Menino que conheceu Leonardo no programa do Faro já era conhecido do cantor

Reprodução/EPTV/TV Record

Os índices do Rodrigo Faro, no domingo, foram intensamente festejados e divulgados pela Record com a conquista do primeiro lugar, durante uma hora e 17 minutos, 22 deles à frente da “Dança dos Famosos”, da Globo.

Curioso é como isso aconteceu.

O menino Felipe Marcondes, de 5 anos, usado pelo programa para “conhecer” o cantor Leonardo é o mesmo extrovertido menino Felipe Marcondes, dos mesmos pais, levado para conhecer o mesmo cantor Leonardo, na Festa do Peão do Boiadeiro em Barretos, no mês de agosto passado.

Aliás, matéria do jornal local da EPTV, na ocasião, não deixa a menor dúvida sobre isso, inclusive mostrando a mesma “surpresa e alegria” dos seus pais.

Não é interessante?

Para não imaginar qualquer outra coisa, devemos entender que houve apenas um grande descuido da produção e que o Leonardo também esqueceu rapidamente dele.

Melhor assim.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Hyundai A-League transfer wrap for season 2016/2017 -Leonardo

Leonardo (released) Newcastle parted ways with their diminutive Brazilian midfielder following one injury-plagued season at the club. Leonardo made 20 appearances in all, scoring one goal.

Football Federation Australia

Brisbane Roar FC 2 x 1 Newcastle Jets

A fast-finishing Brisbane Roar have boosted their Hyundai A-League Premiership hopes after a comeback 2-1 win against a 10-man Newcastle Jets at Suncorp on Sunday.

Roar went back to the top of the ladder, albeit before Melbourne City’s game in Perth, after the hard-earned win.

It was a low-key opening 45 minutes with neither side stamping their authority on the contest.

But the game ignited early in the second half with the Jets taking the lead via a penalty, before their skipper Michael Boogaard was sent off as Roar equalised from the spot.

Brisbane then took the lead with Thomas Broich’s first goal of the season against the 10-man Jets as the home side powered home to seal a precious three points heading into the final round of the season.

GOALS

0-1 Leonardo (49’ pen) Newcastle Jets – The Brazilian smashed home the opener after Jade North was adjudged by referee Strebre Delovski to have handled in the box.

1-1 Henrique (66’ pen) Brisbane Roar – Boogaard was sent off for a second week in a row after he dragged down Henrique and the Brazilian picked himself up and coolly slotted home the go-ahead goal.

2-1 Broich (74’) Brisbane Roar – It was Broich of old as he profited from a sublime dummy from Henrique and he drilled it home into the bottom left corner for his first goal of the season. And didn’t he enjoy that!

KEY MOMENT

The Boogaard send off. It effectively ended Jets’ hopes of an upset win.

HIGHLIGHTS REEL

Broich’s overall display was superb. And his winner was another classy moment for the German.

OPTA DATA KEY STATS

Leonardo’s penalty was the 400th goal scored this season. It’s just the third time and the fastest (129 games) the league has reached the milestone.

Nigel Boogaard’s red card was the tenth of his career and it’s the third week in a row the Jets have been reduced to ten men.

No team have won more points from losing positions than Brisbane Roar this season (17).

TREATMENT TABLE

Roar super-striker Jamie Maclaren was subbed off early in the second half with an ice pack subsequently applied to his ankle.

THE FINAL WORD

It didn’t matter how they got the three points. Sunday was about winning for Roar to keep pressure on their rivals ahead of next weekend’s final round.

They looked to be in second gear for most of the game before they ran all over the Jets in the final stages.

And Broich’s goal – his first of the season and the second of the day – was a timely boost for the team ahead of next week’s trip to Victory.

TEAMS

Brisbane Roar: Young (gk), Brown, Corona (85′), Maclaren (Oar 57’), North, Donachie, McKay (c), Hingert, Broich, Petratos, Borrello (Henrique 50’)

Subs: Theo (gk), Lustica, Henrique, Bowles, Oar

Newcastle Jets: Birighitti(gk), Mullen, Hoffman, Boogaard(c), Alivodic (Kantarovski 64’), Poljak (Brennan 64’), Santiago, Ugarkovic, Nordstrand (Jackson 71’), Cowburn, Pawiak

Subs: Kantarovski, Watson, Brennan, Kennedy (gk), Jackson

Yellow cards: Petratos (44′)

Red cards: Boogaard (65′)

Conditions: 26 degrees, clear

Venue: Suncorp Stadium

Attendance: 14, 285

Football Federation Australia

Macaé 1 x 1 Boa Esporte

Macaé joga bem, mas não sai do empate com o rebaixado Boa Esporte

Equipe da casa saiu atrás, mas buscou o empate e desperdiçou boas chances no final

Macaé x Boa Esporte 20/11/15 (Foto: Reprodução Premierie FC)

Após chute de Pipico, Douglas ainda tentou buscar, mas a bola já tinha cruzado a linha do gol

(Foto: Reprodução Premierie FC)

Jogando em casa, no Moacyrzão, e precisando do resultado para se afastar do Z-4, o Macaé jogou bem, pressionou a equipe visitante, mas não conseguiu sair do empate em 1 a 1 com o já rebaixado Boa Esporte na noite desta sexta-feira (20), em partida válida pela 37ª rodada da Série B. Tentando buscar o resultado desde o começo, os anfitriões foram surpreendidos por um gol de Leonardo, ainda aos 14 minutos do primeiro tempo, mas foram para cima e conseguiram o empate com Pipico, aos 21 da etapa complementar.

Com o resultado, o Macaé se manteve temporariamente na 17ª colocação, com 42 pontos conquistados, e vai precisar torcer contra o Ceará, que enfrenta o América-MG neste sábado, para terminar a rodada fora da zona de rebaixamento. Ceará que é também o adversário na última e decisiva rodada, em um confronto que deve definir o time que se mantém na Série B em 2016. O jogo acontece no sábado (28), às 17h30, no Castelão, em Fortaleza (CE).

Já o Boa Esporte, que foi rebaixado antecipadamente, continua em 19º na tabela, com apenas 30 pontos. O clube agora enfrenta o também rebaixado ABC, em jogo que não vale mais nada para as disputadas do campeonato. A partida vai ser realizada na terça-feira (24), às 20h30, no Estádio Municipal de Varginha (MG), o Melão.

O jogo
O Macaé começou a partida tentando pressionar o Boa Esporte, mas foi o time mineiro quem conseguiu chegar primeiro ao gol. Em jogada ensaiada, Clébson levantou para Patrick na esquerda, o zagueiro cruzou para o meio e Leonardo chegou para cabecear para o fundo das redes e abrir o placar aos 14 minutos. O Macaé sentiu o golpe e, na sequência, o Boa chegou novamente. Após cruzamento da direita, Thaciano quase marcou. A partir daí o Macaé, aos poucos, cresceu no jogo e começou a pressionar os mineiros. Diego levantou bola na área, ela passou por todo mundo, e Douglas evitou o empate. Na cobrança de escanteio, Douglas Assis bateu de dentro da área, mas a zaga apareceu para fazer o corte, e o primeiro tempo acabou sem novas mudanças.

Já na etapa final, o Boa até chegou a assustar primeiro, em chute cruzado de Bruno Felipe, mas o Macaé voltou melhor e fez uma blitz no campo de ataque. Aloísio e Anselmo davam trabalho à defesa do Boa Esporte, finalizando tanto de dentro quanto de fora da árae. No entanto, foi Pipico quem deixou tudo igual. Aos 21, Henrique foi lançado na direita e mandou de primeira para o meio da área para Pipico, que só teve o trabalho de dar um tapa nela. O goleiro Douglas até tentou buscar, mas a bola cruzou a linha fatal e não teve jeito. Precisando do resultado e jogando em casa, o Macaé se lançou ao ataque e pressionou até o fim, mas desperdiçou muitas chances de virar o placar e teve que se resultar com um ponto na tabela. Fim de jogo, 1 a 1 no Moacyrzão.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Rede Globo ainda não sabe onde gravará o Show da Virada 2015-2016

 

O cantor Thiaguinho e os sertanejos Chitãozinho e Xororó terão um papel de destaque dentro do novo formato do especial “Show da Virada” na Globo…
… A gravação está marcada para novembro, mas falta ainda a emissora decidir o local…
… Lembrando que nos anos anteriores isto sempre aconteceu em São Paulo.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Klebber Toledo vira vendedor de hambúrgueres em “Império”

Aguinaldo Silva já está trabalhando na nova fase de Leonardo, personagem vivido por Klebber Toledo em “Império”. Finalmente, ele vai se dar bem.

Nos próximos capítulos, depois da fase complicada como mendigo, o rapaz vai revelar uma grande habilidade para preparar hambúrgueres.
A partir daí, sua ideia dará origem a um novo tipo de negócio, na linha “junk food”, com apoio de um empresário.

Flávio Ricco com colaboração José Carlos Nery

Vila Nova 1 x 5 Ceará

1 x 5

27ª RODADA
CEARÁ SE IMPÕE, GOLEIA O VILA NOVA E GANHA FORÇA NA PERSEGUIÇÃO AO G-4
Setor ofensivo desencanta, Vozão se dá bem no Serra Dourada e aplica 5 a 1. Com inúmeras trapalhadas, Tigre perde a sexta consecutiva em casa
De jogo acirrado no primeiro tempo a massacre na etapa final. Após 45 minutos nivelados, o Ceará, em noite inspirada, se impôs na segunda metade da partida e não deu chances ao Vila Nova, aplicando goleada impiedosa de 5 a 1 em pleno Serra Dourada, em Goiânia, nesta terça-feira. Com gols de Bill, Helder Santos, Magno Alves, duas vezes, e Lulinha, o Vozão segue forte na luta pelo grupo dos quatro melhores da Série B do Campeonato Brasileiro. O Tigre só assistiu ao segundo tempo e sofreu a sexta derrota consecutiva em casa.

Com a vitória, o Ceará vai a 46 pontos na 27ª rodada e fica em quinto, colado ao G-4. O Vila permanece com 20 e cai para o 19º lugar, sendo ultrapassado pela Portuguesa. Ambos voltam a campo na próxima terça-feira (7), às 19h30. Os cearenses recebem o Sampaio Corrêa no Castelão. Os goianos viajam e pegam o Bragantino no Nabi Abi Chedid.

Acirrado por 45 minutos

No primeiro tempo, a diferença que separa Vila e Ceará na tabela não se refletiu tanto em campo. O jogo foi parelho, com as duas equipes se estudando e ousando pouco. Mais cauteloso e postado no esquema com três zagueiros, o Vila Nova tinha dificuldade para chegar ao ataque, mesmo dando liberdade aos laterais e com a vantagem de jogar diante de sua torcida.

O Ceará , por sua vez, encontrava espaço para agredir com um pouco mais de volume, mas sem chances claras de gol. O Vozão tentou explorar a experiência de seu setor ofensivo, mas esbarrou em uma linha de defesa bem constituída. O veterano Souza foi válvula de escape com chutes de longe, assim como Ricardinho, mas sem levar perigo real. Só que aí apareceu Magno Alves. Aos 45 minutos, o Magnata tentou da entrada da área. A defesa era fácil, mas André Luís falhou, deu rebote, e Bill não perdoou: 1 a 0 para os alvinegros.

vila nova x ceará - bill (Foto: Agência Estado)
Bill comemora gol que abre caminho para a goleada do Ceará no Serra Dourada (Foto: Agência Estado)

Massacre alvinegro

Na etapa final, tudo mudou, e o Ceará não demorou a dar um importante passo para a vitória. Logo no primeiro minuto, Samuel Xavier cruzou da direita e encontrou Helder Santos. O lateral, que entrara na vaga do lesionado Vicente, aproveitou a zaga do Vila somente olhando, tirou do goleiro André Luís e ampliou para os visitantes: 2 a 0.

O Vila tentava se manter vivo no jogo e respondeu pouco depois. Aos cinco minutos, Leonardo recebeu passe de Ítallo na área, bateu no canto e descontou. Só que não passou de alarme falso. O Ceará continuou superior, conseguiu segurar o ímpeto colorado pela reação e ainda fez mais três. Magno Alves, duas vezes (aos 14 e 42), e Lulinha (aos 37) não tiveram dó e sacramentaram a impiedosa goleada de 5 a 1 sobre o Tigre, frágil em seus domínios.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Leonardo deu trabalho em gravação de quadro para o “Fantástico”

Leonardo participa de quadro no "Fantástico"

Sempre muito irreverente e desbocado, o cantor Leonardo também gravou o “Bem Sertanejo”, quadro do Michel Teló no “Fantástico”, da Globo. E ele deu muito trabalho para a equipe técnica, no momento de editar o material.

Quem acompanhou de perto a entrevista, diz que foram muitos os palavrões proferidos. Ou irão cortar ou colocar o “pi”.

Essa entrevista do Leonardo e muitas outras farão parte da segunda temporada do quadro “Bem Sertanejo”, que serão exibidas no “Show da Vida” após o primeiro turno das eleições.

Paralelo a isso, o Teló já se garantiu em alguns especiais  de fim de ano da emissora.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Ponte Preta está na final da Copa Total Sudamericana 2013

 1 x 1 

Semifinal
PONTE DESPACHA SÃO PAULO E CHEGA À SUA PRIMEIRA FINAL INTERNACIONAL
Após vencer o jogo de ida por 3 a 1, Macaca administra vantagem, não dá chances para o Tricolor e aguarda Lanús ou Libertad para tentar o título

Ser ou não ser campeã da Copa Sul-Americana, para a Ponte Preta, pelo menos nesta quarta-feira, é assunto para depois. O momento é de festejar um feito histórico. Pela primeira vez em seus 113 anos de história, a Macaca chega à final de um torneio internacional. O jogo contra o São Paulo, no estádio Romildo Ferreira, em Mogi Mirim, se desenrolou como uma mera formalidade. Após vencer a ida, quarta passada, no Morumbi, por 3 a 1, o time de Campinas poderia avançar até perdendo por 2 a 0. Fez bem melhor: empatou por 1 a 1 e despachou o Tricolor.

Agora, a Macaca aguarda o vencedor de Lanús, da Argentina, e Libertad, do Paraguai, que jogam nesta quinta. O time argentino, que atuará em casa, tem a vantagem do empate. E já que fez história e chegou à decisão, por que não sonhar com o título? Seria uma ótima forma de esquecer a péssima campanha no Brasileirão – a Ponte está praticamente rebaixada à Série B.

Ao São Paulo, resta lamentar um ano em que nada deu certo: eliminação na semifinal do Paulista, nas oitavas da Taça Libertadores, o sufoco para escapar do rebaixamento no Brasileirão e, agora, a perda da chance de ser bicampeão da Sul-Americana.

Leandro gol Ponte Preta jogo São Paulo Sul Americana (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Jogadores da Ponte festejam gol contra o São Paulo (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)

Golpe de Macaca

Como no primeiro jogo, o São Paulo começou dominando a posse de bola, trocando passes e envolvendo a Ponte. A diferença é que, nesta quarta, o gol rápido não saiu. O time tricolor, apesar de ter a bola, não sabia bem o que fazer com ela. Tinha dificuldades para achar espaços na bem posicionada defesa da Macaca. Nem Rogério Ceni parecia em seus melhores dias: numa falta logo no início, a centímetros da linha da grande área, carimbou a barreira.

A equipe de Campinas, por sua vez, se mostrava atenta às brechas deixadas pela equipe tricolor. Não tinha pressa. Vigiava bem o adversário, limpava a sua área das bolas cruzadas. Esperava pelo São Paulo. Esperava por uma bola.

Ela veio aos 42. Felipe Bastos acertou ótimo lançamento para Uendel, que dominou no peito e cruzou rasteiro. Rodrigo Caio bem que tentou: primeiro, cortou o passe do ala pontepretano. Depois, rebatou o chute de Leonardo. Só que a bola voltou para Leonardo, que, dessa vez, acertou o alvo: 1 a 0 para a Ponte, 4 a 1 na soma dos dois jogos. A missão são-paulina, que já era difícil, ia se tornando impossível. A Ponte estava cada mais mais perto da inédita final internacional.

Maicon jogo São Paulo e Ponte Preta Sul-Americana (Foto: Reuters)O São Paulo não conseguiu furar o bloqueio da Macaca e se despede da Sul-Americana (Foto: Reuters)

Que venha a final

Não restava outra alternativa ao São Paulo no segundo tempo a não ser ir para o abafa. Muricy colocou os atacantes Luis Fabiano e Welliton em campo; saíram Paulo Miranda e Ademilson. Com três centroavantes, o Tricolor ocupou a área da Ponte. No entanto, a bola não chegava. Os responsáveis por levá-la à frente faziam partida sofrível. Ganso, sumido; Douglas com dificuldades até para dominar a bola; Maicon não foi visto em campo.

O relógio andava rápido, e nada de o time tricolor criar alguma coisa. Aí veio o desespero: o time se lançou à frente, deixou espaços na defesa, e a Ponte passou a mandar na partida. Toques rápidos, corretos, os jogadores se encontrando em campo. Faltava à Macaca, porém, maior capricho nas finalizações. Que o diga Baraka, que recebeu livre na área, aos 30, e, em vez de chutar a gol, deu mais um corte. Perdeu o ângulo, tentou passar a bola, e perdeu o lance.

Aos 38, um lampejo tricolor. Após chute desviado, a bola sobrou para Luis Fabiano cabecear e empatar a partida. Era muito pouco para o Tricolor. Gol insuficiente e tarde. O time do Morumbi precisava de mais dois gols para levar para os pênaltis, ou mais três para avançar à decisão. A Ponte não voltaria a vacilar. Agora, que venha a final para a Macaca.