Tropas simulam combate ao terrorismo no estádio Mineirão

Treinamento em Belo Horizonte foi preparatório para os Jogos Olímpicos.
Participaram o Exército, a Polícia Federal e a Polícia Militar.

Bandeira do estado deMinas Gerais

O Exército, a Polícia Federal e a Polícia Militar fizeram um treinamento de enfretamento ao terrorismo no estádio Governador Magalhães Pinto, o Mineirão, em Belo Horizonte, nesta quinta-feira (2). As equipes de segurança simularam o combate a um ataque no estádio, que vai sediar dez partidas do futebol masculino e feminino durante os Jogos Olímpicos.

As tropas de operações especiais demonstraram o momento da chegada ao local, por terra e por helicóptero, para dominar os invasores e resgatar possíveis vítimas. O armamento usado estava adaptado para disparar balas de festim e tinta. Houve a encenação de vítimas mortas e criminosos fazendo ameaças. Ao todo, participaram cerca de 60 pessoas.

A Olimpíada vai de 5 a 21 de agosto, com a disputa de 42 esportes.

Com pessoas vestindo camisetas do Brasil se passando por detidos no chão, Equipes táticas do Exército Brasileiro e das polícias Militar e Federal de MG fazem simulação no estádio Mineirão, em Belo Horizonte, em preparação para a Olimpíada (Foto: Denilton Dias/O Tempo/Estadão Conteúdo)
Com pessoas vestindo camisetas do Brasil se passando por detidos no chão, Equipes táticas do Exército Brasileiro e das polícias Militar e Federal de MG fazem simulação no estádio Mineirão, em Belo Horizonte, em preparação para a Olimpíada (Foto: Denilton Dias/O Tempo/Estadão Conteúdo)
Equipes táticas do Exército Brasileiro e das polícias Militar e Federal de Minas treinam no estádio Mineirão, na Pampulha, em Belo Horizonte. As ações de enfrentamento ao terrorismo fazem parte da preparação para a Olimpíada (Foto: Denilton Dias/O Tempo/Estadão Conteúdo)
Equipes táticas do Exército Brasileiro e das polícias Militar e Federal de Minas
(Foto: Denilton Dias/O Tempo/Estadão Conteúdo)
G1.COM.BR

Atividades paranormais são vistas em fotos de torcedores no Mineirão

Estranhamente as fotos tremidas foram registradas só na torcida do cruzeirense. Arquivo: Padre Quevedo

Estranhamente as fotos tremidas foram registradas só na torcida cruzeirense.
Arquivo: Padre Quevedo

Outro mistério foi em um painel de trânsito em BH, que exibiu a famigerada frase. Foto: Donizete Pantera

Outro mistério foi um painel de trânsito em BH, que exibiu a famigerada frase.
Foto: Donizete Pantera

Se vocês soubessem o que aconteceu na final da Copa do Brasil, ficariam aterrorizados!

É com essa frase clássica, mas inédita, que começamos mais uma matéria investigativa da equipe do Olé do Brasil, o maior site de notícias esportivas e paranormais do Brasil.

Após acompanhar, nas redes sociais, fotos de torcedores cruzeirenses que estiveram presentes no Mineirão na final da Copa do Brasil, uma característica incomum, mas em comum, foi notada em todos os registros fotográficos feitos no estádio: todas as fotos ficaram tremidas.

Impressionados com tamanha coincidência, fomos atrás de fotógrafos, cineastas, exorcistas e urologistas para tentar descobrir a resposta de tal fenômeno. E o que descobrimos é algo que nos fez tremer dos pés à cabeça.

Depois de uma análise profunda em várias imagens, notamos uma outra semelhança nas fotos. É possível notar a presença de algo que parece ser um rosto de uma mulher, meio ao borrado da tremedeira. Em busca de mais respostas, descobrimos que a tal mulher das fotos é Maria Celeste Raposo, antiga proprietária do terreno onde o Mineirão foi construído.

Em 1960, quando foi assinado o contrato para a construção do estádio, ela foi muito pressionada por autoridades para que vendesse o terreno por um valor esdrúxulo. Sem acordo, Maria passou a ser muito ameaçada, recebendo inclusive cartas anônimas com os dizeres “Maria eu sei que você treme!”, já que além de viver com o medo diário, ela era portadora do Mal de Parkinson.

Em uma ação extremamente maldosa, Mariano Fox, namorado de Maria, foi “comprado” pela empreiteira que iria construir o estádio. Fox então tirou fotos de Maria Celeste em momentos íntimos e as entregou para a empreiteira, que divulgou as imagens no “Folhetim Mineiro”, popular jornal da época e que era famoso entre os jovens das mãos peludas e portadores de pedras nos mamilos.

Desesperada com a repercussão das imagens e dos comentários em todas as mesas de dominó da Praça 7, Maria Celeste não resistiu a pressão cometeu suicídio, pulando do segundo andar do Maleta, tradicional edifício da capital mineira.

Em uma carta, deixada dentro da calcinha, Maria prometeu assombrar todos aqueles que se dissessem donos do pedaço ou quisessem dar uma ostentada com fotografias ali.

Verdade ou não, o mistério que toma conta das estranhas fotos tremidas da final da Copa do Brasil já está chamando atenção em todo o mundo. Produtores da franquia de filmes “Atividade Paranormal” inclusive pretendem fazer um novo filme baseado no que já está sendo chamado de “A Maldição do Mineirão”.

Especula-se que algo parecido também tenha acontecido no jogo entre Brasil x Alemanha, quando a seleção Canarinho, dizendo-se dona do estádio, tremeu diante dos alemães.

Após ficar 90 minutos sem se mover, mosaico cinza do Cruzeiro no Mineirão bate recorde mundial

Segundo informações, o mosaico está montado até agora (FOTO: Marion)

Segundo informações, o mosaico está montado até agora
(FOTO: Marion)

Quem disse que a noite do Cruzeiro foi 100% ruim? O time celeste também tem motivos para comemorar. O mosaico cinza realizado pela torcida do Cruzeiro (imagem ao lado) emocionou os torcedores e ganhou um prêmio histórico.

O trabalho dos cruzeirenses entrou para o Livro dos Recordes como o mais longo já realizado em um estádio de futebol. Segundo o gerente do Guinness, Frank Underwood, este é um dos maiores recordes da história do livro.

“Nós já vimos recordes absurdos, outros mais normais, etc. Mas este do Cruzeiro matou a pau. Um jogo inteiro sem se mover? É muita disciplina! Estão de parabéns e merecem o reconhecimento”, disse.

Apesar da conquista, os torcedores do Cruzeiro foram criticados por cantarem menos que os poucos atleticanos que estavam no Mineirão. Os celestes justificaram: “Ficamos quietos pra não desconcentrar o time”.

Impressionado com a reação da torcida e feliz com as equipes de atletismo e vôlei, o Cruzeiro pensa investir no tênis: “A torcida já está até adaptada ficando calada durante os jogos”, disse o presidente celeste.

 

CBF está preocupada com drenagem do Mineirão: “Não suportará a choradeira dos cruzeirenses”

Atletas brincando na chuva (FOTO: Gene Kelly)

Atletas brincando na chuva
(FOTO: Gene Kelly)

Na partida que deu o título brasileiro ao Cruzeiro, o gramado do Mineirão mostrou sua verdadeira face. Tal qual um botafoguense, ficou ensopado, mas em vez de lágrimas, era apenas água da chuva. O fato é que a drenagem do estádio se mostrou incapaz de fazer seu papel diante de uma grande quantidade de água.

Por isso, a CBF está preocupada com a possibilidade de a provável choradeira cruzeirense inundar o estádio e interditá-lo por muitos anos, já que a torcida celeste é conhecida por reclamar e choramingar com grande intensidade nas derrotas, principalmente naquelas contra o Galo.

“A realidade é que se o Atlético fizer um gol, fato que praticamente acabaria com a decisão, a choradeira vai ser grande, e a drenagem do estádio mostrou que não funciona, já que no domingo passado quase não saiu jogo. Creio que teríamos uma inundação de grandes proporções e a vida de todos estaria em risco”, disse um dirigente da entidade.

Por segurança, jogadores baixos como Pierre e Everton Ribeiro vão entrar em campo com boias de braço.

Colaborou: Fabrício Nunes da Costa

 

Site de economia dos EUA elogia Castelão, Arena Dunas e detona Arena Pernambuco

O site novaiorquino Business Insider, famoso nos Estados Unidos por fazer análises de temas relacionados a economia, desde infraestrutura a negócios, fez uma análise, a cerca de 50 dias do início da Copa do Mundo, das arenas brasileiras construídas para receber o evento, em junho.

