Atlético Mineiro 4 x 1 Flamengo

Atlético-MG goleia o Fla em jogo com pênalti perdido e pintura de Dátolo

Galo domina a partida, vence por 4 a 1 e se mantém a cinco pontos do líder. Jogo teve lance desperdiçado por Alan Patrick, dois gols de Jemerson e um contra de Marcelo

Monotonia não entra no vocabulário do jogo entre Atlético-MG e Flamengo, na tarde deste domingo, no Independência, em Minas Gerais. O Galo se recuperou da goleada sofrida por 4 a 0 para o Santos com outra goleada: mostrou superioridade e venceu o Rubro-Negro por 4 a 1. O time de Oswaldo de Oliveira pecou pelos erros. Marcelo fez gol contra, Alan Patrick perdeu pênalti quando o placar estava em 0 a 0, e Jemerson marcou duas vezes de cabeça. Paulinho foi quem descontou para os visitantes, e Dátolo fechou o fim de semana atleticano com um golaço.

Com o resultado, o Atlético-MG se mantém na segunda colocação, com 52 pontos, a cinco do líder Corinthians. Na próxima rodada, enfrenta o Joinville, em Santa Catarina, domingo, às 16h (de Brasília). Já o Flamengo ocupa a sexta colocação, com 41 pontos, a três do G-4. O Rubro-Negro joga o clássico com o Vasco, no Maracanã, no mesmo dia e horário do confronto do Galo.

Dátolo, Atlético-MG x Flamengo Campeonato Brasileiro 2015, Independência (Foto: DANIEL TEOBALDO/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO)

Dátolo comemora golaço no Independência diante do Flamengo

(Foto: DANIEL TEOBALDO / FUTURA PRESS / ESTADÃO CONTEÚDO)

O ritmo do primeiro tempo valeu por um jogo de futebol inteiro. Os erros do Flamengo definiram a etapa inicial. O Atlético-MG fez uma blitz logo no início, mas foi o Rubro-Negro que mais assustou logo de cara. Aos oito minutos, Marcelo Cirino recebeu na frente e foi derrubado por Victor. Pênalti. Seria o primeiro gol do jogo, se Alan Patrick não tivesse desperdiçado a cobrança, defendida pelo goleiro atleticano. A partida pareceu virar a favor do Galo, que abriu o marcador quando Marcelo cabeceou contra o próprio patrimônio, em lance que deixou todos incrédulos. Mas a torcida da casa mal teve tempo de comemorar. Paulinho, de primeira, após receber de Canteros na área, igualou o placar. Aos 25, Dátolo levantou na área, e Jemerson subiu mais alto do que a zaga adversária para colocar os alvinegros na frente novamente.

O segundo tempo não deixou a desejar. O Flamengo pouco assustou, e o Galo passou a gostar ainda mais do jogo. Aos nove, Jemerson, de novo. O zagueiro aproveitou a cobrança de escanteio de Dátolo para ampliar a vantagem do Atlético-MG. A bola entrou e saiu do gol, mas o árbitro não deixou de validar o lance, corretamente. Dátolo ainda deu um presente para o público que foi ao Independência: linda caneta em Pará e chute colocado para fazer o quarto do time anfitrião. Um golaço que fechou com chave de ouro a vitória.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Renato Maurício Prado comenta Chapecoense 1 x 3 Flamengo

 

Uma das coisas mais impressionantes na autêntica metamorfose sofrida pelo Flamengo, com a saída de Cristóvão e a chegada de Oswaldo de Oliveira, é que até mesmo sem os badalados reforços contratados no “pacote Guerrero”, o time vem jogando e bem e vencendo. Foi o que aconteceu na vitória sobre a Chapecoense, no campo do rival, onde até agora a equipe catarinense havia sofrido apenas duas derrotas – para São Paulo e Corinthians

.
Na Arena Condá, o Fla não pode contar com Guerrero, Emerson e Alan Patrick, que podem ser considerados, sem favor algum, os três jogadores mais talentosos do elenco. E foi com Paulinho, Éverton, Cirino, Canteros etc. (todos ainda do tempo de Vanderlei Luxemburgo), que a equipe dirigida por Oswaldo de Oliveira dominou as ações desde que a bola rolou e obteve um triunfo tranquilo e justo.
É impossível dizer, a esta altura do campeonato, se o rubro-negro conseguirá se manter no G-4 e, consequentemente, garantir uma vaga na Libertadores do ano que vem. Mas que voltou a ser Flamengo, voltou. Toma a iniciativa do jogo em qualquer campo e, na base de um toque de bola surpreendente, busca o gol em primeiro lugar. Que diferença faz um bom treinador!

 

Renato Maurício Prado – O GLOBO – 15/09/2015

Chapecoense 1 x 3 Flamengo

O JOGO

LADEIRA ACIMA

O confronto entre Chapecoense e Flamengo, neste domingo, na Arena Condá, foi um retrato fiel do momento dos dois times no Brasileirão. Enquanto o catarinense, sem ganhar há seis jogos, despenca na tabela e flerta com a zona do rebaixamento, o carioca está ladeira acima, conquistou a sexta vitória consecutiva e firmou pés no grupo da Libertadores. Foi assim, ainda com dois lindos gols, que o Rubro-Negro aplicou 3 a 1. Fácil, ao natural.

 

DESTAQUE

PANORAMA

A sexta vitória em sequência – recorde da edição, ao lado do Atlético-MG – fez o Fla chegar aos 41 pontos. Não perdeu desde a chegada de Oswaldo de Oliveira. É o quarto. A Chape é a 14ª, com 30, e Vinícius Eutrópio pode perder o emprego. Voltam a atuar na quinta-feira. Apesar do mando, o Fla receberá o Coritiba, em Brasília, no Mané Garrincha, às 21h. Um pouco antes, às 19h30, a Chape desafia o São Paulo, no Morumbi.

DESTAQUE

PÚBLICO E RENDA

A tarde ensolarada levou bom público à Arena Condá. Público total de 10.800 pessoas para renda de R$ 327.500,00.

 

DESTAQUE

OS 90 MINUTOS

Foi no primeiro tempo que o Flamengo construiu a vitória. Ao dominar as ações, com maior posse de bola (54% a 46%) e mais finalizações (5 a 2), não demorou a abrir o placar. César Martins cruzou da direita e, de primeira, Paulinho acertou o ângulo esquerdo de Danilo. Eram 10 minutos. Aos 32, Canteros fez o dele, em chute cruzado, depois de passe de Cirino. A Chape, lenta, sem criatividade e muito bem marcada, nada fez. Na etapa final, o panorama se manteve. Mas as chances de gol ficaram escassas. Bruno Rangel e Mayslon, de cabeça, quase descontaram. A melhora foi recompensada: Márcio Araújo fez pênalti em Ananias, convertido por Bruno Rangel. A vitória foi garantida em lindo passe de Ederson para Kayke, na saída do goleiro, fazer o 3 a 1.

 

DESTAQUE

PAULINHO

Não foi apenas o gol. Paulinho fez mais. Ajudou na marcação, inclusive, desarmando Cleber Santana, no primeiro tempo, evitando o que poderia ser gol da Chape. Em campo em todos os jogos com Oswaldo, se transformou em uma das referência na retomada do Fla. Saiu aos 32 minutos do segundo tempo, cansado.

 

DESTAQUE

APODI

As melhores jogadas da Chape saíram dos pés dele. Sempre pela direita, sempre em velocidade. Algumas vezes foi parado apenas com falta. Faltou arriscar mais, chutar a gol, como fizera em outras rodadas. Mesmo assim, foi o melhor do time.

 

GLOBO ESPORTE.COM

 

 

 

 

 

 

Fluminense 1 x 3 Flamengo

Kayke comemora o gol com a Nação

O Mais Querido do Mundo trouxe toda felicidade para a Nação Rubro-Negra ao vencer o clássico deste domingo (6.09), no Maracanã, com grande atuação. O Flamengo se mantém forte na briga pelo G4 em um Fla-Flu que Emerson, Kayke e Paulinho marcaram os gols rubro-negros com Jean, de pênalti, descontando. Agora, a equipe enfrenta o Cruzeiro na quinta-feira (10.09), às 21h, no Maracanã.

O Flamengo iniciou a partida com pressão total, dominando o tricolor desde os primeiros minutos de jogo. Aos três minutos do primeiro tempo, Wallace cabeceou com perigo e Cavalieri rebateu. Em seguida, Kayke aproveitou falha de Gum e chutou com perigo. O atacante voltaria a aparecer quatro minutos depois em jogada iniciada por Everton.

Aos oito, Emerson aproveitou o rebote após cobrança de escanteio e converteu o primeiro gol rubro-negro. Apenas cinco minutos depois, Pará lançou Kayke que não perdoou e fez o segundo. Em seguida, a equipe passou a tocar a bola garantindo o placar até o fim do primeiro tempo.

Segundo tempo

Aos onze do segundo tempo, a arbitragem marcou pênalti para o Fluminense. Jean converteu e o tricolor buscou o empate, mas onze minutos depois Paulinho encerrou o placar em nova jogada de Kayke.

No final da partida, Everton recebeu o segundo amarelo e foi expulso, mas nada que pudesse estragar a festa rubro-negra. O Flamengo segue subindo posições no Brasileiro com a força da Nação Rubro-Negra.

 

Flamengo.com .br

Luverdense 3 x 0 Ceará

O Vovô chegou ao seu oitavo jogo sem vitória na Série B 2015

Site do Ceará Sporting Club

Coritiba 1 x 2 Avaí

Com falhas da defesa alviverde, Avaí vence o Coritiba por 2 a 1, no Couto

Anderson Lopes abre o placar em erro gritante do zagueiro Leandro Almeida e Roberto sela vitória no segundo tempo. Paulinho diminui e marca seu primeiro gol

A noite definitivamente não era do Coritiba. Jogando dentro de casa, o time alviverde cometeu grandes falhas defensivas e acabou derrotado pelo Avaí, por 2 a 1, na noite deste sábado, no Couto Pereira. O time catarinense foi superior e com oportunismo dos seus atacantes, somou mais três pontos no Brasileirão com gols de Anderson Lopes e Roberto. O atacante Paulinho diminuiu para o Coxa e marcou seu primeiro gol com a camisa alviverde.

Com sete pontos, o Avaí cola no G4 e assume momentaneamente a 5ª colocação. Já o Coxa segue com três pontos, na 14ª posição, e com chances de inclusive ingressar na zona de rebaixamento, no caso do Flamengo vencer o Fluminense com dois ou mais gols de diferença.

O Coritiba volta a campo na próxima quinta-feira, diante do Fluminense, às 16h (de Brasília), no Maracanã. Já o Avaí enfrenta o Atlético-MG, às 22h de quarta-feira, na Ressacada.

Coritiba Avaí (Foto: Giuliano Gomes/PR Press)
Avaí vence o Coritiba por 2 a 1 e cola no G4 do Campeonato Brasileiro
(Foto: Giuliano Gomes/PR Press)

Falha de Leandro Almeida e vantagem do Avaí

Os torcedores do Coritiba ainda estavam procurando seus assentos no Couto Pereira quando o zagueiro Leandro Almeida cometeu uma falha bizarra aos 40 segundos de jogo ao recuar mal para o goleiro Bruno e dar a bola de presente para o atacante Anderson Lopes abrir o placar para Avaí. O gol desestabilizou a equipe alviverde, que abusava dos passes errados e do nervosismo. Já o Leão da Ilha cresceu no jogo, assustando nos contra-ataques. A única chance real de gol do Coxa no primeiro tempo saiu dos pés do atacante Wellington Paulista, que acertou a trave aos 14 minutos.

Gol de Paulinho, mais falhas defensivas do Coxa e vitória catarinense

O Coritiba voltou com mudanças e com outra postura no segundo tempo. O atacante Paulinho entrou na vaga do volante João Paulo e foi decisivo. Com apenas quatro minutos em campo, o jogador aproveitou o belo cruzamento de Norberto e igualou o placar ao marcar de cabeça o seu primeiro gol com a camisa alviverde. O gol incendiou o time alviverde, que tinha maior posse de bola, e por muito pouco não virou o jogo. O atacante Rafhael Lucas perdeu duas grandes chances, porém, o atacante Roberto que entrou na vaga de Hugo, não deixou a oportunidade passar. Aos 33 minutos, Roberto aproveita rebote de Eduardo Neto e coloca o Avaí em vantagem novamente. Ao técnico Marquinhos Santos só restou lamentações e muitos xingamentos da torcida alviverde.

 

GLOBO ESPORTE.COM