Criciúma 1 x 3 América Mineiro

O JOGO

O América-MG aproveitou a má fase do Criciúma e venceu dentro do Heriberto Hülse, na noite desta sexta-feira, pela terceira rodada da Série B. De virada, o Coelho garantiu o 3 a 1 no placar, com Ruy, Renan Oliveira e Bill – Zé Roberto fez para os catarinenses.

DESTAQUE

NA TABELA

Foi a primeira vitória dos mineiros, que agora somam cinco pontos e se aproximam do G-4, na quinta posição. O Tigre segue na lanterna, sem nenhum ponto conquistado.

DESTAQUE

NA AGENDA

O Coelho volta a jogar na próxima semana, em casa. Na sexta, recebe o Paysandu, às 19h30 (de Brasília), no Independência. No dia seguinte, o Tigre tem um desafio como visitante, diante do Luverdense, às 16h30, em Lucas do Rio Verde.

DESTAQUE

CAMPO PESADO

A chuva esteve presente desde o início do duelo em Santa Catarina. E apesar do gramado pesado, não prejudicou em nada as criações das jogadas. Em um jogo aberto, o Coelho finalizou mais, apesar de ter menos posse de bola. Os visitantes chutaram sete vezes a gol, e Luiz impediu a abertura do placar. Mesmo com maior domínio no campo, o Criciúma chutou apenas duas vezes, mas ambas com perigo, e João Ricardo também fez sua parte.

DESTAQUE

GOL DO TIGRE, VIRADA DO COELHO

Na volta do intervalo, o Tigre partiu para a pressão e conseguiu uma penalidade antes dos dois minutos, um toque de mão de Luan. Zé Roberto bateu bem e abriu vantagem. Em busca da igualdade, o Coelho foi para cima e conseguiu o gol aos 30. Ruy foi lançado, driblou Luiz e empatou o confronto. O gol animou os mineiros, que marcaram mais duas vezes para garantir o triunfo. Renan Oliveira e Bill decretaram o 3 a 1.

DESTAQUE

GOL DO TIGRE, VIRADA DO COELHO

Na volta do intervalo, o Tigre partiu para a pressão e conseguiu uma penalidade antes dos dois minutos, um toque de mão de Luan. Zé Roberto bateu bem e abriu vantagem. Em busca da igualdade, o Coelho foi para cima e conseguiu o gol aos 30. Ruy foi lançado, driblou Luiz e empatou o confronto. O gol animou os mineiros, que marcaram mais duas vezes para garantir o triunfo. Renan Oliveira e Bill decretaram o 3 a 1.

DESTAQUE

NA BERLINDA?

Ao fim da partida, a torcida do Criciúma vaiou e protestou com gritos de vergonha, além do pedido de saída do técnico Deivid.

GLOBO ESPORTE.COM

América Mineiro 1 x 1 Goiás

DESTAQUE

PLACAR (NADA) JUSTO

Com gols apenas no segundo tempo, América-MG e Goiás ficaram no 1 a 1 na Arena Independência, em Belo Horizonte. O Coelho dominou quase toda a partida, chegou ao gol com Ruy, mas acabou castigado em um lance de infelicidade do zagueiro Messias. Jean Carlos não perdoou e arrancou o empate para o Alviverde.

DESTAQUE

LANCE CAPITAL

O América-MG controlou bem o jogo, chegou a ter 21 finalizações contra apenas seis do Goiás, mas sucumbiu no fim. O Alviverde nem pressionava tanto, mas em um cruzamento despretensioso que Messias não conseguiu cortar e quase marcou contra, a bola sobrou limpa para Jean Carlos, que fuzilou de primeira.

O JOGO

COMO FOI

O América-MG esteve perto de abrir o placar em várias oportunidades. Até os 15 minutos, o Coelho já havia finalizado sete vezes. A melhor chance esteve nos pés do estreante Bill que, na cara do gol, parou no goleiro Marcelo Rangel. A partir daí, o Goiás melhorou. Em jogadas aéreas ameaçou a meta de João Ricardo. O Coelho chegou a fazer uma pressão nos instantes finais, mas não conseguiu marcar.

 

Os mineiros iniciaram o segundo tempo no campo de ataque. As fichas do Goiás estavam nos contra-ataques. De tanto insistir, aos 10 minutos veio a recompensa: Ruy acertou chute forte e fez 1 a 0 para o América-MG. Depois que conseguiu o gol, o Coelho diminuiu o ritmo. Em uma infelicidade do zagueiro Messias, que quase fez gol contra, a bola sobrou para Jean Carlos, aos 38. Ele não vacilou.

 

DESTAQUE

COMO FICA

 

Vencendo, o América-MG estava entrando no G-4 da Série B. Com o empate, o segundo no torneio, o Coelho dorme na 10ª colocação com dois pontos. O Goiás fatura seu primeiro pontinho e aparece no 16º lugar. Na próxima rodada, o Coelho visita o Criciúma. O Alviverde recebe o Brasil de Pelotas.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Atlético Paranaense 2 x 2 Coritiba

Atlético-PR e Coritiba empatam no primeiro Atletiba da nova Arena: 2 a 2

Com recorde de público, Furacão marca com Walter e Edigar Junio e fica no terceiro lugar. Coxa balança as redes com Wellington Paulista e Ruy, mas segue no Z-4

 

Atlético-PR e Coritiba protagonizaram um emocionante empate no primeiro Atletiba da nova Arena da Baixada. Os times ficaram no 2 a 2 na tarde deste domingo, em jogo válido pela oitava rodada do Campeonato Brasileiro. Wellington Paulista e Ruy marcaram para o Coxa; Walter e Edigar Junio anotaram os gols rubro-negros. Com o resultado, o Furacão ficou no terceiro lugar, agora com 16 pontos. Já o Coxa segue na zona de rebaixamento, com quatro.

O jogo deste domingo registrou o melhor público do Furacão na nova Arena: 30.120 presentes e 26.773 pagantes, com renda de R$ 964.125,00.

A situação dos dois times antes do jogo poderia colocar o Atlético-PR como favorito ou, pelo menos, com certa vantagem. Ele tinha 12 pontos a mais na classificação (15 a três), jogava diante do seu torcedor e buscava a sétima vitória seguida como mandante. Mas, em clássico, tudo isso é detalhe. Quando a bola rolou, os times protagonizaram uma partida equilibrada. O Coritiba saiu na frente com Wellington Paulista após chute torto de Marcos Aurélio. Mas o Furacão empatou com Walter, também depois de uma finalização “errada” – de Ytalo.

O Atlético-PR voltou com uma postura ainda mais ofensiva. Ele tinha a posse de bola, rondava a área adversária, mas não conseguia criar lances claros de gol. O Coritiba aproveitou desatenção da defesa rubro-negra para, com Ruy, fazer 2 a 1. Mas, logo depois, João Paulo falhou, e Edigar Junio deu números finais à partida: 2 a 2 no primeiro Atletiba da nova Arena.

O Atlético-PR vai tentar reencontrar o caminho das vitórias diante da Ponte Preta, às 16h (horário de Brasília) de domingo, no Moisés Lucarelli. Já o Coritiba vai tentar dar início a uma arrancada para fugir da degola diante do Cruzeiro, também às 16h de domingo, no Couto Pereira.

douglas coutinho atlético-pr atletiba (Foto: Giuliano Gomes/PR Press)
Times ficam no 2 a 2 no primeiro Atletiba da nova Arena (Foto: Giuliano Gomes/PR Press)

O jogo

O técnico Milton Mendes, no 11° jogo à frente do Furacão, promoveu apenas uma mudança em relação à derrota para o Grêmio, na rodada passada: o meia Felipe substituiu o suspenso Nikão. Já Ney Franco, que tinha estreado na derrota para o Flamengo, mexeu em meio time. Destaque para João Paulo e Marcos Aurélio, dupla com passagem pelo rival. Apesar dos cenários distintos, os times protagonizaram um jogo equilibrado. Ytalo arriscou de longe, sem direção. Esquerdinha respondeu de cabeça, mas Weverton defendeu. Aos 19, o Coxa teve sorte. Marcos Aurélio pegou mal na bola, mas ela sobrou para Wellington Paulista bater com categoria e abrir o placar.

Mesmo em vantagem, o Coritiba manteve uma postura ofensiva. O Atlético-PR, por sua vez, abriu-se ainda mais em busca do gol. Que não demorou. Hernani cruzou, Ytalo não conseguiu dominar. Mas a bola sobrou para Walter, que finalizou firme, no canto, para deixar tudo igual. O jogo ficou lá e cá. Os mandantes apostavam em jogadas pelos lados, principalmente com Eduardo e Natanael, e em lançamentos longos. Os visitantes depositavam suas fichas na bola parada e nos contra-ataques, com Marcos Aurélio e companhia. Apesar disso, o primeiro tempo ficou mesmo no 1 a 1.

O Atlético-PR voltou com o mesmo time, mas com uma postura mais ofensiva para o segundo tempo. Eduardo e Douglas Coutinho pela direita, Natanael e Ytalo pela esquerda davam trabalho para a marcação adversária. O Furacão rondava a área, mas sofria para criar uma chance clara. O técnico Milton Mendes, então, trocou Felipe – de atuação discreta – por Giovanni. Depois, sacou Ytalo e colocou Edigar Junio. O Rubro-Negro tinha mais posse de bola (era de 55% aos 30 minutos do segundo tempo), mas faltava o algo a mais.

O Coritiba parecia esperar pacientemente um erro do adversário para balançar as redes. E o erro ocorreu aos 31. Marcos Aurélio tocou de calcanhar e deixou Ruy livre para fazer 2 a 1 na Arena da Baixada. O lance, em vez de abalar, acordou o Atlético-PR. Minutos depois, Edigar Junio roubou a bola de João Paulo na grande área e chutou forte para deixar o placar mais uma vez igual. No fim, Wellington Paulista e Norberto ainda foram expulsos. Mas não dava tempo para mais nada.

 

GLOBO ESPORTE.COM