Uniclinic é absolvido em julgamento; Maracanã irá recorrer ao Pleno

Com a decisão, Águia da Precabura volta a disputar a final do Campeonato Cearense contra o Tiradentes. Porém, Maracanã promete recorrer à uma instancia maior

Uniclinic está de volta à final da Série B do Campeonato Cearense. Por três votos a um, a Águia da Precabura venceu o processo julgado pela primeira comissão disciplinar do Tribunal de Justiça Desportiva de Futebol do Ceará (TJDF-CE). O Uniclinic estava correndo risco de perder pontos e deixar a dupla de acesso à série A do Estadual devido à uma escalação errada. O Maracanã, com 37 pontos, entrou na jogada e levou a luta pela vaga para a justiça.

Uniclinic, Julgamento, Maracanã (Foto: Juscelino Filho)
Uniclinic venceu o julgamento por três a votos a um (Foto: Juscelino Filho)

Ao final do julgamento, o advogado do Uniclinic, Irazer Gadelha, comemorou a conquista e afirmou que o argumento de que a súmula estava retificada não procedia, pois o documento oficial estava adulterado.

– O Uniclinic venceu o julgamento porque não cometeu infração nenhuma. O clube não foi informado a tempo (de mudar a escalação) e a súmula que consta no processo está adulterada – afirma o advogado da Águia da Precabura.

 

Entretanto, a decisão do TJDF-CE não é a absoluta. O Maracanã poderá recorrer ao Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e, segundo o advogado do clube, Clark Leitão, esse é o procedimento que será realizado.

– O entendimento da comissão não é o entendimento que a lei nos proporciona. Está registrado na súmula que é documento oficial. Iremos recorrer à uma instância superior – afirma Clark Leitão.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Federação Cearense de Futebol exclui Uniclinic e Maracanã herda vaga para Série A do Cearense

Águia da Precabura atuou com um jogador irregular e acabou perdendo o acesso

Uniclinic

Portaria da FCF excluiu o Uniclinic da final da Série B do Cearense
FOTO: KID JÚNIOR

O Uniclinic, que conseguiu ascender para a Série A do Campeonato Cearense dentro de campo, no último domingo (24), ao golear o América por 4 a 1, não atuará mais na elite do futebol estadual em 2016. Isso porque, o clube da Lagoa Redonda, escalou um jogador irregular, contra o Nova Russas, em jogo válido pela 13ª rodada da competição. Denunciado pelo Maracanã, equipe que também lutava para subir, o time amarelo e roxo perdeu sua vaga.

Baseada na portaria n° 13, a Diretoria de Competições da Federação Cearense de Futebol (FCF) acabou por excluir a Águia. A denúncia foi feita em cima da escalação irregular do atleta Esiel Cardoso Moreira, que deveria ter cumprido suspensão automática, após receber cartões amarelos nos dias 01/04 na derrota para o Tiradentes por 1 a 0, em empate com o Barbalha por 2 a 2 no dia 19/04 e após vitória contra o Tiradentes por 3 a 1 no dia 25/04.

Com a exclusão do Uniclinic, Tiradentes e Maracanã farão a grande final da Série B Cearense. A partida acontece no próximo sábado (30), às 16h, no estádio Presidente Vargas.

 

Jogada – Diário do Nordeste – 25/05/2015

Ferroviário perde para o Uniclinic no PV : 2 a 1

Image-0-Artigo-1819046-1

Mesmo jogando no PV, com o apoio do seu torcedor, o time coral, que vinha de vitória fora de casa, foi derrotado pelo Uniclinic por 2 a 1

FOTO: KID JÚNIOR
A expectativa era para a primeira vitória diante do seu torcedor. Mas não foi dessa vez que o Ferroviário conseguir ganhar em casa pela 2ª Divisão do Campeonato Cearense.Ontem à tarde, no Estádio Presidente Vargas, o time coral acabou perdendo para o Uniclinic por 2 a 1. Foi a segunda derrota do Tubarão em quatro rodadas do Certame.

Com o resultado, o Ferroviário acabou caindo para a sexta posição com quatro pontos ganhos. Enquanto o Uniclinic segue na liderança da Segundona com dez pontos conquistados.

Na próxima rodada, domingo, o Peixe vai até Nova Russas enfrentar a equipe local. Já o líder, Uniclinic, no mesmo dia, enfrenta a equipe do Crateús.

