STF mantém Sport como único campeão brasileiro de 1987

Resultado de imagem para Sport Recife

A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal (STF) manteve, em sessão realizada nesta terça-feira (18), decisão do ministro Marco Aurélio (relator) que julgou inviável recurso do Clube de Regatas Flamengo contra decisão judicial que proclamou o Sport Club do Recife como único campeão brasileiro de futebol de 1987. Por maioria de votos, os ministros desproveram agravo regimental interposto pelo Flamengo contra a decisão do relator no Recurso Extraordinário (RE) 881864. Prevaleceu o entendimento de que a decisão judicial que conferiu o título ao clube pernambucano transitou em julgado e não pode ser alterada.

O julgamento do agravo, que começou em agosto de 2016, foi retomado com o voto-vista do ministro Luís Roberto Barroso, que dava provimento ao recurso por considerar que não houve ofensa à coisa julgada. Segundo ele, a resolução da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), editada em 2011, determinando que os dois clubes deveriam ser considerados campeões do torneio de 1987 foi fundada em mérito desportivo e tinha o objetivo apenas de dirimir a questão e não causou prejuízo ao Sport, pois apenas considerou que o torneio João Havelange, vencido pelo Flamengo, era equivalente ao campeonato brasileiro.

O ministro Barroso lembrou que a possibilidade de conferir o título a dois clubes não é inédita, e que a CBF, em outras ocasiões, também por meio de resolução, reconheceu Santos e Botafogo como campeões brasileiros de 1968 e atribuiu ao Palmeiras dois títulos de campeão brasileiro de 1967. Para o ministro, a decisão judicial que considerou o Sport campeão não impede o reconhecimento pela CBF de que outro clube também foi campeão naquele ano. Segundo ele, como essa é uma questão superveniente à decisão judicial, não teria havido ofensa à coisa julgada.

Prevaleceu, no entanto, o entendimento do relator, ministro Marco Aurélio, de que não cabe recurso contra a decisão da Justiça Federal de Pernambuco que proclamou o Sport campeão brasileiro de 1987. Segundo ele, a decisão transitou em julgado em 1999 e não poderia ser modificada posteriormente por meio de uma resolução da CBF.

 

Supremo Tribunal Federal

Copa Total Sudamericana: Ceará e Sport estão em situação parecida

CearáSport

O Ceará foi campeão da Copa do Nordeste e 215 , conquistando o direito de disputar  Copa Total Sudamericana . Mas para isso , terá que deixar a Copa do Brasil até a terceira fase . O Sport terminou o Campeonato Brasileiro da Serie A do ano passado em décimo primeiro , dentro da faixa de classificação para o torneio . Porém , se avançar para as oitavas da Copa do Brasil , perderá o direito de disputar a competição . Ceará Sporting Club e Sport Club do Recife iriam fazer corpo mole e deixar a Copa do Brasil para jogar a competição internacional ? Esse problema começou em 2013 , quando os clubes participantes da Libertadores da América passaram a entrar nas oitavas da Copa do Brasil . Em 2014 , o Sport foi eliminado de maneira espantosa pelo Paysandu , perdendo por 3 a 2 na Ilha do Retiro e sob muitas vaias após o encerramento da partida. Em 2013, a Ponte Preta foi eliminada pelo Nacional(AM) , perdendo ambos os jogos por 1 a 0 . Será que Ceara e Sport vão fazer corpo mole na terceira fase da Copa do Brasil ?

Ceará e Sport vão se enfrentar pela final da Copa do Nordeste ! Relembre o último encontro dos dois times …

 

Ceará e Sport farão a final da Copa do Nordeste . As finais serão disputadas nos dias 02.04.2014 e 09.04.2014 . O Ceará será mandante do jogo da volta . Vamos rever o último encontro entre as equipes pelo Campeonato Brasileiro da Serie B do ano passado .

