Santos 1 x 0 Palmeiras

O JOGO

PEIXE DESENCANTA, VERDÃO RECLAMA

Na estreia de Levir Culpi no banco, o Santos venceu seu primeiro clássico na temporada. Com gol de Kayke no começo do segundo tempo, bateu o Palmeiras na Vila Belmiro, nesta quarta-feira, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Já os atuais campeões do torneio conheceram a quarta derrota na competição – na campanha do título no ano passado foram seis reveses em 38 jogos.

 

A equipe alvinegra havia perdido os outros quatro dueos contra seus principais rivais em 2017. Na Vila, Kayke marcou seu terceiro gol em dois jogos – havia feito dois sobre o Atlético-PR no domingo –, e o goleiro Vanderlei garantiu o bicho, com quatro grandes defesas. Pelo lado do Verdão, muita reclamação com a arbitragem de Wilton Pereira Sampaio e sua equipe.

DESTAQUE

GOL LEGAL?

Aos 5 minutos do segundo tempo, após cruzamento de Jean Mota, Kayke passou por Edu Dracena e colocou a bola na rede de Fernando Prass. O zagueiro alviverde pediu falta do atacante alvinegro.

DESTAQUE

PÊNALTI?

Aos 49 da etapa final, Vanderlei defendeu um levantamento de bola de Raphael Veiga, que estava indo direto para o gol. No meio do caminho, Edu Dracena reclamou que foi empurrado por Lucas Veríssimo

DESTAQUE

NA TABELA

Com a vitória, o Santos embalou no terceiro triunfo consecutivo no Brasileirão e entrou no G-6: agora é o quinto colocado, com 12 pontos. O Palmeiras, por outro lado,está  flertando com a zona de rebaixamento. Com sete pontos, é o 15º colocado, um ponto a mais do que o Atlético-MG, o 17º

DESTAQUE

PRIMEIRO TEMPO

Fora de casa, Cuca montou seu time com o zagueiro Juninho atuando na lateral esquerda e Zé Roberto pelo meio – uma forma de povoar a intermediária e dificultar as ações de Lucas Lima, que voltava ao Santos após se recuperar de lesão. Do outro lado, Levir Culpi, que assumiu na antevéspera, quase não teve tempo de conhecer o elenco, e montou a equipe de forma bem parecida ao que Elano havia feito como interino nas duas rodadas anteriores.

 

O jogo começou como os anfitriões no ataque. Com apenas três minutos, Bruno Henrique desperdiçou uma chance na frente de Fernando Prass. O restante do primeiro tempo, porém, foi sonolento. Exceção a uma finalização de longe de Róger Guedes que acertou a trave de Vanderlei e uma cabeçada de Willian que obrigou o goleiro santista a se mexer, o duelo se concentrou no meio de campo.

DESTAQUE

SEGUNDO TEMPO

O segundo tempo foi bem mais movimentado. Guerra teve a primeira oportunidade, mas parou em Vanderlei. Pouco depois, aos cinco minutos, Kayke marcou: Jean Mota cruzou para o camisa 11 que, de frente para Prass, tocou para a rede palmeirense. Teve polêmica, porém, como no gol santista, de Kayke, aos 5 minutos: Edu Dracena reclamou de um empurrão do adversário.

 

O jogo ficou mais aberto a partir de então. David Braz obrigou Prass a fazer grande defesa em cabeceio após um escanteio aos 14 minutos, enquanto Vanderlei salvou o Santos em pelo menos quatro lances. Com a vantagem, Levir fechou o time e colocou Leandro Donizete no lugar de Kayke. A estratégia funcionou, e o Santos segurou o placar.

DESTAQUE

NA VILA BELMIRO

Público: 10.143 pagantes. Renda: R$ 406.970,00.

