Saiba qual é a capacidade de cada setor da Arena Castelão

Na próxima quarta-feira, dia 29, a Arena Castelão deverá estar lotada para receber a segunda partida da decisão da Copa do Nordeste.

Ceará e Bahia se enfrentam, às 22h, com a expectativa de todos os ingressos serem vendidos.

Até o final da noite dessa quinta-feira, 23, foram vendidos mais de 38 mil bilhetes, sem contar os sócio-torcedores.

Os ingressos para o setor de cadeira superior já se esgotaram, restam agora apenas Inferior, Premium e Especial.

Mas qual é a capacidade do Castelão? E quantas pessoas cabem em cada local do Estádio?

Setor Superior: 35.918
Setor Inferior: 18.544
Setor Premium: 4.210
Setor Especial: 3.919
Camarotes: 1.312

Totalizando 63.903 lugares.

No jogo, Ceará 1×1 Sport, pela Final da Copa do Nordeste de 2014, o Castelão recebeu um público total de 61.118 (no Borderô do jogo foi colocado os profissionais de imprensa, por isso divulgaram 61.240). Enquanto o pagante foi de 60.068.

O maior público da Arena Castelão foi na partida Fortaleza 1×1 Macaé, pela Série C do Brasileiro de 2014. Quando 63.254 pessoas estiveram presentes, com 62.525 de público pagante.

 

Blog do Mário Kempes – Diário do Nordeste – 25/04/2015

Fortaleza termina a Série C com quase R$ 4 milhões arrecadados em bilheteria

2062a-fortaleza_esporte_clube_de_fortaleza-ce

Não foi do jeito que a torcida, muito menos o time e nem a diretoria esperavam, mas a Série C do Brasileiro já é coisa do passado para o Fortaleza. A eliminação precoce e a não conquista do acesso foram um duro golpe nos tricolores.

Por outro lado, as finanças durante o Campeonato Nacional não foram de todo ruim. Em 10 partidas como mandante, o Fortaleza arrecadou um total de R$ 3.743.631,20. De acordo com os borderôs dos jogos.

Enquanto o valor liquido, já descontados as despesas das partidas, tributos obrigatórios e as causas trabalhistas, o Fortaleza levou para os cofres R$ R$ 1.977.705,89.

O clube tricolor disputou a Série C de 28 de abril a 25 de outubro, com esse montante é possível afirmar que a Competição trouxe aproximadamente R$ 325.000,00 por mês de receita livre.

Lembrando que no Campeonato Cearense deste ano, o valor mensal líquido arrecadado pelo Tricolor foi de mais de R$ 250 mil.

Confira os valores arrecadados nas 10 partidas disputadas pelo Fortaleza na Série C:

Renda liquida:
Fortaleza 2×1 Cuiabá – R$ – 6.697,80 (portões fechados)
Fortaleza 1×0 Águia – R$ 97.163,19
Fortaleza 0×0 CRB – R$ 33.057,99
Fortaleza 0×0 Botafogo – R$ 195.232,51
Fortaleza 2×0 Salgueiro – R$ 143.561,33
Fortaleza 1×1 Crac – R$ 124.100,82
Fortaleza 0×0 Paysandu – R$ 217.452,14
Fortaleza 4×0 Treze – R$ 90.175,72
Fortaleza 3×2 ASA – R$ 44.832,19
Fortaleza 1×1 Macaé – R$ 1.038.827,80
Total: R$ 1.977.705,89

 

Renda bruta:
Fortaleza 2×1 Cuiabá – R$ – 6.697,80 (portões fechados)
Fortaleza 1×0 Águia – R$ 175.529,00
Fortaleza 0×0 CRB – R$ 72.913,00
Fortaleza 0×0 Botafogo – R$ 324.649,00
Fortaleza 2×0 Salgueiro – R$ 263.492,00
Fortaleza 1×1 Crac – R$ 217.656,00
Fortaleza 0×0 Paysandu – R$ 408.857,00
Fortaleza 4×0 Treze – R$ 186.480,00
Fortaleza 3×2 ASA – R$ 119.636,00
Fortaleza 1×1 Macaé – R$ 1.981.117,00
Total: R$ 3.743.631,20

 

Blog do Mário Kempes

Definido árbitro de Fortaleza x Macaé

Flávio é irmão do ex-árbitro Paulo César de Oliveira (Foto: Cesar Greco/Fotoarena)

Luiz Flávio de Oliveira, aspirante Fifa, foi o escolhido para comandar a partida de volta entre Fortaleza e Macaé, sábado, às 18h (horário cearense), na Arena Castelão, pelas quartas de final da Série C do Brasileiro.

Para o presidente da comissão de arbitragem da Federação Cearense de Futebol, Milton Otaviano, Luiz Flávio de Oliveira é um dos melhores.

“É um excelente nome, um ótimo árbitro. Discreto, simples. Apita com serenidade. Não gosta de aparecer. Muito bom tecnicamente e também disciplinarmente. Ele é um dos cotados para se tornar árbitro Fifa em janeiro. Creio que o jogo está em ótimas mãos”, afirmou Milton Otaviano, em contato por telefone.

Luiz Flávio de Oliveira, que é paulista, tem 37 anos e é irmão do ex-árbitro Fifa Paulo César de Oliveira (hoje comentarista da TV Globo), será auxiliado por Carlos Augusto Nogueira Júnior e Márcio Luiz Augusto. Todos são de São Paulo.

 

Blog do Mário Kempes

Resultado foi ruim, poderia ser pior, mas o Fortaleza tem tudo para garantir o acesso

Marcelinho Paraíba é um dos líderes do Tricolor (Foto: Nodge Nogueira/Fortalezaec.net)

Marcelinho Paraíba é um dos líderes do Tricolor (Foto: Nodge Nogueira/Fortalezaec.net)

Dizer que o empate sem gols com o Macaé, fora de casa, no primeiro jogo do mata-mata não foi ruim para o Fortaleza é exagero. Claro que foi ruim. Até porque, qualquer empate com gols, elimina o time tricolor.

Um vacilo, um erro da zaga ou uma falha da arbitragem, podem atrapalhar tudo. Isso sem contar naquele velho clichê: “Tem dia que a bola não quer entrar”.

O técnico do Macaé, Josué Teixeira, já avisou que vai jogar lá atrás, esperar o erro do time tricolor e o apoio da torcida virar impaciência.

Por outro lado, da mesma forma, acho exagero acreditar que o Fortaleza não pode ganhar no Castelão. Marcelinho Paraíba, ao final da partida desse sábado, foi muito feliz em sua declaração: “Vamos jogar em casa, no campo que a gente conhece e com 60 mil torcedores a nosso favor. Só depende da gente”.

O Fortaleza só precisa de uma vitória simples. Por isso, a zaga fluminense pode errar, vacilar e o árbitro falhar. Se não bastasse, vejo o time leonino superior. Se estiver num dia comum, não precisa nem estar inspirado, creio num triunfo tricolor sem maiores problemas.

O grande entrave é saber se o gol não sair no 1º tempo, a ansiedade e a pressão pelo resultado positivo vão afetar Marcelinho, Corrêa, Robert e cia.

Assim como em 2012, contra o Oeste, e ano passado, ante o Sampaio Corrêa, o Fortaleza tinha tudo para garantir a vitória e conquistar seu objetivo, no próximo sábado, a projeção é a mesma.

Sem querer desmerecer, mas se o Fortaleza não conseguir ganhar do esforçado time do Macaé, mas que tecnicamente deixa muito a desejar, realmente, não merece o tão sonhado acesso.

 

Blog do Mário Kempes – Diário do Nordeste – 19/10/2014

Tom Barros prega respeito ao Macaé

Histórico

O Macaé tem seu valor e deve ser respeitado. Mas não há como, em títulos, história e tradição, compará-lo ao Fortaleza. Basta ver que o Leão foi duas vezes vice-campeão da Taça Brasil, a mais importante competição nacional na década de 1960. Mas, quando a bola rolar, isso ficará à margem. Em campo, esses valores sequer serão lembrados pelos atletas.

 

Tom Barros – Jogada – Diário do Nordeste – 15/10/2014

Mais de 48 mil bilhetes vendidos para Fortaleza x Macaé na Arena Castelão

 

A expectativa pelo segundo jogo do confronto de quartas de final da Série C do Campeonato Brasileiro, entre Fortaleza e Macaé, marcado para o dia 25, na Arena Castelão, segue fazendo a torcida lotar os pontos de venda de ingressos. Com menos de uma semana de comercialização de bilhetes, 48.350 entradas já foram compradas pelos tricolores.

Com o novo balanço de vendas, divulgado no início da noite de ontem, pelo clube, só restam tíquetes para os setores Especial e Premium.

Apenas ingressos de inteira estão disponíveis para essas categorias, a um preço de R$ 60 e R$ 100 respectivamente.

Com a fase de vendas entrando na reta final, poucos pontos ainda contam com bilhetes em demasia. Todavia, ainda é possível comprar entradas na sede do Fortaleza, no Pici, além da loja Leões do Pici Store e no Lojão do Ariosvaldo.

Primeiro jogo

Se na Arena Castelão, dia 25, mais de 60 mil torcedores deverão apoiar o Tricolor de Aço na busca pelo tão sonhado acesso à Série B do Brasileiro, no próximo sábado, dia 18, em Macaé, os cearenses só terão à disposição 1.000 ingressos.

De acordo com a assessoria de comunicação do Macaé, 500 ingressos foram enviados para a diretoria do Fortaleza, ontem, e outros 500 deverão ser vendidos no Estádio Moacyrzão. O valor do bilhete é de R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

 

Diário do Nordeste – Jogada – 14/10/2014

Árbitro mato-grossense apitará Macaé x Fortaleza no Rio de Janeiro

Alinor da Silva apitou Ceará 2x0 América/RN, no Castelão, em setembro (Foto:futebolmt.com.br)

A CBF divulgou a escala de arbitragem para os jogos de ida das quartas de final da Série C do Brasileiro. Para a partida do próximo sábado, às 18h30, em Macaé, entre Macaé e Fortaleza, quem vai apitar é um árbitro mato-grossense.

Alinor da Silva Paixão. Ele não é do quadro da Fifa, mas pertence ao grupo 1 da CBF. Dentre as partidas em que ele comandou neste ano, estão Ceará 2×0 América/RN, pela Série B, no Castelão, no último dia 23 de setembro.

Nesta temporada, Alinor só apitou um jogo da Série A do Brasileiro, no duelo Criciúma 1×0 Goiás, onde comandou a partida sem maiores reclamações dos dois times.

Os assistentes para o 1º jogo do Fortaleza no mata-mata da Série C serão também de Mato Grosso: Paulo César Faria (ASP/Fifa) e  Fábio Rodrigo Rubinho (CBF-1).

Confira as partidas apitadas pelo árbitro Alinor da Silva Paixâo, neste ano em competições da CBF.

Série D 28/09/2014 – Ituano 1 X 0 Moto Club
Série B  23/09/2014 – Ceará 2 X 0 América/RN
Série A 14/09/2014 – Criciúma 1 X 0 Goiás
Série B  06/09/2014 – América/MG 2 X 3 Vasco
Série D 31/08/2014 – Maringá 1 X 2 Ituano
Série C  16/08/2014 – Tupi 1 X 1 Juventude
Série B  26/07/2014 – Paraná 1 X 0 ABC
Série B  31/05/2014 – Icasa 1 X 0 Atlético/GO
Série B  19/04/2014 – Bragantino 2 X 2 Náutico
Copa do Brasil – 02/04/2014 – Naviraiense 1 X 4 Avaí

 

Blog do Mário Kempes

Torcida do Fortaleza terá à disposição 1000 ingressos para jogo em Macaé

Estádio Moacyrzão, em  Macaé (Foto: Kaná Manhães / Divulgação)

Se no Castelão, dia 25, mais de 60 mil torcedores deverão apoiar o Fortaleza na busca pelo tão sonhado acesso à Série B do Brasileiro, no próximo sábado, dia 18, em Macaé, os tricolores só terão à disposição 1000 ingressos.

De acordo com a assessoria de comunicação do Macaé, 500 ingressos foram enviados para a diretoria do Fortaleza, nesta segunda-feira, 13. E outros 500 deverão ser vendidos no Estádio Moacyrzão, em Macaé, no dia do jogo.

Os torcedores do Fortaleza ficarão no setor atrás de uma das traves do Estádio, local destinado aos visitantes. O valor do bilhete é de R$ 20,00 (inteira) e R$ 10,00 (meia).

Ainda conforme a assessoria de comunicação do Macaé, os tricolores deverão ficar com 10% da carga máxima de ingressos disponíveis. O desejo da diretoria é colocar à venda 10 mil bilhetes.

No entanto, ainda é necessária a autorização da Defesa Civil, já que o Estádio foi liberado inicialmente para receber 5 mil pessoas, por conta de um problema no telhado em um dos setores das arquibancadas, mas no dia 18, deverá estar apto a receber a capacidade completa.

Vale lembrar, contudo, que a média de público do Macaé na Série C do Brasileiro é de 497 pessoas por jogo. A partida com o maior número de torcedores foi no jogo diante do Guarani, pela 12ª rodada, quando 720 pessoas viram a vitória da equipe da casa por 1×0.

 

Blog do Mário Kempes

Tom Barros comenta que tipos de jogos o Fortaleza terá contra o Macaé

Modelo

Os ventos estão favoráveis ao Fortaleza. A escola gaúcha, com Juventude e Caxias, daria mais trabalho. Contra Guaratinguetá e Guarani de Campinas, seria perigosa a pressão da Federação Paulista. O modelo do Macaé me parece mais próximo do que pratica o Fortaleza. Não quero dizer que seja fácil, mas o entendo menos complicado.

 

Tom Barros – Jogada – Diário do Nordeste – 06.10.2014