Australia 0 – 4 Brazil

Brazil proved too classy for the Caltex Socceroos at the MCG on Tuesday night.

Tuesday, 13 June 2017

Aidan Ormond @AidotheFFAEd
A Philippe Coutinho-inspired Brazil eased past the Caltex Socceroos 4-0 in a friendly on Tuesday night at the MCG.

GAME IN SUMMARY

Brazil, the world number one ranked nation, stunned Australia with an opener after just 12 seconds.

Brazilian captain Philippe Coutinho was the game’s best player, effortlessly gliding past opponents and creating numerous opportunities.

Chelsea pair Willian and David Luiz were class, Luiz was a rock at the back for the Selecao and was pivotal in the second goal while Willian’s speed and close skills were on show after he came on in the second half.

The Socceroos handed a debut to Ajdin Hrustic and Dylan McGowan, who both came on in the second half.

GOALS Diego Souza Brazil, 1’: 0-1

Australia kicked off, the ball was passed back to Bailey Wright, an errant pass later and Brazil swooped. Within seconds they were inside the Socceroos’ box and Diego Souza slotted low across Mitch Langerak’s right glove after just 12 seconds.

Thiago Silva Brazil, 61’: 0-2

Coutinho’s outswinging corner was met by David Luiz who powered his header against the crossbar, the ball wasn’t cleared and the PSG defender was on hand to head home the loose ball.

Taison Brazil 74’: 0-3

Gorgeous interplay started by Willian before Paulinho played his part with a back heel that found Taison who slotted home his first international goal.

Brazil players celebrate a goal in their win over the Caltex Socceroos.

Diego Souza Brazil 93’: 0-4

A corner was won after a thrilling counter and Souza made it a double with a header off the set piece with the final action in the game.

Source : Football Federation Australia

Thiago Silva volta a ser titular, mas não escapa de outra polêmica na Seleção

Zagueiro começa a Copa América como reserva, recupera espaço, mas é personagem decisivo na eliminação do Brasil contra o Paraguai

Um ano. E a vida de Thiago Silva na seleção brasileira mudou completamente. De titular incontestável e capitão ideal, o jogador termina a Copa América com novos arranhões. Não bastasse o desequilíbrio emocional que mostrou durante a Copa do Mundo no Brasil, protagonizou mais um lance infeliz no jogo que definiu a eliminação brasileira no Chile. Neste sábado, na partida das quartas de final contra o Paraguai, o zagueiro foi o responsável direto pelo empate do adversário no tempo normal. Na decisão por pênaltis, outra vez não apareceu na lista dos batedores. Apesar de ter recuperado um lugar no time durante a campanha, deixou o Chile em baixa. Se a ideia era refazer sua imagem na Seleção, não deu certo desta vez.

Thiago começou a Copa América como reserva. Em 5 de junho, ainda durante a preparação na Granja Comary, em Teresópolis, reconheceu em entrevista coletiva um certo desconforto por estar no banco. Mas não criou polêmica. Aceitou a escolha de Dunga e mostrou-se disposto a recuperar espaço.

O jogador do PSG da França sabia que numa nova competição oficial ele e o time precisariam mostrar mais do que fizeram no Mundial e tinha a exata dimensão do tamanho da desconfiança dos torcedores.

– A mentalidade de todos era ganhar a Copa do Mundo, mas no futebol as coisas mudam muito rápido. Ficamos marcados de uma maneira que nenhum brasileiro gostaria, mas tudo que aconteceu nos dá mais motivação para tentar novamente o respaldo do torcedor. Ficamos devendo. Mesmo se ganharmos a Copa América, não vai apagar a Copa do Mundo que fizemos – afirmou.

Titular absoluto no seu clube, Thiago Silva passa por um inferno astral na Seleção. Antes da Copa do Mundo no Brasil começar, estampou capas de revistas com a braçadeira de capitão do time de Luiz Felipe Scolari, colocou o Brasil na condição de favorito ao título e tornou-se um dos símbolos do fracasso daquele grupo.

Dois lances marcaram a participação do zagueiro naquele Mundial. Nas oitavas de final, caiu no choro pouco antes da decisão por pênaltis contra o Chile. A imagem do capitão do Brasil aos prantos foi parar no telão e assustou quem estava no Mineirão. Ainda naquele jogo, Thiago pediu para ficar no fim da fila dos batedores da Seleção. Não sentia confiança. Nas quartas de final, tomou um cartão amarelo bobo e ficou fora da semifinal contra a Alemanha.

Na volta à Seleção, perdeu a braçadeira. Dunga escolheu Neymar como novo líder. Thiago mostrou-se insatisfeito publicamente, gerou um clima ruim, mas a polêmica passou. Com a suspensão de Neymar na Copa América, o defensor até poderia ter recuperado a faixa, mas Dunga optou por Miranda.

Thiago Silva pênalti Brasil x Paraguai (Foto: AP)
Thiago Silva ao cometer pênalti diante do Paraguai (Foto: AP)

Thiago começou a competição sul-americana na reserva de Miranda e David Luiz. Mas apenas contra o Peru. Já na segunda rodada, contra a Colômbia, voltou a ser titular no lugar do seu companheiro de PSG. Na vitória por 2 a 1 sobre a Venezuela, fez até gol. Foi ele quem abriu o placar. Acabou a primeira fase como único jogador do Brasil na seleção da Copa América.

Veio o jogo decisivo contra o Paraguai pelas quartas de final, o Brasil não conseguiu avançar, e Thiago se despediu com polêmica outra vez. Aos 24 minutos do segundo tempo, o jogador subiu para disputa com Roque Santa Cruz e Daniel Alves, perdeu o tempo da bola, e tocou a bola com a mão. O árbitro não teve dúvidas e assinalou a penalidade, convertida por Derlis González. O Paraguai empatou a partida e levou a decisão para os pênaltis. Apesar da infração ter sido incontestável, o defensor se defendeu na saída do estádio Ester Roa.

– Não me lembro de ter tocado a mão na bola. Perguntamos ao árbitro e ele falou que não sabe quem tocou. Sabe que foi alguém, mas não sabe quem. O Dani (Alves) perguntou por que ele marcou o pênalti e ele também não soube explicar. Saiu de lado e não deu explicação nenhuma. Bem sincero, eu não me lembro de tocar a mão na bola – disse ao SporTV.

Na decisão por pênaltis, outra vez não esteve entre os cinco batedores do Brasil. Mais jovens e com muito menos tempo de Seleção, Douglas Costa, que perdeu sua cobrança, e Philippe Coutinho, que converteu, cobraram. Thiago Silva vive um momento de desgaste na Seleção. Não é só o time que precisa refazer a imagem. O zagueiro também.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Vôlei? Basquete? Thiago Silva é alvo de zoações após derrota do Brasil

A derrota do Brasil para o Paraguai, nos pênaltis, valeu a eliminação da Seleção na Copa América e também piadas dos torcedores nas redes sociais. O pênalti cometido por Thiago Silva, com a mão dentro da área, não foi perdoado pelos internautas. O zagueiro foi alvo montagens “jogando” vôlei e basquete.

 

Thiago Silva vôleiThiago Silva basquete

 

Thiago SIlva zoações na web

 

Thiago Silva vôlei
Thiago Silva vôlei

 

GLOBO ESPORTE.COM

De novo? Thiago Silva repete pênalti cometido contra o Chelsea

O torcedor que acompanha a Liga dos Campeões deve ter tido um “déjà vu” neste sábado, vendo o duelo entre Brasil e Paraguai pela Copa América: aos 24 minutos do segundo tempo, Thiago Silva colocou a mão na bola na área e fez pênalti. Um lance bem parecido com o que o zagueiro protagonizou no confronto entre Paris Saint-Germain e Chelsea, no dia 11 de março.

 

Bernardinho descarta Thiago Silva na seleção de vôlei: “Aqui não pode chorar”

Como explicar? (FOTO: David Luiz)

Como explicar?
(FOTO: David Luiz)

Apesar de mostrar muito talento, Thiago Silva não conseguirá atuar pela Seleção Brasileira de vôlei, como aparentemente é sua vontade. O técnico e mito Bernardinho descartou a possibilidade de convocar o zagueiro.

“Aqui não pode chorar e tem hora certa para usar o Instagram. Por isso, não poderei chamar o Thiago Silva, apesar de todo o talento demonstrado no PSG e na Seleção Brasileira”, disse Bernardinho.

Muito emocionado, Thiago Silva não conseguiu conversar com os jornalistas e disse que vai postar uma nota sobre o assunto na sua conta no Instagram.

 

Brasil 2-1 Venezuela

Brasil avanzó a cuartos de final de la Copa América de Chile-2015, tras vencer por 2-1 a Venezuela.

La ‘canarinha’ clasifica primero del grupo C con seis puntos y enfrenta a Paraguay en la Concepción (sur) en la segunda ronda el próximo sábado. El resultado clasifica también a Colombia, que más temprano empató sin goles con Perú, también en la próxima fase.

Thiago Silva abrió el marcador a los 9 del primer tiempo y el segundo llegó en los pies de Roberto Firmino a los 51, en un juego en el que el veterano Robinho asumió el papel de cerebro y bujía de un equipo que aún no muestra un fútbol contundente.

Miku Fedor descontó por los venezolanos casi al final, a los 84, tomando un rebot tras un soberbio tiro libre de Juan Arango.

por Javier TOVAR y Guillermo BARROS/AFP

Foto: AFP

Conmebol.com

 

Renato Maurício Prado quer saber se Thiago Silva e David Luiz são anjos ou demônios

David Luiz forçou a prorrogação quando todos esperavam a classificação do Chelsea Foto: Matt Dunham / AP

 

Que Thiago Silva e David Luiz são tecnicamente dois dos melhores zagueiros do mundo, qualquer um que já tenha disputado uma pelada em campo de várzea percebe com facilidade. Infelizmente, no caso dos dois há um porém — um preocupante porém: ambos demonstram ser extremamente frágeis em termos psicológicos e emocionais.

Foi possível perceber isso, com clareza, no desastre brasileiro na última Copa e também na heroica classificação do Paris Saint-Germain, diante do Chelsea, de José Mourinho, em pleno campo do adversário, na última quarta-feira, na Liga dos Campeões. No Mundial, o choro incontido e a recusa em bater um dos pênaltis na disputa contra o Chile empanaram as grandes atuações que o capitão do Brasil vinha tendo até então. Já o seu descabelado companheiro de zaga, até ali heroico e decisivo, se afundou de vez na humilhante goleada sofrida diante dos alemães, quando tresloucadamente tentou sair em busca do empate, logo após o primeiro gol, abrindo de vez a avenida por onde consumou-se a mais humilhante das derrotas da história da seleção pentacampeã do mundo.

No grande jogo em Stamford Bridge, David Luiz e Thiago Silva foram os autores dos gols dos parisienses, no heroico empate de 2 a 2 que valeu a vaga. Ambos, contudo, estiveram a um passo de virar vilões. David ao desferir covarde cotovelada num rival, numa jogada sem bola e sem o menor perigo, na intermediária. Sorte sua que o árbitro não viu (mas as câmeras o flagraram), pois seu time já jogava com um a menos (Ibrahimovic tinha sido expulso por entrada violenta em Oscar). Se tivesse levado o cartão vermelho ali não teria marcado, mais tarde, o gol de cabeça que levou o jogo para a dramática prorrogação.

Já Thiago viveu emoções ainda mais fortes. Foi dele, ao colocar infantilmente a mão na bola, a penalidade máxima que permitiu ao Chelsea fazer 2 a 1. Mas, médico e monstro, foi ele também que subiu para marcar de cabeça, nos últimos instantes da partida, o gol de empate e da classificação salvadora.

Encerrado o jogo fiquei imaginando a cabeça de Dunga ao analisar as atuações daquela que, em determinado momento da Copa no Brasil, chegou a ser cantada em verso e prosa como “a melhor zaga do planeta”. O problema é que, em determinados momentos, ela pode ser também a pior… E agora, Dunga, vamos jogar com ou sem emoção?

 

Renato Maurício Prado – O GLOBO –  13/03/2015