Renato Maurício Prado critica a CONMEBOL

 

É absurda e revoltante a irresponsabilidade da Conmebol em suas competições. Dos tristes episódios na final da Sul-Americana de 2012, aos diversos tumultos já ocorridos na Libertadores-2013, sobram exemplos de irregularidades inaceitáveis em torneios sérios. Chega desse papo ridículo de que “Libertadores é guerra; é assim mesmo!” Quando deixaremos de ser selvagens?
As lamentáveis cenas da agressão ao técnico Vanderlei Luxemburgo, após o empate do Grêmio com o Huachipato, deveriam ser suficientes para suspender a equipe chilena das competições continentais por longo período.

Alguém em sã consciência pode conceber barbáries como as que temos presenciados por aqui acontecendo na Liga dos Campeões da Europa?

Imagine se nos principais campeonatos europeus um time provocasse um tremendo tumulto, se recusasse a voltar a campo e abandonasse uma final. Ele continuaria disputando as competições seguintes, como se nada tivesse acontecido?

Pois aqui o Tigres fez o que fez na última Sul-Americana e aí está, lépido, disputando a Libertadores, baixando o pau, catimbando e criando confusões como de hábito, sem sofrer punição alguma.

O que vai acontecer com o Huachipato, que protagonizou todo aquele vandalismo ao ser eliminado pelos gremistas? Provavelmente nada. E continuaremos dizendo que Libertadores é assim mesmo, uma batalha atrás da outra, sangue nos olhos…

Ridículos somos nós, que aceitamos essas regras (o mais correto seria dizer a ausência delas) e o comando leniente e conivente da Conmebol.

As competições sul-americanas são vergonhosas. Escândalos de indisciplina, truculência e covardia. A ponto de provocar mortes — como a que aconteceu esse ano em Oruro, por uma impressionante sequência de irresponsabilidades.

Se tivéssemos por aqui um mínimo de decência, simplesmente, as abandonaríamos, até que providências contundentes e definitivas fossem tomadas. Mas , é triste constatar, a nossa CBF difere pouco da vetusta e retrógrada Conmebol.

E vida que segue. Inacreditável! E deplorável…

 

Coluna redigida pelo jornalista Renato Maurício Prado para o jornal carioca O GLOBO no dia 21 de abril de 2013

C´est fini-Flávio Ricco elogia repórter do SPORTV-Flávio Ricco volta amanhã às 12h00 de Fortaleza

PEDRO
MOTA

Como é esse mundo… Na coluna de quarta-feira, depois de ter assistido a entrevista no “SporTV News” da noite anterior, destaquei a qualidade do trabalho do SporTV junto aos pais da criança morta em Oruro. Entre outras coisas, foi uma passagem brilhante do nosso jornalismo. Qual não foi a minha – agradável – surpresa em saber depois que o repórter em questão é o Pedro Mota, filho do amigo e professor Mário Sérgio Cortella.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Mauro Naves está no México

 

Mauro Naves, depois de quase duas inesperadas semanas em Oruro, na Bolívia, retornou ao Brasil no fim de semana.
E já está no México, acompanhando o Corinthians, que joga logo mais pela Libertadores.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery