Linha de Passe vai ser exibido nos dias de jogos da Seleção Brasileira

Linha especial 
O “Linha de Passe”, mesa redonda da ESPN Brasil, terá exibições extras durante a Copa América, indo ao ar também nos dias de jogos da Seleção Brasileira.
O programa, com mediação do Paulo Andrade, conta com as participações fixas de José Trajano, Juca Kfouri, Arnaldo Ribeiro e Mauro Cezar Pereira.

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

afg afgafgafg afg

ESPN Brasil viajou domingo para Berlim para a cobertura da final da UEFA Champions League

Juventus F.C. Logo.pngFCBarcelona.svg

Profissionais da ESPN Brasil embarcaram domingo rumo à Berlim para a cobertura da final da UEFA Champions League…

 … O jogo entre Juventus e Barcelona acontece neste próximo sábado às 15h45…
 Serão 20 profissionais diretamente envolvidos com a transmissão na Alemanha…
… No vídeo, Paulo Andrade, Paulo Calçade, Mauro Cezar Pereira, Juan Pablo Sórin, Alex (ex-jogador), Mendel Bydlowsi e João Castelo Branco.
… Globo e Band farão o jogo do Brasil.
Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Flávio Ricco comenta uso de palavra inglesa na narração de Paulo Andrade

nf8b

Passar do ponto

O narrador da ESPN, Paulo Andrade, um dos melhores em campo, dia desses tentou explicar uma jogada, sem nenhuma necessidade porque a própria imagem não havia deixado dúvida, usando a palavra “tilt”.

Por que ela? Não havia outra em português? Passou para o telespectador a responsabilidade de saber o que se tratava.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Quando um narrador esportivo faz a diferença em um jogo

Quando um narrador esportivo faz a diferença em um jogo

Divulgação

Eu confesso que gosto da ESPN Brasil. Desde minha infância até sua fase atual, que é excelente. A equipe é afiada, e quando falo equipe, digo todos: apresentadores, editores, comentaristas e repórteres. É o melhor canal de esportes da TV por assinatura hoje, e isto é um fato consumado.
Porém, não é exatamente de ESPN que quero falar nesta coluna, e sim de um profissional nela específico, que já me chama a atenção há algum tempo, mas que de duas semanas para cá tem despertado meu interesse ainda mais. Trata-se de Paulo Andrade, o narrador número um da emissora esportiva da Disney.
Quem me acompanha no Twitter, sabe que considero Paulo um dos três melhores do Brasil – junto com Luís Roberto e Milton Leite -, muito por sua firmeza ao narrar, ao saber passar emoção na dose certa, e ainda não ter trezentos e doze bordões como a maioria dos locutores. Simples, direto, forte ao fazer lances de emoção, e com uma extrema categoria ao conduzir um jogo.
Dito isto, tenho que falar das duas últimas semanas de Paulo. Ele narrou dois jogos de intensidade: “apenas” Real Madrid x Barcelona e Atlético Mineiro x Flamengo, pela Copa do Brasil, na última quarta. Os dois in loco. E foram os dois primeiros jogos de Andrade depois de uma perda irreparável: a de seu pai.
No primeiro, não pareceu se abalar, muito pelo contrário. Parecia narrar com mais força, mais vontade, mais garra. Era como se quisesse fazer uma homenagem ao seu pai naquele jogo. Fazer a melhor transmissão da vida para honrá-lo. E este mesmo sentimento aconteceu em Galo versus Fla, onde no quarto gol, foi perfeito ao definir a vitória do time mineiro: era a vitória do inacreditável.
Depois destes dois jogos, uma opinião que já vinha amadurecendo, se tornou 100% concreta: Paulo é, sim, o melhor narrador do Brasil. Se mostra gigante no pessoal, e enorme no profissional. E, sem dúvida, faz a diferença em uma transmissão. E como faz.
Gabriel Vaquer escreve sobre mídia e televisão há vários anos. No NaTelinha, além da coluna “Antenado”, assinada todos os sábados, é responsável pelo “Documento NT” e outras reportagens. Converse com ele. E-mail: gabriel@natelinha.com.br / Twitter: @bielvaquer
NaTelinha

ESPN vai transmitir a Copa Audi

Header

 

A ESPN transmite, a partir de hoje, a Copa Audi, direto da Alemanha…
… Participações do brasileiro São Paulo, Milan, Manchester City e o anfitrião Bayern de Munique…
… Duas duplas irão se revezar na cobertura da competição, a primeira com Paulo Andrade e Mauro Cezar Pereira e a outra Rogério Vaughan e PVC.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Narrador da ESPN relembra jogo do Brasil que não deu audiência no SBT

https://i0.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/bc3d50db1bc99717d119a31410d8346b.jpg

Divulgação/ESPN

Durante o programa “Linha de Passe”, do canal ESPN Brasil, neste domingo (23), o narrador Paulo Andrade comentou sobre um fato que aconteceu quando ainda trabalhava no SBT.

“Eu trabalhava no SBT em 2003 quando resolveram fazer futebol. Eu era o narrador de Brasil x Noruega, torneio Sub-23 do Catar, uma Seleção forte que tinha Kaká e Júlio Batista, entre outros”, começou, dizendo depois que o sinal da partida caiu e ficou por vários minutos sem voltar.

E ele continuou: “Passam-se um, dois minutos sem sinal e qual a audiência? Tínhamos quatro pontos com aquele começo de Noruega x Brasil. Então volta pro estúdio, o apresentador dá aquela enrolada, passam-se cinco minutos e nada do sinal. Para que não ficasse aquela enrolação ali no ar, resolvem colocar um desenho do Frajola e Piu-piu. Aí sabe o que aconteceu? Daquela audiência de quatro pontos, começou a subir para cinco, seis, sete e chegou em 12 pontos durante aquele único desenho de cerca de 15 minutos”.

Depois, Paulo Andrade contou que o SBT resolveu manter o desenho no ar até o final do episódio, mas quando voltou para a transmissão da partida, a audiência despencou novamente.

“Pois bem, o sinal volta e o departamento de esportes liga para a administração: ‘e aí, vamos cortar o Frajola?’. (E respondem): ‘não, não corta o Frajola. A audiência tá boa. Vamos até o fim com o Frajola’. E a gente ali, já com o sinal no estúdio, eu, o narrador, desesperado, quando sai o gol, Brasil 1 a 0, e o Frajola no ar, dando 12 pontos, audiência lá em cima. Aí o jogo volta e em cinco minutos a audiência cai de 12 para três pontos”, relembrou, entre risos.

NaTelinha