Goiás 2 x 1 Internacional

Goiás aproveita erros da zaga do Inter, vira no Serra Dourada e atenua crise

Esmeraldino fez 2 a 1 na noite deste domingo, encerrou sequência de cinco derrotas consecutivas pelo Brasileirão e segue na luta pela permanência na elite

O Inter traçou como estratégia marcar um gol cedo para evitar o desgaste e deixar a torcida do Goiás nervosa. Deu certo. Ocorre que o plano não contava com os erros de sua defesa. O Esmeraldino aproveitou as bobeadas, conseguiu a virada e construiu o 2 a 1 na chuvosa noite deste domingo no Serra Dourada. De quebra, acabou com a sequência de cinco derrotas consecutivas pelo Brasileirão e respira na competição, ainda na luta para evitar o rebaixamento.

Alex Goiás x Inter (Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter)
Zé Love fez o primeiro gol do Goiás no Serra Dourada (Foto: Ricardo Duarte/Divulgação Inter)

Valdívia abriu o placar aos 19 minutos, com uma pintura. No segundo tempo, o Goiás precisou de cinco minutos para mudar o resultado. Aos dois, Zé Love mostrou oportunismo após erro de Réver. O zagueiro colorado voltou a bobear três minutos depois. Desta vez, para Bruno Henrique vencer Alisson.

Com o resultado, o Goiás chega aos 34 pontos e está em 17º lugar. Já o Inter tem 50 pontos e ocupa a sexta colocação, três pontos atrás de Santos e São Paulo quarto e quinto colocados, respectivamente, na luta por uma vaga à Libertadores. Na próxima rodada, o Esmeraldino pega o Flamengo. A partida será realizada no domingo, às 17h, no Maracanã. Um dia antes, o Colorado recebe a Ponte Preta no Beira-Rio. O duelo está previsto para ocorrer às 17h.

O jogo

O jogo começou com as duas propostas claras. O Goiás se posicionou todo no campo de defesa, à espera de um erro do Inter para sair no contra-ataque. Já os gaúchos, para evitar o desgaste, trocavam passes curtos, até encontrar um espaço. Entretanto, foi graças a um lançamento que os visitantes criaram a primeira chance de perigo. Aos 11 minutos, William recebeu lançamento na direita e cruzou para Lisandro López. O gringo chutou de primeira, no contrapé de Renan, que fez grande defesa.

O lance animou o Colorado. Na sequência, Lisandro teve nova oportunidade, mas pegou errado e chutou torto. Melhor em campo, não demorou a abrir o placar. Oito minutos depois, após dois erros da defesa do Goiás na tentativa de afastar, a bola sobrou para Valdívia. O meia-atacante escolheu o canto direito de Renan, que nada pôde fazer.

O Inter quase ampliou em seguida. Alex recebeu na área e arriscou, mas o goleiro mandante conseguiu evitar e mandar para escanteio. A facilidade que alcançava virou desconcentração. O final do primeiro tempo quase custou a vitória parcial. No último lance antes do intervalo, Artur recebeu lançamento e encobriu Alisson. Antes de a bola cruzar a linha, Paulão voou e salvou o que seria o empate.

Os cochilos ocorridos no final da etapa inicial voltaram a se repetir no começo do segundo tempo. Desta vez, o Goiás não desperdiçou. Aos dois minutos, Bruno Henrique ganhou de cabeça de Paulão. Réver falhou e a bola sobrou para Zé Love. O atacante só teve o trabalho de deslocar Alisson. O gol acordou o Inter, que se atirou para o ataque. No minuto seguinte, Lisandro quase marcou, mas Renan defendeu. Anderson ainda teve duas chances, perdendo ambas. E um dos clichês mais batidos do futebol apareceu. Quem não faz, leva. Aos cinco, Diogo Barbosa cruzou. Em mais um equívoco de Réver, que se desequilibrou, a bola sobrou para Bruno Henrique, que completou e conseguiu a virada.

As falhas do zagueiro acabaram com a paciência de Argel, que o sacou para a entrada de Artur. Ernando retornou a sua função de origem. Na tentativa de empate, D’Alessandro entrou na vaga de Alex. Danny Sergio, por sua vez, sacou Zé Love e colocou Rodrigo, para segurar o resultado. Desorganizado, o Inter tentava invadir a área na base da vontade. Bem postado, o Goiás evitava deixar espaços. Quando encontrava uma brecha, parava nas defesas de Renan.  Aos 33, um lance polêmico. Eduardo Sasha recebeu dentro da área e, ao tentar se livrar de dois marcadores, desabou. O árbitro Marcelo Aparecido de Souza entendeu que a jogada foi normal e assinalou mão do atacante gaúcho. A luta colorada seguiu até o fim, mas não surtiu efeito: 2 a 1 para o Goiás.

GLOBO ESPORTE.COM

Santos 3 x 1 Internacional

Santos supera ausência de artilheiro, vira sobre o Inter e se aproxima do G-4

Valdívia abriu o placar, mas Marquinhos Gabriel, Gabigol e Leandro fizeram 3 a 1

O G-4 é logo ali. Sem o artilheiro Ricardo Oliveira, suspenso, o Santos não tomou conhecimento do desfalcado Inter e venceu por 3 a 1 na manhã deste domingo, pela 28ª rodada do Brasileirão. Comandado por Lucas Lima, o time de Dorival Júnior soube sofrer. Saiu perdendo com gol de pênalti de Valdívia, mas virou com Marquinhos Gabriel, Gabigol, este também de pênalti, e Leandro.

Com a vitória, o Peixe passou o Inter e mais dois rivais na briga pela vaga à Libertadores 2016. Chegou à quinta colocação, com 43 pontos, mas pode perder postos até a conclusão da rodada. Já o Colorado cai ao menos uma posição, com os mesmos 41.

O Santos volta a jogar na Vila Belmiro no próximo domingo, às 16h, contra o Fluminense. Já o Inter recebe o Sport no sábado, às 18h30, no Beira-Rio. Antes disso, as duas equipes têm decisões pelas quartas de final Copa do Brasil. O time de Argel enfrenta o Palmeiras na quarta-feira, às 22h, em São Paulo, enquanto os comandados de Dorival Júnior recebem o Figueirense no Pacaembu, quinta-feira, às 21h.

Marquinhos Gabriel comemora gol do Santos contra o Inter (Foto: Fred Casagrande/Estadão Conteúdo)
Marquinhos Gabriel comemora gol do Santos contra o Inter no primeiro tempo
(Foto: Fred Casagrande/Estadão Conteúdo)

 

Primeiro tempo movimentado

Orquestrado por Lucas Lima, o Santos foi para cima do Inter nos momentos iniciais da partida. O ex-jogador colorado centralizava todas as jogadas de ataque paulista, mas era caçado pelo lateral-direito William, que atuou improvisado no meio de campo. Em uma das subidas do time de Argel, Paulo Ricardo segurou Juan na área, e Heber Roberto Lopes marcou pênalti. Valdívia converteu aos 26.

Mesmo sem o artilheiro Ricardo Oliveira e em desvantagem no placar, o Santos não diminuiu o ritmo e foi premiado logo após a parada técnica devido ao calor. Aos 36, William deu passe errado, Nilson ficou com a bola e lançou Marquinhos Gabriel às costas de Léo. O meia canhoto invadiu a área e chutou cruzado para empatar.

Virada de pênalti e Leandro finaliza

A segunda etapa começou da mesma forma que a primeira. O Santos em cima, o Inter se defendendo. Argel trocou o lateral-direito Léo pelo volante Silva. Com isso, William retornou à posição de origem. Aos 13, após bom passe de Thiago Maia para Lucas Lima, o meia santista foi derrubado na área por Silva. Gabriel cobrou alto, forte, sem chances para Alisson.

Depois de virar o placar, o Peixe colocou o Colorado em seu campo e dominou as ações da partida. Não fez mais pelas boas atuações de Alisson e Paulão na defesa. Aos 43, Leandro pegou sobra da zaga e deu números finais ao jogo.

inter internacional santos valdívia brasileirão (Foto: Ricardo Duarte / Internacional / Divulgação)
Valdívia marcou de pênalti, mas não evitou derrota
(Foto: Ricardo Duarte / Internacional / Divulgação)
GLOBO ESPORTE.COM

Internacional 2 x 1 Corinthians

Inter acaba com série invicta do líder Corinthians e volta a sonhar com G-4

Com gols de Réver e Valdivia, Colorado vence o Timão no Beira-Rio e pode terminar a rodada a um ponto da zona da Libertadores. Paulistas mantêm distância para o Galo

Vencer o líder já seria legal para o Inter. Mas bater o melhor time do Brasileirão de virada, voltar a sonhar com a Libertadores e ainda quebrar uma invencibilidade de 17 jogos do rival é excelente. Com gols de Réver e Valdivia, o Colorado fez 2 a 1 no Corinthians, no Beira-Rio, na noite desta quarta-feira, pela 26ª rodada, com atuação contundente. Ao Timão, resta lamentar o fim da série invicta de quase três meses. Se não perdesse do Inter, igualaria marcas históricas de São Paulo, em 2008, e Atlético-PR, em 2004. Ao menos a situação na tabela continua confortável.

Para o Internacional, a vitória significa poder ficar a um ponto do G-4 ao final da rodada. Mas isso só ocorre se São Paulo e Flamengo perderem seus jogos na quinta-feira. E para o Corinthians, perder não mudou nada. Absolutamente nada. Com a derrota do Atlético-MG para o Santos, o Timão segue na liderança do Brasileirão com os mesmos cinco pontos de distância para o Galo.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Internacional recebe o Figueirense, sábado, às 18h30, no Beira-Rio. Já o Corinthians tem clássico contra o Santos, em casa, domingo, às 11h.

