Hoje o Ceará Sporting Club vai enfrentar o Boa Esporte no PV . Vamos relembrar o confronto de 2014…

Contra o Boa, Vozão sai na frente, toma virada, mas arranca empate

Magno Alves e Gil marcaram os gols do Alvinegro no jogo

Site do Ceará Sporting Club

Mogi Mirim 0 x 3 Botafogo

Botafogo vence o Mogi por 3 a 0 no ES e amplia vantagem na Série B

Alvinegro tem atuação discreta, mas vence com apoio do torcedor capixaba. Roger Carvalho, Tomas e Luís Henrique marcam. Resultado afunda ainda mais time paulista

Os tempos de oscilação na Série B, aparentemente, ficaram para trás no Botafogo. Na noite desta sexta, o Alvinegro não teve uma exibição brilhante, mas aproveitou o apoio do torcedor capixaba e venceu o Mogi Mirim por 3 a 0. O mando era da equipe paulista, mas o time carioca sentiu-se em casa, no Estádio Kleber Andrade, em Cariacica, no Espírito Santo, devido à boa presença de público. Roger Carvalho, Tomas Bastos e Luís Henrique marcaram os gols da partida.

O resultado trouxe ainda mais tranquilidade para o Botafogo. Com 48 pontos, o time carioca abriu quatro de vantagem para Paysandu, que empatou nesta sexta com o Paraná. Por outro lado, a situação do Mogi Mirim é cada vez mais desesperadora. Com apenas 22 pontos, o time paulista é penúltimo e pode cair para a lanterna, em caso de vitória do ABC neste sábado.

Botafogo Mogi Mirim (Foto: Richard Pinheiro / GloboEsporte.com)

O início de partida deu a falsa impressão de que o jogo seria movimentado em Cariacica. Logo no primeiro minuto, em cobrança de escanteio, Daniel Carvalho achou Roger Carvalho livre para fazer de cabeça o gol alvinegro. Mas parou por aí. Com três volantes, o Botafogo dependia quase que exclusivamente de seu camisa 10, que não esteve em noite das mais inspiradas. Em sua melhor jogada, Daniel lançou Sassá na área, mas o atacante parou no goleiro Mauro. Do outro lado, o Mogi pouco ameaçava. Apenas o habilidoso Serginho tentava alguma coisa. De volta da seleção brasileira, Jefferson foi praticamente um espectador no primeiro tempo.

Na volta do intervalo, o panorama pouco mudou. Um pouco mais ousado, o Mogi Mirim se arriscou no ataque, mas levou perigo apenas em chute de Luis Fernando defendido por Jefferson. No estádio, a torcida local pediu a entrada de atacante capixaba Luís Henrique e foi atendida. No entanto, quem trouxe tranquilidade foram outros dois jogadores que saíram do banco. Após belo passe de Fernandes, Tomas Bastos driblou o goleiro e marcou o segundo. Antes do apito final, no entanto, o xodó alvinegro deixou sua marca. Derrubado na área, Luís definiu o resultado com uma estilosa cavadinha em cobrança de pênalti.

GLOBO ESPORTE.COM

Renato Maurício Prado comenta a vitória do Botafogo sobre o Flamengo no aniversário da cidade do RJ

Merecido

Nem há o que discutir. O Flamengo dominou o primeiro tempo, mas não conseguiu criar grandes oportunidades para marcar: na maioria das vezes, limitou-se a erguer centros altos a esmo, sobre a área, na conhecida e normalmente inútil jogada que se tornou um câncer no nosso futebol. Depois do intervalo, quem passou a mandar em campo foi o Botafogo, que acertou três balaços nas traves de Paulo Victor. Num deles, o goleiro resolveu fazer golpe de vista, a bola repicou nele e entrou…

Vanderlei (que disse que gostou da atuação rubro-negra!) escalou três volantes, fez três substituições, e manteve os três cabeças de área. Vai entender. Aliás, preterir Arthur Maia (o único armador do elenco) em favor de Márcio Araújo, já tendo no time Jonas e Canteros é daquelas decisões que mostram como o Luxemburgo dos dias de hoje ainda está a anos-luz daquele que se consagrou, repetindo que o medo de perder tira a vontade de ganhar.

 

Renato Maurício Prado – O GLOBO – 03/03/2015

Botafogo derrota Flamengo no aniversário da cidade do Rio de Janeiro

TAÇA GUANABARA (1ª FASE) – 7ª RODADA
NO ANIVERSÁRIO DO RIO, BOTA VENCE O FLA E SE ISOLA NA LIDERANÇA DO CARIOCA
No dia dos 450 anos do Rio, Tomas sela triunfo do Alvinegro com gol em que a bola pregou peça em Paulo Victor. Rubro-Negro sai do G-4
O domingo foi de comemoração no Rio de Janeiro, que completou 450 anos. No Maracanã, torcedores de Botafogo e Flamengo fizeram uma bela festa. Mas, no fim, foi o Alvinegro que colocou a cereja no bolo e teve ainda mais motivos para festejar. Com gol de Tomas – a bola bateu na trave e nas costas de Paulo Victor antes de parar no fundo da rede, aos 37 minutos do segundo tempo –, o time de General Severiano selou a vitória por 1 a 0.

E com o resultado, o time se isolou na liderança do Campeonato Carioca, com 19 pontos. O Rubro-Negro, com 14, caiu para a quinta colocação, deixando o G-4 graças também à vitória do Fluminense sobre o Resende, no complemento da rodada. O Botafogo volta ao Maracanã no próximo domingo, às 18h30, quando faz o clássico contra o Tricolor. O Flamengo, por sua vez, entra em campo no sábado, também no estádio, para encarar o Friburguense.

tomas flamengo x botafogo   (Foto: André Durão)
Festa alvinegra: jogadores do Botafogo comemoram diante dos desolados rubro-negros (Foto: André Durão)

O Flamengo, que teve Léo Moura em seu último jogo oficial pelo clube, começou com maior volume de jogo, buscando o ataque, mas sem conseguir finalizar com perigo. Na primeira chance, Gabriel chutou na rede pelo lado de fora. O Botafogo tinha dificuldade para articular as jogadas e, por vezes, se viu preso no setor defensivo. Jefferson apareceu bem quando o Rubro-Negro conseguiu chegar. Marcelo Cirino foi a principal alternativa do time de Vanderlei Luxemburgo. Já o Alvinegro conseguiu equilibrar as ações a partir dos 30 minutos, melhorou com a entrada de Sassá na vaga de Diego Jardel, teve finalizações, mas o primeiro tempo terminou sem gol, porém, com o Fla superior.

O segundo tempo começou movimentado. O Flamengo logo chegou ao ataque; o Botafogo respondeu bem, mas Paulo Victor evitou o gol. Na arquibancada, torcidas animadas. Aos 25, Diego Giaretta cabeceou para trás e quase fez contra. Jefferson, sempre seguro, evitou. Mas, no ataque, o Alvinegro foi mais objetivo e chegou perto de fazer 1 a 0, com bela cobrança de falta de Thiago Carleto na trave. Aos 37, enfim, motivos para o torcedor botafoguense festejar. Tomas arriscou de fora da área, a bola bateu na trave, voltou nas costas de Paulo Victor, e acabou no fundo da rede. Festa alvinegra no aniversário do Rio.

GLOBO ESPORTE.COM

Icasa 3 x 2 Boa Esporte

3 x 2

38ª RODADA
ICASA BATE O BOA ESPORTE E ACABA COM O SONHO DE ACESSO DOS MINEIROS
Time de Varginha precisava vencer, saiu na frente, mas acabou perdendo por 3 a 2. Contestado, Icasa complica e termina competição com dignidade

Bastava uma vitória contra o já rebaixado Icasa. O caminho do Boa Esporte para a Série A do Brasileirão parecia fácil na tarde deste sábado. Só parecia. Jogando com muita disposição e dignidade, o Icasa venceu o adversário por 3 a 2, no Estádio Romeirão, e acabou com a esperança da equipe mineira de pela primeira vez na história conseguir o acesso inédito à elite do futebol brasileiro.

O Boa Esporte saiu na frente do placar com Tomas. Mas em apenas cinco minutos sofreu o empate de Lucas Gomes e o gol da virada de Júnior Barros. Pouco depois, Guidio marcaria o terceiro para os cearenses e acabaria de vez com o sonho do time de Varginha (MG). Tomas ainda fez de pênalti no fim e assinalou seu 15º gol na competição.

