Vitória 2 x 2 Botafogo

DESTAQUE

DOIS TEMPOS DISTINTOS

 Não dá para reclamar de falta de emoção no Barradão. Na noite desta quarta-feira, Vitória e Botafogo por 2 a 2, em jogo de dois tempos distintos. Fora de casa, o time carioca abriu 2 a 0 no primeiro tempo, com gols Bruno Silva. Na etapa final, o Vitória se recuperou com Gabriel Xavier e Kieza. Apesar do bom jogo, o resultado não foi bom para ninguém.

DESTAQUE

PANORAMA

 O empate não alterou muito a situação dos dois clubes no Brasileiro. O Vitória, com cinco pontos, segue na zona de rebaixamento. A equipe volta a campo na próxima segunda, quando visita o Sport, no Recife. O Botafogo, por sua vez, se mantém na zona intermediária, com 9 pontos. No domingo, o Alvinegro volta a jogar fora e enfrenta a Chapecoense, na Arena Condá.

DESTAQUE

FALTA ATACANTE? CHAMA O BRUNO

 O primeiro lance da partida importante deu a falsa impressão de que o Vitória tomaria as rédeas da partida. Logo aos dois minutos, David se livrou de dois marcadores e carimbou a trave. Foi tudo o que a equipe baiana fez na etapa inicial. Sonolento, o time de Alexandre Gallo errou muito, deixou o Botafogo gostar da partida e pagou caro. Aos 29, quando o Alvinegro já era melhor, Pimpão descolou lindo lançamento e achou Bruno Silva livre na área. O volante tocou na saída do goleiro: 1 a 0. Apesar da vantagem, a equipe de Jair continuou melhor. Kanu salvou em cima da linha o chute de Pimpão. Aos 41, porém, o Botafogo ampliou. Fernando Miguel deu rebote em chute de João Paulo, e Bruno Silva marcou de cabeça.

DESTAQUE

REAÇÃO

 A segunda etapa começou a primeira: com o Vitória no ataque. Desta vez, porém, a equipe baiana foi eficiente. Aos 4, David passou fácil por Arnaldo e achou Gabriel Xavier livre para marcar: 2 a 1. Esperava-se que, jogando em casa, o Rubro-Negro partisse para cima. Foi o Botafogo, porém, que teve as melhores chances em seguida. Roger, João Paulo e Pimpão tiveram ótimas oportunidades. E justamente quando a equipe carioca era melhor, o Vitória empatou com Kieza. Os 15 minutos finais foram eletrizantes, os dois times tiveram chances claras, Patric quase marcou um golaço, mas, no fim, persistiu o empate. Belo jogo no Barradão, mas ninguém comemorou o resultado.

DESTAQUE

SÓ KIEZA SE SALVA

O Vitóira anda mal das pernas, é presença cosntante na zona de rebaixamento, mas o torcedor não pode reclamar de Kieza. Dos cinco gols da equipe baiana no Brasileirão, três foram deles. Nesta quarta, contra o Botafogo, ele deixou mais um.

DESTAQUE

VOLANTE-ARTILHEIRO

Se Kieza é o artilheiro do Vitória, Bruno SIlva é o homem-gol do Botafogo. O volante marcou pela quarta vez no Campeonato Brasileiro e é, de longe, o artilheiro alvinegro na competição.

GLOBO ESPORTE.COM

Vitória 2 x 0 Atlético Mineiro

O JOGO

Lanterna? Não mais. Na tarde deste domingo, o Vitória bateu o Atlético-MG por 2 a 0 no Barradão, em Salvador, pela 6ª rodada do Campeonato Brasileiro, e deixou a última posição da tabela de classificação. Kieza e Neilton marcaram os gols do Rubro-Negro, que conquistou o primeiro triunfo na competição. A partida contou com 6.812 pagantes, para uma renda de R$ 81.322,00.

DESTAQUE

POSIÇÕES NA TABELA

Com o triunfo, o Vitória chega aos quatro pontos e sobe para a 18ª posição. O time baiano pode voltar a ocupar a lanterna em caso de triunfos do Atlético-PR e do Atlético-GO. O Atlético-MG segue com seis pontos e está na 16ª colocação.

DESTAQUE

POSIÇÕES NA TABELA

Com o triunfo, o Vitória chega aos quatro pontos e sobe para a 18ª posição. O time baiano pode voltar a ocupar a lanterna em caso de triunfos do Atlético-PR e do Atlético-GO. O Atlético-MG segue com seis pontos e está na 16ª colocação.