Valdívia marca contra o Corinthians (Foto: Diego Guichard)
Valdivia comemora o gol da virada do Internacional com os companheiros (Foto: Diego Guichard)

O jogo

O Internacional começou a partida na correria, na tentativa de pressionar o Corinthians. E logo de cara deu polêmica. No primeiro minuto, após chute de Valdivia, os colorados reclamaram toque de mão de Uendel. Mas o árbitro nada marcou . A pressão do Inter continuou, mas o time não conseguiu transformar em chances reais.

Melhor para o Corinthians. O time paulista, com bom toque de bola, começou a jogar no contra-ataque, na velocidade. Mas o gol saiu com uma pitada de “sorte”. Aos 18 minutos, Malcom bateu de fora da área, a bola desviou em Paulão e enganou o goleiro Alisson: 1 a 0. Antes, o Timão já tinha perdido Uendel, machucado. O lateral-direito Edilson, improvisado, entrou na esquerda.

O Inter não se abateu com o gol sofrido e manteve a postura de tentar pressionar. Deu certo. Aos 37 minutos, depois de cobrança de escanteio de Valdivia e desvio, Réver apareceu para empatar. O gol do Colorado colocou fogo no jogo. Mas foram do Corinthians as melhores chances. Vagner Love, Renato Augusto, Fagner… Todos eles pararam em defesas de Alisson.

No segundo tempo, o Inter apostou no contra-ataque, e o Corinthians, no toque de bola. Estava difícil para os dois lados, mas os donos da casa eram mais intensos. Com mais velocidade, o Colorado tinha mais tempo no ataque. Mas ora pecava na finalização, ora na criação. O Timão, por sua vez, era até perigoso quando tinha a posse de bola, mas não conseguia concluir.

Aos 28 minutos, então, o Inter foi premiado pela sua postura. O zagueiro Paulão resolveu atacar como ponto, deu drible da vaca em Edilson e cruzou. Valdivia chegou chutando de primeira e fez o segundo do Colorado. O Corinthians ainda teve a chance de empatar em falta perigosa, mas o chute de Jadson parou na barreira e a vitória do Inter foi sacramentada.

Malcom vibra com gol no Beira-Rio (Foto: Wesley Santos / Agência Press Digital)
Malcom vibra com o gol do Corinthians, marcado ainda no primeiro tempo
(Foto: Wesley Santos / Agência Press Digital)
GLOBO ESPORTE.COM

Ituano 1 x 2 Internacional – Copa do Brasil 2015


Sasha comemora o gol da vitória em Itu-SP (foto: reprodução/canal Premiere)

Com vitória de 2 a 1 sobre o Ituano-SP (4 a 1 no placar agregado), o Internacional confirmou a classificação às quartas de final da Copa do Brasil. A vitória na partida de volta das oitavas foi alcançada com gols de Valdívia e Eduardo Sasha, na noite desta quinta-feira, no Estádio Novelli Júnior, em Itu-SP. Foi o terceiro triunfo seguido sob o comando de Argel.

Os confrontos da fase seguinte serão definidos em sorteio marcado na próxima segunda-feira (31/8), na sede da CBF, no Rio de Janeiro. Além do Colorado, estão classificados para as quartas de final: Santos, São Paulo, Palmeiras, Figueirense, Fluminense, Vasco e Grêmio. No domingo (30/8), o Inter enfrenta o Avaí, em Florianópolis, pela segunda rodada do returno do Brasileirão.

Fulminante, Inter faz 1 a 0

Assim como havia sido na partida de ida, no Beira-Rio – quando fez dois gols nos 15 primeiros minutos –, o Inter começou com todo o gás em Itu, surpreendendo o adversário. Logo aos 5min, Vitinho fez cruzamento da esquerda, na medida, e Valdívia apareceu, entre os dois zagueiros, para cabecear com força para o fundo da rede. 1 a 0! Foi o 18º gol do atacante em 80 jogos com a camisa colorada. Foi a terceira partida consecutiva que Valdívia deixou sua marca.

O time da casa chegou com força aos 17min, quando Clayson fez jogada pela esquerda e chutou cruzado. Alisson estava atento e fez grande defesa, evitando o empate. Com o placar agregado de 3 a 0, o Inter tratou de não se expor em demasia e administrou a grande vantagem na etapa inicial.

Ituano empata, mas Sasha marca golaço

No intervalo, Alex ingressou no lugar de D’Alessandro. Como já havia ocorrido no primeiro tempo, o Ituano seguiu abusando das entradas duras, muitas vezes desleais. Os jogadores colorados precisaram ter equilíbrio emocional para não entrar na onda dos adversários. Aos 17min, Cristian chutou do lado esquerdo da área, a bola desviou em Paulão e quase surpreendeu Alisson – em cima da linha do gol, o goleiro espalmou e impediu que a bola entrasse. Aos 21min, porém, João Paulo cobrou escanteio e Ronaldo igualou o placar com um gol de cabeça.

