Nos pênaltis, Fortaleza perde para o Sport e é eliminado da Copa do Nordeste

Na Ilha do Retiro cheia, Tricolor perde por 1 a 0 no tempo normal e por 4 a 2 nas penalidades e dá adeus ao torneio regional nas quartas de final.

Foto: Nodge Nogueira

Atualizada às 18h42

Um adeus com requintes de crueldade. A boa atuação na vitória magra no jogo de ida, que dava a vantagem do empate, não se repetiu longe de casa. Mas um fantasma reapareceu: a distância de 11 metros entre a marca da cal e a linha do gol. Derrotado por 1 a 0 no tempo normal, neste domingo (29), o Fortaleza teve que decidir a vaga com o Sport nos pênaltis – que Lúcio Maranhão desperdiçara no primeiro jogo. Nas penalidades, o Tricolor voltou a falhar, perdeu por 4 a 2, na Ilha do Retiro, em Recife, e caiu nas quartas de final da Copa do Nordeste.

> Veja a tabela da Copa do Nordeste

Com três volantes e apenas um atacante de ofício – o próprio Lúcio Maranhão -, o Leão do Pici assistiu à boa atuação da equipe mandante, que, empurrada pela torcida, dominou as ações da partida e foi superior. O gol só saiu na segunda etapa, com o atacante Samuel, mas outra chances foram desperdiçadas. Nos pênaltis, Cassiano eCorrêa desperdiçaram pelo lado tricolor, enquanto o Leão da Ilha converteu todos.

Fora do Nordestão, o Fortaleza muda o foco para a Copa do Brasil. A estreia na competição nacional será na próxima quarta-feira (1), diante do River-PI, às 19h30, no estádio Albertão, em Teresina. Além disso, o clube aguarda efeito suspensivo para contornar a exclusão do Campeonato Cearense e disputar a semifinal contra o Icasa.

O Sport, por sua vez, segue vivo no torneio regional – é o atual campeão. O adversário será o Bahia, que eliminou o Campinense. Os jogos estão marcados para os dias 8 e 12 de abril. Antes disso, o Rubro-Negro também joga pela Copa do Brasil, contra o Cene-MS, quarta, às 22h, fora de casa.

O jogo

Com a derrota por 1 a 0 no Castelão, no primeiro confronto, o Sport precisava vencer por dois gols de diferença para avançar no Nordestão. Por isso, entrou com escalação mais ofensiva e teve maior volume de jogo. O Rubro-Negro conseguiu encurralar o Tricolor no campo de defesa, e os visitantes não conseguiam encaixar os contra-ataques – um chute forte de Pio, aos quatro minutos, foi uma das raras chances.

Aos nove, Mike bateu cruzado de perna esquerda, de fora da área, mas Diego Souza chegou atrasado para concluir. Quatro minutos depois, Éwerton Páscoa subiu livre em cobrança de escanteio, e Deola defendeu. Aos 27, Wendel aproveitou bola mal cortada pela zaga tricolor, cabeceou por cima do Deola, mas Lima salvou quase na linha do gol. A blitz rubro-negra na primeira etapa se encerrou aos 45, quando Élber recebeu passe rasteiro na área e chutou para fora.

Para a segunda etapa, o técnico Eduardo Baptista deu mais objetividade ao Sport: sacou Mike e colocou Samuel. E o camisa 19 precisou de apenas seis minutos para aproveitar belo lançamento de Diego Souza e a saída errada de Deola para ganhar de cabeça e bater com o gol aberto para balançar as redes.

Dois minutos depois, o atacante arriscou novo chute, a bola desviou em Tinga e bateu no travessão tricolor.Após sofrer o gol, o treinador Marcelo Chamusca mexeu no Fortaleza para dar mais ofensividade: colocou o meia Daniel Sobralense e o atacante Cassiano. A equipe melhorou, mas não conseguiu chegar ao empate.

O drama tricolor aumentou quando o volante Vinícius Hess foi expulso após frear contra-ataque puxado por Élber, aos 40 minutos. Cinco minutos depois, Auremir deu carrinho duro em Renê, recebeu o cartão amarelo e também foi expulso. Nesse curto espaço de tempo, Diego Souza e Corrêa tiveram a oportunidade de marcar e definir a partida para cada lado, mas não conseguiram. E a definição ficou para as penalidades.

Os pênaltis

O Fortaleza iniciou as cobranças com Cassiano, que bateu forte por cima do gol e desperdiçou.Diego Souza converteu para o Sport. Corrêa foi o segundo a bater e parou em Magrão. Samuel deslocou Deola e ampliou. Depois, Lima e Éverton converteram para o Tricolor, enquanto Élber e Vítor marcaram para o Rubro-Negro e decretaram a classificação para a semifinal da Copa do Nordeste.

