São Paulo 2 x 0 Palmeiras – Serie A 2017

DESTAQUE

São Paulo contou com outra dobradinha de Lucas Pratto e Luiz Araújo para conseguir vencer o Palmeiras por 2 a 0, na noite deste sábado, no Morumbi, pela terceira rodada do Campeonato Brasileiro. A dupla já havia marcado os dois gols do triunfo sobre o Avaí, pelo mesmo placar, na segunda-feira passada.

DESTAQUE

ESCRITA MANTIDA

Agora, o tabu de 15 anos sem derrotas do Tricolor para o Verdão em seu estádio ganhou o 24º capítulo: são 15 vitórias dos donos casa e nove empates. A última vez que os palmeirenses comemoraram os três pontos no Cícero Pompeu de Toledo foi no dia 20 de março de 2002, na vitória por 4 a 2, pelo Torneio Rio-SP.

DESTAQUE

O JOGO

Quem esperava por iniciativa de algum lado nos primeiros 45 minutos do Choque-Rei se decepcionou. O ápice de emoção foi um chute de Jean, aos 4 minutos, que passou perto da trave direita de Renan Ribeiro, e uma bola cruzada por Luiz Araújo, aos 10, que Juninho quase mandou contra a própria meta palmeirense. A primeira etapa ficou nisso. Os dois times assumiram posturas defensivas, deixando o jogo chato.

 

A etapa final começou devagar, mas melhorou a partir dos 17, depois do gol de Pratto, que aproveitou passe primoroso de Marcinho. Cuca, então, apostou em Keno, que entrou bem na vaga de Guerra e começou a jogada do pênalti sofrido por Jean, aos 20 – e desperdiçado pelo próprio camisa 2.

 

O treinador, palmeirense, então, abriu mão da linha de três defensores ao trocar Felipe Melo por Borja. Mas, apesar de aumentar a pressão, o Palmeiras sofreu mais um gol. Pratto enfiou para Luiz Araújo, que tocou por baixo de Prass, aos 38, decretando o resultado final no Morumbi.

DESTAQUE

AGENDA

Na próxima rodada, o São Paulo vai até Campinas, onde visita a Ponte Preta no domingo (4), às 16h, no Moisés Lucarelli. Já o Palmeiras, no mesmo dia e horário, recebe o Atlético-MG em sua arena. Antes disso, porém, o Verdão terá decisão pela Copa do Brasil. Nesta quarta-feira, encara o Internacional, às 21h45, no Beira-Rio, pelo duelo de volta das oitavas de final. A equipe leva a Porto Alegre a vantagem do primeiro jogo, que venceu por 1 a 0.

GLOBO ESPORTE.COM

São Paulo 2 x 0 Avaí

O JOGO

ATÉ QUE ENFIM!

O argentino Lucas Pratto e o garoto Luiz Araújo garantiram a primeira vitória do São Paulo na atual edição do Campeonato Brasileiro. Nesta segunda à noite, a dupla marcou os gols do triunfo por 2 a 0 sobre o Avaí, no Morumbi. Foi o primeiro triunfo da equipe paulista desde os 2 a 1 contra o Cruzeiro, no dia 19 de abril, pela Copa do Brasil. De lá para cá, a equipe colecionava dois empates e uma derrota.

DESTAQUE

NA TABELA

Com o resultado, o Tricolor somou seus primeiros três pontos na competição – havia perdido para o Cruzeiro, na estreia. Já os catarinenses seguem sem vencer. Somam um ponto, do empate sem gols com o Vitória, na primeira rodada.

DESTAQUE

PRIMEIRO TEMPO

Rogério Ceni surpreendeu na escalação ao barrar Maicon e optar por Lugano para fazer companhia a Rodrigo Caio na zaga tricolor. E a defesa começou o jogo provocando calafrios na torcida. O uruguaio se atrapalhou sozinho em duas saídas de bola. Já o colega furou uma bola de forma bisonha. Sorte dos são-paulinos que, na sequência da jogada, o meia Marquinhos, do Avaí, mandou por cima do gol de Renan Ribeiro.

O Tricolor logo abriu o placar. Aos 10, Cícero alçou a bola na grande área em direção a Marcinho, que ajeitou de cabeça para trás. Pratto deixou ela quicar duas vezes e chutou meio de voleio para estufar as redes. Os donos da casa quase ampliaram o marcador com Cueva, aos 30, e Pratto, em uma bomba de fora da área no minuto seguinte que passou muito perto do ângulo esquerdo de Kozlinski.

DESTAQUE

SEGUNDO TEMPO

No segundo tempo, o jogo mudou totalmente de panorama. O Avaí resolveu se lançar ao ataque e o São Paulo voltou a exibir problemas recorrentes nos jogos recentes, como a dificuldade para executar a transição dos contragolpes, especialmente pela impressionante queda técnica de Cueva. No fim, aos 45 minutos, após levar certa pressão dos catarinenses, o Tricolor chegou ao segundo gol, com Luiz Araújo.

DESTAQUE

NO MORUMBI

Público total: 12.427

Renda bruta: R$ 311.239,00

  • DESTAQUE

    PRÓXIMOS JOGOS

    Na próxima rodada do Brasileiro, o time de Rogério Ceni terá o clássico contra o Palmeiras pela frente. O Choque-Rei será disputado às 19h (de Brasília) do sábado (27), no Morumbi. O Avaí, por sua vez, volta a campo apenas na semana que vem: na segunda (29), vai até Chapecó encarar os donos da casa, na Arena Condá, às 20h.

    GLOBO ESPORTE.COM

Grêmio 2 x 1 Atlético Mineiro

No embalo de joias, Grêmio bate Galo, garante G-3 e acirra briga por vice

Terceiro colocado, Tricolor aplica 2 a 1, na Arena, com gols de Everton e Luan, e diminui para um ponto distância para vice-líder Galo; Pratto desconta para mineiros

Em um Brasileirão com campeão decidido com três rodadas de antecedência, tinha tudo para ser uma última rodada fria na ponta de cima da tabela. Tinha. Diga isso a gremistas e atleticanos. No embalo dos meninos Luan e Everton, o Grêmio bateu o Atlético-MG por 2 a 1 na Arena, neste domingo, pela 37ª rodada, garantiu a vaga direta na Libertadores e entrou de vez na briga pelo vice. Lucas Pratto até descontou para o Galo, mas não impediu o revés mineiro. E fica tudo para o próximo domingo.

O resultado em Porto Alegre reduz para um ponto a distância entre as duas equipes na tabela. O Atlético-MG é 2º colocado, com 66 pontos. O Tricolor vem logo atrás, em terceiro, com 65. Os dois times voltam a campo para a 38ª e última rodada (eletrizante) no próximo domingo, às 17h. Os gremistas encaram o já rebaixado Joinville na Arena Joinville. Os mineiros recebem a Chapecoense, sem maiores pretensões, no Mineirão.

Everton Grêmio x Atlético-MG (Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio)
Grêmio bateu Galo por 2 a 1 na Arena (Foto: Lucas Uebel/Divulgação Grêmio)

Os 39.662 torcedores que tomaram a Arena já esboçavam sinais de frustração diante de 30 minutos iniciais sonolentos de Grêmio e Atlético-MG. À exceção de pênalti reclamado pelos gremistas após a bola atingir o braço de Rafael Carioca, o duelo parecia morno. Bastou um lampejo de talento, porém, para incendiá-lo. Aos 30, Everton tabelou com Marcelo Oliveira, limpou com facilidade a marcação de Leandro Donizete e chutou forte, no contrapé de Victor, para abrir o placar. O Galo ensaiou sua resposta com arrancadas insinuantes e jogadas individuais de Douglas Santos e Dátolo. Numa delas, o argentino foi derrubado por Pedro Geromel dentro da área. Pênalti, que seu conterrâneo Lucas Pratto converteu com categoria para igualar o escore na primeira etapa: bola para um lado, arqueiro para o outro.

A segunda etapa contradisse, de certa forma, a lógica. Em busca do triunfo para manter vivas as chances do vice-campeonato, Roger sacou Pedro Rocha no intervalo para mandar a campo Bobô. Tentava deixar o Grêmio mais ofensivo, mas foi o Galo do interino Diogo Giacomini que se lançou ao ataque e empilhou duas chances de gol. Primeiro aos 11, com Luan, em uma bomba salva por Marcelo Oliveira em cima da linha. Depois, aos 17, com Giovanni Augusto, que chutou para boa defesa de Bruno Grassi – o titular, Grohe, deixou o campo na primeira etapa, com dores n do pé esquerdo. Quem marcou, por ironia, foi o Tricolor, com Luan. O garoto cobrou falta à La R10, por baixo da barreira e surpreendeu Victor, que, imóvel, nada fez para impedir o tento da vitória gremista.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Atlético Mineiro 2 x 1 Internacional

Agora é secar! Galo faz sua parte, bate Inter e torce por tropeço do líder Timão

Atlético-MG domina a partida, consegue vitória que o coloca a dois pontos do Corinthians, que joga pressionado contra o Goiás, nesta quinta-feira, em São Paulo

Jogadores comemoram gol de Marcos Rocha (Foto: Bruno Cantini/Flickr do Atlético-MG)

Jogadores comemoram gol de Marcos Rocha (Foto: Bruno Cantini/Flickr do Atlético-MG)

Foi no sufoco, sofrido, como o torcedor do Atlético-MG gosta de dizer, mas no tira-teima da temporada contra o Internacional, o Galo levou a melhor e venceu por 2 a 1, no Independência, nesta quarta-feira, pelo Campeonato Brasileiro. Os três pontos serviram para deixar o time a dois pontos do líder Corinthians (61 pontos), pelo menos até às 19h30 (de Brasília), desta quinta-feira, quando a equipe paulista, que agora entra pressionada para não deixar o concorrente direto encostar, enfrenta o Goiás, na Arena Corinthians.

Lucas Pratto abriu o placar, de pênalti, mas Paulão empatou ainda no primeiro tempo. No segundo tempo, Marcos Rocha deu números finais ao importante triunfo. No tira-teima do ano, o Atlético-MG também levou a melhor: duas vitórias mineiras, contra uma derrota e um empate. Com o dever de casa feito, agora resta aos atleticanos secarem o Corinthians para que essa desvantagem se mantenha, ou seja ampliada somente para os três pontos que podem ser tirados no confronto direto do Horto, no dia 1º de novembro, pela 33ª rodada do Brasileiro.

Ao Internacional fica o consolo de ter vendido caro a derrota para o postulante ao título, mas muito pouco para um time que vislumbra a quarta vaga na Libertadores do ano que vem. Com o resultado, o Atlético-MG chegou aos 59 pontos, enquanto o Internacional permaneceu com 44, na oitava posição. No próximo domingo, o Colorado vai até o Rio de Janeiro, onde encara o Flamengo, no Maracanã, às 16h. Às 18h30, na Ilha do Retiro, em Recife, será a vez do Galo encarar o Sport.

 

A supremacia do Atlético-MG na posse de bola foi perdendo fôlego à medida que o jogo se desenrolou. No fim do primeiro tempo, a estatística apontava vantagem mínima para os mineiros, 51% a 49% em posse de bola. Mas, apesar do equilíbrio aparente dos números, o time da casa foi bem superior ao Internacional, tanto que aos 15 minutos, Rodrigo Dourado acabou se atrapalhando dentro da própria área e meteu a mão na bola: pênalti para o Galo, convertido por Lucas Pratto um minuto depois – o 12º dele no Campeonato Brasileiro.

Luan e Paulão, Atlético-MG x Internacional (Foto: Getty Images)
Luan disputa jogada com Paulão, em lance durante o confronto Atlético-MG x Internacional
(Foto: Getty Images)

Em desvantagem, o Colorado não conseguiu reagir e assustar o goleiro Victor. Mas, lá atrás, a sucessão de erros dos donos da casa impedia que o prejuízo fosse maior. Antes dos 35 minutos, pelo menos duas ocasiões claras foram desperdiçadas, a mais evidente com Giovanni Augusto, que acabou carimbando o poste.

E como as máximas do futebol nunca envelhecem, o castigo para os mineiros veio na primeira chegada efetiva do Inter. Depois de escanteio cobrado por Anderson, Paulão subiu livre para mandar uma testada violenta no fundo das redes de Victor. Tudo igual aos 38 minutos. Mesmo pouco eficiente, o Inter terminou o primeiro tempo com quase a mesma posse de bola do rival, além de ter alcançado a igualdade no placar.

Mais difícil

Apesar de continuar superior ao rival na segunda etapa, o Galo não encontrou as mesmas facilidades dos primeiros 45 minutos. Com mais presença no campo de ataque e precisando da vitória para seguir alimentando o sonho de disputar a Libertadores do ano que vem, o Colorado tornou o jogo dramático.

Um pouco de tranquilidade veio aos 24 minutos. Muriel deu rebote em chute de Douglas Santos e Marcos Rocha não perdoou, desempatando o jogo. Logo depois o goleiro colorado se redimiu e efetuou dois milagres seguidos nos pés de Cárdenas, que havia entrado. A partir de então o drama existiu, com o Inter atacando em busca do empate, com o Galo desperdiçando algumas oportunidades no fim da partida. Coube a André Luiz de Freitas Castro, o árbitro do jogo, acabar com a agonia dos mineiros ao encerrar a partida aos 49 minutos. Festa no Horto, que mais do que nunca acredita no bicampeonato Brasileiro.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Coritiba 0 x 3 Atlético Mineiro

Em noite de Pratto, Atlético-MG bate o Coritiba e segue na luta pelo título

Com show do atacante argentino, Galo faz 3 a 0 no time paranaense, em pleno Couto Pereira, e não deixa o Corinthians disparar. Já o Coxa segue na luta contra o Z-4

Henrique Almeida Coritiba (Foto: Coritiba/Divulgação)

Para quem pensava que o campeonato já estava decidido, o Galo deu o seu recado neste sábado. Com gols de Leandro Silva (contra), Giovanni Augusto e Lucas Pratto, o Atlético-MG não tomou conhecimento do Coritiba e bateu o time paranaense por 3 a 0, em pleno Couto Pereira, e segue na cola do líder do Brasileirão. Com o resultado, o time do técnico Levir Culpi chegou aos 56 pontos e diminuiu para quatro pontos a diferença para o líder. Agora, o time mineiro seca o Corinthians diante da Ponte Preta, neste domingo, em Campinas.

Já o Coritiba, mesmo com o apoio da sua torcida, teve uma partida apagada e chegou a segunda derrota consecutiva no Brasileirão, a segunda para um time mineiro, e segue na luta para se distanciar da zoa do rebaixamento, com 33 pontos, na 14ª colocação;

Na próxima rodada, o time Alviverde encara o Joinville, na quarta-feira, às 21h (horário de Brasília), na Arena Joinville. No mesmo dia, só que às 19h30, o time mineiro recebe o Internacional, no Independência, em Belo Horizonte.

Em tempo lá e cá, Galo sai na frente

A partida começou equilibrada, com as duas equipes em busca do gol. No entanto, quem teve primeira chance clara foi o time da casa. Aos 11 minutos, Negueba invadiu a área sozinho, chutou, mas Victor fez uma linda defesa. No rebote, a bola sobrou para Marcos Aurélio, que também parou nas mãos do goleiro do time mineiro. A resposta do Galo foi imediata. No lance seguinte, Giovanni Augusto recebeu dentro da área e isolou por cima do gol.

Com menos posse de bola, o Atlético-MG apostava nas jogadas de contra-ataque. Aos 20, Luan lançou Lucas Pratto, que disparou, entrou sozinho na área, mas Wilson acabou defendendo com os pés.O jogo era lá e cá, com chances reais de ambas as equipes de abrirem o marcador. Aos 30 minutos, Henrique Almeida recebeu ótimo passe de Juan e só não marcou o primeiro do duelo por causa de Victor, que mais uma vez fez uma ótima defesa. E como quem não faz, toma, aos 41 minutos, Lucas Pratto cruzou e Leandro Almeida, contra, colocou no ângulo esquerdo de Victor para abrir o marcador em Curitiba.

Coxa desaparece e Atlético-MG não perdoa

Com a vantagem no marcador, o time visitante teve um segundo tempo praticamente impecável. O nome da partida no primeiro tempo, o argentino Lucas Pratto, continuou infernizando a zaga coxa branca. Aos 20 minutos, o camisa 9 alvinegro deixou Giovanni Augusto livre para marcar o segundo em Curitiba.

Inoperante no ataque, o Coritiba raramente chegava ao gol do Atlético-MG. Por outro lado, o Galo seguia eficiente nos contra-ataques. E foi justamente em um deles que o time mineiro ampliou o placar. Em excelente jogada de Lucas Pratto, o atacante passou por dois zagueiros, pelo goleiro Wilson e caiu na área. O juiz apitou e marcou pênalti. Na cobrança, o próprio atacante argentino foi para cobrança e definiu o resultado em 3 a 0 em pleno Couto Pereira.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Vasco 1 x 2 Atlético Mineiro

100% no Maracanã, Galo bate Vasco e volta à caça do líder Corinthians

Atlético-MG faz 2 a 1, ganha a terceira no estádio e seca rival domingo para diminuir diferença para quatro pontos. Cruz-Maltino encerra jejum de gols, mas perde outra

Depois de ter tropeçado perante a sua torcida na rodada anterior, o Atlético-MG se reabilitou fora de casa contra o Vasco e voltou à caça do líder do Campeonato Brasileiro, o Corinthians. Na verdade, não dá para dizer que o Galo é visitante no Maracanã. Na noite deste sábado, o time de Levir Culpi saiu vitorioso por 2 a 1 e ganhou todas as suas três partidas no estádio em 2015 (antes, já havia batido a dupla Fla-Flu). Lucas Pratto e Dátolo marcaram os gols que aumentaram o calvário vascaíno. Nenê, em cobrança de pênalti polêmico, encerrou um jejum de 725 minutos (não contando os acréscimos dos jogos) sem balançar a rede pela competição. Mas a reação parou por aí, e a equipe dirigida por Jorginho amargou sua 16ª derrota diante de 7.771 pagantes (8.768 presentes e renda de R$ 230.460,00). De quebra, vê a pressão aumentar após dias de protestos e até agressão de torcedor a jogador.

O Atlético-MG foi a 45 pontos e agora torce contra o Corinthians, que tem pela frente o Palmeiras neste domingo, para ficar a quatro pontos da liderança. O Galo volta a campo quarta-feira contra o Avaí, às 19h30 (de Brasília), no Independência. O Vasco, por sua vez, segue afundado na lanterna com 13 pontos e visita a Ponte Preta, também às 19h30 de quarta, no Moisés Lucarelli, em Campinas.

Atlético-MG x Vasco (Foto: André Durão)
Jogadores do Atlético-MG comemoram o gol de Lucas Pratto, o primeiro da vitória sobre o Vasco (Foto: André Durão)

A torcida que protestou e pressionou os jogadores do Vasco na véspera da partida levou vários cartazes para o Maracanã manifestando apoio. Em campo, o estreante Leandrão e Nenê estiveram bem perto de encerrar o jejum de sete jogos sem balançar a rede. O time correspondia na vontade, mas não era o suficiente contra um Galo organizado e eficiente. Foram só duas finalizações do time de Levir Culpi no primeiro tempo. E dois gols. O primeiro de Lucas Pratto, cobrando pênalti cometido por Rodrigo em Patric; e o segundo foi um golaço de Dátolo, com um chutaço no ângulo de Jordi – o Cruz-Maltino reclamou muito de falta em Jorge Henrique na origem da jogada. Aos 27 da etapa final, o árbitro marcou um pênalti polêmico de Dátolo em Bruno Ferreira. Nenê converteu, encerrou o jejum de gols do time e deu esperanças aos vascaínos. Os jogadores se lançaram ao ataque atrás do empate, só que o tempo restante não foi o bastante para a reação. Rafael Silva, por reclamação, ainda foi expulso no minuto final.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Com apenas 1 gol a mais que o Vasco, Lucas Pratto é cobrado no Atlético

Só no Brasileirão Pratto tem mais gols que o Herrera em toda a carreira (FOTO: Dagoberto)

Só no Brasileirão Pratto tem mais gols que o Herrera em toda a carreira
(FOTO: Dagoberto)

Alto salário, badalado, estilo galã latino e pinta de ursão pimpão. Este é Pratto, matador do Atlético e ídolo da torcida, mas que está sendo cobrado pela diretoria e pela comissão técnica do time mineiro.

O motivo: o argentino tem apenas 1 gol a mais do que o Vasco no Brasileirão. A vergonhosa marca, especialmente para um jogador que tem como principal função balançar as redes do adversário, tem causado mal-estar nos bastidores do Galão da Massa.

“Está perto do Vasco em algum quesito? Sinal de que precisa melhorar. Nem que fique treinando até de madrugada, mas não dá para marcar apenas um gol a mais do que o Vasco. Um centroavante de qualidade não pode se conformar com isso”, disse um dirigente atleticano.

Pratto também cobrou o Atlético, por ser comparado ao Vasco: “Nunca fui tão humilhado”.

Jadson e Pato, que têm o mesmo número de gols que o Vasco, devem ter seus contratos rescindidos. Já os atacantes que têm menos gols devem ser presos.

 

Atlético Mineiro 2 x 1 Palmeiras

Pratto faz dois, Galo vence de virada
e mantém fase instável do Palmeiras

Argentino comanda vitória do Atlético-MG, que volta a vencer após três rodadas e retoma a vice-liderança do Brasileiro; Verdão perde quarto jogo dos últimos cinco

A disputa no topo da tabela de classificação continua. E é o Atlético-MG que continua nela. Comandado pelo argentino Lucas Pratto, autor dos gols alvinegros, o time de Levir Culpi bateu o Palmeiras por 2 a 1 e voltou a vencer no Campeonato Brasileiro, após três rodadas. Com o resultado no Independência, neste domingo, o Galo segue na cola do Timão, estando a quatro pontos do adversário paulista. O resultado também evidencia a fase instável do Palmeiras, que perdeu o quarto jogo nos últimos cinco jogos.

Atlético-MG; Lucas Pratto (Foto: Bruno Cantini/CAM)
Lucas Pratto comemora um dos gols marcados por ele na vitória do Galo (Foto: Bruno Cantini/CAM)

No encontro de dois times que vinham demonstrando irregularidade nos últimos jogos, melhor para o Galo, agora com 39 pontos. O Palmeiras permanece com 31 pontos, na quinta colocação. Lucas Pratto, em noite iluminada, fez os dois para o Galo, enquanto o volante Andrei Girotto abriu o placar para o Alviverde. Todos os gols saíram na primeira etapa.

Pelo Brasileiro, os dois times voltam a campo no próximo final de semana. Antes, as duas equipes têm compromissos pela Copa do Brasil. O Atlético-MG vai a Florianópolis, quarta-feira, e duela contra o Figueirense, às 19h30 (de Brasília). O Palmeiras permanece em Belo Horizonte para pegar o Cruzeiro, também na quarta, às 22h (de Brasília), no Mineirão. Na próxima rodada do Brasileirão, o Galo vai ao Rio de Janeiro, onde encara o Fluminense, no Maracanã, domingo, às 16h (de Brasília). Já o Palmeiras recebe, em mesmo dia e horário, o Joinville, na Arena Palmeiras.

 

O jogo

O primeiro tempo foi a mil por hora, e o Palmeiras foi competente logo na primeira descida, aos quatro minutos. Lucas achou Andrei Girotto livre, no meio da zaga atleticana. O volante subiu sozinho e cabeceou sem chances para Victor. Era o terceiro jogo seguido que o Galo saía atrás no placar. E, em nenhum deles, conseguira virar.

Mas a história foi escrita de maneira diferente. A equipe conseguiu o empate e a virada na segunda etapa. Leandro Donizete cruzou da direita, Lucas Pratto se antecipou a Prass e, de cabeça, mandou para as redes, empatando. Foi o argentino que virou. Lucas, garçom no gol palmeirense, foi algoz do próprio time ao deslocar Giovanni Augusto dentro da área. Pênalti, que Lucas Pratto não desperdiçou e colocou o Galo na frente no placar.

Atlético-MG; Leandro Donizete (Foto: Bruno Cantini/CAM)
Leandro Donizete tenta cruzamento sob a escolta do meia Zé Roberto (Foto: Bruno Cantini/CAM)

No segundo tempo, Marcelo Oliveira resolveu corrigir o lado esquerdo da defesa palmeirense e ousar no ataque. Sacou Egídio, Andrei Girotto e Alecsandro e colocou Robinho, Gabriel Jesus e Barrios, respectivamente. Já Levir promoveu o retorno do lateral Patric, afastado por não ter renovado com o clube. O jogador entrou no lugar de Thiago Ribeiro. Guilherme entrou na vaga de Giovanni Augusto, cansado.

O Palmeiras cresceu, impediu os avanços do Atlético-MG, que não conseguia ficar com a bola. A equipe alviverde achava espaços, mas pecava nas finalizações. Numa delas, Dudu arriscou de fora da área, e Victor quase aceitou um frangaço, mas o goleiro conseguiu desviar para escanteio. O jogo ficou dramático para os atleticanos, que pediam o final da partida a cada descida palmeirense. Mas, no final, alívio no Horto, vitória alvinegra e perseguição ao Corinthians mantida.

GLOBO ESPORTE.COM

Chapecoense 2 x 1 Atlético Mineiro

 

O jogo que fechou o primeiro turno do Campeonato Brasileiro levou à Arena Condá 8.133 torcedores. Num jogo movimentado e com muito equilíbrio, A Chapecoense bateu o Atlético-MG. Resultado que deixou o Verdão com 28 pontos, na 9ª posição e com uma invencibilidade de cinco jogos.

        Os primeiros minutos de jogo foram dos mineiros. Com mais posse de bola, o Galo criou as oportunidades e deu trabalho ao sistema defensivo da Chape. Aos poucos, o Verdão foi encontrando os espaços e Bruno Rangel, de cabeça, por pouco não abriu o placar.

        Então, a Chapecoense começou a pressionar a saída de bola do dos visitantes e numa dessas jogadas, Ananias recebeu na meia lua da grande área e foi atropelado por Leonardo Silva. Falta frontal e expulsão do zagueiro atleticano. Após a segunda cobrança, já que árbitro mandou voltar a primeira, Cleber Santana bateu no canto esquerdo de Victor e marcou o primeiro gol dele com a camisa da Chape.

        No segundo tempo, mesmo com um a menos, foi o time de Minas Gerais quem tomou as ações da partida. Depois da cobrança de escanteio da direita, Lucas Pratto cabeceou, o goleiro Danilo defendeu, mas a bola bateu nas costas de Neto e entrou. A partir daí a Chapecoense retomou as rédeas do jogo. Depois de um longo lançamento na direita, Apodi ganhou na velocidade, invadiu a área, driblou o marcador e de perna esquerda marcou um golaço.

        O próprio Apodi teve a chance de ampliar, mas foi barrado pela zaga. Maranhão e Camilo, que entraram no segundo tempo, também pararam na defesa atleticana. O resultado de 2 a 1 marcou a 8ª vitória da Chape no turno e deixou o time do oeste catarinense entre os 10 primeiros colocados na tabela. Na quarta (19), o Verdão dá uma pausa no Brasileirão e estreará pela primeira vez numa competição internacional. O confronto será pela Copa Sul-Americana, em Campinas, contra a Ponte Preta.

Site da Chapecoense

Atlético Mineiro 3 x 1 São Paulo

Pratto marca três, Galo vence o São Paulo e continua na ponta do Brasileiro

Atacante argentino brilha no primeiro tempo, balança as redes em três oportunidades e garante vitória. Tricolor perde chances e se distancia da briga pelo campeonato

Noite de Pratto e Pato. Mas o atacante do Atlético-MG mostrou, no Mineirão, que a diferença entre ele e o jogador do São Paulo não era somente a letra R e mais um T. A eficiência do argentino do Galo garantiu a vitória ao time mineiro, marcando os três gols do triunfo por 3 a 1 – todos eles no primeiro tempo. Pato fez o de honra para os paulistas, no segundo, mas saiu do estádio com a sensação de que poderia ter feito mais, não fosse a má pontaria. Melhor para o Atlético-MG, que manteve a ponta do Campeonato Brasileiro, com 35 pontos, dois a mais do que o Corinthians, que também venceu na rodada. O São Paulo se mantém com 27 pontos, na quinta colocação.

Os dois times só voltam a campo na próxima semana. No dia 9, Atlético-MG vai a Goiânia, onde encara o Goiás, no Serra Dourada. No mesmo dia, São Paulo faz o clássico contra o Corinthians, no Morumbi. Ambas as partidas serão às 16h (de Brasília).

 

Lucas Pratto; Atlético-MG (Foto: Bruno Cantini/CAM)

Pratto comemora gol do Atlético-MG em noite em que marcou três vezes (Foto: Bruno Cantini/CAM)

No início da partida, parecia campo neutro para o São Paulo. A equipe de Juan Carlos Osorio jogava como se fosse no Morumbi. Empurrava o Galo para o campo de defesa e aparecia, em sequência, na frente de Victor. Pato e Luís Fabiano perderam chances cara a cara com o goleiro atleticano.

Mas, contra o líder do Brasileiro, não se pode desperdiçar quando se tem a oportunidade. No primeiro ataque construído, o time de Levir Culpi não perdoou. Lucas Pratto se atirou para tocar o lançamento de Marcos Rocha, Rogério Ceni conseguiu fazer a defesa, mas a bola voltou no atacante argentino que, de ombro, balançou as redes e as arquibancadas. Castigo para o São Paulo. Alívio para o Atlético-MG, que passou a tocar a bola e logo chegou ao segundo gol. Novamente com Pratto, que completou de primeira o cruzamento de Giovanni Augusto.

Mas o São Paulo não se abatia, ia para cima, seguia perdendo chances. O problema era que, a cada gol perdido por Pato, o Galo marcava outro com Pratto. O argentino atleticano coroou o primeiro tempo individualmente perfeito com o terceiro gol, ao receber lançamento de Giovanni Augusto, depois de erro de Hudson, dominar no peito e, sem deixar a bola cair, mandar no canto direito do imóvel Ceni.

No segundo tempo, o São Paulo já fazia por merecer o gol e, enfim, Pato desencantou na noite. Ganso, apagado na partida, cruzou na cabeça do camisa 11, que soltou o grito de gol dos poucos são-paulinos no estádio. O Tricolor foi para cima. Osorio sacou João Schmidt, Reinaldo e Luís Fabiano, e colocou Centurión, Auro e Boschillia, respectivamente. Levir, por sua vez, fechou o time com Danilo Pires, Carlos e Josué nos lugares de Thiago Ribeiro, Cárdenas e Giovanni Augusto. O São Paulo ficava mais com a bola, rondava a área do Atlético-MG, mas o Galo soube suportar as investidas do Tricolor, não tão contundentes como as do início da partida.

Atlético-MG x São Paulo Pato (Foto: Rubens Chiri/Perspectiva/Estadão Conteúdo)
São Paulo desperdiçou muitas chances, principalmente no primeiro tempo
(Foto: Rubens Chiri/Perspectiva/Estadão Conteúdo)
GLOBO ESPORTE.COM