Bahia 6 x 2 Atlético Paranaense

O JOGO

FIM DE UM TABU

Havia 15 anos que o Bahia não vencia em estreias na Série A. Em 2017, quitou essa dívida com juros. Em tarde inspirada do rápido quarteto ofensivo, o Tricolor triturou o Atlético-PR na Arena Fonte Nova e venceu por 6 a 2 usando, principalmente, a velocidade: a equipe de Guto Ferreira fez quatro gols em sete minutos, todos em jogadas de contra-ataque. Tiago, Zé Rafael, Edigar Junio, Edson e Régis, duas vezes, marcaram para o Bahia. Guilherme e Marcão descontaram para o Furacão.

DESTAQUE

PÚBLICO E RENDA

A Fonte Nova recebeu um público total de pagantes de 8.127, para uma renda de R$ 134.152,50.

DESTAQUE

PRÓXIMOS JOGOS

As duas equipes só voltam a campo pelo Brasileiro no próximo domingo. Enquanto o Bahia sai para enfrentar o Vasco, em São Januário, o Atlético-PR recebe o Grêmio, na Arena da Baixada. Na quarta-feira, o Tricolor tem a final da Copa do Nordeste contra o Sport, e o Furacão decide a vida na Libertadores contra o Univerdad Católica, do Chile.

DESTAQUE

NOME DO JOGO

Régis, que era dúvida antes de a bola rolar, foi o grande destaque do Tricolor. Principal nome da equipe na temporada, ele marcou dois golaços e já apresentou o seu cartão de visitas. Olho nele!

DESTAQUE

CHUVA DE GOLS

Sete gols no primeiro tempo? Ô, glória! Bahia e Atlético-PR fizeram um jogo alucinante na Fonte Nova, com muita intensidade e sem deixar o torcedor respirar. O Tricolor começou o jogo pressionando, mas os visitantes foram mais perigosos: com alas bem abertos, o Furacão alargou o campo, abriu a defesa do Bahia e levou perigo. Foi assim que inaugurou o placar, com Guilherme. O Bahia empatou na bola parada, com Tiago fuzilando o gol de Weverton após cobrança de escanteio de Juninho. O Atlético-PR passou na frente novamente também em bola parada, com o zagueiro Marcão. Depois daí, só deu Bahia, que balançou as redes quatro vezes em sete minutos, aproveitando contra-ataques. Zé Rafael, Edigar Junio e Régis, duas vezes, marcaram.

DESTAQUE

ÁGUA NA FERVURA

O Atlético-PR não esboçou qualquer sinal de reação na etapa final. Abatido e aparentando desgaste físico, a equipe paranaense foi presa fácil para o Tricolor, que apenas administrou a vantagem confortável estabelecida no primeiro tempo. Prova disso é que, quando resolveu acelerar o jogo, o Bahia chegou ao sexto gol com Edson, que havia tentado outras duas vezes em sequência antes de balançar as redes.

GLOBO ESPORTE .COM

Ceará sai na frente no placar, mas permite virada do Bahia, em Salvador

3 a 1 para os baianos na Arena Fonte Nova

Site do Ceará Sporting Club

Sport atropela no segundo tempo com dois de André e bate Avaí Depois de início morno, Leão pernambucano acorda na etapa final, até encontra brio nos catarinenses, mas chega a triunfo com dois gols de André e um de Régis

Os 10 dias de trabalho, durante a pausa para os jogos das eliminatórias sul-americanas, fizeram melhor ao Sport do que ao Avaí. No confronto de leões, realizado nesta quarta-feira, na Ilha do Retiro, pela Série A, o pernambucano mostrou mais força do que o catarinense e venceu por 3 x 0 – gols marcados pelo meia Régis e pelo atacante André, duas vezes.  Com o resultado, o Sport assume provisoriamente a nona colocação da Série A, a três pontos do G-4. Já o Avaí pode até cair para a zona de rebaixamento dependendo dos resultados da rodada.

O próximo desafio das equipes, no fim de semana, está longe de ser fácil. O Sport tem novo encontro com o torcedor rubro-negro, no domingo, contra o Atlético Mineiro, às 18h30. O Avaí, no dia anterior, tem pela frente o Palmeiras, na Ressacada, também às 18h30.

Sport x Avaí Série A (Foto: João Pedro / Pernambuco Press)
Sport melhorou no segundo tempo e bateu bem o duro Avaí, na Ilha do Retiro
(Foto: João Pedro / Pernambuco Press)

Sport e Avaí iniciaram sonolentos. O Leão pernambucano tinha mais posse de bola, mas não pressionava. O catarinense colocava 10 homens atrás, no campo de defesa, à espera de um contra-ataque fatal. Dentro das estratégias, as equipes tiveram, uma para cada lado, a oportunidade de abrir o placar, nos 45 primeiros minutos. Pelo lado dos donos da casa, quem desperdiçou foi Élber. A oportunidade dos visitantes não foi aproveitada por Anderson Lopes.

No segundo tempo, o técnico Falcão percebeu que não precisava ser tão cauteloso. Colocou o meia Régis no lugar do lateral-esquerdo Danilo e trouxe o volante Wendel para a função do substituído. Gilson Kleina não mexeu. A alteração do técnico rubro-negro deu certo – e o Sport matou o jogo em 17 minutos. O próprio Camisa 10 fez o primeiro gol e teve participação no segundo, que nasceu em bela tabela entre ele, Marlon e André, o autor do 2 a 0.  Nos cerca de 30 minutos restantes, o Avaí apertou para diminuir a vantagem, mas não demonstrou força. O goleiro Danilo Fernandes evitou os principais lances. Ainda houve tempo, no finzinho, para André dar números finais ao jogo: 3 a 0.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Sport 3 x 0 Chapecoense

Sport consegue primeira vitória na “Era Falcão” e impede Chape de sair do Z-4

Leão vence bem na Ilha do Retiro, interrompe jejum de três jogos sem vitórias e respira na Série A; time catarinense amarga terceira derrota em cinco partidas

Em duelo que envolvia dois times em mau momento na Série A do Campeonato Brasileiro – Sport e Chapecoense -, melhor para os pernambucanos. Dentro da Ilha do Retiro, neste domingo, a equipe rubro-negra ganhou dos catarinenses por 3 a 0 (gols de Diego Souza, Apodi, contra, e Régis), alcançou a primeira vitória da “Era Falcão” e se afastou do Z-4. Os visitantes, por outro lado, amargaram a terceira derrota em cinco partidas e continuam estacionados na zona da degola da Série A (jejum de triunfos chega a nove jogos).

Na próxima rodada da Série A, o Sport tem um adversário duro pela frente: o Internacional, no Beira-Rio. A partida acontece no próximo sábado, às 18h30. A Chape também não terá vida fácil. Pega o Palmeiras. Para alívio da torcida, porém, o confronto é em casa, na Arena Condá – domingo, às 18h30.

Sport x Chapecoense (Foto: Adelson Carneiro/Pernambuco Press)
Sport e Chapecoense fizeram duelo equilibrado no primeiro tempo
(Foto: Adelson Carneiro/Pernambuco Press)

De modo surpreendente, foram os visitantes que começaram melhor. Mesmo fora de casa, o time de Guto Ferreira adotou uma postura ofensiva no início. Tanto que construiu as primeiras boas chances de gol – a melhor delas foi evitada pelo goleiro Danilo Fernandes, aos 16, em chute de Bruno Rangel. À medida que o tempo passou, contudo, o Sport melhorou. E, refeito do susto, passou a incomodar a Chapecoense. O Leão abriu o placar, com Diego Souza, aos 24, e teve oportunidades de ampliar. O que não significa que os catarinenses não criaram situações. Mas, ao final da primeira etapa, a vitória parcial era do time da casa.

Ao contrário do que aconteceu no início, o Sport foi melhor na segunda etapa. Mais seguro na defesa, conseguiu segurar as perigosas investidas de William Barbio pelo lado direito. Além disso, foi mais perigoso no ataque. No início da etapa, ainda perdeu muitas chances. Mas no fim deslanchou: Apodi marcou, contra, o segundo gol, aos 32, e Régis – que entrou no decorrer do duelo – fez um golaço aos 39 para fechar o placar. A equipe catarinense não teve forças para responder e impedir a vitória rubro-negra.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Ceará Sporting Club e Atlético Goianiense se enfrentaram duas vezes na Serie B 2013 . Vamos relembrar agora os dois confrontos .

PRIMEIRO TURNO

09/08/2013

19h30

Ceará para na defesa do Atlético/GO e perde a invencibilidade em casa

A derrota tira a invencibilidade do Vovô dentro de casa

SEGUNDO TURNO

01/11/2013

20h50(Horário de Fortaleza)

21h50(Horário de Goiânia)

Eficiente, Ceará faz 3 x 1 no Atlético/GO e vence mais uma fora de casa

Além do gol contra de Régis, Magno Alves e Léo Gamalho marcaram

Site do Ceará Sporting Club

Amanhã , às 12h45(Horário de Fortaleza) , o TV TOTAL relembrará os confrontos entre as duas equipes no ano de 2014 .

Sport 4 x 1 Figueirense

Com Diego Souza inspirado, Sport goleia reservas do Figueira: 4 a 1.

Meia marca duas vezes de pênalti, num deles de cavadinha, e alivia pressão na Ilha; Matheus Ferraz e Régis fecham placar; Renê, contra, desconta para o Alvinegro.

Atuando na Ilha do Retiro e diante de um adversário com o time reserva, o Sport fez o que se esperava de um time que pretende lutar na parte de cima da tabela: venceu. Comandado por um inspirado Diego Souza, que teve seu nome gritado pela torcida, o Rubro-negro bateu o os reservas do Figueirense por 4 a 1, com pleno domínio da partida. O técnico Argel Fucks decidiu poupar seus principais atletas para o clássico contra o Avaí, na quarta-feira, pela Copa do Brasil.

O zagueiro Matheus Ferraz abriu o placar no primeiro tempo, o camisa 87 fez mais dois em cobranças de pênaltis e Régis arrematou, nos minutos finais, para o Leão. Renê, contra, descontou para a equipe catarinense. O resultado levou tranquilidade ao pressionado técnico Eduardo Baptista, após o mau início de temporada.

Dono da noite, Diego Souza fez questão de abraçar o treinador a cada gol. Uma demonstração de apoio após as críticas do presidente do clube, João Humberto Martorelli, que questionou o posicionamento do meia durante a semana.

Pelo Brasileirão, as duas equipes voltam a campo no próximo domingo. O Leão encara o Flamengo, às 16h no Maracanã. Mais cedo, às 11h, o Figueira recebe o Vasco, no Orlando Scarpelli. Antes, na quarta-feira, os dois também terão decisões com jogos da volta pela Copa do Brasil. Sport encara a Chapecoense, enquanto o Figueirense tem o clássico contra o Avaí. (Veja aqui a tabela da Copa do Brasil)

diego souza sport x figueirense (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
Diego Souza manda recado após uma cavadinha no pênalti do segundo gol do Sport
(Foto: Aldo Carneiro / PE Press)

O JOGO

Em casa, o Sport iniciou a partida encurralando o Figueirense, que entrou em campo sem os principais jogadores por conta da decisão na Copa do Brasil. Com Diego Souza inspirado, não demorou a chegar à meta de Luan Polli. Logo no primeiro minuto, o goleiro teve que fazer duas grandes defesas para evitar o gol. Atordoada, a equipe catarinense pouco criou. Praticamente todo recuado, o Alvinegro tentava se defender a todo custo.

A retranca dos visitantes não resistiu por muito tempo. Logo aos 19 minutos, o zagueiro Matheus Ferraz aproveitou o vacilo da defesa adversária para abrir o placar para os pernambucanos. Gol que não diminuiu o ímpeto do time comandado por Eduardo Baptista que, mesmo em vantagem, seguiu se atirando ao ataque, mas sem sucesso.

Em desvantagem no placar, o Figueirense voltou para o segundo tempo com mudanças. Sem resultado. O Sport continuou soberano e não demorou para ampliar o marcador. Diego Souza sofre o pênalti e, numca cavadinha abusada, ampliou o placar. E nem mesmo quando Renê, numa jogada esquisita, marcou contra – descontando para o Figueira, a equipe rubro-negra perdeu o domínio. Diego Souza fez mais um, numa nova cobrança de pênalti, e Régis, aos 42 minutos do segundo tempo, decretou a goleada.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Sport 1 x 1 Atlético Paranaense

 1 x 1 

15ª RODADA
ANIVERSARIANTE E ESTREANTE MARCAM NO EMPATE ENTRE SPORT E ATLÉTICO-PR
Cleberson abre o placar para os visitantes, que se mantêm em sétimo lugar, e Régis iguala para os pernambucanos, agora na nona colocação
Na noite em que o luto pelo falecimento do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos silenciou as ruas do Recife, Sport e Atlético-PR entraram em campo tentando amenizar a tristeza dos pouco mais de 14 mil torcedores presentes na Ilha do Retiro. E, quando a bola rolou, as equipes mostraram altos e baixos – no segundo tempo, pouco criaram. Há que se ressaltar que o péssimo estado do gramado dificultou ainda mais a vida dos jogadores. A igualdade no placar fez o Leão cair para a nona posição, com 22 pontos. Já o Furacão permanece em sétimo, agora com 23 pontos.