 

Sport 0 x 3 Bragantino

Na noite em que o Sport comemorava os cinco anos da conquista da Copa do Brasil sobre o Corinthians, quem deixou a Ilha do Retiro sorrindo foi o Bragantino. Cirúrgica no contra-ataque e com o goleiro Rafael Defendi inspirado, a equipe paulista venceu o Leão por 2 a 0 nesta terça-feira pela sexta todada do Brasileirão da Série B. Nem Nunes, herói da vitória sobre o Palmeiras na rodada passada foi capaz de salvar a equipe pernambucana, que teve uma chance de reação barrada com o estado do gramado no segundo tempo, coberto de poças d’água pela chuva que atingiu Recife. Carlinhos e Magno Cruz marcaram para o Massa Bruta.

A derrota deixa o Sport com 9 pontos, em sexto na tabela, posição que pode ser alterada ao final da rodada. O Braga vai a 10 pontos e entra momentaneamente no G-4.

Com a pausa do campeonato para a disputa da Copa das Confederações, as equipes têm quase um mês para treinar e voltam a campo no início de julho. O Sport joga no dia 6 de julho, contra o Joinville às 16h20 em Santa Catarina. O Braga encara o América-RN no dia 2 de julho às 21h no estádio Nabi Abi Chedid.

sport x bragantino (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
Braga celebra um de seus gols na Ilha do Retiro (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

Travessão ‘muy amigo’

O jogo começou aberto, com as duas equipes adotando uma postura ofensiva. Tomando a iniciativa por atuar em casa, o Sport apostava nos avanços dos laterais Rithely e Marcelo Cordeiro para abrir espaço na defesa do Bragantino, que povoava o meio campo e tentava acionar o centroavante Lincom na frente. Com o caminho para a área bragantina fechado, o Leão da Ilha decidiu arriscar de longe e quase abriu o placar aos sete minutos, em um chute de Marcos Aurélio que explodiu no travessão do goleiro Rafael Defendi.

A chuva começou a cair na Ilha do Retiro, deixando a partida mais truncada depois dos 15 minutos. A bola molhada acabou fazendo com que as melhores chances fossem criadas em lances de bola parada, como na que Marcos Aurélio cobrou aos 24 minutos, encontrando a cabeça de Rithely, que cabeceou no travessão.

Mas se do lado dos comandados de Marcelo Martelotte, o travessão estava impedindo o gol do Sport, ele serviu de aliado do Braga no outro lado do campo. Aos 29, Diego Macedo cobrou escanteio fechado, a bola tocou no travessão e encontrou Carlinhos livre para completar para o gol vazio. Na parte final do primeiro tempo, o Sport pecou na falta de criatividade, parando da defesa da equipe paulista e foi para o vestiário atrás no placar.

Nunes entra, mas contra-ataque define o jogo

Após o intervalo, o Sport retornou com o centroavante Nunes, herói da vitória sobre o Palmeiras na rodada passada, no lugar do volante Renan Teixeira e exerceu uma forte pressão nos minutos iniciais. Com um atacante de referência, o Leão da Ilha abriu espaço para que os velozes Marcos Aurélio e Felipe Azevedo pudessem receber a bola no campo ofensivo, diferentemente do que aconteceu na primeira etapa. Acuado na defesa, o Braga se segurava como podia e, na primeira oportunidade que teve para contra-atacar, foi cirúrgico. Lincom arrancou na esquerda e cruzou para Magno Cruz aproveitar a defesa aberta e completar para o gol.

Atrás no placar, o Sport buscava uma reação que era barrada com a condição do gramado encharcado. Fechado na defesa, já sem se preocupar em armar contra-ataques, o Bragantino se segurava como podia, sem vergonha de isolar a bola pela lateral quando era preciso. O Leão assustou em lances de bola parada e chutes de longa distância, mas a noite era de Rafael Defendi, que deixou o gramado sem levar gol.

Sport 1 x 0 Palmeiras

Nunes, conhecido por sempre marcar contra o Verdão, faz aos 47 da etapa final e dá ao Leão a vitória no encharcado gramado da Ilha do Retiro

Vinte e dois jogadores, um árbitro, dois auxiliares… e a chuva. A tempestade que castigou o gramado da Ilha do Retiro era a protagonista do jogo entre Sport e Palmeiras, e tudo levava a crer que o placar terminaria inalterado. Até que apareceu Nunes. Aos 47 minutos do segundo tempo, o atacante aproveitou um escanteio (muito contestado pelos palmeirenses) e marcou o gol da vitória do Leão. Os jogadores do Verdão se revoltaram. Reclamaram que o escanteio não ocorreu e que houve um toque de mão do jogador do Sport.

Nunes é um velho conhecido da torcida do Palmeiras, carrasco desde a época em que defendia as categorias de base do Santo André. Ele ficou conhecido por provocar os palmeirenses na final da Copa São Paulo de Futebol Júnior de 2003. Na ocasião, o Ramalhão ficou com o título, e Nunes comemorou um dos gols imitando o porco, de forma pejorativa, em frente ao setor destinado aos alviverdes, fato que gerou revolta e grande confusão na arquibancada do Pacaembu. Desde então, marcou diversas vezes contra o Palmeiras – principalmente por Santo André e Bragantino. Por isso, comemorou com sorriso irônico o gol da vitória do Sport.

sport x palmeiras (Foto: Aldo Carneiro/ Pernambuco Press)
Com sorriso irônico, Nunes comemora gol da vitória do Sport  (Foto: Aldo Carneiro/ Pernambuco Press)

Com a vitória, o Sport chega à terceira colocação e passa o próprio Palmeiras (quarto) na tabela da Série B do Brasileiro. Os dois times têm nove pontos, mas o Leão leva vantagem nos critérios de desempate (nove gols contra seis). Outras duas equipes (Figueirense e América-MG) também têm nove e vêm logo a seguir. Chapecoense (13 pontos) e Joinville (12) lideram com folga.

Substituído no intervalo, Leandro, um dos principais jogadores do esquema tático de Gilson Kleina, recebeu o terceiro cartão amarelo e será desfalque contra o América-RN, terça-feira, às 21h50 (de Brasília), em Natal. No mesmo dia, o Sport recebe o Bragantino, às 19h30, mais uma vez na Ilha do Retiro.

sport x palmeiras (Foto: Aldo Carneiro/ Pernambuco Press)
Sport e Palmeiras jogaram sob forte chuva no Recife  (Foto: Aldo Carneiro/ Pernambuco Press)

Pouco futebol

A chuva que caiu sobre o Recife na noite de sexta-feira e também horas antes do jogo castigou o campo da Ilha do Retiro. Quando a tempestade voltou a dar as caras, depois de pouco tempo de partida, os jogadores sentiram. E a qualidade do futebol apresentado também.

As melhores chances nos minutos iniciais foram do Sport. Embalados por sua torcida (21.726 pessoas foram ao estádio e fizeram uma bonita festa), os donos da casa protagonizaram as oportunidades mais claras de gol. Logo no segundo minuto, Felipe Azevedo recebeu cara a cara com Bruno, completamente livre de marcação – falha do lateral Juninho –, mas chutou por cima do travessão.

sport x palmeiras (Foto: Aldo Carneiro/ Pernambuco Press)
Gramado encharcado atrapalhou Sport e Palmeiras
(Foto: Aldo Carneiro/ Pernambuco Press)

O Sport anulou as duas laterais do Palmeiras. Pela esquerda, Marcelo Cordeiro se mostrava um dos melhores em campo, fazendo a transição entre defesa e ataque com agilidade. Pela direita, o palmeirense Juninho deixava brecha para que o Sport criasse jogadas e tocasse a bola. Porém, as poças d’água quebraram o ritmo. Tanto dos donos da casa como dos visitantes. Não havia como conduzir a bola.

