Socorro despacha na segunda (28) pedido de afastamento de José Melo e posse de Eduardo Braga

Desembargadora esteve hoje (23) no TCE-AM e quando questionada sobre o processo respondeu: ‘Eu estou trabalhando nele e na segunda-feira despacho’

A Crítica

Empresa começa a produzir o adesivo “A culpa não é minha, eu era contra o impeachment”

Dias depois da derrota eleitoral de Aécio Neves para a presidência da república, alguns eleitores mais sábios que o candidato mineiro logo conseguiram aceitar o resultado, e assim foram correndo adquirir um adesivo que, rapidamente, grudou em milhares de carros e janelas pelo Brasil. “A culpa não é minha, eu votei no Aécio”, era a importante mensagem de responsabilidade, solidariedade e senso democrático que esses eleitores transmitiam. Vendo o sucesso da estampa, a empresa responsável pelo material resolveu se antecipar e, na última semana, já começou a produzir seu mais novo adesivo, “A culpa não é minha, eu era contra o impeachment”. A empresa aposta no sucesso caso Cunha assuma.

O gerente de vendas da fabrica responsável pelo produto resumiu, “As vendas do nosso primeiro adesivo atingiram quase metade da frota de carros nacionais, o novo modelo é promessa para atingir a outra metade. Estamos confiantes!”

Rômulo Goretti Villa Verde

Sensacionalista

Augusto Nunes compara o Brasil a um avião e avisa : troquem o piloto ou troquem a aeronave

O palavrório de Dilma Rousseff na reunião com os governadores reitera que a comandante do avião em pane se recusa a enxergar o tamanho do perigo e continuará avançando pela rota que conduz ao desastre. Todos os indicadores avisam que é preciso cair fora imediatamente da zona de turbulência. Mas a mulher no manche faz de conta que enfrenta uma ventania que logo será reduzida a brisa.

É mais que um surto de otimismo irresponsável. É outra prova contundente de que o país desgovernado está nas mãos de alguém incapaz de pilotar um carrinho de sorvete. Os passageiros precisam decidir o que fazer: ou trocam de avião ou trocam o piloto.

 

Augusto Nunes – Veja.com

Propaganda do PSDB desmascara farsa da campanha petista

“Não só a Petrobras foi roubada. O país foi iludido com sonhos de grandeza enquanto a roubalheira corria solta”, disse o ex-presidente FHC.
 

Plagiando o jargão do ex-presidente Lula, o também ex presidente Fernando Henrique Cardoso disse, em alto e bom tom, que “nunca antes na história deste país se roubou tanto em nome de uma causa.”

A fala foi ouvida durante a propaganda nacional do PSDB que foi ao ar ontem. FHC se referia aos escândalos ocorridos nos governos petistas que balançaram as estruturas da República e ameaçam derrubar o próprio PT.

Aliás, o programa não usou meios termos, e Fernando Henrique foi direto ao ponto: “os desvios de dinheiro começaram já no governo Lula”.

O ex-presidente tucano disse que é preciso passar a limpo a sujeira praticada na Petrobras, estatal vítima de saqueamento de corruptos, muitos deles ligados ao PT, PP e PMDB.

A oposição usou a propaganda do PT contra o próprio PT para evidenciar as contradições entre a candidata Dilma e a presidente Dilma.

Na peça, são veiculadas imagens em que a presidente candidata promete diminuir a conta de luz dos brasileiros, defende o emprego e os direitos dos trabalhadores. Além disso, a inserção tucana mostra Dilma garantindo que a inflação estaria sob controle e que os investidores da Petrobras ganhariam muito dinheiro.

Logo em seguida, a propaganda desmascara a farsa da campanha petista e diz que após ser eleita, Dilma aumentou os impostos, os juros, o combustível, os remédios e a energia elétrica, cortou investimentos em saúde, educação e direitos trabalhistas como o seguro desemprego.

A propaganda afirma que para se manter no poder, a presidente e seu partido esconderam dos brasileiros a verdadeira situação do país.

“Não só a Petrobras foi roubada. O país foi iludido com sonhos de grandeza enquanto a roubalheira corria solta”, disse o ex-presidente FHC.

Ao fim das contas, mesmo com a presença de tucanos de alta plumagem, Dilma e o PT é que foram as grandes estrelas da propaganda oposicionista. Traídos pelo próprio discurso.

 

 

Jovem Pan