 

Jogada – Diário do Nordeste – 20/03/2015

Ferroviário e mais 17 clubes são suspensos de competições cearenses por causa de dívidas

Clubes suspensos podem ser derrotados automaticamente, caso esteja marcada partida e a pendência financeira não seja quitada.

Ferroviário

Além do clube, o treinador, William Mardoch Freire Uchoa, também foi suspenso
FOTO: KID JR
Uma portaria publicada no fim da tarde da última sexta-feira (6) suspendeu provisoriamente 18 clubes de futebol, inclusive o Ferroviário Atlético Clube, e 15 pessoas físicas de disputar competições organizadas pela Federação Cearense de Futebol (FCF). A determinação irá vigorar até a quitação das pendências financeiras, segundo o artigo 2º da Portaria n° 003/2015.

Segundo o artigo 3º do documento, “as partidas eventualmente marcadas neste período de suspensão, não serão realizadas, e acarretarão em WO para o adversário. Caso os dois preliantes enquadrarem-se nas listas descritas no artigo 1º, a partida será anulada, e não será realizada posteriormente”.

Assim sendo, o Ferroviário, um dos clubes mais tradicionais do futebol cearense, tem até o dia 1º de março, quando tem um jogo marcado contra o Tiradentes, pela abertura da segunda divisão do Campeonato Cearense, para quitar a dívida com o Tribunal de Justiça Desportiva do Futebol do Ceará (TJDF/CE). O valor das dívidas não foi revelado.

Além do Tubarão da Barra, o próprio Tiradentes, o Crateús, o Crato e o Uniclinic, clubes que figuraram na elite cearense nos últimos anos, também estão provisoriamente suspensos de disputar qualquer competição.

Arsenal de Caridade, Iguatu, Nova Russas, Trairiense, Aliança, Caucaia, Eusébio, Itarema, Maracanã, São Gerardo, Terra e Mar, Uruburetama e Verdes Mares completam a lista de clubes.

Entre as pessoas físicas suspensas, estão o presidente do Sport Club Maguary, Francisco Ernandi Lima, e o técnico do Ferroviário, William Mardoch Freire Uchoa. O pedido de suspensão foi emitido pelo TJDF/CE e aprovado pela Diretoria de Competições da FCF. Confira a lista completa (em arquivo pdf).

Diário do Nordeste – Jogada – 07/02/2015

Uniclinic está em decadência de dar pena

Uniclinic

Bons tempos do Uniclinic, em dia de Castelão cheio
GUSTAVO PELLIZZON (03/04/2005)
Image-0-Artigo-1567429-1
Image-1-Artigo-1567429-1
Image-3-Artigo-1567429-1
CT uniclinic

A cobertura do banco de reservas no Estádio Antônio Cruz depõe sobre o abandono do campo; a academia se encontra quase toda deteriorada, enquanto algumas salas servem de entulho para computadores. Na arquibancada, o proprietário Vanor Cruz mostra onde ficavam as cabines de rádio Fotos: Lucas Moura

Em 1996, com recursos próprios, o médico e desportista Vanor Cruz ergueu o que seria o maior CT (Centro de Treinamento) dos clubes locais, com um estádio e quatro campos de futebol. O empreendimento, tido como orgulho para o futebol local, era a casa do Uniclinic, que, com suas cores amarela e lilás, levava o nome do hospital homônimo. O CT recebeu o nome de Estádio Antonio Cruz, uma homenagem ao pai de Cruz.

Dezoito anos depois, o terreno está praticamente todo deteriorado e uma parte dele já foi vendido. “Foi como se um ‘tsunami’ tivesse passado por aqui, devastando o que construí com muito amor e sacrifício”, lamentou Vanor, ao receber o estádio de volta do arrendamento que fez ao investidor Getúlio Tadeu.

Após passar três anos sem por os pés no CT, Cruz está recebendo o espaço e o estádio de volta em condições que ele afirma não ter imaginado receber: o estádio está com a energia cortada, interditado e com as dependências em petição de miséria, segundo afirmação do próprio Cruz.

Portas roubadas

As marcas da decadência do patrimônio são evidentes para quem chega ao CT, na Lagoa Redonda. As colunas da arquibancadas com marcas de erosão; os bancos de suplentes estão com as cobertas danificadas. As cadeiras estão quebradas e o campo principal está coberto de mato, o qual já avançou para o piso do banco de reservas.