Icasa pressiona o Boa Esporte no 1º tempo

Dez jogadores dispensados, declaração polêmica de dirigente e muita reclamação dos outros clubes interessados. Quem esperava um Icasa passivo, logo no início da partida teve grande surpresa. Durante toda a primeira etapa, a equipe cearense sufocou o Boa Esporte e por pouco não abriu o marcador. Foram pelo menos cinco reais de gol do time de Juazeiro do Norte (CE) contra três da equipe de Varginha. O Icasa aproveitava o lado esquerdo do ataque para tentar chegar ao gol. Em uma dessas chances, Núbio Flávio invadiu pela esquerda e mandou para o fundo das redes, mas o árbitro já assinalava impedimento.

A equipe cearense diminuía os espaços e forçava o Boa Esporte a errar muitos passes. Na frente, Núbio Flávio continuava levando perigo. Aos 17, ganhou na corrida de William Magrão, invadiu a área e bateu na saída de João Carlos, que fez grande defesa. Pouco depois, Júnior Barros disputou a bola com o goleiro do Boa Esporte. Ele caiu, mas o árbitro entendeu que houve simulação. Enquanto isso, o Boa Esporte via o Avaí vencendo o Vasco e assumindo a quarta colocação. Fernando Karanga teve a chance do jogo para mudar essa realidade aos 47, subindo só para cabecear com perigo e vê-la passar bem pertinho do gol.

Apagado em boa parte do jogo, Boa Esporte deixou escapar sonho do acesso (Foto: Tiago Campos)
Apagado em boa parte do jogo, Boa Esporte deixa escapar sonho do acesso (Foto: Tiago Campos)

 

De virada, Icasa acaba com o sonho do Boa

O rumo da partida poderia mudar logo no início do segundo tempo. Em uma disputa de bola com Fernando Karanga, a bola tocou na mão de Pedro Lucas dentro da área. Os jogadores do Boa Esporte pediram pênalti. O juiz nada marcou. O Icasa continuava na pressão. Mauri e Júnior Barros tentaram de longe, mas sem sucesso.

O Boa até saiu na frente do placar com Tomas, aos 13 minutos do 2º tempo. Fez festa, comemorou, mas só por um minuto. Aos 14, Lucas Gomes invadiu a área pela direita. Passou por dois e bateu com categoria de canhota, no canto de João Carlos. Um balde de água fria nas pretensões mineiras. Se o resultado já era ruim, poderia ficar pior. E ficou. Aos 18, Júnior Barros, também de esquerda, arriscou de longe. A bola, quase em câmera lenta, parou no fundo das redes do Boa. O abatimento caiu sobre o time. A certeza de que o sonho estava indo embora viria aos 28, quando Guidio pegou rebote e fuzilou. Era o golpe final. Tomas ainda diminuiria de pênalti, aos 41. Mas já não havia mais tempo. E para quem duvidava, o Icasa mostrou que merece respeito, e muito.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Boa Esporte 1 x 0 Joinville

1 x 0

36ª RODADA
EM NOITE DE APAGÃO, TOMAS DEVOLVE BOA AO G-4, E SORTUDO JEC SEGUE LÍDER
Equipe de Varginha faz o suficiente para vencer o apagado Joinville, que, mesmo com resultado, volta para a casa em primeiro com tropeço da Ponte

Ninguém saiu ferido. Numa partida que teve apagão de energia quando os cronômetros marcavam 43 minutos do segundo tempo e só reiniciou 15 minutos depois, o Boa Esporte voltou ao G-4 da Série B após vencer o Joinville por 1 a 0 na noite desta terça-feira, no Estádio Municipal de Varginha (MG). Sempre decisivo, o canhotinha Tomas marcou o único gol da partida e chegou ao seu 13º tento na Série B. Mesmo com o resultado, o Joinville manteve a liderança do campeonato, já que a Ponte Preta empatou em Campinas (SP) com o América-RN.

Apático, o Joinville não conseguiu mostrar o futebol que o levou a garantir o acesso à Série A com várias rodadas de antecedência. Melhor para o Boa Esporte, que, mesmo sem brilho, conseguiu fazer o gol que precisava para seguir vivo na briga. A equipe mineira agora só depende de si para conseguir o tão sonhado acesso inédito para a elite do futebol brasileiro. Na próxima rodada, recebe o Oeste, no sábado, às 16h20 em Varginha. O Joinville pega o Luverdense, no mesmo horário, na Arena Joinville.

Jogo morno no começo

Boa Esporte e Joinville tinham grandes propósitos em jogo. De um lado, a equipe de Varginha buscava a vitória para seguir firme no sonho de chegar ao inédito acesso à Série A. Do outro, um Joinville já classificado, mas também necessitado de um triunfo para ficar mais perto de uma taça que ainda não possui na sua galeria de troféus. Mas o ritmo apresentado no primeiro tempo nem de longe lembrava que havia tanta coisa em jogo.

Sem querer se arriscar, o JEC adotou postura consciente, tranquila. Esperava o Boa Esporte chegar. A equipe mineira até tentava, mas não conseguia encaixar um bom ataque. A torcida só se levantou nas arquibancadas mesmo quando Fernando Karanga caiu na área pedindo pênalti após levar um esbarrão do zagueiro. Nada feito. Sem inspiração, coube ao craque do time, Tomas, tentar alguma coisa. Ele até arriscou de fora da área, mas longe. O Joinville não tinha pressa. Até chegou com perigo em contra-ataque no fim, mas o primeiro tempo terminaria mesmo empatado sem gols.

Tomas faz o único gol do Boa Esporte contra o Joinville (Foto: Tiago Campos)
Euforia: na raça, Tomas faz o único gol do Boa Esporte contra o Joinville (Foto: Tiago Campos)

Na raça, Tomas decide

A etapa final começou como o primeiro tempo acabou. Parecia um jogo de xadrez. As equipes se estudavam, se estudavam… Mas, no meio da monotonia, um jogador que já havia marcado 12 gols no campeonato aguardava seu momento de brilhar. E o tão esperado instante surgiu aos 16 minutos. Tomas deu um lindo drible no zagueiro e foi em direção à área. A zaga do Joinvile tentou cortar, mas acabou ajeitando para o meia, que soltou uma bomba e estufou as redes. Gol na raça, 1 a 0 Boa Esporte.

O gol levantou a torcida nas arquibancadas. A cada jogada, o torcedor parecia estar em campo com a equipe. Longe de apresentar o futebol vistoso que o levou à liderança do campeonato, o Joinville não parecia o Joinville. Wellington Saci até tentou pegar João Carlos, bem colocado, de surpresa. Mas o que a equipe de Santa Catarina viu mesmo foi Fernando Karanga perder mais duas chances de matar a partida. Aos 43 minutos, o jogo foi paralisado por falta de energia elétrica no estádio de Varginha (MG). As equipes esperaram em campo, e só depois de 15 minutos a partida foi reiniciada. Sem mais emoções, o jogo terminou mesmo 1 a 0 para o Boa Esporte.

 

GLOBO ESPORTE.COM

América de Natal 1 x 3 Boa Esporte

1 x 3

34ª RODADA
DE VIRADA, BOA ESPORTE DESTRÓI AMÉRICA-RN E ENTRA PELA 1ª VEZ NO G-4
Tomas marca duas vezes e Fernando Karanga completa placar na Arena das Dunas, em Natal. Mecão segue em risco na zona de rebaixamento
O Boa Esporte pode, enfim, dizer que integra o G-4 da Série B do Campeonato Brasileiro. Nem que seja por uma noite. Mesmo fora de casa, após sair atrás do placar, o time mineiro provou que tem forças para brigar pelo acesso e conseguiu a virada diante do América-RN. Tomas, com dois gols, e Fernando Karanga garantiram a vitória na Arena das Dunas, para decepção dos torcedores rubros que sonham com a fuga da zona de rebaixamento.

Com o resultado, o Boa passou a somar 53 pontos, com 16 vitórias, na quarta posição. Só o Atlético-GO pode ultrapassá-lo ao fim da 34ª rodada. Já o Mecão continua na 18ª colocação, com 36 pontos, em situação delicadíssima.

O América-RN volta a campo no dia 15, quando recebe o Icasa no Estádio Nazarenão, em Goianinha. No mesmo dia, o Boa encara o Sampaio Corrêa no Castelão, em São Luís. Os dois jogos serão às 21h (horário de Brasília).

América-RN x Boa Esporte (Foto: Augusto Gomes/GloboEsporte.com)
Boa Esporte derruba o América-RN na Arena das Dunas (Foto: Augusto Gomes/GloboEsporte.com)

O jogo

O jogo começou da forma que o América-RN precisava. Aos seis minutos, Walber foi derrubado na área, e o pênalti foi assinalado. Rodrigo Pimpão, porém, cobrou mal e João Carlos defendeu. O alívio rubro veio logo depois. Isac recebeu cruzamento de Walber e fuzilou para as redes. O Boa Esporte, que parecia meio perdido em campo, acordou com um golaço de Tomas, aos 18 minutos. Ele percebeu o goleiro Andrey adiantado e fez por cobertura. Fernando Karanga, de cabeça, quase conseguiu a virada no primeiro tempo. Nos acréscimos, foi a vez de João Carlos salvar o time mineiro, em bola mal rebatida pelo zagueiro Ciro.

O Boa Esporte voltou do intervalo em alta velocidade. De cara, criou duas excelentes oportunidades. Na primeira, Fernando Karanga recebeu livre na entrada da área, mas finalizou para a boa defesa de Andrey. Em seguida, o atacante serviu William Magrão, que acertou o travessão. O gol estava desenhado e Tomas, em cobrança de falta, mostrou como se faz, aos 14 minutos. Precisando vencer, Roberto Fernandes sacou um volante e colocou mais um atacante em campo. Alfredo teve a chance do empate, mas parou no goleiro mineiro. O Boa, então, soube aproveitar o espaço cedido pelo Mecão e encaixou um contra-ataque mortal. Após boa troca de passes, Fernando Karanga recebeu na direita, driblou Andrey e completou a virada na Arena das Dunas. No desespero, os donos da casa ainda buscaram diminuir a diferença, mas viram o adversário administrar bem a vitória.

GLOBO ESPORTE.COM

Boa Esporte 3 x 1 Ceará

3 x 1

33ª RODADA
EFICIENTE, BOA ESPORTE SUPERA MORTE DE ATLETA E ATROPELA O CEARÁ EM MG
Abalados com perda de ex-companheiro, jogadores se emocionaram na vitória por 3 a 1 em Varginha; Ceará sofre 4ª derrota consecutiva na Série B.

O Boa Esporte venceu o Ceará por 3 a 1 na noite deste sábado (1º) em partida válida pela 33ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Os gols do Boa Esporte foram marcados por Tomás, que chegou a 10 gols na competição, Clébson e Diego. Bill descontou para o Ceará. Com o resultado, a equipe de Varginha encostou no G-4 e agora está a apenas dois pontos do Atlético-GO, última equipe que hoje conseguiria o acesso. Já o Ceará chegou à sua quarta derrota consecutiva e agora tem a mesma pontuação que o Boa Esporte, 50 pontos, mas com uma vitória a menos.

A partida foi marcada por muita emoção, já que os jogadores do Boa Esporte ainda estavam abalados com a morte do lateral-esquerdo Piauí, assassinado a tiros na madrugada deste sábado em Floriano (PI). O atleta disputou 10 jogos pela equipe na Série B e havia se desligado do clube nesta semana. Durante a comemoração dos gols, ficou clara a emoção dos jogadores. Diego, que marcou o terceiro, chegou a chorar muito e precisou do consolo dos companheiros.

Na próxima rodada, o Boa Esporte vai à Arena das Dunas enfrentar o América-RN, na sexta-feira (7), às 19h30. Já o Ceará faz um confronto direto com o Atlético-GO no mesmo dia, só que às 21h, no Castelão.

Boa Esporte vence o Ceará em Varginha (Foto: Brenno Beretta / EPTV)
Boa Esporte vence o Ceará por 3 a 1 em Varginha (MG) (Foto: Brenno Beretta / EPTV)

Boa eficiente faz 2 gols no início

Os jogadores do Boa Esporte foram a campo utilizando uma tarja preta no uniforme em sinal de luto pela morte do lateral-esquerdo Piauí, assassinado a tiros na madrugada deste sábado (1º) na cidade de Floriano (PI). O jogador havia se desligado do clube nesta semana e já havia firmado contrato com o Rio Claro para a disputa do Campeonato Paulista em 2015. Embora abalados psicologicamente, os atletas do time mineiro queriam a vitória para continuar na briga pelo G-4.

O gol que manteria o sonho não demorou a sair. Aos 11 minutos, Tomas recebeu lançamento nas costas da zaga cearense e invadiu a área para bater na saída do goleiro. 1 a 0 Boa. Emocionado pela morte do ex-companheiro, Tomas não comemorou, só abraçou o grupo. O que já era bom, ficaria ainda melhor oito minutos depois quando após contra-ataque, Morato cruzou para Clébson, de letra, desviar para o fundo das redes. 2 a 0 Boa.

