Deola, o melhor que pode ser feito é pedir para sair!

Se há um jornalista que aprovou e defendeu a contratação do goleiro Deola, este sou eu. Líder e capitão do Vitória no acesso de 2012, experiente e ainda vindo da escola palmeirense de goleiros, o jogador tinha motivos para ser o camisa 1 do Fortaleza.

Só que Deola não é o primeiro e nem vai ser o último atleta do futebol, que conseguiu dar certo num time e fracassar em outro. Apesar de todo o seu histórico e currículo, sua função em campo, diferentemente de um atacante, não dá margem para erros.

O mais agravante é que os erros do goleiro tricolor foram cruciais para derrotas e eliminações difíceis de ser digeridas. Logo na estreia, diante do Icasa, falha e gol do adversário, mas a falta de ritmo e o peso da estreia foram levados em conta para não trazer preocupação. Os mais céticos já previam uma decepção. E infelizmente, eles estavam certos.

Em mais de 25 partidas como titular, raríssimas vezes Deola conseguiu se impor e mostrar que era o autêntico camisa 1.

Para agravar ainda mais os críticos, que viam um goleiro sem demonstrar segurança, quando ele teve a chance de demonstrar seu valor, fracassou. Foi assim na eliminação para o Sport, pela Copa do Nordeste, quando falhou no gol pernambucano e não defendeu nenhuma cobrança de pênalti.

Na decisão do Campeonato Cearense, o frango incrível no gol de Ricardinho poderia ter maculado para sempre sua história no futebol e provocado uma tragédia sem tamanho entre os tricolores, se o atacante Cassiano não faz o gol do título.

Se não bastasse, novamente numa partida decisiva, que valia uma vaga na terceira fase da Copa do Brasil, com prêmio superior a R$ 500 mil, Deola voltou a falhar de forma inacreditável. O vacilo no segundo gol do Coritiba ao chutar a bola em cima de Tinga é constrangedor ao extremo para não dizer outra palavra.

Mesmo assim, os deuses do futebol ainda deram uma nova chance ao arqueiro tricolor. E mesmo depois de 10 cobranças sem conseguir defender nenhuma, Deola precisou bater uma penalidade. E como se fosse o “gran finale”, acabou chutando por cima e eliminou o Fortaleza.

Numa autocritica bastante sincera, creio que até ele deve estar sentindo que não possui mais clima para permanecer no Pici. É agradecer a oportunidade, desejar sorte aos companheiros e pedir para sair.

 

 

Mário Kempes – Diário do Nordeste  – 15/05/2015

Campeonato Brasileiro da Serie C de 2015 terá o mesmo regulamento de 2014

A CBF vai divulgar a tabela básica e o regulamento da Série C do Brasileiro, provavelmente, nesta segunda-feira, 09. Como já era esperado, não haverá modificação na fórmula de disputa. A confirmação foi do Presidente da FCF, Mauro Carmélio, que escreveu em seu perfil no Facebook.

Ou seja, os 20 clubes seguem divididos em dois grupos (com dez) por regiões. Em 2015, haverá dois representantes cearenses no Campeonato: Fortaleza e Icasa. Por coincidência, ambos se enfrentam na rodada de abertura, dia 17 de maio.

Os dois grupos estão definidos da seguinte forma:

Região Norte-Nordeste-Centro-Oeste – Águia de Marabá/PA, América/RN, ASA/AL, Botafogo/PB, Confiança/SE, Cuiabá/MT, Fortaleza, Icasa, Salgueiro/PE e Vila Nova/GO.

Região Sul-Sudeste – Brasil de Pelotas/RS, Caxias/RS, Guarani/SP, Guaratinguetá/SP, Juventude/RS, Londrina/PR, Madureira, Portuguesa, Tupi/MG e Tombense/MG.

A fórmula é a mesma dos últimos anos. Os dez times de cada grupo se enfrentam dentro da chave em partidas de ida e volta. Os quatro melhores avançam para as quartas de finais, onde acontece o mata-mata em dois jogos.

A manutenção do regulamento e do sistema de disputa é um duro golpe para o Fortaleza. Nas últimas três competições, o time tricolor foi por duas vezes o melhor colocado na 1ª Fase. Só que na fase seguinte, nas quartas de finais, acabou eliminado para o 4º colocado do outro grupo.