Atrapalhado no ataque, o Verdão esbarrava nos erros de Vinícius e Caio. Nas poucas vezes em que foram acionados, os atacantes alviverdes não conseguiram dominar. A eficiência ofensiva apresentada na outra vez em que jogou como visitante – quando marcou três gols em 45 minutos, contra o ASA, em Arapiraca, – não se repetiu.

Sob gritos de Marcelo Martelotte, que não se importou com a forte chuva e permaneceu à beira do gramado tentando corrigir os erros do Sport, o time pernambucano insistiu, e só não abriu o placar porque parou primeiro em Márcio Araújo – que salvou cabeçada de Tobi em cima da linha – e Bruno, que defendeu bom chute de Marcos Aurélio. Gramado igualmente ruim para os dois, placar igualmente inalterado.

Sport pressiona e marca no fim

O primeiro ato do árbitro Wagner Reway ao voltar para o segundo tempo foi conversar com seus auxiliares e com o delegado da partida para decidir se havia condições para mais 45 minutos de futebol. A chuva deu uma trégua, mas as poças permaneceram grandes. Com o aval concedido, Palmeiras e Sport retornaram em busca de um lance para definir a partida.

Cauteloso e aparentemente satisfeito com um ponto no Recife, o técnico Gilson Kleina sacou o atacante Leandro – que havia recebido o cartão amarelo, o terceiro na competição – e escalou o Verdão com três zagueiros: o substituto André Luiz, ao lado de Maurício Ramos e Henrique. Sem mudanças, os pernambucanos partiram para cima. Era tudo ou nada.

O problema era passar pela água. E nos poucos bons contra-ataques criados pelo Palmeiras, Tobi e Gabriel Santos rasgaram para a lateral sem pensar duas vezes. Resguardado, o Verdão ainda trocou Vinícius por Serginho, deixando Caio sozinho e isolado à frente da linha de meio-campo.

Na prática, o Sport foi quem buscou mais a vitória, mesmo em condições tão adversas. Acabou sendo premiado no fim. Num escanteio – muito contestado pelos palmeirenses -, a bola sobrou para Nunes, que, aos 47 minutos do segundo tempo, deu a vitória ao Leão.

Presidente do Sport admite má fase mas afirma: ‘Não estamos parados’

Luciano Bivar defende o departamento de futebol e transfere aos atletas a responsabilidade: ‘Diretor, presidente e conselho gestor não fazem gol’

Suspenso por 240 dias das suas funções, pelo Supremo Tribunal de Justiça Desportiva –foram 180 dias por ter afirmado, sem provas, que teria pago a um lobista para que Leomar fosse convocado para seleção brasileira em 2001 e mais  60 dias por ter ofendido o Tribunal – o presidente do Sport, Luciano Bivar, quebrou o silêncio e comentou o momento vivido pelo clube.

De volta da Inglaterra, onde acompanhou a final da Liga dos Campeões entre Borussia Dortmund e Bayern de Munique, o cartola reconheceu a má fase da equipe, mas isentou o departamento de futebol de culpa, pela falta de resultados. Atento às negociações sobre possíveis reforços, o mandatário rubro-negro também comentou sobre a polêmica envolvendo o volante Anderson Pedra e o possível retorno do zagueiro Durval.

Luciano Bivar, candidato à presidência no Sport (Foto: Reprodução/TV Globo)
Luciano Bivar lembra que Sport foi o melhor na fase de grupos do Estadual (Foto: Reprodução/TV Globo)

Presidente, o Sport vem de cinco derrotas consecutivas. Perdeu o Campeonato Pernambucano e foi eliminado da Copa do Brasil. O que está errado no clube?

Primeiro temos que pontuar as coisas. Perdemos o Estadual, onde dominamos amplamente o segundo jogo e poderíamos ter feito um gol, pois tivemos 72% de posse de bola. Mas não aconteceu e isso foi uma falha. Sobre a Copa do Brasil, nós enfrentamos o ABC em meio a uma disputa de final de Estadual e isso acabou tirando o foco da equipe. Mesmo assim, avaliamos que precisávamos mudar algumas coisas e estamos mudando. Alguns jogadores saíram, assim como o treinador. Então, não estamos parados.

Em cinco meses à frente do clube, o senhor já mudou duas vezes de treinador. Na sua visão, esse tipo de mudança dá resultado?

luciano bivar sport (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
Bivar explica que foi a Londres para encontro sobre
futebol (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

Temos que fazer algo. No primeiro momento demos apoio e vale ressaltar que tivemos o melhor aproveitamento da fase de grupos do Pernambucano. Na maioria dos campeonatos pelo mundo, nós teríamos sido campeões. Mesmo assim, o Conselho Gestor avaliou que o treinador não estava escalando bem a equipe e que teríamos que mudar. Então, mudamos. E mudaremos outras vezes se isso for necessário. Trouxemos o melhor treinador do Pernambucano e isso mostra que estamos indo no caminho certo.

A torcida vem criticando muito o departamento de futebol do clube, assim como a sua gestão. O senhor acredita que o Sport precisa mudar algo no comando?

Em absoluto. Logicamente não acertamos tudo, mas não erramos em tudo. Estamos trabalhando dentro do nosso limite. Mas o diretor de futebol, o presidente e o Conselho Gestor não podem bater pênalti ou fazer gol. Isso depende dos atletas e do treinador. Se o presidente tivesse que fazer gol, eu nem tentaria ser, pois não sei fazer gol.

Outra crítica à sua gestão é o fato de o senhor ter ido ver a final da Liga dos Campeões enquanto o time estreava na Série B.  Por que o senhor foi para Londres?

Não só o Sport como todos os grandes clubes foram, pois estávamos tendo conversas sobre os rumos do futebol mundial. Assinamos um documento de intenções, para que façamos uma mudança drástica com relação ao lado financeiro das equipes. Ou mudamos algo ou os clubes irão à falência.

Durval em treino do Santos (Foto: Ricardo Saibun/Divulgação Santos FC)
Presidente diz que fará de tudo pelo retorno de
Durval (Foto: Ricardo Saibun/Santos FC)

Mesmo de longe, o senhor tomou conhecimento das negociações para contratar atletas. Falando especificamente de Anderson Pedra, o Santa Cruz alega ter um pré-contrato, o Sport diz que apresenta o jogador segunda-feira, mas ele está negociando com o Náutico. Neste caso, o qual a posição do Sport a partir de agora?

Todo mundo sabe que o Santa Cruz não irá negociar com o Sport. Não adianta tentar isso. Todo bom jogador interessa, mas temos que saber separar os impossíveis. Enquanto ele for jogador do Santa Cruz, certamente não negociará com o Sport. Quem milita no futebol sabe disso.

Além de Anderson Pedra, também existe a situação de Durval. O Sport vai investir pesado para contratar o jogador?

Durval é um atleta que nos interessa e muito e iremos tentar o possível. Porém, o Santos tem um conselho gestor, que dificilmente liberará o jogador. Queremos contratá-lo, mas sabemos que existe uma grande chance de ele só acertar em novembro, quando acaba o contrato com o Santos.

Felipe Azevedo: ‘É um momento de se calar mesmo e aceitar as críticas’

Atacante reconhece mau momento do time, que vai para a estreia na Série B do Brasileiro após quatro derrotas consecutivas e sem treinador

Sorrisos no Sport. Pode procurar, você não vai achar. O momento não permite nem muitas palavras. Nos últimos dias, o time amarga frustrações como perder o campeonato Pernambucano pela terceira vez para o rival Santa Cruz, mais uma eliminação precoce da Copa do Brasil e a demissão de mais um treinador. Para o atacante Felipe Azevedo, o momento não é, de fato, para sorrisos e explicações.

