Salgueiro(PE) 2 x 0 ABC(RN)

19/02/2016 00h52 – Atualizado em 19/02/2016 00h53

Salgueiro supera “apagão”, vence ABC por 2 a 0 e assume a liderança

Defeito na iluminação deixa partida paralisada por quase meia hora. Dentro de campo, Carcará e Alvinegro fazem jogo ruim, mas time pernambucano vence e assume a ponta

O Salgueiro é o novo líder do grupo A da Copa do Nordeste. Na noite desta quinta-feira, o Carcará vence em casa, no Estádio Cornélio de Barros, o ABC por 2 a 0 e assumiu a ponta da tabela, com quatro pontos. Apesar de estar empatado em número de pontos com o Campinense, o time pernambucano tem melhor saldo de gols – dois contra um. O baixo desempenho técnico das duas equipes em campo acabou ficando de lado por conta do “apagão”, já que um dos disjuntores do estádio apresentou um defeito e provocou uma queda de energia, que durou 26 minutos.

Os gols da equipe pernambucana foram marcados pelo atacante Piauí, aos cinco minutos do primeiro tempo, e Jefinho Berger, aos 19 minutos do segundo tempo. A partida ainda reuniu um público de 5.377 espectadores, em virtude de uma promoção realizada pela diretoria do Salgueiro, que colocou os ingressos com preços de R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia). A renda do jogo foi de R$ 8.978,00.

Salgueiro x ABC (Foto: Ednardo Blast/ TV Grande Rio)
Com ingressos promocionais, jogo entre Salgueiro e ABC teve um bom público
(Foto: Ednardo Blast/ TV Grande Rio)

Na próxima rodada, o ABC joga em casa contra o Imperatriz, no Estádio Frasqueirão. A partida acontece no dia 24 de fevereiro, às 19h30. O Salgueiro encara, no dia 25 de fevereiro, no Estádio Amigão, o Campinense. O jogo está marcado para as 19h.

O jogo

Jogando em casa, o Salgueiro foi mais decisivo e mostrou, logo aos cinco minutos de bola rolando, que não deixaria a vitória escapar. Ranieri desceu em velocidade pela direita e cruzou forte. A bola passou por toda a área, até aparecer o atacante Piauí, e mesmo caído, completar para o fundo da rede. O goleiro Vaná, do ABC, não esboçou uma reação e ficou apenas observando a bola entrar. Quando a partida começava a engrenar, um “apagão” deixou o Estádio Cornélio de Barros às escuras durante 26 minutos. O delegado do jogo, Erich Bandeira, informou aos técnicos dos clubes que o problema havia ocorrido em um dos disjuntores do sistema de iluminação. Com o problema resolvido, Carcará e Alvinegro voltaram a se enfrentar e foi o time potiguar que chegou com perigo, depois que o atacante Alemão driblou a zaga, mas finalizou para fora.

Salgueiro x ABC (Foto: Ednardo Blast/ TV Grande Rio)
Estádio Cornélio de Barros sofreu um apagão de 26 minutos no primeiro tempo
(Foto: Ednardo Blast/ TV Grande Rio)

Na etapa final, a partida perdeu qualidade e os jogadores erraram muito passes, principalmente do Alvinegro. Ao Salgueiro, restavam as jogadas de bolas aéreas, tanto que depois de um cruzamento pela esquerda, a defesa abecedista vacilou na marcação e a bola sobrou para Jefinho Berger, que ampliou o placar. No final do jogo, o meia Cássio, em jogada individual, passou por três adversários e bateu de esquerda, mas a bola bateu na trave de Vaná e foi para fora.

GLOBO ESPORTE.COM

Dois homens suspeitos de aplicarem golpes em banco são presos no Piauí

Dupla instalava gavetas falsas em caixas para reter depósitos em envelopes.
Suspeitos eram procurados pelas polícias de Pernambuco, Ceará e Bahia.

Bandeira do estado do Piauí

Imagens do sistema de monitoramento interno mostra ação da dupla (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Imagens do sistema de monitoramento interno mostra ação da dupla

(Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Dois homens, um de 24 anos e o outro de 29, foram presos na noite deste sábado (11) suspeitos de aplicarem golpes em banco na cidade de Parnaíba, Litoral do Piauí. Segundo a polícia, os criminosos instalavam gavetas falsas em caixas eletrônicos para reter depósitos em envelopes. Os dois suspeitos estão presos na Polícia Federal de Parnaíba, onde foram autuados em flagrante.