O segundo gol fez com que o técnico PC Gusmão sacasse o zagueiro Alex Lima para a entrada do atacante Bill. No entanto, o Ceará, desorganizado, não conseguiu levar perigo à meta da equipe de Varginha. Por pouco a equipe não levou o terceiro em mais um chute de Tomas, em que Luiz Carlos fez grande defesa.

Mais um gol e golpe final

O segundo tempo começou como terminou o primeiro. O Ceará tentando criar alguma coisa e o Boa Esporte abusando da eficiência. Logo aos 6 minutos, o atacante Diego recebeu bola açucarada na entrada da área. Ele invadiu, driblou o goleiro Luis Carlos e fez um golaço. Na comemoração, o atleta chorou muito e abraçou os companheiros.

Desorganizado, o Ceará não ameaçava o gol de João Carlos. Tanto que até os 20 minutos da etapa final, a melhor chance do jogo para os cearenses foi um desvio de cabeça de Sandro por cima do gol, após batida de escanteio. Enquanto isso, o Boa quase chegou ao quarto gol com Romão, que após batida de fora da área de Clébson, pegou o rebote de Luis Carlos, mas perdeu um gol no estilo Inacreditável Futebol Clube, com o gol todo aberto.

O Ceará ainda diminuiria o placar com Bill, de cabeça aos 29, aproveitando cruzamento que veio da esquerda. Mas, com Luis Carlos tendo que se virar para segurar o ataque do Boa Esporte lá do outro lado, a partida terminou mesmo 3 a 1.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Bragantino 4 x 2 Boa Esporte

4 x 2

32ª RODADA
EM JOGO COM DUAS VIRADAS NO PLACAR, BRAGA BATE BOA ESPORTE PELA SÉRIE B
Com o resultado, equipe de Bragança Paulista se afasta da zona da degola. Time de Varginha, por outro lado, fica mais distante dos quatro primeiros
De um lado, uma equipe na luta para afastar o fantasma do rebaixamento. Do outro, um time que briga para se aproximar do G-4, a sete rodadas do fim da Série B do Campeonato Brasileiro. O desespero dos anfitriões, neste caso, falou mais alto. Em jogo com duas viradas no placar, o Bragantino derrotou o Boa Esporte por 4 a 2 na tarde deste sábado, no estádio Nabi Abi Chedid, em confronto válido pela 32ª da competição. Os gols do Massa Bruta foram marcados por Robertinho (duas vezes), Luisinho e Washington. Pelos visitantes, Tomas e Fernando Karanga balançaram as redes.

Com o resultado, o time de Bragança Paulista se afasta da zona de rebaixamento e fica na 14º colocação, com 38 pontos. Já os mineiros perderam a chance de encostar no G-4 e caíram para o nono lugar, com 47 pontos.

O Bragantino volta a campo na próxima terça-feira, 28, para enfrentar o vice-líder Joinville, fora de casa. A partida noa Arena Joinville será às 21h50. O Boa joga no próximo sábado, 1, contra o Ceará, às 21h, no Estádio Municipal de Varginha, em Minas Gerais.

Luisinho Bragantino x Boa Esporte (Foto: Fabio Moraes / Ag. Estado)
Bragantino vence o Boa Esporte e fica um pouco mais longe do Z-4 (Foto: Fabio Moraes / Ag. Estado)

O jogo

O confronto começou pegado, com poucas jogadas de criatividade. Mas, com mais posse de bola, os donos da casa não demoraram para marcar. Aos 20 minutos, após boa troca de passes, Magno Cruz achou Geandro pelo lado direito da grande área. O volante tocou de calcanhar para Luisinho, que chutou forte e estufou as redes do Boa. A resposta dos visitantes veio aos 33 minutos. Depois de ótimo lançamento de Tinga, Fernando Karanga ficou frente a frente com o goleiro Matheus e, com categoria, encobriu o goleiro para empatar a partida.

No segundo tempo, muita correria e chances para os dois lados. O “vira-vira” começou aos cinco minutos. Tomas colocou o Boa em vantagem após cobrança de falta no canto esquerdo de Matheus. O Massa Bruta reagiu e conseguiu o empate aos 16, com gol de Robertinho. Aos 31 minutos, O Boa perdeu o volante Wellington, expulso após receber o segundo amarelo.

Com um a mais, o Braga virou o placar. Aos 34 minutos, após cobrança de falta ensaiada, Luisinho enganou a defesa do Boa e tocou rasteiro para Robertinho. O jogador dominou e chutou rápido no canto esquerdo do goleiro. Para aumentar o drama dos visitantes, Fernando Karanga dividiu forte a bola com Washington, recebeu o segundo amarelo e também foi para o chuveiro mais cedo. A perda do segundo jogador abriu mais espaço para o Bragantino. Aos 43 minutos, Washington recebeu lançamento e entrou sozinho na área. Na saída de João Carlos, marcou o gol que decretou o placar final.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Boa Esporte 3 x 0 Vila Nova

3 x 0

30ª RODADA
KARANGA VOLTA, FAZ DOIS E COMANDA VITÓRIA DO BOA SOBRE O VILA NOVA
Após quatro rodadas sem pontuar, time de Varginha faz 3 a 0 e volta a sonhar com o G-4; Tigre perde mais uma e começa a ver Série C mais perto

Há cinco rodadas fora do Boa Esporte por conta de uma lesão muscular, Fernando Karanga estava com fome de gol. O atacante foi o autor de dois dos três tentos que deram a vitória do clube mineiro sobre o Vila Nova no Melão, em Varginha, em partida válida pela 30ª rodada da Série B do Brasileiro. O primeiro gol saiu com menos de três minutos após uma bela jogada pela esquerda que terminou com uma pintura. O outro, veio no segundo tempo depois de uma cabeçada. No fim do jogo, o meia Tomas fechou a conta para sacramentar a superioridade dos donos da casa. O resultado de 3 a 0 deu gás ao Boa, que volta a sonhar com o G-4 da competição. O Tigre somou mais uma derrota na Série B e, a oito rodadas para o fim do campeonato, já começa a ver a Série C mais perto em 2015.

Os gols sobre o Vila Nova colocaram Fernando Karanga e Tomas na briga pela artilharia do Boa Esporte. Ambos estão empatados com oito gols marcados nesta Série B. Com o resultado, o Boa Esporte dorme na sexta posição com 44 pontos e fica a sete pontos do G-4. Os goianos seguem na vice-lanterna, com 23 pontos, e podem ser ultrapassados pela Portuguesa no fim da rodada.

O Boa Esporte terá uma semana para descansar e só entra em campo às 21h50 da próxima terça-feira contra o Náutico, em Varginha. O tempo de folga do Vila Nova na Série B será ainda maior. O Tigre joga apenas no sábado, quando recebe o Sampaio Corrêa no Serra Dourada.

Boa Esporte X Vila Nova (Foto: Pakito Varginha / Futura Press)
Com dois de Fernando Karanga, Boa venceu o Vila com tranquilidade (Foto: Pakito Varginha / Futura Press)

O Karanga voltou!

O Boa Esporte precisou de menos de três minutos de bola rolando para mostrar que a reabilitação estava perto. Fernando Karanga, que voltou ao time após cinco rodadas, arrancou da intermediária pela esquerda, passou por dois marcadores e, na saída do goleiro Cléber Alves, deu uma cavadinha para fazer um belo gol e abrir o placar em Varginha. O gol relâmpago deu um banho de água fria no Vila Nova, que só entrou no jogo por volta dos 30 minutos. No entanto, o Tigre não levou muito perigo ao gol de João Carlos. O atacante do Boa Uallison Pikachu, que também havia voltado de lesão, sentiu dores e deixou o gramado chorando para a entrada de Diego.

Karanga amplia e Tomas fecha a conta

No começo do segunto tempo, o Vila tentou uma reação. Só tentou. Aos 10 minutos, Diego cruzou da direita, a bola fez um leve desvio em João Paulo e caiu na cabeça de Fernando Karanga, que ampliou. Aos 25 minutos, Nedo Xavier resolveu sacar Karanga, que foi aplaudido pela torcida, para a entrada de Romão. Daí em diante, o time de Varginha administrou a partida, que esfriou. Aos 37 minutos, Tomas, que havia desperdiçado uma chance incrível aos 28 minutos, aproveitou a falha da defesa do Tigre para fintar o goleiro e fechar a conta em Varginha. Enfim, o clube mineiro voltava a vencer após quatro rodadas sem somar pontos.

 

GLOBO ESPORTE.COM