Arena Castelão apareceu bem na publicação. O estádio foi classificado como ‘lindo’ na edição, que também fez referências elogiosas ao MaracanãMineirão e o Estádio Mané Garrincha, em Brasília.

castelao

Para a edição, o estádio ‘mais marcante’ do evento é a Arena Dunas, em Natal. Apesar da beleza e do tamanho reduzido com relação aos outros estádios, o alto valor gasto no empreendimento, cerca de U$ 400 milhões foi citado pelo site.

‘Do outro lado do espectro’, como menciona a publicação, aparece com destaque negativo aArena Pernambuco. A edificação é classificada como a mais feia entre as 12 arenas que receberão partidas do Mundial.

Apesar de receber elogios quanto a beleza, a Arena Amazônia  foi questionada quanto aos aspectos ambientais e principalmente pelo fato do Estado não contar com times de tradição no futebol, correndo risco de se tornar um “elefante branco” após o torneio.

Estádios inacabados ainda preocupam americanos

Os atrasos e os acidentes de trabalho, que resultaram na morte de operários no Estádio Itaquerão, em São Paulo, são pontos negativos. Os problemas em Curitiba e em Cuiabá também preocupam os estrangeiros.

 

Diário do Nordeste – 29.04.2014

Copa Libertadores: régimen establecido para los estadios a ser habilitados

Ofrecemos a nuestros lectores in-extenso, el Artículo 9°, de la reglamentación de la Copa Bridgestone Libertadores, acerca de los estadios a ser utilizados durante la edición del año 2014:

Artículo 9:

9.1 Los partidos se jugarán en los estadios que reúnan las condiciones y garantías otorgadas por cada asociación nacional y con las condiciones y medidas exigidas para las competiciones oficiales de la FIFA y que hayan sido aceptados por la CONMEBOL.

9.2 Los Estadios deberán contar indefectiblemente con sistemas de iluminación artificial, según las exigencias reglamentarias mínimas requeridas para ello. El Estadio que carezca de iluminación artificial, no podrá ser acreditado para que se disputen los partidos del torneo.

9.3 Todas las cuestiones vinculadas a la Seguridad del partido, en concreto de los espectadores y protagonistas (jugadores, árbitros, delegados, dirigentes y representantes de los patrocinadores) será responsabilidad del club que actúe de local, pudiendo la CONMEBOL a través de los canales que considere necesario y de sus oficiales ejercer el control general de todas las cuestiones inherentes a la organización de los partidos (seguridad, entradas, prensa, acreditación, etc.).

9.4 Cada asociación nacional deberá certificar el aforo del o de los estadios indicados para la realización de los partidos. A ese efecto, el o los estadios deberán tener los aforos mínimos siguientes:

PRIMERA y SEGUNDA FASE (FASE DE GRUPOS):  10.000 espectadores
OCTAVOS DE FINAL A SEMIFINALES:     20.000 espectadores
FINALES: 40.000 espectadores

Para la disputa de los dos partidos de la final tan solo se encontrarán habilitados los estadios que expresamente se señalan en la siguiente tabla:

ARGENTINA ESTADIO JOSE AMALFITANI – Velez Sarsfield BUENOS AIRES
ESTADIO MARCELO BIELSA – Newell’s O. B. ROSARIO
ESTADIO PEDRO BIDEGAIN – San Lorenzo BUENOS AIRES
BOLIVIA ESTADIO HERNANDO SILES LA PAZ
BRASIL ESTADIO GOVERNADOR MAGALHAES PINTO (MINEIRAO) BELO HORIZONTE
ESTADIO ARENA DO GREMIO PORTO ALEGRE
ESTADIO JORNALISTA MARIO FILHO (MARACANA) RIO DE JANEIRO
CHILE ESTADIO NACIONAL “JULIO MARTINEZ PRADANOS” SANTIAGO
COLOMBIA ESTADIO ATANASIO GIRARDOT MEDELLIN
ESTADIO PASCUAL GUERRERO CALI
ESTADIO NEMESIO CAMACHO (EL CAMPIN) BOGOTA
ECUADOR ESTADIO LIGA DEPORTIVA UNIVERSITARIA QUITO
ESTADIO MONUMENTAL ISIDRO CARBO GUAYAQUIL
PARAGUAY ESTADIO DE LOS DEFENSORES DEL CHACO ASUNCION
PERU ESTADIO UNIVERSITARIO DE DEPORTES “MONUMENTAL” LIMA
URUGUAY ESTADIO CENTENARIO MONTEVIDEO
VENEZUELA ESTADIO OLIMPICO “JOSE ANTONIO ANZOATEGUI” PUERTO LA CRUZ

Si la final fuera disputa por un equipo mexicano, los estadios de la final deberán ser habilitados por la Comisión Técnica de la CONMEBOL y por su Comité Ejecutivo.

Los estadios que no figuren en la anterior tabla pero hayan sido sedes de partidos de Eliminatorias de Mundial de FIFA, Campeones Mundiales y/o campeonatos Continentales (Copa América), podrán ser utilizados para las Finales de la Copa Bridgestone Libertadores, previa autorización del Comité Ejecutivo de la CONMEBOL.

9.1 Para los equipos que disputen sus partidos de Primera y Segunda Fase, cuyos estadios tengan el aforo de al menos 10.000 espectadores, solo tendrán la autorización correspondiente, siempre y cuando los mismos reúnan las condiciones de seguridad y confort exigidas. A este fin, los equipos cuyos estadios se adecuen a esta norma, deberán comunicar fehacientemente a la CONMEBOL el nombre del estadio, a fin de que la Comisión Técnica y de Competiciones de la CONMEBOL pueda realizar la inspección reglamentaria y aprobar su habilitación. La fecha tope para la comunicación de Estadios será el 18 de enero del 2014.

Los estadios estarán autorizados únicamente, cuando la Comisión Técnica de la CONMEBOL apruebe su habilitación.

Inicio

Passagem por Fortaleza faz Flamengo completar lista dos novos estádios

Rubro-Negro é o único time que já atuou em Castelão, Mineirão, Fonte Nova e Arena Pernambuco, além das casas Maracanã e Mané Garrincha

Testados e aprovados. Com o empate por 0 a 0 com a Portuguesa,pela 31ª rodada do Brasileirão, o Flamengo se tornou a primeira equipe a ter jogado em todos os estádios já prontos para Copa do Mundo de 2014. A passagem pela Arena Castelão fechou uma lista que já tinha Fonte Nova, Mineirão, Arena Pernambuco e, principalmente, Maracanã e Mané Garrincha, casas do clube em 2013.

Os dois últimos, por sinal, foram os únicos onde o Rubro-Negro venceu. Além de Fortaleza, a recordação do estádio pernambucano também é de um empate sem gols – 0 a 0 com o Náutico. Já no Mineirão, são duas derrotas, ambas para o Cruzeiro, enquanto o Bahia aplicou um sonoro 3 a 0 na Fonte Nova. No Maracanã, o Fla entrou em campo 12 vezes: oito vitórias, dois empates e duas derrotas. Por fim, em Brasília são cinco empates, dois triunfos e um revés.

Depois do Fla, outros quatro times estão próximos de fechar a lista de novas arenas do futebol brasileiro: Portuguesa, Santos, São Paulo e Vasco jogaram em cinco estádios construídos ou reformados para Copa do Mundo de 2014 – a Seleção Brasileira tem o mesmo número, mas não joga mais no país neste ano. No total, o Mundial terá 12 sedes, que precisam apresentar seus estádios até o fim do ano.

Por Dentro das Obras – Setembro de 2013

Por Dentro das Obras - Setembro de 2013

© LOC

A série Por Dentro das Obras traz imagens atualizadas dos seis estádios em construção para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014, todos em fase final para serem entregues até dezembro. Entre eles, a Arena de São Paulo (acima), local do jogo de abertura do torneio, no dia 12 de junho do ano que vem.

As fotos destacam ainda o início da colocação do gramado da Arena Amazônia, em Manaus. O estádio receberá quatro partidas da primeira fase da competição. Os outros quatro estádios em construção são a Arena Pantanal, em Cuiabá; a Arena da Baixada, em Curitiba; o Estádio das Dunas, em Natal; e o Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre.

As outras seis arenas que serão utilizadas na Copa do Mundo da FIFA 2014 (Arena Pernambuco, Castelão, Estádio Nacional Mané Garrincha, Fonte Nova, Maracanã e Mineirão) já foram entregues e fizeram parte da Copa das Confederações da FIFA este ano.

O Por Dentro das Obras é publicado mensalmente no FIFA.com.