Criminosos instalavam gavetas falsas em caixas eletrônicos (Foto: Divulgação/Polícia Militar)
Criminosos instalavam gavetas falsas em caixas
eletrônicos (Foto: Divulgação/Polícia Militar)
Com a dupla, polícia apreendeu material para produzir outras gavetas (Foto: Divulgação/Polícia Militar)
Com a dupla, polícia apreendeu material para pro-
duzir outras gavetas (Foto: Divulgação/PM)

A prisão foi feita pelo comado de Polícia Militar da cidade litorânea. A prisão foi feita pelo comado de Polícia Militar da cidade litorânea. Com os suspeitos foram encontrados cartões de contas bancárias, outros simulacros de gaveta pronto para serem instalados, ferramentas, celulares e dinheiro.

Segundo o coronel Lucena, a informação chegou até a polícia depois de denúncias de populares que observaram movimentações estranhas dos criminosos em caixas eletrônicos nas cidades de Parnaíba e Luís Correia.

Lucena disse ainda que logo que a informação chegou ao conhecimento da polícia, as agências bancárias foram acionadas que passaram a observar a ação dos suspeitos através das câmeras de monitoramento interno. Ainda de acordo com o coronel, a dupla era procurada pelas polícias dos estados de Pernambuco, Ceará e Bahia.

“Durante as diligências, nossas equipes perceberam que as gavetas de recebimento de envelopes de depósito de vários caixas eletrônicos estavam adulterados. Eles colocaram um simulacro de gaveta. Com essas gavetas falsas implantadas, os envelopes com o dinheiro ficavam presos e posteriormente eram resgatados pelos criminosos”, disse.

 

G1.COM.BR

Veículo de passeio capota na Avenida Litorânea em São Luís

Acidente aconteceu nesta tarde (9) e envolveu um carro do estado do Piauí.
Não foi registrado nenhum engarrafamento na Avenida Litorânea, na capital.

Bandeira do estado do Maranhão

Pneus do veículo ficaram para cima após o capotamento ocorrido na Avenida Litorânea em São Luís (Foto: Marcial Lima/TV Mirante)

Pneus do veículo ficaram para cima após o capotamento ocorrido na Avenida Litorânea em São Luís (Foto: Marcial Lima/TV Mirante)

Um veículo de passeio de placas OUA-8288, do estado do Piauí, capotou na tarde desta quinta-feira (9) na Avenida Litorânea, situada na orla marítima de São Luís. Após o capotamento, os quatro pneus do carro ficaram para cima.

Segundo informações de testemunhas, o veículo capotou e parou bem em cima do canteiro central da Avenida Litorânea. Não há registro de feridos, até o momento, no local do acidente.

Uma viatura da Polícia Militar e uma ambulância do Corpo de Bombeiros já estão no local para realizar os primeiros procedimentos.

Apesar da gravidade do acidente desta quinta (9), não foi registrado nenhum engarrafamento na Avenida Litorânea, na capital.

 

G1.COM.BR

Teresinense trabalhou 11 dias para comprar uma cesta básica em maio

Pesquisa do Dieese mostra que cesta básica custou R$ 375,64 em maio.
Valor da cesta em Teresina é o maior entre todas as capitais do Nordeste.

Bandeira do estado do Piauí

Papel higiênico foi o item da cesta básica que apresentou maior variação de preço em supermercados de São Luís (Foto: Biné Morais/O Estado/Arquivo)

Valor da cesta básica em Teresina teve um pequeno recuo (Foto: Biné Morais/O Estado/Arquivo)

O trabalhador teresinense necessitou cumprir uma jornada de 93 horas e 55 minutos, ou pouco mais de 11 dias de trabalho, para comprar uma cesta básica no mês de maio, que custou R$ 375,64. Os dados são do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese) mostram também que o valor da cesta em Teresina é o mais cara entre todas as capitas do Nordeste.

Apesar das informações acima, o valor da cesta na capital piauiense foi 0,68% menor do que em abril. Entretanto, nos primeiros cinco meses do ano, a cesta acumulou alta de 9,33%.

A pesquisa do Dieese mostra também que, quando se compara o custo da cesta e o salário mínimo líquido, ou seja, após o desconto referente à Previdência Social, verifica-se que o trabalhador teresinense que recebe o salário mínimo comprometeu, em maio, 46,40% dos vencimentos para adquirir a cesta.

Dos 12 itens alimentícios pesquisados, seis registraram aumento de preço, cinco apresentaram retração e, somente, o café em pó não variou. As elevações foram observadas no preço da manteiga (7,79%), do feijão carioquinha (7,25%), da farinha de mandioca (5,29%), do leite integral (3,39%), do pão francês (0,21%) e da carne bovina (0,04%). As quedas ocorreram no preço da banana (-8,40%), do tomate (-6,85%), do óleo de soja (-1,21%), do açúcar (-1,05%) e do arroz (-0,29%).

O preço da manteiga seguiu em alta e registrou variação de 7,79%, sendo o produto que sofreu a maior elevação dentre os produtos da cesta. O leite integral apresentou aumento de 3,39%. A baixa produção de leite, em decorrência do período de entressafra, ocasionou no aumento do preço do leite e derivados.

 

G1.COM.BR

Hospital de Urgência de Teresina alerta para os riscos de queimadura durante o São João

Junho e julho, o HUT registra um aumento de 50% no número de vítimas.
Unidade de Queimados do HUT atendeu, em 2015, 319 vítimas.

Bandeira do estado do Piauí

HUT - Hospital de Urgência de Teresina (Foto: Fernando Brito/G1)

HUT – Hospital de Urgência de Teresina (Foto: Fernando Brito/G1)

No Dia Nacional de Luta contra Queimaduras, 06 de junho, o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) faz um alerta à população para o aumento no número de vítimas de queimaduras durante o período junino. Tradicionalmente, nos meses de junho e julho, o HUT registra um aumento de 50% no atendimento de queimados.

Gilberto Albuquerque, diretor do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) (Foto: Fernando Brito/G1)
Gilberto Albuquerque, diretor do Hospital de
Urgência de Teresina (Foto: Fernando Brito/G1)

A Unidade de Queimados do HUT atendeu, em 2015, 319 vítimas de queimaduras sendo 56 choques elétricos, 71 fogo, 134 substâncias quentes e 58 sem especificações. Segundo o diretor geral, Gilberto Albuquerque, o aumento no número de vítimas de queimaduras, por fogos de artifício, ocorre principalmente durante as festas juninas e réveillon.

“Esse número aumenta em torno de 100%. Apenas este ano já atendemos 132 vitimas de queimaduras. Já chegamos a atender 43 pessoas vitimas de queimaduras durante o período junino e virada de ano, sendo que nossa média é em torno de 20 atendimentos mês”, destacou.

A média de vítimas de queimaduras, somente por fogo, é de seis internações por mês, porém, durante as festas juninas esse número já chegou a 14 vítimas, no mês de julho. De acordo com o cirurgião plástico do HUT, Fabrício Viana, as queimaduras por fogos de artifícios são muito graves, pois na maioria das vezes deixam sequelas físicas e psicológicas.

“Esses pacientes perdem dedos e até a mão completa. Quando atinge a face, geralmente, ficam com sequelas mais graves chegando a perda da visão. São queimaduras graves com períodos muito longos de internação. Casos de mais de dois anos de internação”, alertou o médico.

Fabrício explicou ainda que o aumento no número de barracas com comidas típicas também colabora para aumentar no número de acidentes com líquidos quentes. “A manipulação desses líquidos requer um cuidado redobrado. É bastante comum explosões de botijões de gás e manuseio errado de álcool liquido e óleos durante o preparo de alimentos”.

Em caso de queimaduras, qualquer que seja a extensão e gravidade, Gilberto Albuquerque, diretor geral do HUT, recomendou a população que procure atendimento médico o mais rápido possível. “A primeira medida é lavar com água gelada o local atingido pelo fogo ou substancia quente. Em seguida a vitima deve procurar atendimento médico”.

Gilberto lembra ainda que não se deve colocar café, óleo, pasta de dente, manteiga, ou qualquer outra substância sobre a queimadura. Segundo ele a utilização de substâncias caseiras podem piorar a gravidade da queimadura.

 

G1.COM.BR

Homem é preso ao cobrar R$ 20 por vaga de emprego que não existia no PI

Polícia disse que cerca de 400 pessoas chegaram a pagar taxa de R$ 20.
Suspeito está preso em União e foi autuado em flagrante por estelionato.

Bandeira do estado do Piauí

Centenas de pessoas foram vítimas de estelionato em União (Foto: Júnior Lopes/Polícia Civil)

Centenas de pessoas foram vítimas de estelionato em União
(Foto: Divulgação/Polícia Civil)

Um homem de 29 anos foi preso no fim da tarde desta quinta-feira (2) suspeito de cobrar taxa para vagas de emprego que não existiam. Segundo a polícia, cerca de 400 pessoas teriam participado do processo seletivo e pagaram cerca de R$ 20, cada. O suspeito está preso na cidade de União, a 59 km de Teresina, e foi autuado em flagrante pelo crime de estelionato.

Segundo o Júnior Lopes, chefe de investigação da Polícia Civil em União, a polícia chegou até o suspeito depois que vítimas chegaram até a delegacia informando que o homem estava oferecendo vagas para uma empresa da construção civil e cobrando para que as pessoas concorressem às oportunidades.

As vagas eram ofertadas nas redes sociais e na internet. Ainda conforme o agente da polícia, a empresa existe e funciona no bairro Promorar, Zona Sul da capital.

“Ele saiu de Teresina saindo com algumas pessoas para fazer essa seleção em União. Oferecia vagas de pedreiro, carpinteiro, serviços gerais, cobrava um valor de R$ 20, mas era golpe. O movimento na cidade chamou a atenção da polícia. Sabemos de pelo menos 400 pessoas que chegaram a pagar para fazer a seleção, e de muitas outras que esperavam para serem atendidas”, disse.

Outras três pessoas que ajudavam o homem no cadastramento dos candidatos às supostas vagas foram encaminhadas para a delegacia, mas alegaram desconhecer a ação criminosa do suspeito, foram ouvidos e depois liberados. Segundo o chefe de investigação, eles receberiam uma diária, prometida pelo suspeito, de pelo menos R$ 100.

 

G1.COM.BR

Governo acusa intransigência e pede ilegalidade da greve dos docentes

Professores da Universidade Estadual do Piauí estão em greve há 44 dias.
Governo diz que atendeu todas as demandas dos docentes.

Bandeira do estado do Piauí

Universidade Estadual do Piauí (Foto: Catarina Costa/G1)Universidade Estadual do Piauí (Foto: Catarina Costa/G1)

Após a decisão dos professores da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) de continuar com a greve, o governo do estado pediu na Justiça nesta quarta-feira (1º) a ilegalidade da paralisação que já dura 44 dias. Para o secretário de administração, Franzé Silva, o estado atendeu todas as demandas e os docentes têm sido intransigentes.

“Para a pauta que a categoria apresentou o Estado já deu todas as respostas possíveis. E diante da intransigência do movimento, o Governo precisa tomar uma medida de proteção aos alunos que estão sem aulas há mais de um mês. Por isso, mostraremos ao judiciário que as respostas às pautas reivindicadas já foram ofertadas e que a greve ainda não encerrou”, disse.

A presidente da Associação dos Docentes da Uespi (ADCESP), Lina Santana, afirmou que ainda não foi oficialmente informada do pedido de ilegalidade e que o governo não atendeu e nem se pronuncia sobre duas pautas de reivindicação.

“Dois pontos importantíssimos não foram resolvidos. O nosso reajuste salarial que não recebemos há três anos e a progressão e promoções dos professores, um direito que está previsto na lei. Aliás, estamos judicilizando o governo para que cumpra com as progressões”, afirmou Santana

Governo diz que fez o que podia
A secretaria de administração afirma que o governo do Estado já se comprometeu a disponibilizar R$ 25 milhões para reparos e reformas nos campi; além de realizar as progressões salariais e a mudança de nível das categorias. “O governador Wellington Dias já se reuniu com uma comissão das categorias da Uespi. Ele garantiu R$ 25 milhões para a instituição fazer reparos e reformas nas estruturas de cada campi de acordo com a necessidade da comunidade acadêmica”, disse o secretário Franzé.

O gestor destacou ainda que os servidores e professores  foram retirados da Lei de Lotação, aprovada pela Assembleia Legislativa.

Outra demanda da Uespi é a progressão e mudança de nível de docentes e técnicos administrativos da instituição. A SeadPrev já propôs a homologação dos pedidos de promoção e progressão docentes em duas etapas: a primeira em junho e a segunda em outubro deste ano. Para os técnicos, o pagamento seria concluído em junho, sem a necessidade de parcelamento.

Professores rejeitam a proposta do governo e mantêm greve (Foto: Aniele Brandão)Professores da Uespi rejeitam a proposta do governo e mantêm greve
(Foto: Aniele Brandão/TV Clube)

Servidores retornam
Enquanto o impasse entre os docentes continua, os servidores técnico-administrativos decidiram por fim a greve após 40 dias paralisados. A representante da categoria, Leda Simone, frisou que a decisão veio após aprovação do reajuste salarial na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi).

Em sessão plenária segunda-feira (30), os deputadores estaduais aprovaram o reajuste salarial proposto pelo governador Wellington Dias aos servidores da Uespi. Pelo projeto, os reajustes serão concedidos para três classes e cinco padrões (letras). O nível fundamental inicia com R$ 880 (classe I Padrão A) e alcança R$ 1.046,67 (classe III Padrão E). O nível médio começa com R$ 994,72 e chega a R$ 1.969,48. Já o nível superior tem  R$ 1.637,72 para o classe I Padrão A e R$ 3.732,49 para a classe III padrão E.

“Vamos retornar ao trabalho, mas esperando que a tabela proposta seja cumprida. Caso o reajuste de junho não seja cumprido, realizaremos nova assembleia para decidir o retorno da greve”, completou Leda Simone.

 

G1.COM.BR

Quadrilha explode banco e faz dois vigilantes reféns em Castelo do Piauí

Ação criminosa ocorreu na madrugada desta terça-feira (31).
Homens das polícias Civil e Militar de Teresina se deslocaram para a região.

Bandeira do estado do Piauí

Agência ficou bastante danificada com a explosão (Foto: Divulgação/Polícia Militar)
Agência do Banco do Brasil ficou bastante danificada com a explosão
(Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Pelo menos seis homens fortemente armados assaltaram na madrugada desta terça-feira (31) uma agência do Banco do Brasil na cidade de Castelo do Piauí, a 190 km de Teresina. De acordo com a polícia, os criminosos usaram material explosivo e fugiram levando o cofre da agência bancária e dois vigilantes como reféns.

Criminosos usaram explosivos durante a ação criminosa (Foto: Divulgação/Polícia Militar)
Criminosos usaram explosivos durante a ação
criminosa (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Além da explosão, também houve tiroteio no entorno da agência. Segundo o delegado Willame Morais, gerente de policiamento da Polícia Civil no interior, os dois vigilantes foram liberados no início da manhã no município de Juazeiro do Piauí, que fica na região de Castelo.

Ainda conforme o delegado, os assaltantes usavam armamento pesado como armas calibre 12 e 40 e ainda um fuzil calibre 556. A quantia levada pelos assaltantes ainda não foi contabilizada.

Homens das polícia Militar e Civil já se deslocaram para a região para reforçar a segurança e iniciar a perseguição aos bandidos. Ninguém ficou ferido no assalto.

Nova explosão
Esta não é a primeira vez que a mesma agência é alvo da ação de criminosos. Em agosto do ano passado, uma quadrilha explodiu os caixas eletrônicos e ainda levaram vários malotes de dinheiro. Por conta da ação criminosa, a agência ficou fechada e os moradores tiveram que recorrer à cidades vizinhas ou ao banco postal dos Correios.

 

G1.COM.BR

‘Castração química é nosso grito de punição’, diz delegada sobre estupro

Vilma Alves, titular da Delegacia da Mulher, falou sobre estupro coletivo.
Delegada defende mudanças no Código Penal para tornar penas mais ‘duras’.