– É um momento de se calar mesmo, aceitar as críticas e absorver isso da melhor forma.

Além de ir para a estreia da Série B, sábado contra o Icasa, após quatro derrotas consecutivas, o Leão vai para a partida sem treinador. O momento vivido pelo time esgotou a paciência dos torcedores. Um grupo chegou a realizar um pequeno protesto no último treino, na Ilha do Retiro, cobrando mudanças.

– Não é possível que vá cair pra série C, né! São três anos de derrotas e não só derrotas. São três anos que se perde e não se aprende com o que ocorreu, lamenta um torcedor.

protesto sport ilha do retiro (Foto: Sabrina Rocha)
Torcedores foram ao treino cobrar mudanças para disputa da Série B (Foto: Sabrina Rocha)

Os resultados acabaram com a invencibilidade de Sérgio Guedes, que chegou com todo apoio da torcida . Mas depois de dois meses no comando do time foi demitido. Depois do jogo contra o ABC, que provocou sua queda, o treinador já havia demonstrado muita insatisfação com alguns jogadores, mas preferiu não citar nomes.

– Daqui a pouco eu vou estar dizendo de verdade o que o meu coração queria estar dizendo, o que eu acho que precisava fazer, mas se eu fizer isso eu vou acusar alguém e eu não vou fazer isso. Não gosto de expor ninguém em público. Isso soa como transferência de responsabilidade, mas a verdade é que a gente poderia ter evitado, sim.

Revoltados com momento do Sport, torcedores decidem leiloar presidente

Luciano Bivar está suspenso pelo STJD e viagem para a Europa no dia da estreia do time na Série B provoca críticas entre os rubro-negros

luciano bivar sport (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

Viagem de Bivar para a Europa no dia da estreia na
Série B gera críticas (Foto: Aldo Carneiro/PE Press)

Eleito com a promessa de que levaria o Sport às conquistas, o presidente do clube, Luciano Bivar, não escapou da revolta da torcida por conta dos últimos fracassos e polêmicas que se envolveu. Após a eliminação na Copa do Brasil, os torcedores resolveram usar a criatividade para mostrar a insatisfação com o mandatário rubro-negro, que está em Londres, para acompanhar a final da Uefa Champions League, neste sábado. Mesma data da estreia do Rubro-negro na Série B, contra o Icasa-CE.

Vale lembrar que mesmo se estivesse no Recife, o presidente não poderia representar o clube na Ilha do Retiro por está suspenso pelo STJD por conta das declarações sobre a contratação de um suposto lobista para garantir uma vaga para Leomar na Seleção Brasileira, para disputar a Copa das Confederações em 2001.

Bem humorados, os rubro-negros decidiram “leiloar” Luciano Bivar em um site de vendas, com o preço inicial estipulado em R$1. Na descrição do “produto”, não faltaram criticas a postura do presidente.

Vende-se presidente bon vivant. Vendeu o hexa do Sport e quase rebaixou o próprio para a série C e agora pretende tentar, mais uma vez, rebaixar o mesmo para a série C. Esse presidente não vai acompanhar a estreia do time na série B, pois estará na Europa acompanhando a final da Champions League da UEFA. Logo, nota-se que é um presidente muito comprometido com o clube em que atua e se preocupa muito com a situação em que o time se encontra. É um presidente já usado e velho, e que adora aparecer. Mas não se preocupe, ele vai te iludir com uma Arena que nunca saiu do Papel.

Em outra parte do anúncio, os torcedores relembraram as declarações de Luciano Bivar sobre o caso Leomar.

Se ele começar a inventar boatos  de que colocou jogador na Seleção Brasileira, não se preocupe. Isso é apenas para tirar o foco dos vexames que seu time da nacionalmente.

leilão luciano bivar sport (Foto: Reprodução internet)
Torcida protesta ‘leilonado’ o preisdente Luciano Bivar pela internet (Foto: Reprodução internet)