DESTAQUE

FIM DO JEJUM

O resultado deste domingo encerrou um período de 45 dias sem triunfos. A última vez que o time baiano saiu de campo com placar favorável foi no 2 a 1 sobre o Bahia, em abril, nas semifinais da Copa do Nordeste. Desde então, foram disputadas oito partidas, com cinco derrotas e três derrotas.

DESTAQUE

QUE BAGUNÇA!

O Atlético-MG teve uma das piores atuações da temporada. Muito desfalcado, não conseguiu marcar com eficiência e criar chances de perigo. O time todo foi mal, especialmente a defesa. O único titular era Victor, e os reservas não conseguiram jogar bem. Danilo, Felipe Santana e Erazo foram mal, especialmente o último, que cometeu um pênalti infantil no lance do primeiro gol do Vitória.

DESTAQUE

PEGOU NO PÉ

A relação do atacante Paulinho com a torcida do Vitória não está nos melhores dias. O jogador entrou em campo no segundo tempo, desperdiçou ótimo contra-ataque e passou a ser vaiado pelo torcedor que marcou presença no Barradão.

DESTAQUE

O PRIMEIRO TEMPO

A produção ofensiva foi um problema que acompanhou o Vitória nas cinco primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro. Até então, o Rubro-Negro havia balançado as redes apenas uma vez na competição. E bastaram poucos minutos de bola rolando no Barradão para melhorar o número de gols marcados. Aos 19, Kieza foi puxado por Erazo dentro da área e o árbitro Raphael Claus marcou pênalti. O próprio atacante tratou de converter o lance, ao chutar forte no canto. O time baiano explorou jogadas pelas laterais e poderia ter ampliado com David, que desperdiçou oportunidades, uma delas quase na pequena área. Com muitos erros de passe, o Atlético-MG não conseguiu articular jogadas de perigo. A melhor chance do Galo foi com Valdívia, que recebeu passe dentro da área e finalizou por cima da meta defendida por Fernando Miguel.

DESTAQUE

O SEGUNDO TEMPO

No intervalo, Roger Machado precisou substituir Yago, machucado, por Ralph. O time mineiro também mudou de postura. Mais organizado, passou a atacar com mais consciência. Em jogada trabalhada, Danilo arriscou de fora da área e, mesmo atrapalhado pelo árbitro, exigiu boa defesa de Fernando Miguel. Fred acertou o travessão após bola mal recuada por René Santos. Quando o Atlético-MG era melhor em campo, o Vitória ampliou o placar. Neilton se livrou da marcação, invadiu a área e finalizou sem chance de defesa para Victor. O gol esfriou o ímpeto do Galo, que passou a atacar sem qualquer estratégia aparente. Na base do contra-ataque, o Rubro-Negro baiano tentou marcar novamente, mas Paulinho desperdiçou ótima oportunidade.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Fluminense 2 x 1 Vitória

O JOGO

A PELEJA

O Fluminense foi cirúrgico para bater o Vitória na noite deste sábado, no Maracanã, em jogo válido pela 4ª rodada da Série A e se recuperou da eliminação para o Grêmio no meio da semana na Copa do Brasil. Com muita entrega dos jogadores, a equipe de Abel Braga aproveitou duas falhas do sistema defensivo adversário para marcar duas vezes, uma com Richarlison e outra com Henrique Dourado. Impulsionado pela entrada de Neilton, que fez sua partida de estreia, o Rubro-Negro baiano chegou ao gol com Kieza, ensaiou uma reação, porém esbarrou na superioridade de um adversário melhor estruturado.

DESTAQUE

PRIMEIRO TEMPO

O Fluminense era encarado como franco favorito para a partida. Quando a bola rolou, no entanto, o Vitória apresentou uma formação diferente, um 4-1-4-1, e conseguiu fazer um duelo equilibrado, principalmente porque conseguia tirar a velocidade do Flu. Mas o jogo era fraco. Fora uma bola na trave de Gustavo Scarpa após uma saída de bola errada dos baianos, os dois times criaram muito pouco. E foi a partir de outra falha que o Flu chegou ao seu gol. Scarpa roubou bola de Thallyson e rolou para Richarlison, que bateu da entrada da área para abrir o placar.

