Rede Globo aciona ‘batalhão’ de advogados para guerra pela Libertadores

DANIEL CASTRO – Publicado em 11/12/2015, às 05h26

A Globo acionou um “batalhão” de advogados para garantir seu direito de transmitir a Taça Libertadores da América em 2016. A emissora acendeu o sinal de alerta no departamento jurídico depois que vazaram no mercado informações de que o atual contrato da emissora para exibir o torneio continental não tem mais validade.

O problema é o seguinte: quem detém os direitos da Libertadores para toda a América Latina, em todas as mídias, é a Fox. A Fox, por sua vez, sublicencia os direitos para outros canais pagos (caso do Sportv) e abertos (a Globo no Brasil). No mês passado, a Fox anunciou a assinatura de um novo contrato, diretamente com a Conmebol, a confederação sul-americana, válido para as temporadas de 2016, 2017 e 2018.

A Fox já tinha contrato até 2018 pela Libertadores. Assinou um novo por dois motivos: 1) por pressão da Conmebol, que aumentou os valores para poder pagar mais aos clubes, que ameaçavam lançar uma Champions League das Américas; 2) por precaução contra eventual fuga de anunciantes multinacionais, que têm políticas anticorrupção, e não veriam com bons olhos o fato de o antigo contrato ter sido intermediado pela TyC (Torneos y Competencias), empresa argentina envolvida no escândalo de pagamento de propinas a cartolas na América Latina. Com o novo contrato, a Fox “limpou” a sujeira que envolvia seus direitos pela Libertadores.

No entendimento de fontes do mercado, o contrato da Globo não vale mais porque é baseado em uma negociação que foi desfeita pela Fox. O atual contrato da Globo, segundo a própria emissora, teve a intermediação da TyC, que não representa mais a Conmebol. Nessa lógica, a emissora pode vir a ter problemas quando for exibir os jogos. A confederação sul-americana poderá não reconhecer o direito de transmissão da emissora, por ter descredenciado a TyC, e impedi-la de reproduzir ou captar sinais.

Extroficialmente, a Globo trata o assunto como mera “plantação”, mas, para evitar surpresas desagradáveis, já acionou um “batalhão” de advogados, de acordo com uma fonte na emissora.

Oficialmente, a Globo diz que “os acordos da TV Globo e Sportv com Fox e TyC estão válidos” e que “não muda nada na cobertura da Libertadores e Sul-Americana do ano que vem”. A Fox não comenta o assunto. Diz que tudo o que tem a dizer estava no comunicado de novembro, em que anunciava o contrato direto com a Conmebol pelos direitos da Libertadores em todas as plataformas até 2018. Procurada pelo Notícias da TV desde quarta-feira (9), a Conmebol não se manifestou.

Cruzeiro se dá bem e São Paulo pode ter Corinthians ou Inter em seu grupo

Quem terminar em quarto no Brasileiro e passar da primeira fase vai para a chave do Tricolor, que já tem o atual campeão. Galo viaja para Chile, Colômbia e México.

Sorteio Libertadores 2015 (Foto: Martin Fernandez)

Sorteio da Libertadores definiu os oito grupos
(Foto: Martin Fernandez)

A edição de 2015 da Taça Libertadores da América promete ser emocionante para os brasileiros. O sorteio realizado na noite desta terça-feira, em Luque, no Paraguai, colocou o São Paulo no Grupo 2, ao lado do argentino San Lorenzo, atual campeão do torneio. E mais: o quarto colocado do Brasileirão, que está entre Corinthians e Inter, vai para esse mesmo grupo se passar da primeira fase. Pode ter clássico!

Campeão da Copa do Brasil, o Atlético-MG caiu no Grupo 1, com um representante da Colômbia a ser definido, o chileno Colo Colo e o mexicano Atlas. Já o Cruzeiro, campeão brasileiro, está no Grupo 3, com Mineros de Guayana, da Venezuela, o Universitario de Sucre, da Bolívia (altitude de 2800 metros) e o vencedor do Jogo 1, entre representante do Peru contra o argentino Huracán.

O terceiro colocado do Campeonato Brasileiro, que também está entre Corinthians e Inter, caiu no Grupo 4, ao lado de Emelec, do Equador, de um representante do Chile a ser definido e do vencedor do Jogo 4, entre Monarcas, do México, e The Strongest, da Bolívia. A decisão entre Timão e Colorado será conhecida na última rodada do Brasileirão, no próximo fim de semana.

Atualmente, após 37 rodadas, Inter (terceiro) e Corinthians (quarto) estão empatados com 66 pontos, mas o Colorado tem vantagem nos critérios de desempate. Quem terminar em terceiro no Brasileirão irá para o Grupo 4, enquanto aquele que ficar em quarto vai encarar um colombiano na primeira fase e, se passar, encarará São Paulo, San Lorenzo e Danubio no Grupo 2.

Os jogos de Inter e Corinthians, pela última rodada do Brasileirão, serão no sábado, às 16h30. O Timão recebe o Criciúma, na sua arena, e o Colorado visita o Figueirense, em Florianópolis.

Sorteio Conmebol Libertadores 2015 (Foto: AP)
Em Luque, no Paraguai, Conmebol fez o sorteio dos grupos e duelos da primeira fase da Libertadores (Foto: AP)

Possíveis adversários de brasileiros
Um brasileiro (Inter ou Corinthians) fará o jogo 6 da primeira fase da Libertadores da América, contra um time colombiano. Mas qual? São cinco as possibilidades: Santa Fe, Junior Barranquilla, Once Caldas, Independiente Medellín ou Águilas Doradas. É importante ressaltar que Timão ou Colorado decidem fora de casa contra qualquer um desses times.

No Grupo 1, do Atlético-MG, campeão da Copa do Brasil, há um Colômbia 2. Nesse caso são três as possibilidades: Independiente Medellín, Santa Fe ou Atlético Huila. No grupo do Cruzeiro, campeão brasileiro, estará o vencedor do Jogo 1, entre Peru 3 e Huracán, da Argentina. Os peruanos podem ser: Alianza Lima ou Melgar.

Tem ainda o Grupo 4, no qual Inter ou Corinthians podem estar. Nele, o Chile 2 pode ser Universidad de Chile ou Santiago Wanderers. E o vencedor do Jogo 4 sai do duelo entre os mexicanos do Monarcas Morelia e os bolivianos do The Strongest.

A primeira fase, de jogos eliminatórios, está prevista para as datas de 4 a 11 de fevereiro. A fase de grupos começa em 18 de fevereiro.

Info_Grupos-LIBERTADORES-5 (Foto: Infoesporte)
GLOBO ESPORTE.COM

 

Atlético Mineiro 0 x 0 Corinthians

 0 x 0 

Atlético-MG e Corinthians estão entre os grandes times do futebol brasileiro nos últimos anos. São os dois últimos campeões da Libertadores, e o Timão poderá passar as faixas do Mundial, conquistado em dezembro, para o Galo, que poderá ter pela frente o poderoso Bayern. Roteiro mais brilhante e pomposo do que o jogo deste domingo no Independência.

Foram só 45 minutos de bom futebol no 0 a 0. Retrato de como o futebol muda rápido. Enquanto os paulistas hoje são um time instável, cujo ataque não assusta ninguém, o Galo sofreu com inúmeros desfalques. Peças-chave do título sul-americano: o goleiro, o capitão, a referência, o artilheiro… Tudo isso se refletiu num segundo tempo de pouca criatividade.

O título, cada vez mais nas mãos do Cruzeiro, já não é mais possível às duas equipes. Como o Atlético já está garantido na Libertadores do ano que vem, usará a reta final do Brasileirão para os últimos retoques antes do Mundial da Fifa. Ele ainda pode terminar entre os melhores, está a quatro pontos do G4.

Já o Timão ainda precisa justificar o alto investimento e reconquistar a vaga no torneio continental de 2014. A desvantagem para a zona dos que se classificarão para a Taça Libertadores aumentou. Agora são oito pontos atrás do Botafogo.

As duas equipes voltarão a campo na próxima quarta-feira. O Galo visitará a Ponte Preta, habitual frequentadora da zona de rebaixamento, às 21h. Um pouco mais tarde, às 21h50, o Timão terá o Atlético-PR pela frente, em Mogi Mirim, fruto da punição do STJD em razão da briga de sua torcida com vascaínos no jogo disputado em Brasília, no primeiro turno. O Furacão está no G4, zona da tabela que os paulistas tentam alcançar.

Jogo de campeões

Gol anulado de um lado e do outro. Travessão aqui, trave ali. O primeiro tempo foi digno do encontro entre o atual campeão da Libertadores e o último campeão mundial. Mas não teve gols. Consequência do péssimo desempenho do ataque corintiano no Brasileirão, e dos desfalques de Ronaldinho e Jô no Galo. Ainda assim, o ritmo da partida foi intenso.

