Do real men really do pilates?

LIMBER UP: There's nothing unmanly about being strong and flexible.

We’ve all seen him at the gym or on the beach. Huge pecs, massive biceps, no neck to speak of, and spindly chicken legs.

Less noticeable is his nemesis, the lightly framed metrosexual man who seems utterly devoid of muscle mass.

Which are you more likely to find in a pilates class? Neither, and both. In an unlikely twist, a utopia of stretching, sweating and defiance of gender conformity could yet bring them together.

Kevin Privett: More men are showing up to pilates classes.

Kevin Privett: More men are showing up to pilates classes.

Practitioners of the discipline are keen to invite more men to experience benefits including ‘improved posture, core strength, muscle tone and flexibility –to build stronger bodies’.

Put down the dumbell

NU Pilates studio owner Paul Torcasio is one seeking to dispel the ‘curls for the girls’ perception. Pilates practitioners are particularly targeting weights-fixated men, arguing they are missing out on a number of benefits that perfectly complement weight training.

Paul Torcasio, studio owner of Melbourne's NU Pilates.

Paul Torcasio, studio owner of Melbourne’s NU Pilates.

So will the gym bunnies come over to the ‘soft’ side?

The discipline was created by a man, Joseph Pilates, who came from a background of boxing, self-defence and wrestling – nothing soft about that.

Classes in this country remain female-dominated, but that seems to be gradually changing.

Sydney Pilates instructor Kevin Privett says: “For a year I taught two classes at a gym in [Sydney’s] Maroubra where on a weekly basis more men would show up to pilates.”

However, in my first-ever Pilates class at bodymindlife in Sydney’s Surry Hills, there’s just one other male participant and nine women in the room (Privett says an 80:20 gender ratio is common).

We begin by stretching on a Reformer – a bed-like structure with multiple springs for resistance stretching. It’s as fun as it sounds and this, combined with Kevin’s mellifluous voice, provides a veneer of calm to help overcome the difficulty of the stretches. It’s a refreshing change from the motivational grunts and shouts of encouragement from the trainers at my gym. My mind is relaxing even as my body works hard.

Privett says this is all part of the aim to nurture awareness between body and mind: “It is a thinker’s form of exercise,” he tells me.

As tough as CrossFit

Our Beyoncé warm-up track morphs into Janet Jackson and our light stretches progress into hard abdominal workouts. This is as tough as any sit-up or ‘dish hold’ I’ve done at Crossfit, but the focus on breathing distracts me so my core strength tightens as my mind further loosens.

I’m asked more than once to “find your centre”. As a newbie I’m not quite sure what this means. The women either side of me seem to have found theirs, though – their concentration is second only to their perfect posture. Just like ballerinas, they look graceful, but not dainty; they no doubt have abs to rival any boxer’s.

Suddenly, Kelis’s Bounce starts playing and Privett rushes over to change it: “That song’s a bit hectic for this kind of class,” he announces, and skips it. The next track is by Boy George (“much better!”) and the woman opposite me grins. The well-muscled man who is my sole brethren is deep in the zone and barely notices.

Emblazoned on the walls in neat, large calligraphy are quotes from Pilates himself (who died, aged 83 in 1967): “Through Pilates the unique trinity of a balanced body, mind and spirit can be attained. Self-confidence follows.” Another audaciously promises: “In 10 sessions you’ll feel the difference. In 20, you’ll see the difference. And in 30, you’ll be on your way to a whole new body!”

These bold claims are echoed by Torcasio, owner of Melbourne’s NU Pilates studio. “We see men come in who’ve been in chronic pain; their injuries have affected their movement and their quality of life,” he says.

“After a progressive NU Pilates program they’re stronger, stable and moving beautifully. Then they can return to the things they love: golf, cycling, team-sports. We’ve trained ex-AFL and VFL players who swear by our pilates classes. They come in limping with old injuries, and emerge stronger and pain-free.”