O Uniclinic havia instituído o projeto Casa do Atleta. A proposta era criar um local para abrigar os jogadores que viriam de fora. Acontece que o descuido com o espaço físico fez com que ladrões invadissem as acomodações, levanto tudo o que havia, inclusive as portas.

Os times que passaram pelas instalações pertencentes à Águia da Precabura, mascote do clube, puderam desfrutar da então moderna academia, que funcionou bem até meados dos anos 2000. Hoje, o local encontra-se mal cuidado, tendo os aparelhos enferrujados, com defeito, e o piso está se arrancando.

Os vestiários, por sua vez, estão cheios de água. Isso sem falar nas salas do escritório, que estão entulhadas de cadeiras de escritório, máquinas de lavar industrial, ar-condicionados, etc.

O CT tinha cerca de 10 hectares. Só que Cruz já vendeu seis deles, inclusive a chamada Academia da Bola, espaço repleto de campos soçaite.

A compra de parte do terreno foi feita pelo Recreio Clube de Campo, que saiu do seu antigo endereço, ocupando a Academia, uma vez que a empresa Casas Freitas assumiu o terreno do antigo Recreio.

Hoje na 3ªDivisão, a Águia já brilhou. Nascida em 1996, ganhou o campeonato Sub-17. Em 1998, o time profissional ganhou a 2ªDivisão. Em 1999, foi campeã sub-18. Em 2002, caiu para a Série B, mas voltou à elite do futebol local no ano seguinte.

CT deverá ser administrado por Paulo Wagner

O dono do Uniclinic, Vanor Cruz, deixa bem claro que não está voltando ao futebol, mas que apenas irá recuperar o Estádio Antonio Cruz, em honra do nome de seu pai. Quando tudo estiver recuperado, ele passará o comando para o presidente do Horizonte, Paulo Wagner.

Cruz afirma que perdeu muito do gosto pelo futebol após a morte de seu filho, também médico, Davi Cruz, em 2010. Perdeu também o interesse por qualquer coisa que envolva festa ou alegria. De acordo com ele, a situação favoreceu a degradação de seu antigo sonho.

Versão de Getúlio

O investidor Getúlio Tadeu apresentou, ontem, a sua versão sobre a deterioração do CT Uniclinic. Ele arrendou o CT há três anos e meio, mas explicou porque não fez as reformas. “Como eu iria reformar uma estrutura já envelhecida? Ainda gastei no clube R$ 1,3 milhão, sem receita. Paguei R$ 700 pela conta de luz… Se não ligaram, não sei o que aconteceu. Mas paguei”.

Getúlio ainda continua com a escolinha de futebol até agosto de 2015, utilizando dois campos dos três que existem no CT. O trabalho das escolinhas comandadas por Getúlio e sua equipe já rende frutos. O time é o campeão cearense Sub-13, superando os grandes da Capital.

Ivan Bezerra

Repórter

 

Diário do Nordeste – Jogada – 15.03.2014

Presidente do Ceará diz que atacante Leandrão é meta para Série B

Além do atacante, Alvinegro de Porangabuçu também negocia com o meio-campista Erivelton, que é destaque do Horizonte no Cearense.

Leandrão são caetano goiás (Foto: Randes Nunes / Agência Estado)

Leandrão atuando pelo São Cartano contra o Goiás
(Foto: Randes Nunes / Agência Estado)

O Ceará está perto de anunciar as primeiras contratações para a Série B do Campeonato Brasileiro. O meio-campista Erivelton, do Horizonte, e o atacante Leandrão, do Rio Branco-SP, são os pretendidos pela diretoria alvinegra para reforçar o Vovô.

Alvo principal do Alvinegro de Porangabuçu, o atacante Leandrão, com passagem marcante pelo ABC-RN, onde marcou 24 gols. Atualmente, no Rio Branco-SP, já atuou no Sport,  Internacional e São Caetano.

– É um jogador interessante – disse Evandro Leitão, presidente do Ceará. Na época em que jogou pelo ABC-RN trabalhou com o técnico Leandro Campos.

No início deste ano, o Fortaleza tentou contratar Leandrão, mas o jogador desistiu da negociação às vésperas de acertar com o clube

Jovem talento

Já Erivelton, que tem apenas 21 anos, é titular no Galo do Tabuleiro e vem se destacando no Campeonato Cearense. Com carreira curta, o jogador já passou por Uniclinic, Limoeiro e Itapipoca. Ele tem contrato até maio de 2014.

 

GLOBO ESPORTE