Saiba qual é a capacidade de cada setor da Arena Castelão

Na próxima quarta-feira, dia 29, a Arena Castelão deverá estar lotada para receber a segunda partida da decisão da Copa do Nordeste.

Ceará e Bahia se enfrentam, às 22h, com a expectativa de todos os ingressos serem vendidos.

Até o final da noite dessa quinta-feira, 23, foram vendidos mais de 38 mil bilhetes, sem contar os sócio-torcedores.

Os ingressos para o setor de cadeira superior já se esgotaram, restam agora apenas Inferior, Premium e Especial.

Mas qual é a capacidade do Castelão? E quantas pessoas cabem em cada local do Estádio?

Setor Superior: 35.918
Setor Inferior: 18.544
Setor Premium: 4.210
Setor Especial: 3.919
Camarotes: 1.312

Totalizando 63.903 lugares.

No jogo, Ceará 1×1 Sport, pela Final da Copa do Nordeste de 2014, o Castelão recebeu um público total de 61.118 (no Borderô do jogo foi colocado os profissionais de imprensa, por isso divulgaram 61.240). Enquanto o pagante foi de 60.068.

O maior público da Arena Castelão foi na partida Fortaleza 1×1 Macaé, pela Série C do Brasileiro de 2014. Quando 63.254 pessoas estiveram presentes, com 62.525 de público pagante.

 

Blog do Mário Kempes – Diário do Nordeste – 25/04/2015

Fortaleza termina a Série C com quase R$ 4 milhões arrecadados em bilheteria

2062a-fortaleza_esporte_clube_de_fortaleza-ce

Não foi do jeito que a torcida, muito menos o time e nem a diretoria esperavam, mas a Série C do Brasileiro já é coisa do passado para o Fortaleza. A eliminação precoce e a não conquista do acesso foram um duro golpe nos tricolores.

Por outro lado, as finanças durante o Campeonato Nacional não foram de todo ruim. Em 10 partidas como mandante, o Fortaleza arrecadou um total de R$ 3.743.631,20. De acordo com os borderôs dos jogos.

Enquanto o valor liquido, já descontados as despesas das partidas, tributos obrigatórios e as causas trabalhistas, o Fortaleza levou para os cofres R$ R$ 1.977.705,89.

O clube tricolor disputou a Série C de 28 de abril a 25 de outubro, com esse montante é possível afirmar que a Competição trouxe aproximadamente R$ 325.000,00 por mês de receita livre.

Lembrando que no Campeonato Cearense deste ano, o valor mensal líquido arrecadado pelo Tricolor foi de mais de R$ 250 mil.

Confira os valores arrecadados nas 10 partidas disputadas pelo Fortaleza na Série C:

Renda liquida:
Fortaleza 2×1 Cuiabá – R$ – 6.697,80 (portões fechados)
Fortaleza 1×0 Águia – R$ 97.163,19
Fortaleza 0×0 CRB – R$ 33.057,99
Fortaleza 0×0 Botafogo – R$ 195.232,51
Fortaleza 2×0 Salgueiro – R$ 143.561,33
Fortaleza 1×1 Crac – R$ 124.100,82
Fortaleza 0×0 Paysandu – R$ 217.452,14
Fortaleza 4×0 Treze – R$ 90.175,72
Fortaleza 3×2 ASA – R$ 44.832,19
Fortaleza 1×1 Macaé – R$ 1.038.827,80
Total: R$ 1.977.705,89

 

Renda bruta:
Fortaleza 2×1 Cuiabá – R$ – 6.697,80 (portões fechados)
Fortaleza 1×0 Águia – R$ 175.529,00
Fortaleza 0×0 CRB – R$ 72.913,00
Fortaleza 0×0 Botafogo – R$ 324.649,00
Fortaleza 2×0 Salgueiro – R$ 263.492,00
Fortaleza 1×1 Crac – R$ 217.656,00
Fortaleza 0×0 Paysandu – R$ 408.857,00
Fortaleza 4×0 Treze – R$ 186.480,00
Fortaleza 3×2 ASA – R$ 119.636,00
Fortaleza 1×1 Macaé – R$ 1.981.117,00
Total: R$ 3.743.631,20

 

Blog do Mário Kempes

Definido árbitro de Fortaleza x Macaé

Flávio é irmão do ex-árbitro Paulo César de Oliveira (Foto: Cesar Greco/Fotoarena)

Luiz Flávio de Oliveira, aspirante Fifa, foi o escolhido para comandar a partida de volta entre Fortaleza e Macaé, sábado, às 18h (horário cearense), na Arena Castelão, pelas quartas de final da Série C do Brasileiro.

Para o presidente da comissão de arbitragem da Federação Cearense de Futebol, Milton Otaviano, Luiz Flávio de Oliveira é um dos melhores.

“É um excelente nome, um ótimo árbitro. Discreto, simples. Apita com serenidade. Não gosta de aparecer. Muito bom tecnicamente e também disciplinarmente. Ele é um dos cotados para se tornar árbitro Fifa em janeiro. Creio que o jogo está em ótimas mãos”, afirmou Milton Otaviano, em contato por telefone.

Luiz Flávio de Oliveira, que é paulista, tem 37 anos e é irmão do ex-árbitro Fifa Paulo César de Oliveira (hoje comentarista da TV Globo), será auxiliado por Carlos Augusto Nogueira Júnior e Márcio Luiz Augusto. Todos são de São Paulo.

 

Blog do Mário Kempes

Resultado foi ruim, poderia ser pior, mas o Fortaleza tem tudo para garantir o acesso

Marcelinho Paraíba é um dos líderes do Tricolor (Foto: Nodge Nogueira/Fortalezaec.net)

Marcelinho Paraíba é um dos líderes do Tricolor (Foto: Nodge Nogueira/Fortalezaec.net)

Dizer que o empate sem gols com o Macaé, fora de casa, no primeiro jogo do mata-mata não foi ruim para o Fortaleza é exagero. Claro que foi ruim. Até porque, qualquer empate com gols, elimina o time tricolor.

Um vacilo, um erro da zaga ou uma falha da arbitragem, podem atrapalhar tudo. Isso sem contar naquele velho clichê: “Tem dia que a bola não quer entrar”.

O técnico do Macaé, Josué Teixeira, já avisou que vai jogar lá atrás, esperar o erro do time tricolor e o apoio da torcida virar impaciência.

Por outro lado, da mesma forma, acho exagero acreditar que o Fortaleza não pode ganhar no Castelão. Marcelinho Paraíba, ao final da partida desse sábado, foi muito feliz em sua declaração: “Vamos jogar em casa, no campo que a gente conhece e com 60 mil torcedores a nosso favor. Só depende da gente”.

O Fortaleza só precisa de uma vitória simples. Por isso, a zaga fluminense pode errar, vacilar e o árbitro falhar. Se não bastasse, vejo o time leonino superior. Se estiver num dia comum, não precisa nem estar inspirado, creio num triunfo tricolor sem maiores problemas.

O grande entrave é saber se o gol não sair no 1º tempo, a ansiedade e a pressão pelo resultado positivo vão afetar Marcelinho, Corrêa, Robert e cia.

Assim como em 2012, contra o Oeste, e ano passado, ante o Sampaio Corrêa, o Fortaleza tinha tudo para garantir a vitória e conquistar seu objetivo, no próximo sábado, a projeção é a mesma.

Sem querer desmerecer, mas se o Fortaleza não conseguir ganhar do esforçado time do Macaé, mas que tecnicamente deixa muito a desejar, realmente, não merece o tão sonhado acesso.

 

Blog do Mário Kempes – Diário do Nordeste – 19/10/2014

Tom Barros prega respeito ao Macaé

Histórico

O Macaé tem seu valor e deve ser respeitado. Mas não há como, em títulos, história e tradição, compará-lo ao Fortaleza. Basta ver que o Leão foi duas vezes vice-campeão da Taça Brasil, a mais importante competição nacional na década de 1960. Mas, quando a bola rolar, isso ficará à margem. Em campo, esses valores sequer serão lembrados pelos atletas.

 

Tom Barros – Jogada – Diário do Nordeste – 15/10/2014

Mais de 48 mil bilhetes vendidos para Fortaleza x Macaé na Arena Castelão

 

A expectativa pelo segundo jogo do confronto de quartas de final da Série C do Campeonato Brasileiro, entre Fortaleza e Macaé, marcado para o dia 25, na Arena Castelão, segue fazendo a torcida lotar os pontos de venda de ingressos. Com menos de uma semana de comercialização de bilhetes, 48.350 entradas já foram compradas pelos tricolores.

Com o novo balanço de vendas, divulgado no início da noite de ontem, pelo clube, só restam tíquetes para os setores Especial e Premium.

Apenas ingressos de inteira estão disponíveis para essas categorias, a um preço de R$ 60 e R$ 100 respectivamente.

Com a fase de vendas entrando na reta final, poucos pontos ainda contam com bilhetes em demasia. Todavia, ainda é possível comprar entradas na sede do Fortaleza, no Pici, além da loja Leões do Pici Store e no Lojão do Ariosvaldo.

Primeiro jogo

Se na Arena Castelão, dia 25, mais de 60 mil torcedores deverão apoiar o Tricolor de Aço na busca pelo tão sonhado acesso à Série B do Brasileiro, no próximo sábado, dia 18, em Macaé, os cearenses só terão à disposição 1.000 ingressos.

De acordo com a assessoria de comunicação do Macaé, 500 ingressos foram enviados para a diretoria do Fortaleza, ontem, e outros 500 deverão ser vendidos no Estádio Moacyrzão. O valor do bilhete é de R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

 

Diário do Nordeste – Jogada – 14/10/2014