Richard Lloyd-Jones, an IT manager from Melbourne’s West St Kilda, has been attending two NU Pilates classes a week since February, after his female colleagues talked him into going. He “felt an affinity for it immediately” and notes it has had a particularly positive influence on his running and alleviated the need for regular physio visits.

Another bonus could appeal to the upper-body obsessed gym bunnies – no more leg days: “Initially I worried how I’d fit it in with my gym sessions. I’ve found I don’t need to do legs in the gym now; they get enough of a workout during pilates.”

‘You have to laugh’

Does Lloyd-Jones ever feel emasculated? “Some positions are definitely a little compromising, and you have to laugh. But you’re too busy maintaining the position and working the muscles to worry about how you look.”

As for any associations with hipsters or wimpyness, Torcasio says: “Australian men are as progressive as any in the western world. Just get them in the door to experience the benefits – then they’re hooked.”

One of the most manly things you can do in life is to sacrifice your own sense of masculinity, and not feel anything less than what you already are.

Pilates isn’t unmanly but, even if it was, I’d still go for the benefits.

 

Source : Stuff logo

Universitária de fisioterapia NUA

Connie in a sequin bikini

Anita Connie é uma universitária de fisioterapia . Tem 19 anos . Está no quinto semestre . Decidiu posar nua pensando no dinheiro , já que no futuro próximo , pretende abrir a própria clínica de fisioterapia para reabilitação e PILATES . CLIQUE AQUI para visualizar o ensaio completo .

Nadja Haddad vive incertezas na Band

Nadja Haddad é praticante de PILATES

 

Fábio Embu, que era redator da “Liga” e atuou como repórter em algumas oportunidades, assumiu a direção do “Zoo”, na Band.
Aliás, o “Zoo”, mesmo com as férias da Nadja Haddad encerradas, continua com apresentação de Paloma Tocci.
A Nadja está na espera do que pretendem fazer com ela.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Nadja Haddad precisa se preparar para as mudanças que a Band passou

Nadja Haddad é praticante de PILATES

Nadja Haddad informa que estava fora do país e por fora de tudo.
Só na segunda-feira que vem, quando voltar das férias, ela vai saber como ficaram as coisas na Bandeirantes.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

PILATES PARA HOMENS

untitled

Há um preconceito dos homens em aderir ao pilates?

Existia no começo, mas hoje o número de homens praticantes vem aumentando significativamente. É importante lembrar, que Joseph Pilates criou o seu método para os homens e que o ensinou aos seus colegas de presídio, enquanto esteve detido, na Inglaterra, durante a 2ª Guerra Mundial. Conta a história que os homens, que praticaram os seus exercícios, saíram mais fortes e condicionados do que quando foram presos e que não contraíram a febre espanhola, que matou milhares de pessoas em todo o mundo, principalmente entre a população carcerária.

Quais são os benefícios que o pilates pode proporcionar aos homens?

– Força

– Fortalecimento do tronco (abdômen e costas)

-Flexibilidade

-Alongamento

-Equilíbrio

-Maior amplitude de movimento

-Alivio de dores

-Correção postural

-Melhora no desempenho físico e sexual

-Conscientização corporal (entender como melhor usar seu corpo e seus limites)

Quais são as vantagens de praticar pilates ao invés de musculação?

Com a prática do Método Pilates, além do ganho de força outros benefícios são alcançados: conscientização corporal, alivio de dores, correção postural, estabilização das articulações (pequenas, grandes e específicas), equilíbrio, flexibilidade e alongamento. Em uma aula todos esses pontos são trabalhados, sem gerar sobrecarga ao aluno. O Pilates ajuda a prevenir lesões, melhora a estética e rendimento (físico, esportivo e sexual).

Qual é a sua recomendação para os homens que querem praticar, mas acham que o pilates é só para mulheres?

Derrubando os mitos de que Pilates é só relaxamento ou alongamento e que os exercícios são executados apenas na posição deitada. O Método Pilates é um trabalho corporal completo, trabalhamos em todas as posições (deitada, sentada, ajoelhada, em pé e em todos os decúbitos) e em situações de grandes desafios (bolas, bases instáveis, aparelhos que deslocam de um lado para o outro) desenvolvendo força, flexibilidade, postura, equilíbrio, alongamento, com o máximo de simetria. Portanto homens que queiram melhorar seu desempenho em outras atividades físicas, que estejam com dores devido à má postura no trabalho, corrida, futebol, ciclismo e outros ou que tenham alguma patologia física, procurem o Método PILATES que ele ajudará você a desenvolver a sua conscientização corporal e o seu desempenho nas várias atividades do dia a dia.

 

12 perguntas e respostas sobre o PILATES

1- Qual a diferença entre pilates e ioga?
A ioga é uma prática originada na Índia há mais de 5 mil anos. O pilates é uma técnica ocidental de cerca de 100 anos. Conhecida como um estilo de vida que prega a harmonia entre corpo, mente e espírito, a ioga tem um apelo metafísico. “Os exercícios são uma forma de elevação espiritual”, afirma Shakti Leal, coordenadora do espaço Nirvana no Rio. No pilates, equilíbrio e concentração são questões objetivas. Os movimentos de cada exercício são tão complexos, que é quase impossível executá-los sem uma boa dose de concentração.
2- Pilates é feito no chão ou em aparelhos?
Nos dois. Nos aparelhos, as aulas geralmente são individuais. O aluno tem total supervisão do professor. As molas permitem que cada aparelho se adapte ao corpo e à postura do aluno, sem forçar demais nem machucar. Por esses dois motivos, as aulas com equipamentos são mais indicadas a quem tem algum tipo de lesão.

No chão, é possível fazer aulas em grupos maiores, embora os estúdios normalmente evitem lotar suas sessões. Nas academias, esse número pode chegar a 30 praticantes. Apesar de envolver movimentos livrese sem o auxílio de aparelhos, as aulas no chão, afirmam profissionais da área, não são mais difíceis nem exigem mais esforço. Os exercícios de solo e com aparelhos produzem os mesmos resultados.
3- O pilates tem os mesmos efeitos da musculação?
 Não. Os exercícios do pilates fortalecem, mas não fazem os músculos crescer tanto quanto a musculação. O pilates trabalha mais com a repetição de movimentos e menos com o aumento das cargas. Além disso, as molas usadas nos aparelhos oferecem um tipo de exercício diferente dos executados na musculação. “As molas produzem resistência constante e movimentos precisos”, diz Isabel Sacco, professora de biomecânica da Universidade de São Paulo (USP). “Na musculação, a eficiência do movimento depende do ângulo correto de cada exercício.” Outra diferença é que os exercícios de pilates feitos no chão trabalham vários grupos musculares ao mesmo tempo, enquanto na musculação cada exercício estimula, normalmente, um músculo por vez.

“O pilates me deu um corpo mais definido e menos inchado”, afirma o empresário Sérgio Sacchi, de 44 anos. Depois de descobrir três hérnias de disco, consequência de anos de exercícios sem alongamento adequado, tinha parado com as atividades físicas. Sacchi conheceu o pilates há dez anos. “Foi a alternativa que encontrei para me exercitar, depois dos problemas na coluna.”
4- Pilates cura hérnia e outros problemas na coluna?
Não existe cura para hérnia ou outras lesões, mas há meios de atenuá-las e reduzir as dores. Médicos e fisioterapeutas indicam pilates como uma boa opção para quem tem lesões na coluna por causa dos exercícios de baixo impacto, do fortalecimento dos músculos abdominais e da correção de problemas posturais. “Indico a prática a meus pacientes, assim como recomendo a reeducação postural (RPG) e a fisioterapia tradicional”, afirma Jamil Natour, professor de reumatologia da Unifesp.