Com postura de quem foi ao Japão no ano passado, o Timão não se intimidou com o Horto. Antes dos dois minutos de jogo, Douglas finalizou na área, de pé direito, mas o zagueiro atleticano evitou o gol. Mas logo os donos da casa assumiram o comando. Mostraram porque estarão em Marrocos daqui a pouco mais de dois meses. O padrão de jogo dado por Cuca ofuscou as ausências de Victor, Réver, R10 e do artilheiro Jô.

Fernandinho, estranhamente, começou na direita. Cavou um cartão amarelo para Alessandro, que atuou pelo lado esquerdo, e voltou para seu lado habitual. Por ali, deu trabalho aos marcadores, como no bom passe para Diego Tardelli, que carimbou a trave em chute belíssimo. Aliás, como joga Tardelli! Ele também bateu falta com perigo.

Antes, Romarinho, em cabeçada que tocou no chão, já havia acertado o travessão. Os centroavantes Guerrero (nervoso além da conta) e Alecsandro fizeram gols, mas ambos foram bem anulados. Eles estavam impedidos.

Com um esquema diferente, sem a famosa linha de três atrás do atacante, o Corinthians teve Ralf, Guilherme e Ibson. Um meio mais contido. Abusou das tentativas com Romarinho pela direita. Na melhor delas, ele preferiu se jogar em choque com Emerson.

Jogo de ex-campeões

Tantos bons jogadores ficaram desaparecidos no início do segundo tempo. Talvez para assistirem ao “brilho” de Jailson Macedo Freitas, árbitro que fez um primeiro tempo razoável, mas piorou muito após o intervalo. Ele não deu faltas inacreditáveis de Alessandro e Guerrero em cima de Luan e Marcos Rocha, respectivamente. Em seguida, também ignorou uma infração a favor do Corinthians, fora do lance em que estava a bola.

O primeiro tempo “muito bem jogado” nas palavras de Cuca ficou para trás. Tite não gostou tanto, e compactou a marcação de seu time. Passou a obrigar o Atlético a lançar bolas da defesa para o ataque, sem passar pelo meio-campo.

Com a bola batendo e voltando dos dois lados, foi o Timão quem criou. Guilherme achou Ibson na área. Ele bateu fraco, e Giovanni pegou sem grande dificuldade.

Se Jailson estava mal, os assistentes continuaram acertando em lances capitais. Rodrigo Pereira Joia foi perfeito ao anular gol de cabeça de Leonardo Silva. E também ao deixar seguir a jogada mais perigosa do Galo na etapa final. Diego Tardelli estava atrás de Gil quando recebeu de Neto Berola, mas Cássio, com o pé esquerdo, evitou o gol.

Nos últimos minutos, faltas, reclamações, e as estreias do garoto Daniel no Atlético e do atacante Rodriguinho no Corinthians. Nada disso deu emoção à partida. Empate justo.

É tetra: conquista do Galo leva Brasil a inédito quarto título consecutivo

País iguala feito da Argentina com o recorde de campeonatos seguidos

jogadores Atlético-MG Taça Libertadores (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Jogadores levantam o troféu da Libertadores
(Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

A primeira conquista do Atlético-MG na Libertadores também deu ao Brasil um feito inédito na história da principal competição da América do Sul. Pela primeira vez na história, o país fatura quatro títulos seguidos do torneio. Além do Galo, os brasileiros foram representados no topo nos últimos três anos por Corinthians, Santos e Internacional. De quebra, alcança o feito da Argentina, que detinha o recorde de troféus seguidos por duas ocasiões: com quatro do Independiente, de 1972 a 1975, e com uma do Racing e três do Estudiantes, de 1967 a 1970.

A força recente do Brasil no campeonato é provada por números: além das conquistas, o país colocou pelo menos um clube em todas as oito últimas decisões da Libertadores. São dez finais em 11 anos – a exceção foi 2004, quando o Once Caldas, da Colômbia, bateu o Boca Juniors, da Argentina. Os brasileiros também diminuem a diferença para os hermanos no número totais de títulos. A Argentina segue na liderança com 22 troféus, mas o Brasil chega a 17. Atrás deles, aparecem o Uruguai, com oito, o Paraguai, com três, a Colômbia, com dois, e Chile e Equador, com um. Peruanos, mexicanos, venezuelanos e bolivianos jamais venceram o torneio, disputado desde 1960.

Info_Campeoes_Vices_LIBERTADORES (Foto: Infoesporte)

Bruno diz não se surpreender com bom rendimento do Palmeiras

Goleiro ressalta confiança do elenco após bom resultado na Libertadores, contra o Tijuana: ‘Nós nos consideramos a primeira força’

Bruno palmeiras coleitva (Foto: Gustavo Serbonchini)

Bruno destaca força do Palmeiras na reta final da
Libertadores (Foto: Gustavo Serbonchini)

De azarão a paulista com mais chances de classificação na Taça Libertadores da América. Por conta do elenco montado há mais tempo e de jogadores de renome, Corinthians e São Paulo entraram na competição sul-americana como as duas principais forças do estado na competição continental. Mas depois das oitavas de final as coisas mudaram de figura, e quem se tornou o time com mais chances de avançar às quartas de final é o Palmeiras. Tudo isso não é surpresa para Bruno, que sempre confiou na equipe.

Com um empate trazido do México – 0 a 0 contra o Tijuana –, o Verdão precisa apenas de uma vitória simples para se classificar. São Paulo e Corinthians precisarão de mais do que isso para passar de Atlético-MG e Boca Juniors, respectivamente, já que ambos perderam seus duelos na ida do mata-mata.

– Sempre nos consideramos a primeira força do estado. Não importa o que os outros pensam. Temos de saber da nossa capacidade e continuar trabalhando para isso – disse Bruno.

Com um elenco reduzido, o Verdão começou a temporada desacreditado. Com mais de 20 jogadores dispensados no fim do ano passado,  Kleina tinha poucas opções para armar a equipe no início do ano. As coisas só começaram a melhorar quando o presidente Paulo Nobre assumiu, no fim de janeiro, empossou José Carlos Brunoro como seu diretor executivo e a dupla foi ao mercado buscar opções.

Sempre nos consideramos a primeira força do estado. Não importa o que os outros pensam. Temos de saber da nossa capacidade”
Bruno

Além disso, a saída de Barcos – negociado com o Grêmio – também deixou a torcida desconfiada em relação às possibilidades da equipe em 2013.

– A imagem que as pessoas têm de nós e a opinião de fora não nos influencia. Estávamos desacreditados por muitos, mas nos classificamos no Paulista e na Libertadores com antecipação. Fomos bem contra o Tijuana. A opinião de fora não interfere muito. Estamos buscando fazer um grande ano pelo Palmeiras.

Eliminado no Campeonato Paulista nos pênaltis após grande jogo contra o Santos, o Palmeiras terá uma semana e meia sem jogos. Por isso, o treinador Gilson Kleina deu folga ao elenco neste fim de semana. O grupo se reapresenta, ao que tudo indica, na tarde da segunda-feira. Bruno comemorou o intervalo sem jogos, já que a equipe terá mais tempo para se preparar para o duelo de volta contra o Tijuana, no dia 14, no Pacaembu.

– Seria bom jogar logo na quarta. Mas não tem problema jogar só no outro. Queríamos o jogo do Paulista também, mas é bom ter um tempo para descansar depois de tanta correria. Não é do jeito que queria, mas vamos aproveitar para nos preparar.

Bruno ganhou a vaga de Fernando Prass. O então titular do Palmeiras teve uma luxação na clavícula esquerda e deverá ficar longe dos gramados até junho. Ele teve o problema no dia 21 de abril, na derrota por 2 a 1 contra o Ituano, na última rodada da primeira fase do Paulistão. Os médicos dizem que a lesão leva entre seis e oito semanas para melhorar. Até lá, Bruno seguirá como principal arqueiro do Palmeiras.

 

 

Quando uma goleada abre os olhos de muita gente …

De uma raposa felpudíssima, das Laranjeiras, sobre o “sacode” que o Fluminense levou do Grêmio, no meio de semana, em jogo pela Libertadores:
— Foi até bom. Já estava todo mundo achando que éramos os maiorais. Fred dando beijinhos no trânsito, Diguinho batendo de carro, Thiago Neves se automedicando, jogador dando entrevista se metendo em área que não é a dele… Uma festa! A cacetada vai trazer todo mundo de volta à realidade.

 

Coluna redigida pelo jornalista Renato Maurício Prado para o jornal carioca O GLOBO no dia 24 de fevereiro de 2013