DESTAQUE

SEGUNDO TEMPO

As falhas individuais voltaram a castigar o Vitória. Dessa vez, em dose dupla. Logo aos quatro minutos, Patric perdeu a bola para Richarlison, Alan Costa furou dentro da área e Henrique Dourado ampliou o marcador. O Vitória, completamente perdido na partida, ganhou outra cara quando Pet resolveu promover a estreia de Neilton. Em três minutos, ele criou três boas jogadas, inclusive a que terminou em gol de Kieza. O gol até deu novo ânimo aos visitantes, porém o Flu logo voltou a assumir o controle da partida e esteve mais perto de ampliar o placar do que de sofrer o empate.

DESTAQUE

COMO FICA

Com o triunfo, o Fluminense chega a nove pontos e assume a vice-liderança provisória da competição, com a mesma pontuação do Coritiba. O Rubro-Negro segue sem vencer na Série A: tem apenas um ponto e ocupa a 17ª colocação.

DESTAQUE

PRÓXIMOS JOGOS

Na 5ª rodada, o Fluminense recebe o Atlético-PR, na terça-feira, no Maracanã. O Vitória sai para encarar o São Paulo, na quinta, no Morumbi.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Bahia 2 x 2 ABC

Empate na Fonte Nova complica Bahia e decreta o rebaixamento do ABC

Tricolor vacila outra vez em casa e desperdiça chance de colar nos quatro primeiros colocados da Série B. ABC mostra valentia, mas vai disputar a Série C em 2016

Frustração é apenas umas das palavras que podem ser usadas para definir o sentimento de Bahia e ABC após o empate em 2 a 2, na Arena Fonte Nova. Basta olhar a tabela e executar contas simples para entender o motivo. O resultado da partida, disputada na noite desta terça-feira, deixa o Tricolor ainda mais longe do acesso e rebaixa o Mais Querido para a terceira divisão do futebol nacional. Uma noite melancólica, para ser esquecida por baianos e potiguares.

A três rodadas do fim da Série B, o Bahia é o sétimo colocado e está distante três pontos do quarto colocado, o Santa Cruz. Vencer na próxima rodada, contudo, não é o suficiente para voltar ao G-4, já que o Tricolor baiano tem número de triunfos inferior ao dos pernambucanos. O ABC, que ocupa a 18ª posição, tem 29 pontos, 11 a menos do que o Ceará, primeira equipe fora da zona do rebaixamento. Restam apenas nove pontos em disputa.

O ABC volta a campo na sexta-feira. A equipe encara o Mogi Mirim, às 21h (horário de Brasília), no Frasqueirão. Depois de dois jogos em casa, o Bahia sai para encarar o Boa Esporte no sábado, às 17h30, no Municipal de Varginha.

Bahia x ABC Série B (Foto: Estadão Conteúdo)
Bahia e ABC ficaram no empate na Arena Fonte Nova (Foto: Estadão Conteúdo)

Gols, insatisfação e vaias na Fonte

O Bahia entrou em campo “mordido”, como se diz na gíria. Era nítido que a derrota diante do Santa Cruz, nessa mesma Arena Fonte Nova, ainda mexia com o brio dos jogadores. Para não dar nova chance ao azar, os donos da casa partiram para cima. Com um minuto, Roger já perdia grande chance de abrir o placar. Convivendo com o fantasma de um rebaixamento dado como certo, o ABC não se intimidou com a pressão e tentou chegar pelo lado esquerdo de ataque, aproveitando espaços entre o lateral Cicinho e Gabriel Valongo. Mas foi mesmo o Tricolor que balançou as redes. Kieza, sempre ele, aproveitou boa jogada de Eduardo e abriu o marcador. O gol deu uma acalmada no ânimo dos baianos, que praticamente pararam de jogar. Melhor para a equipe potiguar que, com cada vez mais espaço, passou a incomodar. O empate veio com Pingo, que acertou um belo chute de fora da área.

O gol do ABC dividiu os torcedores. Enquanto alguns tentavam apoiar, outros não poupavam nas vaias. O principal alvo das queixas foi o lateral Cicinho, que não gostou e fez um gesto com as mãos como quem diz: “Podem vaiar mais”. A atitude enfureceu a torcida, que continuou pegando no pé do atleta. Até o técnico Charles, que tentou defendê-lo, foi vaiado. Dentro de campo, o Bahia não fazia por merecer outro gol, mas acabou marcando com Roger, aproveitando outra assistência de Eduardo. A alegria do torcedor do Bahia durou pouco. Valente, o Mais Querido chegou novamente ao empate com Bismark, que recebeu de Ronaldo Mendes, driblou o goleiro e mandou para as redes, isso aos 41 minutos. Ao final da primeira etapa, vaias. Muitas vaias.

Fim de jogo melancólico na Fonte

A alegria do torcedor do Bahia começou antes de a bola rolar, quando o placar anunciou a troca de Cicinho por Railan. Embalados pelos gritos de “Eu acredito!”, o time da casa tentou pressionar, porém sem o mesmo ímpeto do primeiro tempo. Ainda assim, o Tricolor criou ótimas oportunidades. A primeira em uma cabeçada de Roger que Saulo fez grande defesa. A segunda, uma chance de tirar o fôlego da torcida. Tiago Real puxou contra-ataque e passou para Maxi. O argentino, sozinho, invadiu a área e deu um toque por cima do goleiro. A bola saiu caprichosa pela linha de fundo. O desespero ofensivo do Bahia, que muitas vezes atacava sem organização, deixava espaços. E o ABC mantinha o contra-ataque engatilhado. O que faltava era um pouco de capricho no momento de definir a jogada. Reginaldo desperdiçou ótima chance de virar o placar após passe de Romarinho. A tônica do jogo não mudou. O Bahia atacava desordenadamente. O ABC não tinha pernas para aproveitar os espaços e matar o jogo. E assim foi até o apito final de Heber Roberto Lopes. Um fim de jogo melancólico para baianos e potiguares.

GLOBO ESPORTE.COM

Bahia 1 x 2 Santa Cruz

Chega mais, Série A: Santa bate Bahia de virada na Fonte e entra no G-4

Tricolor baiano abre o placar no segundo tempo, com gol de Kieza, mas vê Danny empatar e Bruno Moraes sacramentar triunfo do time pernambucano por 2 a 1

Antes da partida, aquele clima de decisão. Era gente rezando na arquibancada, promessa de “Pai Nosso” da torcida, arrepio a cada grito mais agudo. Parecia decisão de campeonato – e foi quase isso. Bahia e Santa Cruz entraram em campo, na tarde deste sábado, numa disputa direta por uma briga por vaga no G-4 da Série B. O Esquadrão havia sido retirado do seleto grupo após o início da rodada, no meio da semana, e apenas um triunfo lhe garantiria o tão desejado retorno. O Santinha, apesar de pouca coisa mais distante, via na partida da Arena Fonte Nova o atalho para o grupo de acesso. E, diante de mais de 30 mil torcedores, deu Santa!

As equipes fizeram um primeiro tempo marcado pela ofensividade – que não produziu frutos pela falta de pontaria de quem tentou. No segundo tempo, a determinação do placar. Pênalti perdido por Souza logo no comecinho, seguido por gol de Kieza pouco depois. O Santa se encaixa. Danny Morais empata. Bruno Moraes vira: 2 a 1 para o Santa Cruz.

Com o triunfo, o time pernambucano entrou no G-4: com 55 pontos, ficou na quarta posição. O Bahia, por outro lado, despencou três posições: é o sétimo, com 54 pontos. Para terminar a 34ª rodada no seleto grupo, os corais secam o Sampaio Corrêa, que entra em campo mais tarde, contra o Oeste. Os tricolores voltam a campo na próxima terça-feira. No Arruda, o Santinha recebe o Oeste às 21h30, mesmo horário em que o Esquadrão recebe o ABC, na Arena Fonte Nova, ambos no horário de Brasília.

Danny Morais Santa Cruz x Bahia Série B (Foto: Antônio Carneiro / Pernambuco Press)
Danny Morais marca primeiro gol do Santa Cruz na partida diante do Bahia
(Foto: Antônio Carneiro / Pernambuco Press)

Galera, o gol é pra lá!  

A partida era importante, e as duas equipes mostraram que sabiam disso. O primeiro tempo foi pegado, mas ruim de pontaria. Bahia e Santa chegaram com propostas ofensivas, e, apesar de mais cauteloso, o visitante não abriu mão de atacar. O problema, no entanto, era acertar o gol. Além disso, o Esquadrão esbarrou na afobação do meio de campo, que não conseguia trabalhar bem a bola e esperar a oportunidade certa de finalizar. Kieza chegou a marcar, mas, impedido, teve o tento anulado. Na chance mais aguda a equipe coral, Luisinho desperdiçou sozinho, na cara do gol.