Mas não demorou para que o Inter chegasse ao segundo gol e carimbasse o passaporte para a próxima fase do torneio. Aos 28min, Rodrigo Dourado fez lançamento preciso para Eduardo Sasha, que se livrou de três marcadores com dribles curtos no interior da área antes de chutar na saída do goleiro Fábio. Uma pintura de gol! Aos 39min, Ronaldo fez boa jogada e quase marcou novamente, mas Paulão apareceu para salvar.

“Foi um jogo bem disputado, brigado. Merecemos a classificação”, avaliou o capitão D’Alessandro.

Ficha técnica:

Ituano-SP (1): Fábio; Dick, Renato, Naylhor e João Paulo; Jonatan Lima, Jair (Bassani), Cristian e Claudinho (Zambi); Clayson (Guilherme) e Ronaldo. Técnico: Pugliesi.

Internacional (2): Alisson; William, Paulão, Ernando e Geferson; Rodrigo Dourado, Nilton (Wellington, aos 32min do 2º tempo), Eduardo Sasha e D’Alessandro (Alex, no intervalo); Vitinho (Rafael Moura, aos 20min do 2º tempo) e Valdívia. Técnico: Argel.

Gols: Valdívia (I), aos 5min do primeiro tempo, Ronaldo (IT), aos 21min do segundo tempo, Eduardo Sasha (I), aos 28min do segundo tempo.

Cartões amarelos: William, Vitinho (I); Jonatan Lima, Dick, Cristian, Ronaldo (IT)

Arbitragem: Marcelo de Lima Henrique, auxiliado por Fernanda Colombo Uliana e Francisco Chaves Bezerra Junior (trio de Pernambuco).

Local: Estádio Novelli Júnior, em Itu-SP.

 

Site do Sport Club Internacional

Internacional 2 x 0 Atlético Paranaense

Internacional mantém embalo com Argel, vence e amplia jejum do Atlético-PR

Após primeira vitória pela Copa do Brasil, novo treinador volta a vencer, agora pelo Brasileirão, enquanto Furacão se distancia do G-4 com quatro jogos sem triunfos

O Inter conseguiu levar a boa impressão deixada na Copa do Brasil também para o Brasileirão. Na tarde deste domingo, o Colorado venceu com autoridade o Atlético-PR por 2 a 0, gols de Valdívia e Paulão, no Beira-Rio, pela 20ª rodada – superou inclusive um pênalti perdido por D’Alessandro na etapa final. Foi o terceiro jogo de Argel sob comando do time gaúcho e a segunda vitória, a primeira no Nacional. O Furacão virou brisa em Porto Alegre e conhece a quarta partida consecutiva sem vencer na competição.

O Inter conseguiu levar a boa impressão deixada na Copa do Brasil também para o Brasileirão. Na tarde deste domingo, o Colorado venceu com autoridade o Atlético-PR por 2 a 0, gols de Valdívia e Paulão, no Beira-Rio, pela 20ª rodada – superou inclusive um pênalti perdido por D’Alessandro na etapa final. Foi o terceiro jogo de Argel sob comando do time gaúcho e a segunda vitória, a primeira no Nacional. O Furacão virou brisa em Porto Alegre e conhece a quarta partida consecutiva sem vencer na competição.

A vitória sem sobressaltos coloca o Inter na décima colocação, com 28 pontos, a cinco pontos do G-4. O Atlético-PR se distancia da elite, em oitavo, com 30 pontos. Na quinta, as equipes se voltam a Copa do Brasil e a Sul-Americana, respectivamente. O Colorado visita o Ituano, enquanto o Furacão recebe o Joinville – ambos venceram por 2 a 0 no duelo de ida.

Pelo Brasileirão, os gaúchos duelam no Beira-Rio com o Avaí em Santa Catarina, às 11h de domingo. No mesmo dia, mas às 18h30, o Atlético-PR recebe o Goiás.

inter internacional atlético-pr valdívia gol beira-rio (Foto: Diego Guichard/GloboEsporte.com)
Valdívia comemora gol logo aos três minutos (Foto: Diego Guichard/GloboEsporte.com)

O início avassalador do Inter poderia permitir ao clube gaúcho tomar emprestado o apelido do Atlético-PR. O time de Argel foi um verdadeiro furacão. Em dez minutos, finalizou cinco vezes, com quatro oportunidades reais de gol. Logo na primeira, Valdívia tratou de aproveitar. Recebeu lançamento precioso de D’Alessandro para definir sem deixar a bola quicar após o domínio.

A supremacia não foi por acaso. Assim como fora contra o Ituano, o Inter foi envolvente desde o primeiro minuto, com marcação sob pressão e muita mobilidade de seus rápidos homens de frente Weverton salvou o Furacão em ao menos três oportunidades. Os visitantes só finalizariam pela primeira vez, e sem perigo, aos 41 minutos.