 

Jogada – Diário do Nordeste – 29/03/2015

Com o elenco completo, Fortaleza divulga relacionados para enfrentar o Sport

Vinícius Hess, Daniel Sobralense e Cassiano voltam a estar a disposição do técnico Marcelo Chamusca.

Daniel Sobralense

Depois de lesão e virose, Daniel Sobralense pode voltar a ser titular no Tricolor
FOTO: KID JÚNIOR

Após o presidente Jorge Mota conceder entrevista coletiva nesta sexta-feira (27) sobre a decisão do TJDF-CE de punir o Fortaleza, o clube voltou suas atenções ao futebol e divulgou a lista de relacionados para enfrentar o Sport no próximo domingo (29), na Ilha do Retiro, na partida de volta das quartas de final da Copa do Nordeste.

Com o elenco completo à disposição, o técnico Marcelo Chamusca preteriu o zagueiro Max Oliveira e os atacantes Márcio Diogo e Uilliam, que ficaram fora da lista. O volante Vinícius Hess e o atacanteCassiano reaparecem entre os 19 relacionados, depois de cumprirem suspensão.

Outro jogador que volta a estar disponível é o meia-atacante Daniel Sobralense, após se recuperar de uma virose. O Leão cearense embarcou para Recife ontem, às 15h.

Depois de vencer a equipe pernambucana por 1 a 0 na Arena Castelão, o Tricolor de Aço precisa apenas de um empate e pode até perder por um gol de diferença, contanto que marque gol, para se classificar.

Apesar da exclusão do Fortaleza do Campeonato Cearense 2015 e do rebaixamento para o Estadual 2016, decretados no julgamento da última quinta (26), o presidente Jorge Mota afirmou que “os jogadores estão totalmente blindados e focados no grande desafio de domingo, contra o Sport”.

Confira a relação:

Goleiros: Deola e Erivelton
Laterais: Tinga e Wanderson
Zagueiros: Adalberto, Genílson e Lima
Volantes: Auremir, Corrêa, Dudu Cearense, Pio e Vinícius Hess
Meias: Daniel Sobralense, Everton e Samuel
Atacantes: Cassiano, Cássio, Lúcio Maranhão e Maranhão
Jogada – Diário do Nordeste – 27/03/2015

Com promoção, ingressos para Fortaleza x Sport começam a ser vendidos

Mulheres podem entrar na partida pagando meia, em qualquer setor do estádio

Após garantir a classificação para a semifinal do Campeonato Cearense, o Fortaleza e os seus torcedores voltam a pensar na Copa do Nordeste. Nesta segunda-feira (23), o clube deu início à venda de ingressos para o primeiro jogo das quartas de final, contra o Sport, a ser disputado na próxima quarta (25), na Arena Castelão.

O preço dos ingressos continua entre R$ 30 e R$ 100 (inteira) e R$ 15 a R$ 50 (meia). A novidade é a promoção para o público feminino: mulheres pagarão meia entrada em qualquer setor do estádio.

Os ingressos já estão à venda no Pici e começarão a ser vendidos nos outros pontos credenciados a partir de 12h desta segunda.

Confira os preços dos ingressos:
Cadeiras superiores: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)
Cadeiras inferiores: R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)
Cadeiras especiais: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia)
Setor Premium: R$ 100 (inteira) e R$ 50 (meia)
Confira os locais de venda:
Estádio Alcides Santos
Leões do Pici Store
Fortaleza Store
Loja Benfica
Lojão do Ariosvaldo
Loja Caldeirão (Shopping Riomar)
Tricolaço
Amor Eterno
Aguerrido Store
Loja Bom Jardim
Jogada – Diário do Nordeste – 23/03/2015

Sport 1 x 0 São Paulo

1 x 0

38ª RODADA
GAROTO JOELINTON MARCA, E SPORT BATE O SÃO PAULO NA ARENA PERNAMBUCO
Em jogo morno, gol no início da partida garante vitória que faz o Leão terminar o Brasileirão na 11ª colocação. Tricolor fica com o vice-campeão.

Se Eduardo Baptista e Muricy Ramalho queriam usar a última rodada do Campeonato Brasileiro para fazer observações nos elencos para 2015, só o técnico do Sport deve tirar algum proveito. Em um jogo em ritmo de férias, quem apareceu foi o garoto Joelinton, de apenas 18 anos. O centroavante de 1,90m e certa semelhança com Adriano Imperador fez o gol da vitória do Leão por 1 a 0 sobre o São Paulo, neste domingo, na Arena Pernambuco.

Joelinton Sport x São Paulo (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

Joelinton comemora o gol marcado sobre o São Paulo (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

O jogo foi decidido em três minutos. Começou pela arrancada de um incansável Renê, escalado nas 38 rodadas do torneio, até a finalização certeira da maior aposta das categorias de base do Sport nos últimos anos – ele ainda mandou uma bola no travessão no segundo tempo. O São Paulo, mesmo com Souza, Alan Kardec, Pato e Michel Bastos, fez pouco.

O Leão termina o torneio com 52 pontos em 11º lugar. A equipe dirigida pelo técnico Eduardo Baptista chegou a flertar com os primeiros lugares nas rodadas iniciais, mas não conseguiu se segurar em alta e acabou caindo na classificação. Por outro lado, passou longe da luta contra o rebaixamento para a Série B.

O São Paulo dá adeus com 70 pontos conquistados e a segunda posição. Faltou fôlego para buscar o campeão Cruzeiro, mas o sentimento no clube é de dever cumprido. No ano passado, o Tricolor escapou do rebaixamento nas rodadas finais e usou 2014 para reformular o elenco. Muricy quer reforços para subir um degrau e conquistar títulos, sobretudo a Taça Libertadores, grande alvo para 2015.

Gol relâmpago

Antes da partida, os técnicos Eduardo Baptista e Muricy Ramalho destacaram a importância da partida para fazer observações visando 2015. No que depender do início de jogo, o Sport tem as vagas de lateral-esquerdo e centroavante preenchidas. Logo aos três minutos, Renê fez grande jogada em velocidade e abriu espaço para o garoto Joelinton, aposta vinda da base, soltar a bomba para abrir o placar.

E foi só. O Sport recuou à espera de um contra-ataque que não apareceu. O São Paulo também não se esforçou muito para reagir. O time concentrou boa parte de suas jogadas pelo lado esquerdo, com Osvaldo e Reinaldo nas costas de Patric, mas não levou perigo. Michel Bastos, Alexandre Pato e Alan Kardec também pouco fizeram. Susto mesmo só com Rafael Toloi, que ficou caído no gramado após um choque de cabeça com Mike. Ele recebeu atendimento e voltou normalmente ao jogo.

sport x são paulo (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
Denilson tenta levar o São Paulo ao ataque: Tricolor jogou mal (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

 

 

 

De dar sono
O São Paulo voltou para o segundo tempo com Boschilia na vaga de Alexandre Pato para tentar melhorar. O Tricolor passou a ter mais mobilidade e, enfim, criou uma boa chance que Magrão segurou após desvio de primeira de Osvaldo na área. O Sport também cresceu e quase fez o segundo, com o zagueiro Ewerton Páscoa arrancando de trás e chutando perto do ângulo esquerdo de Denis. Em seguida, Danilo errou cara a cara.

Muricy aproveitou para dar oportunidade a mais um garoto vindo do CT de Cotia. Ewandro foi a campo em substituição a Osvaldo para dar ainda mais velocidade ao Tricolor. Nada, porém, que mudasse o rendimento do time. Chutes fortes de Michel Bastos e Ademilson foram o máximo que o time conseguiu. O Sport se defendeu bem. Joelinton ainda colocou uma bola no travessão e termina 2014 como a grande esperança do Leão para 2015.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Ter o apoio do torcedor diante do Atlético/GO seria imprescindível para o Ceará

03635-1227507792199176

Com dois jogos seguidos dentro de casa, que poderão definir o futuro do clube no Campeonato e na próxima temporada, o Ceará nunca precisou tanto do apoio do torcedor para conquistar o sonhado acesso à Série A.

No entanto, a crise que assola o time com dispensas e derrotas consecutivas, deixou a torcida alvinegra ainda mais distante. Se quando estava no topo da tabela, por várias rodadas, a média de público não passava dos 10 mil pagantes, imagine agora com a equipe padecendo no momento crucial da Série B.

Talvez por isso, deveria ser a hora da diretoria alvinegra fazer uma promoção de ingressos. Apesar de ir de encontro com a cartilha do clube de valorizar os sócios (que pagam mensalidades para ter acesso gratuito aos jogos), creio que o Ceará poderia dar espaço para o povão.

O Sport, em Recife, que vivia crise parecida só que na Série A, com oito partidas sem vitórias, resolveu baixar o valor dos ingressos. Arquibancada central R$ 10 e meia R$ 5. O time venceu o Figueirense por 1 a 0 (coincidência, né?).