Vira, vira, vira…

O pessoal não acertava o gol no primeiro tempo… Ok. Hora de consertar isso aí. Souza já abriu o segundo tempo com essa intenção. Vitor botou a mão na bola em chute do Tricolor baiano, o árbitro marcou pênalti. O volante do Bahia se posicionou, tirou do goleiro e… mandou na trave. Logo na sequência, após escanteio, Kieza aproveitou e fez 1 a 0 para os donos da casa. Só que não tinha nada definido. Martelotte mexeu no time, o Santa não se intimidou, o Esquadrão foi sentindo a pressão… Foi da cabeça de um ex-jogador do Bahia que saiu o empate: ao 20, Danny Morais completou para o gol, após cobrança de escanteio. Aí era desespero. Tenta de um lado, tenta do outro, com vantagem para o Santinha, melhor encaixado e mais ofensivo. Zé Roberto e Kieza tentaram desempatar. Contudo, foi Bruno Moraes o responsável por acabar com a igualdade do placar – e por decretar a virada pernambucana. Foi aos 37 minutos que o atacante, que entrara quatro minutos antes, aproveitou um rebote na área e, com calma, mandou para o gol. Era 2 a 1 e G-4 para o Santa.

GLOBO ESPORTE.COM

Bahia 1 x 0 Criciúma

O JOGO

Tinha que ser sofrido, chorado e, claro, com o gol do artilheiro. Foi assim que o Bahia bateu o Criciúma nesta terça-feira, na Arena Fonte Nova, pela 32ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, e mostrou que o time renasceu mesmo com o técnico Charles Fabian. Dominante, o Tricolor baiano teve a maioria das oportunidades de gol, ameaçou desapontar a torcida, mas conseguiu sair com o triunfo graças ao gol solitário de Kieza, já no finalzinho do jogo, aos 43 minutos do segundo tempo.

DESTAQUE

COMO FOI O PRIMEIRO TEMPO?

Com mais posse de bola e iniciativa, o Bahia dominou a etapa inicial. O Tricolor baiano teve boas oportunidades para sair na frente do placar, contudo, pecou na finalização. Logo aos cinco minutos, João Paulo Penha recebeu bem na entrada da área e mandou para fora. Aos 19, em jogada bem trabalhada entre João Paulo e Eduardo, Maxi recebeu livre e também chutou à esquerda da meta de Luiz. O time ainda teve grande cabeçada de Gabriel Valongo bem defendida pelo goleirão do Tigre, voleio de Kieza e chute para a lua de Eduardo frente a frente com Luiz. O Criciúma, por sua vez, veio com a estratégia de esfriar o jogo e sair no contra-ataque, mas que não foi efetiva. A melhor oportunidade foi aos 28 minutos, em chute de Bruno Lopes que passou muito perto do gol.

 

DESTAQUE

E O SEGUNDO?

A etapa final seguiu a tônica parecida com os primeiros 45 minutos. O Bahia continuou com mais posse de bola e pressionou o Criciúma que, desta vez, conseguiu assustar mais a defesa da casa. Se Roger e Gabriel Valongo quase marcaram para o Esquadrão em cabeçadas dentro da área, Douglas Moreira, em chute forte, também, por pouco, não tirou o zero do placar. Daí em diante, a falta de gols deixou o time do Bahia nervoso e pouco efetivo. Contudo, já no apagar das luzes, eis que aparece o artilheiro Kieza, aos 43 minutos do segundo tempo, para marcar de cabeça e fazer a torcida na Fonte Nova pular de alegria.

DESTAQUE

SEQUÊNCIA DO CAMPEONATO

Depois de uma partida tão desgastante, um tempo para descanso. O Bahia volta a jogar somente no final deste mês, no dia 31, quando enfrenta o Botafogo, no Engenhão. O Criciúma volta a atuar mais cedo, quando encara o Santa Cruz, na próxima terça-feira, no Arruda.

 

DESTAQUE

A TABELA

Com o triunfo desta noite, o Bahia foi a 54 pontos e subiu para a 3ª posição. Embora os adversários diretos na briga pelo G-4 ainda não tenham jogado, a equipe baiana sabe que, pelo menos, conseguirá se manter entre os primeiros até o fim desta rodada. O Tigre, por sua vez, continua estagnado na 14ª posição, com 39 pontos.

 

GLOBO ESPORTE.COM

 

 

 

 

Oeste 0 x 1 Bahia

Na estreia de Charles, Bahia vence o Oeste fora de casa e volta ao G-4

Kieza é autor de único gol em confronto realizado neste sábado, no estádio José Liberatti. Time paulista continua com 38 pontos e cai para 15ª na tabela da Série B

Foi sofrido, na superação e na estreia de um ídolo do Bahia. Na primeira partida de Charles Fabian à frente do Tricolor, a equipe baiana venceu o Oeste, quebrou uma sequência de cinco jogos sem vencer e, de quebra, voltou ao G-4 da Série B do Campeonato Brasileiro, pelo menos provisoriamente. O gol da partida, realizada no estádio José Liberatti, em Osasco, foi marcado por Kieza. O time paulista até pressionou, dominou o segundo tempo, mas não conseguiu furar a retranca baiana.

O resultado em Osasco pouco muda a vida do Oeste, que permanece com 38 pontos e cai uma posição na tabela, chegando ao 15º lugar, a nove do ABC, primeira equipe na zona de rebaixamento. Já para o Bahia, o triunfo deste sábado premia uma rodada maravilhosa. Com a derrota dos adversários diretos, o Tricolor chegou a 51 pontos, subiu duas posições e voltou ao G-4, na 4ª posição. Contudo, o Esquadrão espera agora o resultado da partida entre Paysandu e Macaé, que só acontece às 21h (horário de Brasília), para saber se dorme entre os quatro primeiros colocados.

Bahia; Oeste (Foto: Reprodução)
Oeste e Bahia se enfrentaram neste sábado, no estádio José Liberartti, em Osasco
(Foto: Reprodução)

O Bahia não terá muito tempo para celebrar o resultado. O Esquadrão volta a jogar na próxima terça-feira, quando enfrenta o Criciúma, na Arena Fonte Nova, em Salvador, às 21h (horário de Brasília). O Oeste, por sua vez, terá mais tempo para descansar e enfrenta o América-MG, no Independência, em Belo Horizonte, na próxima sexta-feira, também às 21h.

Milagre, lance sem querer e gol

Embora, no início do jogo, tenha alternado o domínio da partida com o Oeste, o Bahia foi melhor na etapa inicial, principalmente após marcar o gol. A equipe baiana criou mais oportunidades, a maior parte delas com o atacante Roger, que desperdiçou uma chance logo no início da partida, em chute na entrada da área, e outra em cabeçada. Eduardo ainda quase marcou um gol meio sem querer, após Ligger chutar nas costas dele e obrigar Leandro a fazer boa defesa. Quando o Oeste ameaçava pressionar o Bahia e teve sua grande oportunidade em chute de Wagninho cara a cara com Douglas, que obrigou o goleirão fazer um milagre, o time baiano abriu o placar. Kieza aproveitou cobrança de escanteio de Souza e deixou o dele.

Panorama muda, resultado não

Como era de se esperar, atrás no placar, o Oeste partiu para cima do Bahia, teve mais posse de bola e as melhores oportunidades – ou únicas – do segundo tempo. Logo aos sete minutos, em um levantamento para a área, Renan conseguiu cabecear por cima, em uma bola que Douglas Pires já estava batido. O panorama não mudou depois daí, mas a equipe paulista, sem muita criatividade, não conseguiu tramar chances claras de gol. O Esquadrão, por sua vez, não aproveitou os espaços deixados pelo Oeste e não conseguiu contra-atacar, nem assustar o rival.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Bahia 1 x 3 Vitória

Vitória bate o Bahia de virada, encosta no líder e deixa o rival fora do G-4

Bahia sai na frente com Kieza, mas atacante é expulso na primeira etapa e complica a vida do time. Invicto em clássicos no ano, Vitória vê festa de torcedores na Arena

A caçada do Vitória ao Botafogo, líder da Série B, ganhou força na tarde deste sábado. No terceiro clássico do ano, o Leão voltou a levar a melhor sobre o Bahia, venceu por 3 a 1 e mostrou que se sente à vontade na Arena Fonte Nova, mesmo que o mando seja do rival – foi o terceiro triunfo consecutivo da equipe de Mancini jogando no estádio. Escudero, Rhayner e Diego Renan foram os responsáveis por manter a invencibilidade em Ba-Vi’s, que já dura cinco partidas. Kieza marcou o do Tricolor, o centésimo da temporada, mas foi expulso ainda na primeira etapa.

Bahia Vitória Série B (Foto: Raul Spinassé/Agência A Tarde/Estadão Conteúdo)
Bahia Vitória Série B (Foto: Raul Spinassé/Agência A Tarde/Estadão Conteúdo)

O triunfo rubro-negro no clássico fez diminuir a vantagem para o líder Botafogo, que somente empatou nesta rodada. O Vitória foi a 52 pontos, ficando a quatro de distância dos cariocas. Já o Tricolor permanece com 47 pontos e deixa o G-4: fica na 5ª colocação.