O 2 a 0 poderia ter surgido logo aos cinco minutos do segundo tempo, quando o endiabrado Vitinho sofreu pênalti. D’Alessandro, no entanto, cobrou para defesa de Weverton e não conseguiu homenagear o seu terceiro filho, o recém-nascido Gonzalo. O erro abateu o capitão, mas não arrefeceu o ímpeto vermelho. O Inter seguiu melhor e perdendo chances. Nem Walter, que ingressara em meio à etapa final, conseguiu assustar. Aos 24 minutos, Paulão, resgatado por Argel, confirmou o seu bom momento e a vitória colorada com sobra no escanteio.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Internacional 2 x 0 Ituano – Copa do Brasil 2015

 

O Internacional estreou na Copa do Brasil em grande estilo. Superior desde o primeiro minuto, o Colorado aplicou 2 a 0 no Ituano e arrancou em vantagem nas oitavas de final da competição. O jogo marcou o reencontro de Argel, agora como treinador, com o torcedor colorado no Beira-Rio. A equipe demonstrou intensidade e teve capacidade de criar e converter as oportunidades em gols. Na partida de volta, dia 27/08, no Estádio Novelli Júnior, o Inter pode perder por um gol de diferença, ou até por dois, desde que marque gols, para obter classificação às quartas de final.

Capitão de volta ao time

O retorno de Andrés D’Alessandro foi a novidade na escalação colorada. O capitão esteve ausente da equipe desde o jogo contra a Chapecoense, no Beira-Rio, pela 16ª rodada do Brasileirão, devido a dores no ombro direito e no quadril. O camisa 10 entra na vaga do uruguaio Nico Freitas. D’Alessandro entrou em campo inspirado já que esta foi a primeira partida após a chegada de Gonzalo, terceiro filho do argentino e sua esposa Erica, nascido na última sexta-feira (14/08), em Porto Alegre.

Início avassalador

O Internacional começou tomando iniciativa da partida, com ampla movimentação do trio Vitinho, Valdívia e Sasha. A primeira finalização veio 9min: D’Alessandro cobrou escanteio e o zagueiro Ernando cabeceou para defesa do goleiro Fábio. A maior posse de bola deu frutos no minuto 14. Após tabela com Rodrigo Dourado, Vitinho teve vitória pessoal sobre o marcador e disparou um potente chute de fora da área contando com desvio na defesa para encobrir o goleiro e abrir o marcador.

O gol aumentou a confiança da equipe, que soube aproveitar o momento. Aos 17min, veio o segundo gol. Eduardo Sasha roubou bola no campo de ataque e passou para Vitinho. O autor do primeiro gol dessa vez foi o garçom e assistiu Valdívia ampliar o placar a favor do Inter, com chute colocado no canto esquerdo do arco. Alguns torcedores ainda chegavam ao Gigante e o placar já estava 2 a 0.

O Ituano tentava reagir, mas a formação vermelha estava segura, impedindo as investidas dos paulistas. Aos 37min aconteceu a ação mais perigosa do adversário quando João Paulo cobrou falta lateral pela esquerda e o zagueiro Naylhor cabeceou com liberdade mas sem direção. Aos 43min, o mesmo zagueiro aproveitou novo cruzamento e, em posição duvidosa, cabeceou por sobre o gol. O primeiro tempo foi vermelho, para alegria da torcida e do técnico Argel.

Trave impede um placar maior

A segunda etapa começou com o Inter controlando a partida, trocando passes com inteligência, valorizando a bola e esperando os momentos certos para atacar. E foi o que aconteceu logo aos 4min. D’Alessandro deu lindo passe para Valdívia, que invadiu a área e soltou a bomba, mas o travessão impediu o que seria um golaço. Argel esteve tranquilo na sua estreia na beira do gramado do Gigante, vendo sua equipe atuar de forma segura e compacta, dominando completamente a partida.

Valdívia finalizou com perigo mais uma vez aos 13min. D’Alessandro armou a jogada e encontrou William apoiando pela direta. O lateral acertou cruzamento e o Pokopika desviou de cabeça, mas Fábio defendeu. Pela primeira vez na temporada, o camisa 29 foi utilizado como atacante e acabou sendo o jogador que mais finalizou na partida. A pressão colorada era grande. Aos 15min, novamente William foi ao fundo e cruzou, a bola atravessou a grande área e terminou com perigosa finalização de Vitinho por cima da goleira.

Mesmo com o revés no placar, o Ituano não conseguia reagir e o Inter seguia impondo seu jogo. Aos 29min, William e Vitinho tabelaram pela direita e o atacante cruzou rasante para Lisandro López, que entrou na vaga de Valdívia. O argentino finalizou mas o zagueiro Leo salvou o Ituano, desviando pela linha de fundo. Aos 31min, novamente Lisandro provocou intervenção importante do goleiro adversário ao chutar cruzando com força, após jogada de Zé Mário, outra novidade da segunda etapa.