Delegada Vilma Alves defende castração dos suspeitos de estupro coletivo (Foto: Priscila Caldas)
Delegada Vilma Alves defende castração de acusados de estupro (Foto: Priscila Caldas)

A titular da delegacia da mulher de Teresina, Vilma Alves, voltou a se manifestar em defesa da castração química para acusados de estupro. “A castração química é nosso grito de punição”, postou a delegada em sua conta no Facebook.

A declaração da delegada foi feita em virtude do estupro coletivo no Rio de Janeiro contra uma adolescente de 16 anos, cujo ato teria sido praticado por 33 homens. Vilma Alves já havia defendido a castração química na época do estupro ocorrido em Castelo do Piauí contra quatro amigas, que completou um ano na sexta-feira (27).

“Estou com meus sentimentos abalados, como de todas as mulheres de nosso país. Mais um crime com requintes de perversidade que corta nossa carne, atinge nossa alma e destrói nossa dignidade”, postou a delegada.

Vilma Alves critica ainda o código penal e sugere que o Congresso Nacional reveja as penas de forma a torná-las mais ‘duras’.

“Chega de massacre, crimes de estupro contra as mulheres brasileiras que acontecem de Norte a Sul, com pensamentos machistas de que somos coisas, objetos e propriedade. Somos cidadãs e merecemos ser respeitadas”, falou ainda a delegada.

O Código Penal Brasileiro, em seu artigo 213 (alterado pela Lei 12.015/09), considera atos libidinosos não consentidos como crime de estupro.

“Constranger alguém, mediante violência ou grave ameaça, a ter conjunção carnal ou a praticar ou permitir que com ele se pratique outro ato libidinoso”, descreve a lei.

“Incorre na mesma pena quem pratica as ações descritas com alguém que por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, ou que, por qualquer outra causa, não pode oferecer resistência”, acrescenta.

Na castração química, drogas são usadas para reduzir o desejo sexual de uma pessoa. Países como Rússia, Austrália, Coreia do Sul, Dinamarca, Grã-Bretanha, Polônia e Estados Unidos já empregaram essa punição, em alguns casos como forma de reduzir o tempo de prisão.

Casos no Piauí
Na semana passada, uma adolescente de 17 anos foi vítima de estupro na cidade de Bom Jesus, Sul do estado. Um jovem de 18 anos e mais quatro adolescentes são suspeitos do crime. Segundo a polícia, a garota teria sido drogada e abusada pelo grupo. Populares encontraram a adolescente amordaçada com a própria calcinha em uma obra.

Na sexta-feira (27), os quatro adolescentes foram liberados após determinação judicial. Na sentença, o juiz Eliomar Rios Ferreira justificou que os menores têm bons antecedentes e a soltura deles não representaria risco para a sociedade e nem prejudicaria o andamento do processo. Apenas o jovem de 18 anos foi mantido preso.

Há um ano, uma barbárie chocou a população de Castelo do Piauí, Norte do estado, a 190 km de Teresina. Quatro garotas foram estupradas, agredidas e arremessadas do alto de um penhasco de cerca de 10 metros de altura. Uma das meninas não resistiu aos graves ferimentos e morreu.

Quatro rapazes e mais um adulto, identificado como Adão José Silva Sousa, foram apontados pelo Ministério Público Estadual e pela polícia como autores da série de atrocidades. Três dos adolescentes cumprem medida socioeducativa no Centro de Educação Masculino (CEM). Um quarto rapaz foi agredido até a morte pelos companheiros dentro do alojamento por ser o delator do crime.

Foram imputados individualmente a cada um deles os atos infracionais equivalentes aos seguintes crimes: prática de quatro estupros, três tentativas de homicídio e dois homicídios (a morte de Daniely, uma das vítimas do estupro, e de Gleison). O prazo para cumprimento da medida é de três anos, podendo ser estendido, já que os menores serão avaliados a cada seis meses.

A Defensoria Pública apresentou recurso e recorreu da decisão. O julgamento desse recurso deve acontecer esta semana no Tribunal de Justiça.

Adão José Silva Sousa está preso há um ano na Casa de Detenção Provisória de Altos, onde ainda aguarda julgamento.

 

G1.COM.BR