O Bahia não terá tempo para descansar. O time viaja até Belém, onde enfrenta o Paysandu na terça-feira, no estádio Mangueirão. Já o Vitória só volta a campo no próximo sábado, quando encara o Boa Esporte, no Barradão.

Do delírio à revolta: gol e expulsão de Kieza

Nem o mais otimista dos tricolores poderia imaginar que o centésimo gol do time na temporada sairia tão cedo. Kieza precisou de apenas 19 segundos para ir às redes e levar o torcedor à loucura. Na comemoração, tirou a camisa e levou cartão amarelo. Guarde esse lance. Ele será importante. Um gol relâmpago costuma pôr fogo na partida e alterar aquilo o que os treinadores pensaram para o jogo. A torcida do Bahia se inflamou, e o Vitória demorou a se acertar em campo para tentar o empate. Vivia das arrancadas de Rhyaner, que fazia fila na defesa adversária toda vez que saía em velocidade. Só que o Tricolor não conseguiu aproveitar o momento de instabilidade do rival, que, aos poucos, equilibrou as ações. E, na primeira vez que Diogo Mateus levou vantagem sobre João Paulo, o Leão conseguiu o empate. O lateral fez bela jogada e cruzou para Elton, que parou em Douglas Pires. No rebote, Escudero estava lá para aproveitar.

Lembra do cartão recebido por Kieza por tirar a camisa no primeiro gol? Ele fez muita diferença. Já no fim da primeira etapa, o artilheiro do Bahia na temporada dominou uma bola com o braço antes de mandar para as redes. O assistente percebeu a infração e avisou ao árbitro Leandro Vuaden, que anulou o tento e expulsou o jogador do Bahia. A expulsão gerou muita reclamação por parte dos tricolores. Kieza, o mais exaltado, xingou bastante o árbitro.

Virou passeio

Com a vantagem numérica, o Vitória passou a ter mais a bola desde o início da segunda etapa. Faltava, porém, ser incisivo e criar chances reais de gol. Isso aconteceu aos 13 minutos. Um dos nomes do jogo, Diogo Mateus novamente levou vantagem sobre João Paulo e mandou na área. Rhayner aproveitou a escorada de Elton e virou o placar. O gol deu tranquilidade ao time de Vagner Mancini, que passou a valorizar a bola, trocar passes e virar o jogo de um lado para o outro, como deve fazer a equipe que tem um jogador a mais. E o que já era bom virou passeio quando Diego Renan tabelou com Elton e bateu da entrada da área para marcar um bonito gol na Fonte Nova, o terceiro do Leão. Sem forças, a equipe de Sérgio Soares sangrou em campo até que o árbitro desse por encerrado o último Ba-Vi de 2015, que mais uma vez terminou com tons de vermelho e preto. “A-ha, u-hu! A Fonte Nova é nossa!” foi o grito que ecoou forte no estádio após o apito final.

GLOBO ESPORTE.COM

Luverdense 2 x 2 Bahia

Luverdense e Bahia empatam por 2 a 2 em jogo intenso no Passo das Emas

Partida movimentada pela Série B do Brasileiro teve de tudo no duelo disputado em Lucas do Rio Verde. Equipes mantém posições na tabela com a igualdade

Quatro gols, dois anulados, bolas na trave, goleiros brilhando. O empate em 2 a 2 entre Luverdense e Bahia teve de tudo um pouco na noite deste sábado, no estádio Passo das Emas, pela 28ª rodada da Série B do Brasileiro. Os dois times deixaram alegres os torcedores que acompanharam o jogo, tamanha intensidade que ocorreu ao longo dos 90 minutos. Com chances para os dois de conquistar a vitória. Os gols foram marcados por Tozin (dois) para o Verdão do Norte e Kieza e Roger, para o time baiano.

Com o resultado, o Luverdense foi aos 39 pontos e manteve a 10ª posição. O Bahia chegou aos 47 pontos e manteve a quarta posição na tabela da Série B.

Na próxima rodada, o Luverdense enfrenta o Ceará, terça-feira, na Arena Castelão, às 21h. O Bahia faz o clássico contra o Vitória, sábado, na Arena Fonte Nova, às 16h30.