Atlético Paranaense 0 x 2 Santos

DESTAQUE

RESUMÃO

Na despedida de Elano do comando do Santos, o time alvinegro apostou nos contra-ataques e venceu o Atlético-PR, neste domingo, por 2 a 0, dois gols de Kayke, na Arena da Baixada, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. O técnico interino entrega a equipe a Levir Culpi, que assume nesta segunda-feira, com duas vitórias em dois jogos sob o seu comando. Do outro lado, o Furacão desce para a última posição, sem nenhuma vitória na competição até aqui.

DESTAQUE

COMO FICA

Foi a primeira vitória santista como visitante neste campeonato. O resultado leva o time à 10ª posição, com nove pontos. Os rubro-negros seguram a lanterna, com apenas dois pontos e nenhum triunfo em seis partidas

DESTAQUE

OS 90 MINUTOS

A estratégia do Santos foi clara: esperar Atlético em seu campo na tentativa de encaixar contra-ataques. Começou a funcionar aos 26 minutos: Bruno Henrique roubou a bola no meio de campo, lançou Thiago Maia dentro da área. O volante rolou para Kayke abrir o placar. O Furacão continuou com a posse de bola e deu trabalho a Vanderlei num chute de Nikão desviado em Vitor Bueno. Quem marcou, porém, foi o Santos, novamente com Kayke, em mais um contra-ataque. Aos 35 minutos, ele recebeu de Bruno Henrique e bateu bem, no canto esquerdo do goleiro Santos.

 

Eduardo Baptista fez duas mudanças no intervalo, com Grafite e Éderson nas vagas de Rossetto e Douglas Coutinho. O time se lançou ao ataque e conseguiu marcar duas vezes, mas Lucho González e Grafite estavam impedidos. O plano do Santos não mudou na etapa final, mas com o Furacão mais presente em seu campo de defesa, os visitantes tiveram dificuldade para criar mais chances.

DESTAQUE

POLÊMICA

No primeiro tempo, quando o Santos já vencia por 2 a 0, os paranaenses reclamaram com razão de pênalti de Lucas Veríssimo. A bola bateu no braço do zagueiro dentro da área, mas a arbitragem ignorou.

DESTAQUE

AGENDA

Atlético-PR e Santos voltam a campo na próxima quarta-feira. Os paranaenses jogam mais cedo, às 19h30, contra o Atlético-MG, no estádio Independência. Os paulistas encaram o Palmeiras, na Vila Belmiro, às 21h45.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Flamengo 4 x 1 Goiás

Entre vaias e aplausos, Fla vence Goiás com gols e assistência de Alan Patrick

Meia, assim como Pará, foi reintegrado ao grupo rubro-negro após afastamento. Ambos foram perseguidos pela torcida no jogo. Goiás segue na zona do rebaixamento

Era dia de ver os afastados e reintegrados em campo. A torcida do Fla foi preparada para protestos – e vaiou seus jogadores, embora boa parte tenha optado mesmo pelos aplausos. Mesmo sem ter nada a almejar no Campeonato Brasileiro, o Rubro-Negro jogou melhor e com mais vontade que o Goiás. E foi retribuída por isso. Venceu por 4 a 1, dois gols de Alan Patrick, que ainda deu assistência para o quarto, um dos integrantes do “Bonde da Stella”. O Goiás, que precisava da vitória, segue na zona do rebaixamento.

comemoração do gol de alan patrick, Flamengo x Goiás Campeonato Brasileiro 2015 (Foto: andré durão)
Alan Patrick marcou dois gols na partida contra o Goiás (Foto: andré durão)

Com a vitória, o Flamengo soma, agora, 47 pontos, e está na 11ª posição. O Goiás permanece na zona do rebaixamento, em 17º, com 34 pontos. Na próxima rodada, o Fla enfrenta o Santos na Vila Belmiro, às 22h (de Brasília) de quinta-feira. Enquanto o Goiás recebe o Coritiba no Serra Dourada às 19h30 de quarta.