Responsáveis pelo empate, Cleberson, do Atlético-PR, e Régis, do Sport, tiveram outros motivos para comemorar seus gols. Estreante da noite, o meio-campo da equipe pernambucana começou sua trajetória no clube com pé direito. E o adversário festejou o feito em pleno aniversário. Na próxima rodada, o Leão recebe o Palmeiras, enquanto o Atlético-PR viaja até Santos, onde enfrenta o Peixe. Os jogos serão disputados às 19h30 desta quarta-feira.

Equilíbrio

Contando com a velocidade de Érico Júnior, o Sport criou sua primeira chance com menos de um minuto. Mas o atacante não soube finalizar. O susto não abalou o Furacão, que, aos poucos, começou a ganhar espaço no meio de campo e, aproveitando-se dos espaços no sistema defensivo do Leão, abriu o placar com Cleberson, aos 24 minutos. O Sport não sentiu o baque e, na base da vontade, partiu para cima do adversário e viu a pressão dar frutos aos 39, com o estreante Régis acertando um bonito chute para empatar.

Apatia geral

Sem a mesma vontade da primeira etapa, as equipes iniciaram o segundo tempo travando uma batalha no meio de campo, mas com muitos passes errados. O problema atrapalhou muito mais o Furacão do que o Sport, que conseguiu criar algumas chances e esteve perto da vitória – pelo menos por ter mais domínio territorial. No entanto, mais uma noite apagada de Neto Baiano atrapalhou os pernambucanos, que chegaram ao terceiro jogo sem vencer na Série A.

Sport x Atlético-PR Série A (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
Sport x Atlético-PR oscilam e ficam no empate na Ilha do Retiro (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
GLOBO ESPORTE.COM

América de Natal 2 x 2 América Mineiro

 2 x 2 

América-RN e América-MG buscaram a vitória a todo custo na noite desta terça-feira, mas tiveram que se contentar com um empate por 2 a 2. O resultado não foi bom para nenhum dos dois clubes, que têm objetivos diferentes nesta reta final da Série B do Campeonato Brasileiro. O confronto também marcou a despedida do Mecão do Estádio Nazarenão, em Goianinha.

Em seu último jogo como mandante, a equipe potiguar terá que cumprir a punição imposta pelo STJD. Contra o Oeste, na última rodada, o América-RN atuará nos Aflitos, em Recife. Em 2014, o Mecão já atuará na Arena das Dunas, em Natal.

O Coelho, que sonha com o retorno à Série A, viu esta missão ficar mais difícil, já que concorrentes diretos – Icasa, Ceará e Figueirense – venceram nesta 35ª rodada. Os mineiros chegaram aos 53 pontos, se mantendo na nona colocação. Com o empate, o América-RN ainda ganhou uma posição e agora é o 14º colocado, com 42 pontos. O risco de rebaixamento ainda existe, e o time rubro tem apenas três pontos a mais que o Paysandu, primeiro clube do Z-4.

Na próxima rodada, os potiguares encaram o Avaí, na Ressacada, neste sábado. Os mineiros recebem o Atlético-GO no estádio Independência, também neste sábado.

América-RN x América-MG (Foto: Frankie Marcone / Futura Press)América-RN e América-MG ficam no empate no Nazarenão (Foto: Frankie Marcone / Futura Press)

América-RN em vantagem

O jogo no Nazarenão começou bem movimentado. Nikão tentou em chute rasteiro da entrada da área e assustou o goleiro Silvio, que assumiu a titularidade na suspensão de Andrey. Os donos da casa deram a resposta em lance idêntico, e o arremate de Coutinho foi defendido por Matheus, no canto esquerdo.

As melhores jogadas do América-RN eram criadas pela ala direita. Em um ensaio do que seria o gol, Rodrigo Pimpão foi à linha de fundo e serviu Régis, que bateu em cima da defesa. Depois, aos 20 minutos, a dobradinha deu certo, e Régis se livrou da marcação para abrir o placar, tocando na saída de Matheus.

O camisa 10 do Mecão teve ainda a chance de ampliar aos 30 minutos, após lançamento de Wanderson, mas chutou mal. O castigo veio quatro minutos depois. Nikão chutou forte, o goleiro Silvio deu rebote, e Kléber apareceu para deixar tudo igual: 1 a 1. O Coelho só não esperava sofrer o segundo gol ainda no primeiro tempo. Aos 45, Régis cobrou escanteio, Cléber desviou de cabeça e Rodrigo Pimpão só teve o trabalho de empurrar para as redes. Alívio para os torcedores rubros em Goianinha.

Gol estranho também vale

Na segunda etapa, o América-RN poderia ter feito o terceiro, mas Rodrigo Pimpão foi travado pela defesa na grande área. Aos 19 minutos, então, a sorte provou estar do lado mineiro. Após cruzamento da direita, Marcão cabeceou, Silvio fez a defesa parcial, mas a bola tocou nas costas do zagueiro Cléber e entrou. O árbitro acabou assinalando o gol para Marcão. O empate ainda não era suficiente para as pretensões do América-MG, que buscou a vitória, mas o cansaço dos jogadores parecia evidente.

Empurrado pela torcida, o América-RN também pressionou, mas esbarrou no goleiro Matheus. Cascata tentou duas vezes em chutes de fora da área, e o centroavante Max, em noite apagada, levou perigo em cabeçada.

Tom Barros comenta novamente Atlético Goianiense 1 x 3 Ceará

 

Notas & notas

Foi um primor o passe de Ricardinho para o primeiro gol do Ceará em Goiânia, marcado por Magno Alves. De longa distância, na medida, milimetricamente calculado. /// Gostei da presença de Léo Gamalho. Incomodou e segurou zagueiros adversários.

 

Jogada-Diário do Nordeste-Tom Barros-04/11/2013

ABC 3 X 3 América de Natal

 3 x 3 

ABC e América-RN empataram por 3 a 3 no clássico potiguar deste sábado, pela 33ª rodada da Série B. A partida aconteceu no Estádio Frasqueirão, em Natal, e teve duas viradas de placar. Régis e Adriano Pardal (2) marcaram os gols do Alvirrubro, enquanto Rodrigo Silva (2) e Edson fizeram para os donos da casa. Com o resultado, o Mais Querido se manteve na 16ª colocação da tabela, agora com 36 pontos, e o Mecão subiu para o 13º lugar, com 40.

O América-RN volta a campo na terça-feira, quando enfrenta a vice-líder Chapecoense na Arená Condá, em Chapecó, às 21h (horário de Brasília). Já o ABC só entra em campo novamente no próximo sábado, quando recebe o quarto colocado Icasa no Estádio Frasqueirão, às 17h20m, também no horário brasileiro de verão. As duas partidas são válidas pela 34ª rodada da Série B.

ABC e América-RN empataram por 3 a 3 no clássico potiguar (Foto: Augusto Gomes)ABC e América-RN empataram por 3 a 3 no clássico potiguar (Foto: Augusto Gomes)

Virada alvinegra

O 499º Clássico Rei oficial do futebol potiguar começou eletrizante. Empurrado pela torcida, o ABC procurou pressionar o América assim que a bola rolou. E conseguiu. No primeiro ataque do Alvinegro, Rodrigo Silva ajeitou e Gilmar soltou a bomba por cima do gol de Andrey. No minuto seguinte, porém, Max quase abriu o placar para o Mecão: o camisa 9 americano recebeu cara a cara com Wilson Júnior, mas acabou chutando para fora.

O lance “acordou” o time alvirrubro, que passou a chegar com mais frequência ao ataque. Tanto que Régis abriu o placar aos logo 11 minutos. Max não conseguiu dominar a bola lançada da direita e o meia aproveitou a sobra para invadir a área e tocar na saída de Wilson Júnior. A partir daí o jogo esfriou um pouco, e só voltou a ter emoção aos 30 minutos, quando Gilmar recebeu na direita mandou na rede do América, mas pelo lado de fora.

O gol de empate do Mais Querido veio logo em seguida, mais uma vez com participação de Gilmar. O atacante recebeu na entrada da área e não foi fominha, rolando para Rodrigo Silva só encostar. A pressão alvinegra aumentou ainda mais, e não demorou até sair a virada. Gilmar mostrou que, mesmo aos 42 minutos, não estava cansado e arrancou em alta velocidade pela direita. Ele cruzou para o meio da área e o oportunista Rodrigo Silva fez mais um: 2 a 1.

Empate no finzinho

O América-RN voltou do intervalo mais “ligado” que o adversário, e quase empatou o jogo aos quatro minutos do segundo tempo, em um chutaço de fora da área do volante Márcio Passos. Aos nove, Max perdeu uma chance incrível, digna do “Inacreditável FC”. Zé Antônio soltou a bomba em cobrança de falta, Wilson Júnior deu rebote e o centroavante alvirrubro chutou por cima.

Bola na rede mesmo só aos 19 minutos, quando Adriano Pardal aproveitou o cruzamento de Cascata e fez de cabeça. Cinco minutos depois, novamente Pardal virou para o Mecão. Max recebeu de Régis e arriscou o chute, a defesa tentou afastar e entregou nos pés do atacante americano, que só teve o trabalho de mandar para o gol. O ABC ainda conseguiu empatar aos 44 minutos da etapa final, com o volante Edson, em lance de cabeça, decretando o placar final do clássico: 3 a 3.