Luverdense, Bahia, Passo das Emas (Foto: Assessoria/Luverdense Esporte Clube)
Luverdense, Bahia, Passo das Emas (Foto: Assessoria/Luverdense Esporte Clube)

Gols anulados e Kieza oportunista

Com homenagem ao atleta Paulo Henrique, que faleceu nesta semana por leucemia, antes da bola rolar, os times começaram a partida já criando chances. A primeira foi do time da casa em cabeçada de Alipio, com um minuto. Aos dois, o Bahia respondeu também de cabeça, com Jailton. Muralha, aos cinco, acertou chute forte que assustou Douglas Pires. A chance mais clara veio aos 19, mas Diego Rosa não alcançou cruzamento de Paulinho. Sempre em busca dos gols, ambas equipes tiveram gols bem anulados bem arbitragem. Kieza, pelo Bahia, e Luiz Otávio, pelo Luverdense foram as redes, mas em impedimento. A rede balançou pra valer aos 27, em cabeçada de Kieza que subiu mais que todo mundo para abrir o placar aos visitantes. Depois do gol, o Bahia dominou o jogo e quase ampliou com Maxi. No final da primeira etapa, o Luverdense respondeu em duas oportunidades.

Gols e mais gols

O segundo tempo começou com o Luverdense pra cima em busca do empate e a virada. Pois ela veio. Em dois lances de oportunismo de Tozin, aos 13 e 16, o Verdão do Norte marcou os gols que iam lhe dando os três pontos. Antes, o mesmo Tozin havia acertado a trave. Mas não durou muito tempo. Com 23, Roger aproveitou cruzamento de Kieza e empatou o jogo. Sem titubear, o time mato-grossense seguiu em cima do adversário e carimbou a trave, criou chances claras e acuou o Bahia depois dos 30 minutos. No fim, tudo igual no placar.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Bahia 1 x 1 Sampaio Corrêa

Em duelo pelo G-4, Bahia e Sampaio Corrêa empatam na Arena Fonte Nova

Bahia permanece na quarta posição, com 46 pontos, dois a mais que o Sampaio Corrêa, que cai para a sexta posição. Equipes voltam a jogar no próximo sábado

Bahia X Sampaio Corrêa  (Foto: Romildo de Jesus / Future Press)

O Bahia tentava se desgarrar dos times fora do G-4. O Sampaio Corrêa lutava para voltar à zona de acesso para à Primeira Divisão. A tarde deste sábado, contudo, não foi de objetivo alcançado para nenhum dos dois times. O empate em 1 a 1, na Arena Fonte Nova, em Salvador, pela 27ª rodada da Série B, manteve o Tricolor baiano na quarta colocação, agora com 46 pontos. Com 44, o Bolívia Querida caiu uma posição, após triunfo do Santa Cruz.

Os gols da partida, assistidos por mais de 19 mil pessoas no estádio,  foram marcados por Kieza, de pênalti, e Jheimy. Na próxima rodada, o Sampaio Corrêa recebe o Santa Cruz no Castelão, partida marcada para o próximo sábado, às 16h30 (horário de Brasília). No mesmo dia, mas às 21h, o Bahia enfrenta o Luverdense no Passo das Emas.

O jogo

Bahia invicto como mandante? Uma posição acima na tabela de classificação? Nada disso intimidou o Sampaio Corrêa, que ignorou a forte pressão da torcida baiana na Arena Fonte Nova e partiu para o ataque. O Tricolor maranhense foi o dono das ações no início da partida. Nadson quase marcou após Douglas Pires dar rebote em chute de Edgar. Poucos minutos depois, Plínio tentou de cabeça, mas não acertou o alvo. O Bahia mal chegava ao ataque. Encaixotado na marcação, o Tricolor não tinha saída de bola e sofria com a linha de impedimento. Foi preciso uma jogada individual para mudar o panorama do jogo. Eduardo levou a bola pela direita, invadiu a grande área, deixou Willian Simões caído no gramado e viu o lateral do Bolívia Querida tocar com a mão na bola. O árbitro marcou pênalti, convertido por Kieza, que deslocou o goleiro Rodrigo Viana.

Bahia à frente no placar? G-4 mais distante? O Sampaio Corrêa não tinha outra opção senão atacar. E foi isso que fez no segundo tempo. Mas, desta vez, o esforço foi recompensado. Logo aos cinco minutos, após confusão na área do Bahia, Plínio tentou marcar e não conseguiu. Jheimy, meio sem jeito, trombou com os defensores da equipe baiana e empurrou a bola para o fundo das redes. Com o empate, a partida ganhou ainda mais movimentação. O Tricolor baiano passou a ocupar mais o campo de ataque. O Bolívia Querida respondia com contragolpes. Edgar levava muito perigo pela direita e chegou perto de desempatar em chute cruzado. O apito final veio acompanhado de vaias da torcida para o time do Bahia, que apesar dos pesares, se mantém invicto como mandante na Série B.