Se o Flamengo não tem mais nada a almejar no Brasileiro, o Goiás precisava – e muito – da vitória, para sair da zona do rebaixamento. Mas pouco conseguiu fazer no Maracanã. Foi o Rubro-Negro quem impôs as jogadas e determinou o ritmo da partida. Alan Patrick abriu o placar, e Erik marcou o empate no fim do primeiro tempo. Seria a oportunidade do Esmeraldino tentar a recuperação na volta do intervalo. Nada feito. Logo aos 2 minutos, Alan Patrick ampliou, e, aos 5, Kayke fez o terceiro. O atacante ainda marcaria o quarto, com assistência do meia, o craque do jogo. Feito isso, o ritmo caiu, o Fla passou a trocar passes, e o Goiás, a assistir.

Alan Patrick e Pará, titulares neste domingo, foram vaiados desde o primeiro minuto pela torcida do Flamengo – o lateral, especialmente. Nem os dois gols marcados pelo meia foram motivo para cessar a bronca das organizadas. Boa parte dos torcedores que foram ao Maracanã, no entanto, escolheram por apoiar a equipe, o que gerou certas confusões nas arquibancadas.

O Maracanã recebeu 15.421 torcedores na tarde deste domingo, sendo 12.634 os pagantes. A renda foi de R$ 513.917,50.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Renato Maurício Prado comenta Chapecoense 1 x 3 Flamengo

 

Uma das coisas mais impressionantes na autêntica metamorfose sofrida pelo Flamengo, com a saída de Cristóvão e a chegada de Oswaldo de Oliveira, é que até mesmo sem os badalados reforços contratados no “pacote Guerrero”, o time vem jogando e bem e vencendo. Foi o que aconteceu na vitória sobre a Chapecoense, no campo do rival, onde até agora a equipe catarinense havia sofrido apenas duas derrotas – para São Paulo e Corinthians

.
Na Arena Condá, o Fla não pode contar com Guerrero, Emerson e Alan Patrick, que podem ser considerados, sem favor algum, os três jogadores mais talentosos do elenco. E foi com Paulinho, Éverton, Cirino, Canteros etc. (todos ainda do tempo de Vanderlei Luxemburgo), que a equipe dirigida por Oswaldo de Oliveira dominou as ações desde que a bola rolou e obteve um triunfo tranquilo e justo.
É impossível dizer, a esta altura do campeonato, se o rubro-negro conseguirá se manter no G-4 e, consequentemente, garantir uma vaga na Libertadores do ano que vem. Mas que voltou a ser Flamengo, voltou. Toma a iniciativa do jogo em qualquer campo e, na base de um toque de bola surpreendente, busca o gol em primeiro lugar. Que diferença faz um bom treinador!

 

Renato Maurício Prado – O GLOBO – 15/09/2015

Chapecoense 1 x 3 Flamengo

O JOGO

LADEIRA ACIMA

O confronto entre Chapecoense e Flamengo, neste domingo, na Arena Condá, foi um retrato fiel do momento dos dois times no Brasileirão. Enquanto o catarinense, sem ganhar há seis jogos, despenca na tabela e flerta com a zona do rebaixamento, o carioca está ladeira acima, conquistou a sexta vitória consecutiva e firmou pés no grupo da Libertadores. Foi assim, ainda com dois lindos gols, que o Rubro-Negro aplicou 3 a 1. Fácil, ao natural.

 

DESTAQUE

PANORAMA

A sexta vitória em sequência – recorde da edição, ao lado do Atlético-MG – fez o Fla chegar aos 41 pontos. Não perdeu desde a chegada de Oswaldo de Oliveira. É o quarto. A Chape é a 14ª, com 30, e Vinícius Eutrópio pode perder o emprego. Voltam a atuar na quinta-feira. Apesar do mando, o Fla receberá o Coritiba, em Brasília, no Mané Garrincha, às 21h. Um pouco antes, às 19h30, a Chape desafia o São Paulo, no Morumbi.