A diretoria do Ceará deveria fazer semelhante: R$ 5 (inteira) e R$ 2,50 (meia) em qualquer assento para a partida contra o Atlético/GO, sexta-feira, às 20h50, no Castelão.

Depois dos protestos no aeroporto, das dispensas de jogadores e das péssimas apresentações nas últimas quatro partidas é complicado acreditar que o torcedor pague R$ 30 para ir sexta-feira à noite ao Castelão.

Talvez, uma motivação, no bolso, possa levar o torcedor de novo a ir ao Estádio e apoiar o time, que precisa mais do que nunca nesta reta final.

 

Blog do Mário Kempes

Agora é a vez do futebol cearense

(Foto: Bruno Gomes)

Volantes Ricardinho e Corrêa em disputa de bola no Clássico-Rei  deste ano pelo Campeonato Cearense  (Foto: Bruno Gomes)

Durante o período em que esteve na Série D e depois na Série C, o Santa Cruz impressionava a mídia ao levar para o Arruda mais de 50 mil torcedores. Admirados, os jornalistas e comentaristas da grande mídia bradavam sobre a força e o carisma do time pernambucano.

Diversas reportagens sobre o Santa foram feitas sobre essa paixão da torcida. O fato de os torcedores lotarem o Estádio, mesmo quando o clube sofria para voltar à dignidade dentro das quatro linhas, provocava a ideia de que eles mereciam algo muito maior do que disputar uma terceira divisão nacional.

O clichê de que o Nordeste não tinha apenas Bahia, Vitória e Sport chegava a causar espanto em alguns analistas desavisados, que em programas esportivos de debates, rasgavam elogios a baianos e pernambucanos e até provocavam sobre os outros Estados da Região.

Pois neste ano, o futebol cearense pode reaparecer para a grande mídia. O Ceará, por exemplo, mantém com a final da Copa do Nordeste (que ironia, ein?), o maior público do Brasil. Se não bastasse, o Vovô também surpreendeu com excelentes públicos nos jogos da Copa do Brasil contra Internacional e Botafogo e na boa campanha na Série B.

Com o boom das redes sociais, a interatividade aberta nos canais esportivos, além de jogos ao vivo na TV, os programas e jornalistas especializados também olharam com um pouco mais de atenção para os cearenses e puderam notar que a paixão de baianos e pernambucanos pelo futebol também está presente em território alencarino.

Mas parecia que faltava algo mais. Só time do Ceará era pouco para enfrentar a “hegemonia” de baianos e pernambucanos. Então, o jogo do Fortaleza diante do Macaé, no dia 25 de outubro, com mais de 60 mil pessoas, em uma terceira divisão, deverá levar os cearenses ao mesmo patamar dos nossos “concorrentes” nordestinos.

A partida será transmitida para todo o Brasil em rede aberta (TV Brasil e Esporte Interativo). Se tudo correr dentro da normalidade, o futebol cearense deverá fechar 2014 com os dos dois maiores públicos do País por dois clubes diferentes.

Isso dá visibilidade, causa vaidade e atrai publicidade. Resta saber como manter essa força, não cair em tentação, trazer lucro e quem sabe assumir, um dia, o status de principal potência do Nordeste.

 

Blog do Mário Kempes

Vejamos o histórico de confrontos entre Sport e Vitória

resumo rodada 28 Sport X Vitoria

7 triunfos do Sport
5 triunfos do Vitória
5 empates
Maior triunfo do Sport: 2 x 0; em 05/10/1975, 14/10/1995 e 22/08/2009
Maior triunfo do Vitória: 3 x 1, em 20/07/1997
Retrospecto do Sport como mandante do confronto: 5V, 3E e 0D
Como visitante, o Vitória jamais venceu o Sport pelo Brasileiro da Série A
Artilheiro do confronto: Luís Muller (Sport) – 3 gols
Neto Baiano marcou um gol por cada clube no confronto pelo Brasileiro

Artilheiros do Sport no confronto pelo Brasileiro:
3 gols
Luís Muller

2 gols
Marcelo Rocha

1 gol
Andrade
Dadá Maravilha
Dedé
Fabiano Costa
Hélio
Jefferson
Lico
Lima Sergipano
Miltão
Neto Baiano
Nildo
Ricardinho
Taílson
Zico

Artilheiros do Vitória no confronto pelo Brasileiro:
2 gols
Bebeto
Renato (1989)

1 gol
Agnaldo
Allan Dellon
André Carpes
Cláudio
Elivélton
Fernando (volante)
Gil Baiano
Moisés Moura
Neto Baiano
Pedro Paulo
Vítor
Wilson

 

GLOBO ESPORTE.COM

Disputado por Flamengo e Sport, Diego Souza explica opção: “Escolhi o campeão brasileiro de 1987″

Diego Souza esperando para vestir nova camisa (FOTO: Luis Antonio)

Diego Souza pronto para vestir nova camisa
(FOTO: Luis Antônio)

 

O meia Diego Souza fechou com o maior Rubro-negro do Brasil. Trata-se do Sport, claro. Às vésperas do final da janela de transferência, o Leão acertou a contratação do crack, que estava no Metalist, da Ucrânia. A expectativa é que o atleta desembarque no Aeroporto Internacional dos Guararapes nesta terça-feira, para assinar o acordo com o time pernambucano.

Feliz com o acerto, Diego Souza explicou a opção pelo time nordestino: “Pesei a história dos dois clubes e fechei com o verdadeiro campeão brasileiro de 1987. Optei pelo time que ganha campeonato sem ajuda da arbitragem, porque futebol é jogado dentro de campo. Por isso, estou muito feliz e tenho certeza que acertei em escolher o Sport”, disse.

Outros pontos que pesaram contra o rubro-negro carioca, foram a vontade de Diego Souza de receber salários em troca de trabalho e não querer disputar a série B em 2015.

O meia também era pretendido pelo Palmeiras. Com a ida do jogador para Pernambuco, ficou provado que o Sport é maior que o Verdão.

 

Sport 0 x 0 Grêmio

 0 x 0 

8ª RODADA
DEBAIXO DE CHUVA, SPORT E GRÊMIO PECAM NO ATAQUE E FICAM NO 0 A 0
Equipes fazem jogo franco, principalmente no segundo tempo, mas falta de eficiência de atacantes deixa placar em branco na Ilha do Retiro .
Num encontro que mostrou boas variações táticas do início ao fim, o equilíbrio das ações foi determinante para o placar de 0 a 0 entre Sport e Grêmio, nesta quarta-feira, na Ilha do Retiro, pela oitava rodada da Série A do Campeonato Brasileiro. O Leão, que vinha de goleada por 4 a 1 para o Corinthians em seu campo, aproxima-se da zona de rebaixamento, embora tenha um jogo a menos. Soma oito pontos e está em 14º lugar. O Tricolor, que na partida anterior também foi derrotado (pelo São Paulo), tem 14 pontos e saiu do G-4. É o sétimo colocado.

Sport e Grêmio produziram 34 finalizações (sendo 24 dos donos da casa), mas esbarraram na ineficiência dos homens de frente e nos goleiros – principalmente no gremista Marcelo Grohe, autor de quatro defesas difíceis.

O Sport volta a jogar no sábado, em Salvador, contra o Vitória. Já o Grêmio recebe o Palmeiras, um dia depois, no Alfredo Jaconi, em Caxias do Sul.  A arena dos gaúchos foi cedida à Fifa e vai servir de campo de treinamento para seleções que vão disputar a Copa do Mundo.

Equilíbrio à vista

A etapa inicial foi bem jogada. Desde o início, as armas táticas de Sport e Grêmio pareciam bem definidas. Na Ilha, o Leão optou pelas jogadas em velocidade pelas laterais, com algumas escapadas de Érico Júnior pela direita, incomodando o sistema defensivo adversário.

Sem

meias de ofício e com três volantes, ficou nítida, no entanto, a falta de melhor criação na entrada da área. O Grêmio apostou na marcação forte e na objetividade. As oportunidades foram poucas, mas os gaúchos, embora mais cadenciados e com a bola no pé, chegaram sempre com maior perigo e consciência à meta dos rubro-negros.

Jogo camicase

O estudo do primeiro tempo deu lugar a uma dinâmica camicase na etapa final. Sport e Grêmio foram atrás dos três pontos. O jogo cresceu, os times passaram a se revezar no ataque – com leve vantagem para os rubro-negros, mais impetuosos. Se o placar ficou no zero, o mérito é da marcação dos times, eficientes. A partir da metade do confronto, com a necessidade da vitória, os rubro-negros se soltaram no ataque – e ficaram expostos aos contra-ataques – e arriscaram chutes de longa distância. Mas Marcelo Grohe garantiu o resultado de empate para o Grêmio.

Sport x Grêmio  (Foto: Anderson Stevens/Futura Press)
Jogadores de Sport e Grêmio travaram duelos interessantes na Ilha (Foto: Anderson Stevens/Futura Press)
GLOBO ESPORTE.COM