Após desmanchar o time, Gilvan vende perfil do Cruzeiro no Facebook para o Monaco

Só falta vender os carros dos jogadores (FOTO: Marcelo Oliveira)

Só falta vender os carros dos jogadores
(FOTO: Marcelo Oliveira)

O Cruzeiro tá que tá nesse negócio de vender. Depois de 187 jogadores, do Mascote Raposão e até de um torcedor, o clube anunciou a venda do seu perfil do Facebook para o Monaco.

O Monaco é de propriedade do bilionário russo Zangief, que prepara diversas ações de marketing no Brasil e, para isso, tem adquirido alguns veículos de comunicação brasileiros.

“Eu tentei comprar o perfil de todos os clubes grandes do Brasil, mas só o Cruzeiro topou vender. Aliás, venderam rapidinho, nem precisei negociar muito. Agora vamos usar para realizar ações do Monaco no Brasil”, disse Zangief, antes de complementar: “Tentei comprar a do Palmeiras, mas acabei vendendo meu carro para o Alexandre Mattos. O cara é tinhoso”, finalizou.

O Cruzeiro não descarta mudar de nome novamente e se tornar o Monaco Brasil.

 

Dirigente do Galo, após vencer disputa com Cruzeiro por Pratto: “Freguês até no mercado da bola”

Pratto ouve conselhos de Verón (FOTO: Piatti)

Pratto ouve conselhos de Verón
(FOTO: Piatti)

O Atlético anunciou oficialmente, na noite desta terça-feira, a contratação do atacante argentino Lucas Pratto. Em tom de zoeira, o novo presidente atleticano seguiu um velho hábito de Alexandre Kalil, e divulgou a contratação no Twitter.

Além de ser um reforço importante para a Libertadores, a contratação mostrou que em 2014, o Galão da Massa só deu pancada no Cruzeiro. O argentino era disputado pelos dois maiores clubes mineiros e a vitória acabou ficando com a metade alvinegra de Minas Gerais.

“Copa do Brasil? Fácil. Clássicos no Brasileirão? Barbada. Disputa por jogador? Galo na cabeça de novo. Contra o Cruzeiro estamos invictos em 2o14 em todos os tipos de disputa. Nosso rival é freguês até no mercado da bola. Ou melhor, cliente,”, disse o gerente de futebol do Atlético, Mauro Bocelli.

Agora, a equação do futebol em Minas Gerais fica ainda mais clara: Atlético + argentinos = tremedeira cruzeirense.

 

OFICIAL: Palavra Crüzeiro passa a ser escrita com trema

Além de português, matemática também faz parte do clássico (FOTO: Carlos)

Além de português, matemática também faz parte do clássico
(FOTO: Carlos)

Agora é oficial: O novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa foi aprovado pela presidente Dilma Rousseff. Com uma mudança sutil, porém relevante e legítima, apenas uma palavra mudará a forma como é escrita.

Trata-se da palavra Cruzeiro, que passa a ser escrita com trema no “u”. Portanto, Crüzeiro. O motivo, claro, é futebolístico: “Depois de tremer diante do Atlético na final da Copa do Brasil e durante todo o ano de 2014, o trema no nome do clube se fez necessário. O Cruzeiro treme contra o Galo, a gente sabe disso”, disse Luan, professor de português.

Confira alguns exemplos já utilizando a nova regra:

  • O Crüzeiro treme quando vê o Atlético.
  • O Crüzeiro é o freguês do Atlético.
  • O Crüzeiro está há oito jogos sem vencer o atlético.
  • O Crüzeiro perdeu o clássico mais importante da história para o Atlético.
  • O Verón matou o Crüzeiro.

Segundo o estudioso Paulo Vinicius Galo, o PVG, os cruzeirenses tremem diante do Atlético até em disputa de cuspe a distância.

Colaborou: Fernando Brêtas

 

Para equilibrar, CBF convida Raja Casablanca e Estudiantes para participar das competições brasileiras

Mal começou o horário de Verón e já temos uma notícia bombástica dessa. Cansada de ver o Cruzeiro se destacar no Brasileirão, a CBF decidiu convidar dois times argentinos para participar do campeonato, a partir de 2015. Os hermanos do San Lorenzo e do Estudiantes estarão desfilando toda sua catimba nos gramados tupiniquins.

O dirigente da CBF, Piatti, explicou o motivo do convite: “O Cruzeiro vem numa fase boa e está tomando conta do Brasileirão. Para acabar com isso, encontramos uma maneira bem fácil: convidar o Estudiantes e o San Lorenzo para jogar o Brasileirão. Assim, caiu no Mineirão, virou zoação, porque lá, quando o Cruzeiro receber argentinos, já sabemos o resultado. É choro pra dedéu, rapaz (risos)”, disse.

A outra ideia da CBF é fazer o Atlético priorizar o Brasileirão, já que o Cruzeiro é freguês do Galão da Massa.

Fonte: Olé do Brasil

Mesmo se sentindo em casa, Levir Culpi não crava permanência no Atlético Mineiro

Técnico fala que boa proposta do exterior, além de qualidade de vida, podem atrapalhar a renovação de contrato com o Atlético  Mineiro.

No dia da reapresentação dos campeões da Copa do Brasil na Cidade do Galo, o técnico Levir Culpi voltou a falar com a imprensa e concedeu longa entrevista. O treinador falou sobre a reta final do Brasileirão, não descartou um time com titulares para encarar o Coritiba e entre outras questões, voltou a falar sobre o futuro. Com contrato somente até o fim de dezembro, o treinador não cravou que permanece e deixou no ar que somente uma proposta do exterior, que existe, pode tirá-lo do alvinegro em 2015. Mas como a tendência e até o desejo de Levir é de permanecer em “casa”, garante já pensar na próxima temporada, que terá Libertadores e muitas emoções pela frente.

Levir Culpi, técnico do Atlético-MG (Foto: Reprodução / TV Globo Minas)
Levir Culpi ainda não dá como certa a renovação do seu contrato (Foto: Reprodução / TV Globo Minas)

Sobre a renovação que é dada como certa nos bastidores, mesmo com a saída de Alexandre Kalil, Levir deixou no ar que somente algo do exterior pode tirá-lo do clube.

– O que posso responder é que se permanecer no Brasil o time ideal para eu treinar é o Atlético-MG, se tiver essa oportunidade. Não penso em sair, a não ser que seja algo para o exterior, algo diferente que não espero. Mas se for ficar no Brasil gostaria muito de continuar no Atlético-MG porque podemos fazer um trabalho com continuidade para até, quem sabe, melhorar os resultados.

Não penso em sair, a não ser que seja algo para o exterior, algo diferente que não espero.
Levir Culpi

Com a informação de uma possível mudança de ares, Levir explicou que sempre há propostas de fora, mas que só aceitaria se fosse para um clube estruturado e num país com melhor qualidade de vida.

– Pode me tirar uma proposta do exterior, qualidade de vida e trabalhar com futebol num país ou clube organizado. Isso pode me tirar, sempre existe coisa no ar, mas nesse momento não tenho que dar respostas. Só tenho que conversar com o pessoal do Atlético-MG.

Na quarta passagem pelo clube e perto de se tornar o terceiro treinador que mais vezes dirigiu o Galo (se renovar se tornará o terceiro), Levir garante estar em casa.

– Não sei se sou o treinador ideal do Atlético-MG (pelos bons resultados em quatro passagens), mas sei que me sinto bem aqui. Houve empatia em todas as vezes que vim, com resultados, mas estou feliz e tenho que agradecer. Não sei se sou o certo, mas tenho que agradecer todas as coisas boas que passei aqui em Minas Gerais.

Veja outros trechos da entrevista do treinador  

28 anos de carreira, mas estes sete meses foram os mais intensos?  

– Essa foi especial porque foi pouco tempo e pelas coisas que aconteceram. Foi a decisão da Recopa, logo em seguida o Corinthians, depois o clássico com o Cruzeiro, aí o Flamengo, depois mais duas vezes o Cruzeiro, sempre jogos emocionantes. Uma sequência que não me lembro de ter passado. Com o Cruzeiro passei por uma série de finais, mas desta vez foi intenso e não me lembro de nada disso. Só sei que em seis anos de Japão não aconteceu nada parecido com o que aconteceu aqui.

Levir Culpi, técnico do Atlético-MG (Foto: Reprodução SporTV)
Levir Culpi garante que pedido da torcida para ele ficar não pesa muito (Foto: Reprodução SporTV)

Pedidos da torcida para ficar  

– Não deve alterar, porque ficar no clube envolve uma série de coisas. Lembro de vencer a Série B e os torcedores queriam a continuidade, e agora, 14 anos depois, quando falaram meu nome não queriam que eu voltasse. Depende do resultado e agora eles estão muito positivos. As coisas tendem a continuar, mas é rápido para inverter, se o Cruzeiro faz 2 a 0 e leva para os pênaltis, ou se ganhasse de 3 a 0, a mesma proporção de alegria agora seria inversa, vamos muito para cima e para baixo, por isso procuro analisar com tranquilidade.

Título sem concentração  

– Se tivéssemos perdido duas ou três partidas a crítica ia cair em cima e a situação seria insustentável, isso acontece no futebol brasileiro. Mas tomamos a decisão e em 16 partidas sem concentrar conquistamos dois títulos. Os jogadores tem que entender, temos que evoluir, tivemos alguns problemas e aconteceu o que falei no primeiro dia, que não iríamos sacrificar o grupo por causa de dois ou três. Os jogadores administram isso, houve entendimento, responsabilidade e somos profissionais. Não há necessidade de trancar jogador para não sair, e se sair tem que ter consciência e assumir a responsabilidade. Deu ao grupo o sentido de profissionalismo e união, que nos levou para essa conquista que foi importante.

Meta no Brasileiro

– Nós pensamos em fazer o melhor e são dois jogos pela frente. Tivemos uma reunião com os jogadores, o Maluf esteve presente e falou sobre um assunto importante que é arrecadação de dinheiro para pagar os profissionais. E é uma ótima oportunidade, já que se nos classificarmos entre os primeiros temos a premiação da CBF, e seria importante.

Provocação de Alexandre Mattos, de que Copa do Brasil é secundária  

– Não vou responder dessa maneira. Nós vamos jogar domingo contra o Coritiba e o interessante é encher o estádio, vamos dar volta olímpica com essa taça e vai ser muito legal. Isso vai ficar na memória por muitos anos. Será o ultimo jogo do Kalil. Ele é um visionário maluco, contratou o Ronaldinho quando ninguém contrataria. Foi lá em Curitiba e me chamou também, não me comparando ao Ronaldinho. Daniel deve fazer um grande mandato. E quem participou disso sabe que foi muito difícil. O Cruzeiro está de parabéns, pois foi bicampeão. E ao lado deles está o Atlético, que levou um título contra eles. Então é comemorar esses títulos.

Mais emoção em 2015  

– Às vezes, nas férias, por incrível que pareça podemos nos sentir angustiados, falta jogo, e se tiver que voltar para o Atlético fico tranquilo, porque vai acontecer emoção. E depois que se passa um mês de férias já dá vontade de voltar, principalmente para o Atlético que é um clube de emoção.

GLOBO ESPORTE.COM

Globo Minas bate recorde absoluto de audiência com final da Copa do Brasil

Como já era esperado, a Globo Minas bateu recorde absoluto de audiência com o segundo jogo da final da Copa do Brasil, entre Cruzeiro e Atlético Mineiro, nesta quarta-feira (26).

Segundo dados divulgados pela emissora, o duelo que aconteceu no estádio Mineirão e foi vencido pelo Galo pelo resultado de 1 a 0, marcou 48,5 pontos no Ibope, sendo a maior audiência do ano com futebol na Globo Minas, superando inclusive o primeiro jogo, que fechou com 42 pontos de média.

Além disso, o índice é o maior alcançado pela emissora neste ano, superando inclusive novelas das 21h, como “Amor à Vida” e “Em Família”.

O jogo também obteve excelente audiência no Rio de Janeiro, onde fechou com 29 pontos de média.

Para se consagrar campeão, o Cruzeiro precisava vencer por três gols de diferença no tempo normal, ou por dois para levar o jogo para os pênaltis. Porém, o Galo imprimiu seu ritmo e venceu a partida com gol de Diego Tardelli, levando sua primeira Copa do Brasil.

Os números são consolidados e refletem a preferência de um seleto grupo de telespectadores na Grande Belo Horizonte.

 

NaTelinha

Inspirado em marca de biscoito, Atlético Mineiro lança Pipoca Maria

EXCLUSIVO: Produto que será lançado em breve (Foto: Everton Ribeiro)

EXCLUSIVO: Produto que será lançado em breve
(Foto: Everton Ribeiro)

Depois de se complicar e não conseguir perder a primeira partida por 2 a 0, o Atlético superou as dificuldades e se tornou o Campeão da Copa do Brasil. Para comemorar essa conquista, o clube vai lançar um produto comemorativo. Trata-se da Pipoca Maria, que foi divulgada com exclusividade ao Olé do Brasil, pelo presidente Alexandre Kalil,

“Olha vou ser rápido e rasteiro. Aquela história da torcida do cruzeiro jogar milho na porta do Indepedência e depois os atleticanos responderem com biscoito Maria me deu uma ideia genial. Vamos lançar a Pipoca Maria, que assim agradamos todo mundo e acabamos com essa rivalidade boba”, provocou.

Questionado se com ação, o torcedor do Cruzeiro não guardaria rancor do Atlético, Kalil foi direto: “Com certeza. O Cruzeiro é nosso grande amigo. Até a casa deles eles emprestam pra gente fazer festa. Onde já se viu uma amizade tão bonita?”, disse.

Segundo alguns consumidores que provaram o produto, a Pipoca Maria estoura rapidinho quando vê um Galo.

 

 

Após ficar 90 minutos sem se mover, mosaico cinza do Cruzeiro no Mineirão bate recorde mundial

Segundo informações, o mosaico está montado até agora (FOTO: Marion)

Segundo informações, o mosaico está montado até agora
(FOTO: Marion)

Quem disse que a noite do Cruzeiro foi 100% ruim? O time celeste também tem motivos para comemorar. O mosaico cinza realizado pela torcida do Cruzeiro (imagem ao lado) emocionou os torcedores e ganhou um prêmio histórico.

O trabalho dos cruzeirenses entrou para o Livro dos Recordes como o mais longo já realizado em um estádio de futebol. Segundo o gerente do Guinness, Frank Underwood, este é um dos maiores recordes da história do livro.

“Nós já vimos recordes absurdos, outros mais normais, etc. Mas este do Cruzeiro matou a pau. Um jogo inteiro sem se mover? É muita disciplina! Estão de parabéns e merecem o reconhecimento”, disse.

Apesar da conquista, os torcedores do Cruzeiro foram criticados por cantarem menos que os poucos atleticanos que estavam no Mineirão. Os celestes justificaram: “Ficamos quietos pra não desconcentrar o time”.

Impressionado com a reação da torcida e feliz com as equipes de atletismo e vôlei, o Cruzeiro pensa investir no tênis: “A torcida já está até adaptada ficando calada durante os jogos”, disse o presidente celeste.

 

Renato Maurício Prado comenta o bom momento de Cruzeiro e Atlético Mineiro

taça Copa do Brasil Flamengo (Foto: Reuters)

Cruzeiro e Atlético-MG decidem o título da Copa do Brasil, no Mineirão (Foto: Reuters)

Desde o ano passado, Cruzeiro e Atlético Mineiro são os times que praticam o futebol mais moderno do Brasil. Tal e qual os melhores europeus, defendem a atacam em bloco e buscam o gol o tempo todo – ao contrário da maioria das outras equipes tupiniquins que continuam a ter como primeira e maior preocupação não sofrer gols.
É óbvio que nem a Raposa, nem o Galo possuem jogadores à altura do Bayern de Munique, do Barcelona, do Real Madrid, do Chelsea etc. Não é disso que estou falando, mas sim do espírito de jogo, da tática e da mentalidade. Marcelo Oliveira, Cuca e Levir Culpi conseguiram incutir esses valores em seus atletas e não à toa têm conseguido excelentes resultados – em 2013, o Atlético conquistou a Libertadores e o Cruzeiro, o Brasileiro. Este ano, o “Trem Azul” se sagrou bi (e quatro vezes campeão do torneio) e o Galo pode vencer a Copa do Brasil, que disputa com o próprio rival no Estado.
O mais interessante disso tudo é perceber como o futebol moderno (basta lembrar as palavras de Guardiola) se parece com o que se jogava no Brasil, nos bons tempos. Agora, ao contrário, somos nós que nos imitamos a forma como os europeus jogavam, no passado, alçando bolas na área, a esmo, incontáveis e insuportáveis vezes em cada partida.
Por isso, Marcelo, Cuca e Levir estão um passo à frente dos demais em atividade no Brasil – inclusive o vitorioso Tite, que chegou ao título mundial colecionando vitórias por 1 a 0.

Renato Maurício Prado – O GLOBO – 26/11/2014

STJD vai processar o Cruzeiro por venda “irresponsável” de ingressos

Tribunal alega que clube não ofereceu 10% da carga de ingressos para a torcida
do Atlético-MG. Punição pode ir de multa a anulação do resultado da partida.

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) anunciou, na manhã desta quarta-feira, que vai processar o Cruzeiro por causa do descumprimento do Regulamento Geral das Competições – que obriga o clube mandante a destinar 10% da carga total de ingressos à torcida visitante. O presidente do STJD, Caio Rocha, negou o pedido feito pelo Cruzeiro de reconsideração da determinação para que os 10% fossem vendidos aos atleticanos. E avaliou, ainda, que o mandante do clássico desta noite teria agido “irresponsavelmente” ao iniciar a venda antes de combinar com os órgãos de segurança um esquema para que fosse possível acolher a torcida do Galo em um setor com capacidade para 10% da carga.

Por o Cruzeiro ter descumprido a liminar, Caio Rocha solicitou à Procuradoria do STJD que o clube seja denunciado e processado, com base nos artigos 191, 211, 213, 221, 223 e 243-A do Código Brasileiro de Justiça Desportiva. As penas por cada artigo podem ser cumulativas

As penas variam entre multas (entre R$ 100 e R$ 100.000), perdas de campo, suspensão de dirigentes e até anulação do resultado da partida em questão.

Confira os artigos e as punições previstas para cada um deles:

Art. 191. Deixar de cumprir, ou dificultar o cumprimento:
PENA (Revogada pela Resolução CNE nº 29 de 2009).
I – de obrigação legal; (AC).
II – de deliberação, resolução, determinação, exigência, requisição ou qualquer ato normativo ou administrativo do CNE ou de entidade de administração do desporto a que
estiver filiado ou vinculado; (AC).
III – de regulamento, geral ou especial, de competição. (AC).
PENA: multa, de R$ 100,00 (cem reais) a 100.000,00 (cem mil reais), com fixação de prazo para cumprimento da obrigação.
§ 1º É facultado ao órgão judicante substituir a pena de multa pela de advertência se a infração for de pequena gravidade.
§ 2º Se a infração for cometida por pessoa jurídica, além da pena a ser-lhe aplicada, as pessoas naturais responsáveis pela infração ficarão sujeitas a suspensão automática enquanto perdurar o descumprimento.

Fila de ingressos do Atlético-MG para o jogo da Copa do Brasil no Mienirão (Foto: Tayrane Corrêa)
Foram colocados à venda menos de dois mil ingressos para o Galo (Foto: Tayrane Corrêa)

Art. 211. Deixar de manter o local que tenha indicado para realização do evento com infra-estrutura necessária a assegurar plena garantia e segurança para sua realização.
PENA: multa, de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais), e interdição do local, quando for o caso, até a satisfação das exigências que constem da decisão.
Parágrafo único. Incide nas mesmas penas a entidade mandante que não assegurar, à delegação visitante, livre acesso ao local da competição e aos vestiários. (Incluído pela Resolução CNE nº 11 de 2006 e Resolução CNE nº 13 de 2006)

Art. 213. Deixar de tomar providências capazes de prevenir e reprimir: (Redação dada pela Resolução CNE nº 29 de 2009).
I – desordens em sua praça de desporto;
II – invasão do campo ou local da disputa do evento desportivo;
III – lançamento de objetos no campo ou local da disputa do evento desportivo.
PENA: multa, de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais).
§ 1º Quando a desordem, invasão ou lançamento de objeto for de elevada gravidade ou causar prejuízo ao andamento do evento desportivo, a entidade de prática poderá ser punida com a perda do mando de campo de uma a dez partidas, provas ou equivalentes, quando participante da competição oficial.
§ 2º Caso a desordem, invasão ou lançamento de objeto seja feito pela torcida da entidade adversária, tanto a entidade mandante como a entidade adversária serão puníveis, mas somente quando comprovado que também contribuíram para o fato.
§ 3º A comprovação da identificação e detenção dos autores da desordem, invasão ou lançamento de objetos, com apresentação à autoridade policial competente e registro de boletim de ocorrência contemporâneo ao evento, exime a entidade de responsabilidade, sendo também admissíveis outros meios de prova suficientes para demonstrar a inexistência de responsabilidade.

Art. 221. Dar causa, por erro grosseiro ou sentimento pessoal, à instauração de inquérito ou processo na Justiça Desportiva. (Redação dada pela Resolução CNE nº 29 de 2009).
PENA: suspensão de quinze a trezentos e sessenta dias à pessoa natural ou, tratando-se de entidade de administração ou de prática desportiva, multa de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais).

Art. 223. Deixar de cumprir ou retardar o cumprimento de decisão, resolução, transação disciplinar desportiva ou determinação da Justiça Desportiva. (Redação dada pela Resolução CNE nº 29 de 2009).
PENA: multa, de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais).
Parágrafo único. Quando o infrator for pessoa natural, a pena será de suspensão automática até que se cumpra a decisão, resolução ou determinação, além de suspensão por noventa a trezentos e sessenta dias e, na reincidência, eliminação.

Art. 243-A. Atuar, de forma contrária à ética desportiva, com o fim de influenciar o resultado de partida, prova ou equivalente. (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009).
PENA: multa, de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais), e suspensão de seis a doze partidas, provas ou equivalentes, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, ou pelo prazo de cento e oitenta a trezentos e sessenta dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código; no caso de reincidência, a pena será de eliminação. (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009).
Parágrafo único. Se do procedimento atingir-se o resultado pretendido, o órgão judicante poderá anular a partida, prova ou equivalente, e as penas serão de multa, de R$ 100,00 (cem reais) a R$ 100.000,00 (cem mil reais), e suspensão de doze a vinte e quatro partidas, provas ou equivalentes, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, ou pelo prazo de trezentos e sessenta a setecentos e vinte dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código; no caso de reincidência, a pena será de eliminação. (Incluído pela Resolução CNE nº 29 de 2009).

 

GLOBO ESPORTE.COM