DESTAQUE

PÚBLICO E RENDA

A tarde ensolarada levou bom público à Arena Condá. Público total de 10.800 pessoas para renda de R$ 327.500,00.

 

DESTAQUE

OS 90 MINUTOS

Foi no primeiro tempo que o Flamengo construiu a vitória. Ao dominar as ações, com maior posse de bola (54% a 46%) e mais finalizações (5 a 2), não demorou a abrir o placar. César Martins cruzou da direita e, de primeira, Paulinho acertou o ângulo esquerdo de Danilo. Eram 10 minutos. Aos 32, Canteros fez o dele, em chute cruzado, depois de passe de Cirino. A Chape, lenta, sem criatividade e muito bem marcada, nada fez. Na etapa final, o panorama se manteve. Mas as chances de gol ficaram escassas. Bruno Rangel e Mayslon, de cabeça, quase descontaram. A melhora foi recompensada: Márcio Araújo fez pênalti em Ananias, convertido por Bruno Rangel. A vitória foi garantida em lindo passe de Ederson para Kayke, na saída do goleiro, fazer o 3 a 1.

 

DESTAQUE

PAULINHO

Não foi apenas o gol. Paulinho fez mais. Ajudou na marcação, inclusive, desarmando Cleber Santana, no primeiro tempo, evitando o que poderia ser gol da Chape. Em campo em todos os jogos com Oswaldo, se transformou em uma das referência na retomada do Fla. Saiu aos 32 minutos do segundo tempo, cansado.

 

DESTAQUE

APODI

As melhores jogadas da Chape saíram dos pés dele. Sempre pela direita, sempre em velocidade. Algumas vezes foi parado apenas com falta. Faltou arriscar mais, chutar a gol, como fizera em outras rodadas. Mesmo assim, foi o melhor do time.

 

GLOBO ESPORTE.COM

 

 

 

 

 

 

Fluminense 1 x 3 Flamengo

Kayke comemora o gol com a Nação

O Mais Querido do Mundo trouxe toda felicidade para a Nação Rubro-Negra ao vencer o clássico deste domingo (6.09), no Maracanã, com grande atuação. O Flamengo se mantém forte na briga pelo G4 em um Fla-Flu que Emerson, Kayke e Paulinho marcaram os gols rubro-negros com Jean, de pênalti, descontando. Agora, a equipe enfrenta o Cruzeiro na quinta-feira (10.09), às 21h, no Maracanã.

O Flamengo iniciou a partida com pressão total, dominando o tricolor desde os primeiros minutos de jogo. Aos três minutos do primeiro tempo, Wallace cabeceou com perigo e Cavalieri rebateu. Em seguida, Kayke aproveitou falha de Gum e chutou com perigo. O atacante voltaria a aparecer quatro minutos depois em jogada iniciada por Everton.

Aos oito, Emerson aproveitou o rebote após cobrança de escanteio e converteu o primeiro gol rubro-negro. Apenas cinco minutos depois, Pará lançou Kayke que não perdoou e fez o segundo. Em seguida, a equipe passou a tocar a bola garantindo o placar até o fim do primeiro tempo.

Segundo tempo

Aos onze do segundo tempo, a arbitragem marcou pênalti para o Fluminense. Jean converteu e o tricolor buscou o empate, mas onze minutos depois Paulinho encerrou o placar em nova jogada de Kayke.

No final da partida, Everton recebeu o segundo amarelo e foi expulso, mas nada que pudesse estragar a festa rubro-negra. O Flamengo segue subindo posições no Brasileiro com a força da Nação Rubro-Negra.

 

Flamengo.com .br

Flamengo 3 x 0 Avaí

FLA ENGATA A TERCEIRA

Eliminado da Copa do Brasil, o Flamengo deu sinais de que pode embalar no Campeonato Brasileiro, seu único foco até o fim do ano, ao derrotar o Avaí por 3 a 0 na noite desta quarta-feira, na Arena das Dunas, em Natal. Foi a terceira vitória consecutiva do time na competição, todas sob comando de Oswaldo de Oliveira. Com gols de Alan Patrick e Kayke (2), o Rubro-Negro conquistou seu primeiro triunfo por mais de um gol de diferença e se aproximou do G-4. A equipe catarinense, por sua vez, voltou a perder, foi ultrapassada pelo Goiás e entrou na zona de rebaixamento.

DESTAQUE

PANORAMA

O Flamengo chegou aos 32 pontos, subiu duas posições e dorme em oitavo, reduzindo a diferença ao G-4 de cinco para quatro pontos – o Santos, que joga nesta quinta, pode ultrapassá-lo. O Rubro-Negro volta a campo no domingo para o clássico com o Fluminense, às 16h, no Maracanã. O Avaí se manteve com 23 pontos, perdeu posição para o Goiás, que venceu na rodada, e entrou no Z-4. O Leão agora recebe o Coritiba na Ressacada nos mesmos dia e horário.

 

DESTAQUE

PÚBLICO E RENDA

O Flamengo vendeu o mando de campo para a Arena das Dunas e teve bom retorno de público. Foram 22.825 presentes, e renda de R$ 1.639.485,00.

 

O JOGO

OS 90 MINUTOS

O Flamengo fez o primeiro gol num momento em que o Avaí estava melhor em campo e tinha as melhores chances. O time catarinense esperava atrás, enquanto o Rubro-Negro tinha dificuldade para criar. Mas o gol de Alan Patrick, após lampejo de Canteros em passe de calcanhar, aos 30 minutos do primeiro tempo, deu tranquilidade à equipe de Oswaldo. Na segunda etapa, o Fla cozinhou o adversário e ampliou com Kayke aos 9, após cruzamento de Armero. O atacante ainda fez outro aos 30, após belo drible no goleiro Vagner. Nas vezes em que tentou diminuir o placar, o Avaí parou em Paulo Victor, que teve grande atuação.

 

DESTAQUE

KAYKE GOLEADOR

Substituto do lesionado Guerrero, Kayke aproveitou os bons ventos de Natal, onde defendeu o ABC, para marcar seus primeiros gols pelo Flamengo. Revelado pelo Rubro-Negro, ele também não havia marcado pelo profissional com a camisa do clube em sua primeira passagem, oito anos atrás. O primeiro gol foi de oportunismo, dentro da área, e o segundo de pura habilidade, deixando o goleiro rival no chão antes de chutar.

 

DESTAQUE

TRAVE E PV: INIMIGOS DO AVAÍ

O Avaí não fez bom jogo no geral, mas teve algumas chances de marcar. No primeiro tempo, parou na trave, em cobrança de falta quase perfeita de Camacho. No segundo, viu Paulo Victor crescer e fazer grandes defesas em chutes principalmente de Léo Gamalho.

 

DESTAQUE

BOA FASE DE ALAN PATRICK

O meia deu continuidade à boa fase com o gol marcado contra o Avaí, onde teve calma para definir o lance com um drible antes da finalização. Deu belo passe de calcanhar para o cruzamento de Armero no segundo gol. E fechou sua participação com uma assistência para Kayke no terceiro. É o melhor jogador do time atualmente.

 

GLOBO ESPORTE.COM

 

 

 

 

 

 

 

América Mineiro 2 x 1 ABC

De virada, América-MG derrota ABC e iguala número de pontos do Botafogo

Há seis jogos sem saber o que é derrota, Coelho chega a 24 pontos e cola no líder da Série B; time potiguar perde a segunda fora de casa na competição

Em ascensão na tabela, o América-MG voltou a vencer na Série B do Campeonato Brasileiro. E a vitória veio com gostinho de liderança. Depois de um primeiro tempo apagado, quando terminou em desvantagem no placar, o Coelho conseguiu a virada sobre o ABC e chegou a seis jogos sem derrota na competição.

América-MG; Independência (Foto: Reprodução/Premiere)
Jogadores do América-MG comemoram vitória sobre ABC, no Horto (Foto: Reprodução/Premiere)

Com gols de Richarlison e Thiago Santos, o América-MG venceu a equipe do Rio Grande do Norte, por 2 a 1, neste sábado no Independência, em partida válida pela décima segunda rodada da Série B . Com a vitória, o time mineiro chega a 24 pontos na tabela, mesma pontuação do líder Botafogo, que leva vantagem no saldo de gols (13 contra 8 do Coelho). Melhor visitante da disputa, com quatro triunfos, o ABC, que começou melhor a partida, acabou sofrendo o segundo revés fora de casa.

As duas equipes voltam a campo na próxima semana pela décima terceira rodada da Série B. Na terça-feira, às 19h30 (de Brasília), o time do ABC recebe o Paraná, no Frasqueirão, em Natal. O América-MG joga no sábado, às 21h, contra o Oeste, no estádio José Liberatti, em Osasco.

O jogo  

A partida começou com o ABC explorando a velocidade nos contra-ataques em busca do gol. Aos poucos, o meia Mancini ajudou a equilibrar o jogo, e o América-MG passou a ameaçar a meta do goleiro Saulo. No entanto, o primeiro lance de perigo veio aos 24 minutos de jogo. João Ricardo deu rebote no chute de Reginaldo, a bola sobrou para Michel, que arriscou uma bicicleta de costas para o gol e quase abriu o placar no Independência.

América-MG x ABC; Independência (Foto: Reprodução/Premiere)
América-MG e ABC fizeram jogo equilibrado, no Independência (Foto: Reprodução/Premiere)

A resposta do Coelho veio com uma bola na trave do ABC após cruzamento de Walber. Na sequência, aos 35 minutos, o time alvinegro chegou ao gol, aproveitando a falha de marcação dos donos da casa. Marcílio fez boa jogada pela esquerda, deixou três adversários para trás e tocou para o artilheiro Kayke balançar as redes pela oitava vez na competição. No fim do primeiro tempo, Fabinho teve chance de ampliar o marcador, mas o goleiro João Ricardo conseguiu salvar os donos da casa.

O segundo tempo começou com o América-MG pressionando. Logo no início, Mancini desperdiçou grande chance de empatar a partida ao receber livre na área do ABC e chutar para fora. Em seguida, aos sete minutos da etapa final, veio o gol do Coelho. Marcelo Toscano cobrou falta pela direita, e o atacante Richarlison, que entrou no intervalo substituindo Cristiano, de escorou de cabeça, deixando tudo igual no placar.

O ABC não se intimidou com o empate e seguiu atacando a meta americana. Os jogadores do América-MG pediram pênalti quanto o volante Thiago Santos foi segurado pelo marcador na área adversária, mas o árbitro Grazianni Maciel Rocha, não viu falta no lance. Pouco depois, aos 27 do segundo tempo, o mesmo Thiago Santos aproveitou o escanteio batido por Mancini para colocar o Coelho em vantagem no marcador. Thiago teve outra chance para marcar, mas o goleiro Saulo fez grande defesa, impedindo que o América-MG ampliasse a vantagem. No final, mais uma vitória do Coelho na Série B, que torce contra o Bahia para consolidar a vice-liderança do campeonato.

GLOBO ESPORTE.COM

ABC 1 x 1 Macaé

ABC é premiado pela insistência e consegue empatar com Macaé no fim

Alvianil abriu o placar com Anselmo ainda no primeiro tempo da partida, mas “blitz”
do Alvinegro no final do jogo surte efeito com gol de pênalti do artilheiro Kayke

O Macaé foi castigado por não matar o jogo quando deveria na tarde deste sábado, no Estádio Frasqueirão. Melhor como um todo, o time do Rio de Janeiro abriu o placar com Anselmo e teve inúmeras outras chances de ampliar a vantagem, mas acabou vendo o ABC crescer na partida e arrancar o empate em 1 a 1 aos 47 minutos do segundo tempo, com um gol de pênalti do atacante Kayke. A partida foi válida pela décima rodada da Série B do Brasileirão.

O empate acabou frustrando as expectativas de ambas as equipes na rodada. Com um jejum sem vitórias jogando no Frasqueirão, o ABC conseguiu se livrar do vexame de perder mais uma como mandante, mas não conseguiu quebrar o tabu, que agora já dura oito partidas. Com o resultado, o Alvinegro ocupa agora a 11ª colocação na tabela, com 13 pontos. O Macaé, por sua vez, não conseguiu encostar no grupo de acesso à Série A e estagnou na sétima posição, com 17 pontos conquistados.

As duas equipes, agora, voltam a campo na próxima terça-feira, pela 11ª rodada da competição. O Macaé recebe o América-MG, no Estádio Moacyrzão, enquanto o ABC visita o Atlético-GO no Serra Dourada. Os dois jogos acontecem às 19h30.

ABC x Macaé (Foto: Frankie Marcone/Divulgação/ABC)
ABC e Macaé empataram na tarde deste sábado, no Estádio Frasqueirão
(Foto: Frankie Marcone/Divulgação/ABC)

O JOGO

Com o jejum de vitórias dentro de casa, o ABC recebeu o Macaé pela décima rodada da Série B do Brasileirão na tarde deste sábado. Cautelosas, as duas equipes protagonizaram um primeiro tempo sem muitas chances claras de gol. O gol de Anselmo, em uma falha da defesa alvinegra, destoou do resto dos lances na primeira etapa. Na volta do intervalo, o Macaé até ensaiou ampliar o placar, mas com uma blitz no final do jogo, o ABC conseguiu arrancar um empate. Em jogada confusa na área, Rafael cometeu pênalti em Bruno Luiz. Na cobrança, Kayke deslocou o goleiro e salvou o ABC da derrota.

 

GLOBO ESPORTE.COM

ABC 3 x 3 Náutico

O JOGO

Foi eletrizante. Quem foi ao estádio Frasqueirão viu um bom jogo entre ABC e Náutico. A chuva de gols por si só já dá uma ideia de como foi o duelo. Para os donos da casa, Kayke, Marcílio e Edno fizeram os gols. Já para os visitantes, Pedro Carmona fez uma vez e Marino, duas. O jogo teve gol no fim, nervosismo dos dois lados e muita emoção. O empate por 3 a 3 derruba as duas equipes na tabela: o Timbu ficou em quarto, e o ABC, em 11º.

 

DESTAQUE

SEM MODÉSTIA, UM GOLAÇO

Marino foi um dos destaques do Náutico no jogo. Fez dois gols e o segundo – o terceiro do Náutico na partida – foi um golaço. Porém, deixando a modéstia da lado, o volante mandou: “Não foi o mais bonito que fiz. Fiz vários bonitos.”

 

DESTAQUE

QUE JEJUM!

O ABC continua sem vencer em casa nesta Série B. No Estádio Frasqueirão, o time só acumula três empates e duas derrotas.

 

DESTAQUE

SAI, ZICA!

Maior contratação do ABC para o seu ano centenário, o atacante Edno conseguiu fazer o seu primeiro gol com a camisa abecedista depois de dois jogos em branco. E foi importante: aos 41 minutos, o toque de cabeça livrou o time da derrota.

 

DESTAQUE

HOMENAGENS CENTENÁRIAS

Alguns ídolos da história do ABC entraram no gramado junto com o elenco atual. Antes do jogo, figuras bem conhecidas como o ex-treinador Ferdinando Teixeira também receberam homenagens que fazem parte do centenário do clube – no próximo dia 29, o ABC faz 100 anos de história.

 

GLOBO ESPORTE.COM