A trave estava ajudando o Ituano e dessa vez frustrou o que seria a segunda comemoração de Vitinho. O camisa 21 recebeu passe dentro da área e chutou com efeito, acertando o poste e aliviando o time do interior paulista. No final do jogo, por muito pouco não saiu outro golaço. Alex, que entrou na vaga de Sasha, articulou com D’Alessandro e Lisandro e finalizou de voleio, rente à trave esquerda.

Ficha técnica:

Internacional (2): Alisson; William, Paulão, Ernando e Geferson (Zé Mário, no intervalo); Rodrigo Dourado, Nilton, D’Alessandro e Eduardo Sasha (Alex, aos 35/2º); Valdívia (Lisandro López, aos 23min/2º) e Vitinho. Treinador: Argel Fucks.

Ituano (0): Fábio; Dick, Naylhor, Leo e João Paulo; Jonatan Lima, Ewerton (Gercimar, aos 37/2º), Cristian e Claudinho; Marcão (Rodrigo Bassani, aos 26min/2º) e Zambi (Guilherme, aos 31/2º). Treinador: Tarcísio Pugliese.

Gols: Vitinho, aos 14min do primeiro tempo, e Valdívia, aos 17min do primeiro tempo.

Cartões amarelos: Geferson e Vitinho (Inter). Dick, João Paulo, Zambi e Rodrigo Bassani (Ituano).

Arbitragem: Elmo Alves Resende da Cunha (GO), auxiliado por Márcio Eustáquio Santiago (MG) e Daniel Henrique Andrade (DF).

Público total: 27.349 (Pagantes: 24.283, Menores: 1.658, Não pagantes: 1.408).

Renda: R$ 340.490,00.

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

 

Site do Sport Club Internacional

Internacional 1 x 0 Santos

28/06/2015 -20h26 – Atualizado em 28/06/2015 20h44

Com magia: Valdívia marca golaço de falta, e Inter vence Santos no Beira-Rio

Meia entra no segundo tempo, anota gol decisivo em cobrança de falta surpreendente e devolve tranquilidade aos gaúchos enquanto paulistas se aproximam do Z-4

Valdívia não carrega consigo apenas o apelido do meia chileno. O garoto colorado também soube incorporar a tão conhecida magia. Só isso pode explicar a forma com que o Inter venceu o Santos, na noite deste domingo, pela nona rodada do Brasileirão. Voltando de lesão, Valdívia entrou no segundo tempo e acertou o ângulo de Vladimir numa cobrança de falta improvável, com toda a cara de cruzamento, mas que sacudiu a rede do Peixe numa suave finalização. Golaço e 1 a 0 para os gaúchos, que voltam a vencer após duas rodadas e muita pressão interna por resultados.

Aliás, vencer no Inter é sinônimo de jogar no Beira-Rio. O time ainda não perdeu em casa neste ano em partidas oficiais e só havia amealhado um ponto nos dois duelos consecutivos fora de casa neste Brasileirão. O Santos, por sua vez, mantém a sina de visitante comportado, não triunfa longe da Vila Belmiro há três meses. Também tem sua reação brecada, após suplantar o Corinthians no clássico paulista.

A vitória leva o Inter aos 13 pontos, na décima colocação, enquanto o Santos, ainda com dez pontos, é 14º e volta a flertar com a zona de rebaixamento. Na próxima rodada, ambos atuam fora de casa. O Colorado visita o líder Sport na quarta-feira e o Peixe desafia o Fluminense no Rio, na quinta.

valdivia inter internacional santos beira-rio gol (Foto: Diego Guichard/GloboEsporte.com)
Valdívia surpreende e encobre Vladimir no lance que decidiu o jogo
(Foto: Diego Guichard/GloboEsporte.com)

Até os 14 minutos, o lance mais interessante da partida havia sido a lesão de Alisson, que deixou o campo com dores na coxa esquerda, dando lugar ao irmão Muriel. A má sorte do goleiro colorado virou senha para o resto dos jogadores acordarem. A partir daí, o jogo melhorou e muito, apesar das poucas chances reais de gol.

Recém-ingresso, Muriel teve que trabalhar ao menos três vezes com certa dificuldade. O lance de maior perigo do Santos saiu de um lançamento de Lucas Lima para Ricardo Oliveira, que chutou rasteiro, aos 25 minutos. Um pouco antes, o momento de grande frisson do Beira-Rio, com Ernando cabeceando no travessão após escanteio de D’Ale. O argentino voltava de lesão e estreava no Brasileirão. Destacou-se com belos dribles e lançamentos para Nilmar, que não conseguiu furar o bloqueio de Vladimir.

O Inter tentou colocar magia no segundo tempo, com Valdívia na vaga de Alan Ruschel, mais um lesionado na equipe colorada. Mas o panorama demoraria a se alterar. O Colorado seguia insistente, porém protocolar. O Santos só queria se defender e assustar na velocidade. Valdívia, até então apagado, transformou uma cobrança de falta no canto esquerdo do ataque em gol. Aos 31, em vez de cruzar, encobriu Vladimir, em golaço surpreendente no Beira-Rio. Um grão de inspiração suficiente para mexer e definir o placar.

valdivia inter internacional santos beira-rio gol (Foto: Diego Guichard/GloboEsporte.com)
Valdívia celebra gol decisivo no Beira-Rio (Foto: Diego Guichard/GloboEsporte.com)
GLOBO ESPORTE.COM

Internacional 3 x 1 Palmeiras

3 x 1

37ª RODADA
INTER SE CLASSIFICA À LIBERTADORES E FAZ VERDÃO SOFRER ATÉ RODADA FINAL CONTRA Z-4
Resultado de 3 a 1 conduz o Colorado para o torneio continental em 2015, enquanto palmeirenses ainda correm sério risco de rebaixamento

Quando os colorados abraçaram Fabrício, mais uma vez o herói de um sábado à noite, também estavam, sem querer, abraçando os advogados do clube. Foram eles que garantiram que o lateral não fosse punido pelo STJD após denúncia por ofensas ao árbitro do empate com o São Paulo. Fabrício retribuiu ao garantir o Inter na Libertadores de 2015. Saiu de sua cabeça o gol decisivo para desempatar o duelo apertado contra o Palmeiras no Beira-Rio, pela 37ª rodada, vencido no fim por 3 a 1. Um golpe duro para o Verdão, que levará o drama da luta contra o rebaixamento até o último jogo. Sem contar o fato de ter levado o terceiro tento justamente de… Valdivia! Uma promessa vermelha, xará do craque que fora desfalque.

Talvez muito pela falta do Valdivia verdadeiro é que o Palmeiras, bem armado e esforçado, não tenha conseguido sorte melhor nesta noite, amargando a quinta derrota consecutiva. Do outro lado, a classificação colorada ao torneio continental tem um nome a ser lembrado com carinho, o de Fabrício. Muitas vezes criticado, garantiu as duas últimas vitórias – esta de sábado e os 2 a 1 sobre o Atlético-MG, há uma semana. Ainda deu tempo de protagonizar briga no final com o meia Bruno César, chorar e ser expulso. Antes dele, o jovem Taiberson havia aberto o placar, e Renato conseguira empatar, ambos gols feitos no primeiro tempo.

Caberá ao Inter, terceiro colocado com 66 pontos, secar o Corinthians nas próximas duas rodadas para conseguir a vaga direta, sem a necessidade de realizar a pré-Libertadores. No domingo, visita o Figueirense em Chapecó. A situação do Palmeiras ainda é de alarme. O clube até se definiu politicamente neste sábado, ao reeleger o presidente Paulo Nobre para o biênio que se avizinha. Em campo, no entanto, precisa de uma vitória no próximo domingo, diante do Atlético-PR, em casa, para escapar de vez. Foi beneficiado por goleada do Vitória sobre o Flamengo. O Verdão é 16º, com 39 pontos, um a mais do que os baianos, em 17º.

Equilíbrio no 1º tempo

A partida começava em pé de igualdade mesmo antes de a bola rolar. Além de os dois times precisarem da vitória para alcançar seus objetivos por antecipação, Abel Braga e Dorival Júnior apostaram em surpresas. O treinador colorado alçou aos titulares o jovem Taiberson, de 21 anos. Sem Valdivia, o comandante palmeirense mexeu no esquema, optou por uma espécie de 3-6-1, com as novidades Gabriel Dias, Renato e Allione. E não é que os dois acertaram em cheio? Cada um a seu modo, claro.

Aos 23 minutos, Taiberson mostrou a um Beira-Rio de 40 mil almas que valeu a pena a aposta em seu futebol. Arriscou da entrada da área e contou com desvio para abrir o placar. O 1 a 0 ainda cedo não simbolizou a esperada superioridade aos mandantes. O Palmeiras seguia bem armado na defesa e perigoso nos contragolpes. Aos 37, a recompensa. Em cruzamento certeiro de Wesley, uma das novidades, Renato, subiu com estilo e venceu Alisson em golpe de cabeça. Um gol ainda mais importante porque o Verdão não marcava há quatro jogos, desde o tento de Mazinho diante do Bahia, em 2 de novembro.

Brilhou Fabrício, de novo

Se antes era o ex-colorado Lúcio que mostrava sinais de nervosismo em cada dividida, D’Alessandro encerrou o primeiro tempo bastante enervado. A ponto de levar cartão amarelo por reclamação acintosa, jogando longe sua braçadeira de capitão. Falta de tranquilidade que se somou a um fraco futebol vermelho na segunda etapa. O Palmeiras dava sinais de que poderia dominar a partida. No entanto, ambos os times arriscavam pouco.