O clube, inclusive, ano passado, havia feito um pedido formal à CBF para que o regulamento fosse alterado, passando para pontos corridos. Mas o diretor de futebol da entidade, Virgílio Elísio, afirmou que se houvesse alguém para bancar a competição, não haveria problema.Pelo jeito, os patrocinadores não apareceram.

 

Blog do Mário Kempes – Diário do Nordeste – 09/03/2015

“Não vamos estabelecer teto para a folha salarial”, afirma presidente eleito do Fortaleza, Jorge Mota

2062a-fortaleza_esporte_clube_de_fortaleza-ce

Em entrevista ao Programa Ocelio Pereira, na Rádio Metropolitana, nesta quinta-feira, o presidente eleito do Fortaleza, Jorge Mota, afirmou que não irá estipular uma quantia máxima para os gastos no clube.

“Veja bem. Não vamos estabelecer um valor, um teto para a folha salarial. De que adianta eu contratar um jogador barato, ele não render e ficar parado. Vai custar mais do que se fosse um jogador caro. Nós temos de trazer qualidade. Precisamos fazer as coisas certas e contratar o que for melhor para o Fortaleza”, garantiu o mandatário tricolor, que revelou que as despesas já ultrapassaram o valor de R$ 400 mil por mês.

“Já passamos, sim desse valor. Temos de honrar os compromissos assumidos neste mês. Precisamos pagar os jogadores que nós temos, que contratamos e que renovamos. Todos os dias têm coisa para pagar. Não é só dentro de campo, não. Tem alimentação, categorias de base, gratificação etc. Você pensa o que? Não é fácil, não!”, completou Jorge Mota, que fez questão de dizer que não vai fazer loucura.

“O torcedor pode ficar tranquilo. Todos os dias estamos nos reunindo e analisando o que podemos fazer. Ontem, nossa reunião foi justamente sobre a questão financeira. O Maurício Guimarães e o Ênio Ponte estão vendo todas as situações, onde temos receita, de onde podemos tirar e o que vamos pagar”, revelou.

Indagado sobre a questão do departamento de marketing, Jorge Mota, disse que está trabalhando no assunto, e que vai ter um diretor no clube, mas que também estuda a possibilidade uma empresa especializada entrar em parceria.

Sobre o programa de sócio-torcedor, o presidente do Fortaleza afirmou que vai trazer um especialista no setor para dar uma revigorada e ajudar o clube.

Já com relação a reforços, Jorge Mota seguiu a cartilha de só falar em nomes, quando o contrato estiver assinado e que todo jogador bom interessa ao Fortaleza.

 

Blog do Mário Kempes – Diário do Nordeste – 19/12/2014

Dívida do Fortaleza foi feita em 2010 por Renan Vieira e valor era de R$ 235 mil

Renan Vieira foi o presidente do Tetracampeonato cearense (Foto: Arquivo/Diário do Nordeste)

A dívida de empréstimo superior a R$ 4 milhões confirmada pelo presidente do Fortaleza, Osmar Baquit, não foi feita em 2009 e o valor solicitado não foi de R$ 500 mil.

De acordo com o processo, obtido pelo Blog, o empréstimo foi realizado em 09 de fevereiro de 2010 no valor de R$ 235.905,60 e assinado por Renan Vieira, então presidente do Fortaleza, e com a anuência de Jorge Mota, então presidente do Conselho Deliberativo.

O débito foi pago pelo avalista em cinco parcelas de R$ 52.025,37 de 09 de março a 09 de julho de 2010.

Clique nos links abaixo para ver os documentos sobre o empréstimo tricolor.

http://svmar.es/1wepIBV

PS: Os documentos tiveram o nome do avalista apagado para preservar a imagem da pessoa.

 

Blog do Mário Kempes – Diário do Nordeste – 11/12/2014

Fora de campo, Fortaleza vive caos e só comprova o quanto está bem atrás do Ceará

5298d-fortaleza2be2bcearc381

Em 2007, o então técnico do Ceará, Heriberto da Cunha, declarou de maneira surpreendente que dentro de Porangabuçu tinha um verme, que há muitos anos fazia de tudo para derrubar o clube e manter o time em crise. Nunca foi divulgado ou revelado quem era o tal verme.

Um ano depois, Evandro Leitão assumiu o comando do Ceará. Entre os vários objetivos declarados e divulgados para a torcida e para a mídia, o mandatário alvinegro tinha um desejo pessoal de acabar com as brigas internas dentro do clube.

Evandro acreditava que se os dirigentes, funcionários, conselheiros e sócios-proprietários não se unissem, seria impossível conseguir reerguer o clube. Vale lembrar que à época, o Ceará padecia com dívidas astronômicas e ainda via o maior rival conquistar sete dos últimos nove campeonatos estaduais disputados.

Desde então, o Ceará, como qualquer outro clube, produziu brigas grandes, mas jamais reveladas e muito menos divulgadas, e cresceu, principalmente fora de campo, de tal forma que virou exemplo e referência para outros.

Só para se ter uma ideia. Em 2008, Evandro Leitão entrou com um processo na Justiça contra as Lojas Rabelo, de propriedade de João Rabelo irmão de Eugênio Rabelo, que comandou o clube em 2006 e 2007, quando a empresa patrocinava o Ceará.

O receio de expor imbróglios sobre o clube foi tamanho, que neste ano, em 2014, ao saber do vazamento da notícia de que a Justiça deu ganho de causa ao clube para receber cerca de R$ 500 mil das Lojas Rabelo, Evandro Leitão ficou tão constrangido que preferiu recusar o recebimento, pois já tinha feito as pazes com a família Rabelo.

O (enorme) preambulo acima é só para constatar a (gigantesca) diferença entre Ceará e Fortaleza. Enquanto em Porangabuçu, há um esforço sem precedentes para não haver revelação de problemas internos do clube, no Pici, parece ser justamente o contrário.

Além de quase todos os presidentes do Fortaleza terem renunciado, desde 2007, provocados por forças ocultas, com exceção agora de Osmar Baquit, o clube e seus dirigentes e ex-dirigentes demonstram (aparentemente) gostar de ver o “circo pegar fogo”.

No mês passado, Jorge Mota (um dos presidentes mais vitoriosos do clube) discutiu calorosamente num programa de rádio com o atual vice-presidente Daniel Frota. A briga expôs o Fortaleza ao ridículo com acusações de ambas as partes de envergonhar qualquer torcedor.

No início deste ano, o então diretor de futebol, Adailton Campelo, após descobrir que estavam tramando sua queda do setor, declarou em entrevista coletiva momentos antes do clássico contra o Ferroviário, que havia traíras dentro do Fortaleza e alguém no próprio Pici estava a serviço do Ceará para prejudicar o Tricolor.

Em sua última entrevista coletiva na sala de imprensa do clube, o atual presidente do Fortaleza, Osmar Baquit, não poupou críticas a diversos adversários. Apesar de ter reconhecido erros, bateu forte em dirigentes que passaram pelo clube, entre eles, os que vão assumir o Fortaleza em janeiro.

Para não elencar ainda mais exemplos, por último, a próxima gestão do clube recebeu nessa terça-feira, a informação de que terá de pagar uma dívida superior a R$ 4 milhões de um empréstimo contraído em 2009.

O clube novamente é exposto e não consegue segurar uma informação grave dessas, que humilha ainda mais a torcida e mostra o absurdo de outras administrações, que não fizeram nada para sanar um débito dessa magnitude.

Alguns torcedores, inspirados no radialista e também torcedor, Emanuel Magalhães, afirmam que tudo isso “são as consequências da terceira divisão”, onde o clube padece desde 2010.

Creio que não é consequência, mas, sim, uma das causas do Fortaleza sofrer com esse flagelo há seis anos.

 

Blog do Mário Kempes – Diário do Nordeste – 10/12/2014

Estreia do Fortaleza no Campeonato Estadual pode ser realizada no Coliseu Cearense

Estádio fica na cidade de Alto Santos, a 230km da capital cearense (Foto: Diário do Nordeste)

O Quixadá estuda mandar todas as partidas do time no Campeonato Cearense de 2015 na cidade de Alto Santo. O município, a 230km da Capital, ficou famoso por ter construído um estádio com formato que lembra o Coliseu de Roma.

A estreia do time do Quixadá no Estádio será contra o Fortaleza. A partida está marcada para o dia 14 de janeiro.

A Federação Cearense de Futebol já fizera uma vistoria na praça esportiva e solicitou à prefeitura da cidade alguns ajustes para o Coliseu Cearense ficar apto a receber jogos oficiais.

“Pedimos para ser feito cabines de imprensa para os profissionais de rádio e TV e mais espaço para os vestiários. E que a iluminação seja adequada para os jogos noturnos. Vamos retornar ao município na próxima terça-feira (18) para saber se os ajustes serão executados antes do início do Campeonato”, declarou o gerente operacional da FCF, Fred Gomes, que completou.

“A gente sabe das dificuldades e do ônus que geram ao poder público, mas temos certeza que a cidade e a população de Alto Santo ganharão muito não só com o Estádio apto a receber partidas oficiais, mas também por ser uma grande atração para o nosso futebol”, concluiu.

Caso o Coliseu não fique apto a tempo, o Quixadá vai tentar entrar em acordo com a prefeitura de Quixadá para poder mandar os jogos no Estádio Abilhão.

 

Blog do Mário Kempes – 26/11/2014

Fortaleza termina a Série C com quase R$ 4 milhões arrecadados em bilheteria

2062a-fortaleza_esporte_clube_de_fortaleza-ce

Não foi do jeito que a torcida, muito menos o time e nem a diretoria esperavam, mas a Série C do Brasileiro já é coisa do passado para o Fortaleza. A eliminação precoce e a não conquista do acesso foram um duro golpe nos tricolores.

Por outro lado, as finanças durante o Campeonato Nacional não foram de todo ruim. Em 10 partidas como mandante, o Fortaleza arrecadou um total de R$ 3.743.631,20. De acordo com os borderôs dos jogos.

Enquanto o valor liquido, já descontados as despesas das partidas, tributos obrigatórios e as causas trabalhistas, o Fortaleza levou para os cofres R$ R$ 1.977.705,89.

O clube tricolor disputou a Série C de 28 de abril a 25 de outubro, com esse montante é possível afirmar que a Competição trouxe aproximadamente R$ 325.000,00 por mês de receita livre.

Lembrando que no Campeonato Cearense deste ano, o valor mensal líquido arrecadado pelo Tricolor foi de mais de R$ 250 mil.

Confira os valores arrecadados nas 10 partidas disputadas pelo Fortaleza na Série C:

Renda liquida:
Fortaleza 2×1 Cuiabá – R$ – 6.697,80 (portões fechados)
Fortaleza 1×0 Águia – R$ 97.163,19
Fortaleza 0×0 CRB – R$ 33.057,99
Fortaleza 0×0 Botafogo – R$ 195.232,51
Fortaleza 2×0 Salgueiro – R$ 143.561,33
Fortaleza 1×1 Crac – R$ 124.100,82
Fortaleza 0×0 Paysandu – R$ 217.452,14
Fortaleza 4×0 Treze – R$ 90.175,72
Fortaleza 3×2 ASA – R$ 44.832,19
Fortaleza 1×1 Macaé – R$ 1.038.827,80
Total: R$ 1.977.705,89

 

Renda bruta:
Fortaleza 2×1 Cuiabá – R$ – 6.697,80 (portões fechados)
Fortaleza 1×0 Águia – R$ 175.529,00
Fortaleza 0×0 CRB – R$ 72.913,00
Fortaleza 0×0 Botafogo – R$ 324.649,00
Fortaleza 2×0 Salgueiro – R$ 263.492,00
Fortaleza 1×1 Crac – R$ 217.656,00
Fortaleza 0×0 Paysandu – R$ 408.857,00
Fortaleza 4×0 Treze – R$ 186.480,00
Fortaleza 3×2 ASA – R$ 119.636,00
Fortaleza 1×1 Macaé – R$ 1.981.117,00
Total: R$ 3.743.631,20

 

Blog do Mário Kempes