Moradores protestam por iluminação e segurança em bairro de Rio Branco

Moradores do bairro Irineu Serra protestaram na tarde desta quarta (1º).
Prefeitura diz que faz levantamento de custo para levar iluminação ao local.

Bandeira do Acre

Moradores reivindicam iluminação e mais segurança no local (Foto: Aline Nascimento/G1)Moradores reivindicam iluminação e mais segurança no local
(Foto: Aline Nascimento/G1)

Um grupo de moradores do Bairro Irineu Serra realizou um protesto no início da noite desta quarta-feira (1º) contra a falta de iluminação e segurança no local. Os manifestantes reclamam ainda de um terreno baldio localizado às margens da estrada que seria utilizado como depósito de lixo e abrigo para usuários de drogas.

Segundo eles, a área seria do governo do Acre. Procurado pelo G1, o executivo estadual afirma que vai verificar junto à Procuradoria Geral do Estado (PGE) se a área é pública ou de domínio privado.

Sobre a iluminação no local, a prefeitura disse que já tem conhecimento do problema e que a parte que está sem iluminação seria uma área de alta tensão e que não possui residências ao redor. O órgão afirmou que está fazendo levantamento de custo do material para instalar os equipamentos.

A Secretaria de Segurança Pública do Acre (Sesp), disse que está marcada para quinta-feira (2) uma reunião com o comandante do 5º Batalhão da Polícia Militar (BPM), responsável pela segurança na região, com representantes da comunidade. A Sesp ressaltou que o comandante do batalhão, major Edener Rocha, solicitou que as guarnições reforcem a fiscalização ostensiva no bairro.

“Esse terreno abandonado facilita para os assaltos e até fuga dos suspeitos. Eu mesmo já fui assaltado ano passado. Também tem muitos acidentes no local, no mais recente um dos envolvidos precisou amputar uma das pernas”, reclama o autônomo Widisney Oliveira, de 36 anos.

Oliveira diz ainda que a jornalista vítima de um sequestro relâmpago na noite de terça-feira (31) teria sido abandonada no terreno baldio. “As pessoas vêm para cá a noite usar drogas, ter relações sexuais. Aqui é ponto de muita coisa ruim”, lamenta o autônomo.

Moradora há 30 anos da região, a dona de casa Maria Lenir, de 44 anos, diz compartilhar da preocupação do vizinho. Maria confessa que vive com medo de ter a casa invadida e os pertences roubados.

“Ninguém sai de casa, todo mundo tem medo. Eu tenho medo também, não sei o que pode acontecer nessa parte que não tem luz, é uma escuridão. Teve morador que foi assaltado e depois se mudou daqui”, conta a dona de casa.

Crimes
Em março deste ano moradores do bairro Irineu Serra encontraram o corpo de Marcelo Augusto Fraga de Sales, de 20 anos. O cadáver apresentava quatro perfurações de arma de fogo, sendo uma no peito, duas no ombro direito e uma na caixa craniana.

A Sesp informou na época ao G1, que o jovem tinha passagem por roubo e tráfico de drogas no município de Plácido de Castro, a 95 quilômetros de Rio Branco.

Já no mês de maio um homem de 34 anos também foi encontrado na área morto com vários golpes de faca e um tiro. A família disse à reportagem que Cleison Moura da Silva teria sido atraído por uma mulher até o local do crime.

 

G1.COM.BR