James Akel comenta que o PT acabou com tudo

O PT acabou com a Varig.
O PT tentou acabar com sonho de Natal.
O PT tentou acabar com conceito de famílias.
O PT tentou acabar com o conceito de amor da família.
O PT tentou acabar com harmonia entre as classes.
O PT é Lula.

 

James Akel no dia 09/01/2019 para o website http://bastidoresdainformacao.com.br

50 years ago, on 06/26/1968, Varig inaugurated the Brazil-Japan route @Voe_Varig

It was an event that reverberated in Brazil and Japan. Inherited from Real Aerovias, which never operated, the flight took off from Rio de Janeiro, Galeão airport, landed in Lima, Peru, Los Angeles and Anchorage, the United States to refuel and Tokyo was the final destination.

The route was a success from the beginning and things got better when Varig left the Boeing 707 and flew with the DC-10-30 in the year 1974. The flight started to be operated this way: Rio de Janeiro-Los Angeles-Tokyo.

In the following decade, it was operated in the direction of Rio de Janeiro-Sao Paulo-Los Angeles-Tokyo with Boeing 747. The profitability of the flight started to justify the increase of frequencies from 3 to 5 per week and then to daily.

Japan Airlines has agreed to daily flights since Varig to Tokyo on Tuesdays, Thursdays, Saturdays and Sundays and Nagoya on Mondays, Wednesdays and Fridays. Varig readily accepted.

In 1998, the route to Japan began to be operated with the MD-11 due to the departure of the company’s Boeing 747. In the United States-Japan stretch, the plane made an arc, passing the US West Coast, Alaska, Russia and the two Koreas on the right side, and the flight lasted between 11 and 12 hours.

The Japan-United States stretch was made straight because the winds helped and lasted between 9 and 10 hours.

On September 11, 2001, two Varig MD-11s were flying in the direction of Los Angeles. One had left Brazil and another from Nagoya. Both had to deviate after the closing of the American airspace. The one that left Brazil in Tijuana (Mexico) and another one returned to Nagoya.

The September 11 attack affected the profitability of the Brazil-Japan flight because the United States began to require a transit visa for all passengers passing through any US airport, even if it did not leave the airliner.

Those who wanted to travel to Japan, started to do so in Europe, where such a requirement does not exist.

The Brazil-Japan route, which was considered Varig’s “gold mine”, became a difficult-to-carry cross. Varig tried unsuccessfully to operate that flight, making a stopover in Switzerland. The rate of overflight in Russian airspace and the ill will of the Japanese caused the company to give up the flight that would be operated in this way: Rio de Janeiro-Sao Paulo-Geneva-Tokyo and Rio de Janeiro-Sao Paulo-Geneva-Nagoya.

On January 14, 2004, Varig made the last flight to Nagoya and, exactly two years later, on January 14, 2006, made the last flight to Tokyo.

When will we have a Brazilian airline operating flights to Japan such as Varig?

 

50 anos atrás , em 26/06/1968, a Varig inaugurou a rota Brasil-Japão @Voe_Varig

Foi um acontecimento que repercutiu no Brasil e no Japão . Herdada da Real Aerovias , que nunca a operou , o voo decolava do Rio de Janeiro , aeroporto do Galeão , pousava em Lima , no Peru , Los Angeles e Anchorage , Estados Unidos para reabastecer e Tóquio era o destino final .

A rota foi um sucesso desde o começo e as coisas melhoraram quando a Varig deixou o Boeing 707 e passou a voar com o DC-10-30 no ano de 1974 . O voo passou a ser operado dessa maneira : Rio de Janeiro-Los Angeles-Tóquio .

Na década seguinte , passou a ser operada no sentido Rio de Janeiro-São Paulo-Los Angeles-Tóquio com Boeing 747. A lucratividade do voo passou a justificar o aumento de freqüências de 3 para 5 por semana e depois a ser diário .

A Japan Airlines concordou com os voos diários desde que a Varig operasse para Tóquio às terças , quintas , sábados e domingos e Nagoya , às segundas , quartas e sextas-feiras . A Varig aceitou prontamente .

Em 1998 , a rota para o Japão passou a ser operada com o MD-11 por conta da saída do Boeing 747 da empresa . No trecho Estados Unidos – Japão, o avião fazia um arco , passando pela costa oeste estadunidense , Alasca , Rússia e as duas Coreias ao lado direito e o voo durava entre 11 e 12 horas .

O trecho Japão-Estados Unidos era feita em linha reta porque os ventos ajudavam e durava entre 9 e 10 horas .

No dia 11 de setembro de 2001 , dois MD-11 da Varig estavam voando na direção de Los Angeles . Um tinha saído do Brasil e outro de Nagoya . Ambos tiveram que desviar após o fechamento do espaço aéreo estadunidense . O que saiu do Brasil em Tijuana(México) e outro voltou a Nagoya .

O atentado de 11 de setembro afetou a lucratividade do voo Brasil-Japão porque os Estados Unidos passaram a exigir o visto de trânsito de todos os passageiros que passassem por algum aeroporto estadunidense , mesmo que não saísse para fora do aérodromo .

Quem queria viajar ao Japão , passou a fazê-lo pela Europa , onde tal exigência não existe .

A rota Brasil-Japão , que foi considerada a “mina de ouro” da Varig virou uma cruz difícil de ser carregada . A Varig tentou , sem sucesso , operar esse voo , fazendo uma escala na Suíça . A taxa de sobrevoo no espaço aéreo russo e a má vontade dos japoneses fizeram a empresa desistir do voo que seria operado desta maneira : Rio de Janeiro-São Paulo-Genebra-Tóquio e Rio de Janeiro-São Paulo-Genebra-Nagoya .

Em 14 de janeiro de 2004 , a Varig fez pela última vez o voo para Nagoya e exatos 2 anos depois , em 14 de janeiro de 2006 , fez pela última vez , o voo para Tóquio .

Quando teremos uma empresa aérea brasileira operando voos para o Japão como a Varig ?