A designer Karina Arruda, de 42 anos, recorreu ao pilates para cuidar da postura. Depois de sua primeira gravidez, há três anos, Karina começou a sentir dores e descobriu uma hérnia de disco. Por indicação médica, procurou as aulas de pilates e, depois de seis meses, parou com os analgésicos. “Não tomo mais nada”, diz. A dona do estúdio onde Karina treina, Luciana Araújo, diz que muitos alunos chegam por indicação médica.
5- Pilates evita lesões futuras?
Não. Para os especialistas, não há como comprovar que o fortalecimento da musculatura do abdome proteja a coluna contra novas lesões. “É uma besteira”, afirma Daniel Feldman, reumatologista da Unifesp. “O fortalecimento desses músculos não evita lesões.”  

6- Pilates emagrece?
Não necessariamente. Apesar de alguns exercícios exigirem um grande esforço físico, o objetivo do método não é a perda de peso. Para quem quer emagrecer, atividades aeróbicas são a melhor opção.

7- Pilates faz crescer?
Não. O pilates não acrescenta centímetros mágicos à estrutura óssea de seus praticantes. Mas melhora a postura. Por causa da postura mais ereta, temos a impressão de que crescemos, porque andamos menos curvados.
8- Quais são as variações do pilates?
É um assunto controverso entre os adeptos do método. Ao longo dos anos, os exercícios criados por Pilates foram incorporando novidades e se espalharam pelo mundo. Nas academias, o método ganhou adaptações, como swim pilates (na piscina), jumpilates (que alterna três minutos de pulos com um de pilates), iogilates (pilates e meditação). Os mais puristas afirmam que as variações da técnica criada por Papa Joe não são pilates. Assim, bolas e exercícios na água seriam uma deturpação da prática. “Estão usando o nome de um gênio da forma errada”, afirma Romana Kryzanowska, americana que se considera sucessora de Joseph Pilates. Mas Pilates nunca registrou seu método e Romana não foi sua única discípula.  

9- Pilates tem algum perigo?
Assim como acontece com qualquer exercício, o pilates mal executado pode agravar as lesões de quem procura o método com fins terapêuticos ou mesmo causar novas lesões. “Cuidado com professores que defendam uma coluna completamente reta ou que peçam para o aluno ‘encaixar o quadril’, posição em que o quadril se move para a frente e a curvatura lombar tende a ficar mais reta”, afirma Isabel Sacco. Isabel explica que, ao tentar reverter a curvatura normal da coluna, diminuímos sua capacidade de resistir a cargas e a deixamos mais vulnerável a lesões.
10- Como saber se a academia de seu bairro é séria?
A melhor maneira de se precaver na hora de escolher o estúdio ou a academia é verificar quem são os professores e quantas horas de aulas eles têm em sua formação. As principais instituições que emitem certificados no Brasil são reconhecidas pela Pilates Method Aliance, aliança internacional do método, e exigem um mínimo de 450 horas de aula. Esse número pode ser alterado para 360 horas de aula em cursos de especialização, como previsto pelo MEC. Os dois modelos são confiáveis. “Fuja de professores que tenham um workshop de fim de semana como único treinamento para dar aulas de pilates”, afirma Alice Becker, presidente da Aliança Brasileira de Pilates.
11- Pilates pode ser praticado por qualquer pessoa?
Não. Crianças abaixo de 6 anos ainda não têm estrutura óssea, dos músculos e ligamentos completamente formados. Pessoas com osteoporose grave ou com lesões graves na coluna também não devem praticar.
12- Existe algum limite para o número de aulas?
Assim como na musculação, especialistas recomendam que os músculos descansem por 48 horas. Como no pilates a musculatura do core é sempre exercitada, o ideal é alternar os dias. Isso dá uma média de três vezes por semana.