Até Fabrício entrar em cena. Porque, se há alguma coisa que Fabrício faz, é arriscar. Às vezes erra, como o fez em chance clara no primeiro tempo. Em outras tantas oportunidades, acerta. Acertou aos 49 do segundo tempo diante do Galo. Desta vez, repetiu a faceta goleadora e aparou de cabeça cruzamento de Wellington Silva, que mal havia entrado, aos 19 minutos. Aos 34, um chutaço de Valdivia, o genérico, mas que fez a sua magia. Um 3 a 1 com gosto de Libertadores para o Inter. E a certeza de que o sofrimento do Palmeiras, que teve dois expulsos no fim (Allione e Bruno César), vai durar até a última rodada.

 

Taiberson comemora gol do Internacional contra o Palmeiras (Foto: Lucas Uebel / Getty Images)

Taiberson comemora gol do Internacional contra o Palmeiras (Foto: Lucas Uebel / Getty Images)
GLOBO ESPORTE.COM

Internacional 2 x 1 Fluminense

2 x 1

28ª RODADA
SOB O COMANDO DE D’ALE, INTER BATE O FLU E REASSUME A SEGUNDA COLOCAÇÃO
Camisa 10 dá duas assistências em jogo com boas defesas de Alisson e diminui distância para o líder. Tricolor chega à terceira rodada sem vitória
Nada melhor do que uma importante vitória para se esquecer uma decepção. Depois de ser goleado por 5 a 0 pela Chapecoense na última quinta-feira, o Internacional se recuperou na tarde deste domingo, no Beira-Rio. Derrotou o Fluminense por 2 a 1 com duas assistências de D’Alessandro e reassumiu a vice-liderança do Campeonato Brasileiro. A vitória diminuiu para seis pontos a distância para o líder Cruzeiro. O Tricolor, por outro lado, chegou à sua terceira partida sem vencer, e se manteve longe do G-4: com 42 pontos, permanece em oitavo – agora a cinco pontos do Atlético-MG, o quarto colocado.

Todos os gols em Porto Alegre saíram no segundo tempo. Alex abriu o placar para o Inter ao marcar um golaço encobrindo Diego Cavalieri. Perto do fim do jogo, Fred empatou de cabeça. Mas nem deu tempo de a torcida tricolor comemorar: dois minutos depois, Valdívia aproveitou erro da zaga para invadir a área e garantir a vitória.

O Internacional volta a campo no próximo domingo para enfrentar o Corinthians, novamente no Beira-Rio. O Fluminense joga no sábado, contra o Criciúma, no Maracanã, na abertura da 29ª rodada.

Pressão colorada e emoção no fim

Depois da goleada por 5 a 0 para a Chapecoense, o Internacional entrou pressionado em campo. E tratou de logo dar uma resposta ao seu torcedor. O primeiro tempo foi uma verdadeira blitz colorada. Enquanto Willians abusava das faltas, os atacantes desperdiçavam chances de gol. Alex teve as duas melhores. Na primeira, foi desarmado por Diego Cavalieri na hora do drible. Na seguinte até conseguiu encobrir o goleiro, mas Marlon salvou em cima da linha. Perdendo o meio-campo na disputa, o Fluminense não conseguia ganhar os rebotes. Tanto que pouco atacou. A única boa oportunidade nasceu em cobrança de falta que Fred, livre, cabeçeou para fora.

As substituições no intervalo foram um reflexo dos primeiros 45 minutos. O Inter de Abel Braga tentando novas formas de atacar, trocou Wellington Paulista por Nilmar. O Flu de Cristóvão Borges colocou Rafinha na vaga de Diguinho. Nada mudou. A pressão seguiu intensa, Alan Patrick quase marcou e, de tanto tentar, Alex não perdeu a sua terceira chance clara após lançamento preciso de D’Alessandro: 1 a 0. A saída de Diguinho, que sentiu cansaço muscular, desorganizou o Fluminense. Após o gol, o time carioca parecia ainda mais perdido em campo. Cristóvão tentou arrumar o problema com a entrada de Edson no meio-campo., Abel respondeu com Valdívia. Quando conseguia atacar, o Tricolor parava no goleiro Alisson: primeiro em cabeçada de Fred, depois em chute de Wagner.

Mesmo com o recuo do Colorado para defender a vantagem mínima, o jogo parecia decidido. Mas ainda havia tempo para mais emoções. Aos 40, Conca cruzou da direita, Fred se antecipou a Ernando e cabeceou para enfim vencer Alisson. Só que o empate no placar durou apenas dois minutos. Foi o tempo necessário para D’Ale achar outro passe para deixar Valdivia na cara de Cavalieri: chute forte, gol da vitória e alívio no Beira-Rio.

 

GLOBO ESPORTE.COM