já estão com suas presenças confirmadas.
Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Vera Holtz fará sua primeira protagonista em novelas da Globo

Kiko (Pablo Sanábio) e Vic Garcez (Vera Holtz) em "O Rebu"

Kiko (Pablo Sanábio) e Vic Garcez (Vera Holtz) em “O Rebu”

A novela de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari irá oferecer a Vera Holtz, pela primeira vez, a oportunidade de viver uma protagonista. Algo visto dentro da própria Globo, como fora de lá, do maior merecimento.

O mais recente trabalho da atriz na TV foi em “O Rebu”, em 2014.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Em 1996, Globo exibiu novela com só 35 capítulos para tapar buraco

Por THELL DE CASTRO, em 09/08/2015 · Atualizado às 06h42

Explode Coração estava no ar e a Globo não conseguiu iniciar a produção de O Rei do Gado a tempo. Normalmente, nessas situações, a trama que está no ar é esticada, mas Glória Perez já havia combinado com a emissora que seria liberada para o julgamento do assassinato de sua filha, Daniela Perez.

A solução foi pegar O Fim do Mundo, que seria uma minissérie do horário das 22h30, e colocar no principal horário de teledramaturgia da emissora, naquela época, 20h40. “O Fim do Mundo chega às telas com uma dupla responsabilidade. Primeiro, recuperar a audiência do horário, um pouco abalada depois de Explode Coração. Segundo, testar a viabilidade de um novo formato, alternativo às novelas tradicionais, com mais de 100 capítulos”, destacou reportagem da Folha de S.Paulo de 5 de maio de 1996.

A trama, que foi anunciada como uma super novela em apenas 35 capítulos, estreou no dia 6 de maio de 1996 e levantava a seguinte questão: O que você faria se só lhe restasse um dia de vida?

Em Tabacópolis, fictícia cidade do interior baiano, o paranormal Joãozinho de Dagmar (Paulo Betti) fazia uma previsão assustadora: o mundo iria acabar em três meses. Para completar, fatos estranhos começaram a ocorrer, como uma chuva de excrementos, um bezerro com duas cabeças, um terremoto, entre outras bizarrices.

A população entrav em pânico, e a cidade se via em meio ao caos. Tião Socó (José Wilker) violentava Gardênia (Bruna Lombardi), sua cunhada, o diretor do hospício resolvia soltar os pacientes, enquanto o delegado abria a cadeia e libertava os presos. Só que, no dia seguinte, o mundo não acabava, e os moradores da cidade precisavam arcar com as consequências de seus atos.

Dias depois, Joãozinho fazia nova profecia. Dessa vez, uma mundo realmente acabava em uma chuva de meteoros.

Inovações

O Fim do Mundo inovou nos efeitos especiais. “Pela primeira vez, uma novela usa objetos e animais criados em computador. Foram usados computadores também para criar ondas gigantes e tempestades. Uma maquete de Tabacópolis foi construída para as filmagens do fim do mundo _é nela que caem postes, carros são tragados pela terra, e o céu fica incandescente”, informava o texto da Folha de S.Paulo.

A mesma reportagem ressaltava que, caso a experiência com O Fim do Mundo desse certo no horário nobre, a emissora deixaria de usar a faixa das 22h40 para minisséries. A intenção era alternar novelas e mininovelas a partir de 1997. “Com isso, a Globo não deixaria totalmente de lado o formato tradicional de novelas e daria opção aos autores”.

Meses antes, à mesma Folha, Dias Gomes disse que a mininovela era uma alternativa, vista pela Globo como um produto de luxo, que daria prestígio. “Pode ser que queiram implantar esse novo formato. Afinal, já me encomendaram outra produção”. O autor falava sobre Dona Flor e Seus Dois Maridos, exibida como minissérie em 1998.

Apesar de O Fim do Mundo ter mantido a audiência do horário, a experiência foi única e descartada em seguida. O Rei do Gado sucedeu a trama, fez muito sucesso e, até hoje, vemos no ar as novelas no formato tradicional, com mais de cem capítulos.

 

Cláudia Raia ensaia musical e aguarda novela de Maria Adelaide Amaral

Cláudia Raia faz 30 anos de carreira

A partir da próxima semana, Cláudia Raia dará início aos ensaios do musical “Raia 30 Anos”, comemorativo aos seus 30 anos de carreira.

O espetáculo tem estreia prevista para fins de julho ou começo de agosto no Theatro Net, em São Paulo.
Já em se tratando de novelas, Cláudia Raia, após “Alto Astral”, foi reservada para “Sagrada Família”, a primeira de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari para as 21h, com estreia em março de 2016.
A expectativa é que a autora possa surpreender o respeitável público com uma personagem diferente de tudo que a Cláudia já fez na televisão.
Também estão reservados para “Sagrada Família” os atores Arianne Botelho, Camila Morgado, Cláudia Abreu, Domingos Montagner, Grazi Massafera, Heloísa Périssé, Humberto Carrão, Irandhir Santos, Isabella Santoni, Luisa Arraes, Otávio Augusto, Regiane Alves, Reynaldo Gianecchini, Vera Holtz e Vladimir Brichta.
Direção de Denise Saraceni.
Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery