Naldo cobra alto e perde comercial para Anitta

Os funkeiros Naldo e Anitta

 

A Telesena estabeleceu como meta explorar o funk como tema da sua campanha.

Procurado em primeiro lugar, via 9ine, o cantor Naldo não acertou porque queria R$ 600 mil de cachê. Fecharam com a Anitta pela metade, R$ 300 mil.

Dinheiro sobrando – 2

O valor do cachê do Naldo pelas campanhas Claro e Extra está, cada um, na faixa de 1 milhão de reais e os contratos, em ambos os casos, vigoram até o final de julho de 2014.

Porque incluem a Copa do Mundo.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

James Akel elogia atitude de Joseval Peixoto

Na sexta à noite, pra meu espanto e admiração, Joseval Peixoto , apresentador do SBT Brasil, fez um editorial de encerramento do jornal exatamente com os mesmo termos que esta coluna tinha escrito sobre o que seria a vergonhosa comemoração de aniversário do ministro Luiz Fux, do STF, que teria sua festa paga por um dos maiores advogados do Brasil, que emprega a filha do ministro Fux.
Horas depois, a jornalista Mônica Bergamo, que foi quem primeiro noticiou a festa do ministro, recebeu a notícia e publicou no UOL contando que o ministro desistiu de fazer a festa de aniversário na casa do advogado.
O meu elogio maior aqui vai para o editorial de Joseval Peixoto, não por ter feito algo exatamente em cima do que escrevi de manhã na coluna, mas porque Silvério teve a coragem exemplar de fazer um editorial contra um personagem que em passado recente salvou a Telesena de Silvio Santos.
Quando no STJ coube a Luiz Fux decidir de deixava continuar ou cassava a concessão da Telesena.
E no processo havia uma declaração pessoal de Silvio Santos dizendo que se a Telesena fosse cassada comprometeria o futuro do SBT que dependia financeiramente da Telesena.
E foi Luiz Fux quem decidiu pela continuidade e legalidade da Telesena.
Mesmo assim, Joseval Peixoto, grande tribuno além de jornalista, teve a coragem necessária pra fazer o grande editorial da televisão desta semana.

 ARGMEX

5:3 (2:0)

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 02h38 no dia 15 de abril de 2013

James Akel volta a criticar as críticas de Rachel Sheherazade

 

A jornalista Rachel Sheherazade foi contratada por Silvio Santos e Daniela Beyruti para apresentar o SBT Brasil e fazer todas as críticas que achasse por bem realizar.
Ela foi encontrada por Daniela Beyruti através de um vídeo que passava na web, onde Rachel falava mal do Carnaval e do governo.
Aliás um texto muito bem feito.
Isto ninguém pode negar a Rachel sua capacidade de realizar textos bem feitos, bem estruturados e de excelente português, com voz muito bonita que ela tem e de uma maneira que a dona-de-casa compreenda.

Primeiro é muito engraçado a gente ver a dona Rachel Sheherazade fazendo críticas de Carnaval e governo, dentro do SBT, que tem na venda comercial do Carnaval uma de suas mais lucrativas fontes de renda para ajudar a pagar as folhas de pagamento de funcionários.
Depois vem o lado político.

O jornal Folha de São Paulo publicou e muito, na coluna Painel, da área política, e-mails gerados pelo sobrinho de Silvio Santos, Guilherme Stoliar, onde se falava dos amigos políticos que estavam ajudando o banco de Silvio, o Panamericano, a sair de uma difícil situação financeira.
Aliás, na época não era só o banco que estava em situação difícil, mas todo o grupo, incluindo Baú da Felicidade, Jequiti e o próprio Silvio que tinha empréstimos financeiros milionários pra quitar com dois bancos.

Isto tudo está na mídia, publicado, não é invenção minha.

Exatamente os amigos políticos de Silvio, e assim estava escrito nos e-mails da Guilherme Stoliar publicados na Folha, foram estes amigos que ajudaram a fazer com que a Caixa Econômica Federal comprasse uma boa parte do Banco Panamericano de Silvio, por mais de 700 milhões de reais.
Dinheiro este que, segundo o que está publicado na mídia, serviu pra quitar as dívidas de todas as empresas de Silvio e ainda sobrou dinheiro pra ele colocar no bolso.
E segundo está escrito na mídia, o irmão de Silvio, Henrique, teria declarado no seu depoimento da Polícia Federal que exceto a Telesena, as outras empresas de Silvio eram deficitárias.

Então vamos aos fatos.

Eu não vi até hoje a tal liberdade de dona Rachel Sheherazade ser posta em prática de liberdade de imprensa, onde em algum momento do jornal ela tivesse criticado a Caixa Econômica Federal por ter colocado dinheiro do povo dentro de um banco em situação difícil que era o Panamericano.

Eu não vi a tal liberdade de imprensa de dona Rachel Sheherazade ser posta em prática pra mostrar que o caso do Banco Panamericano foi o único caso no Brasil onde um dono de banco que quebra não perdeu um centavo sequer e continuou com toda sua fortuna imexível.
Posso citar aqui todos os casos, incluindo aqui o caso do Banco Santos, de Edemar Ferreira, pai de um ex-genro de Silvio, que também nem dirigia o banco na época de sua quebra, e que teve até prisão contra ele, além de perder bens.
Isto tudo é fato.

Então é muito bonito dona Rachel Sheherazade dizer que tem liberdade de crítica dada por Silvio de poder dizer tudo que desejar e criticar os políticos que ajudaram seu patrão, mas não criticar seu patrão por ter sido ajudado e muito por políticos.
Além disto tudo, ela tem um ibope muito baixo para os padrões de uma rede de emissoras
.

Escrito por jamesakel@uol.com.br às 09h29 no dia 2013