Teori Zavascki homologa delação premiada de Delcídio do Amaral

Segundo revista, ex-líder do governo citou Dilma, Lula e políticos do PMDB.
Caberá agora à PGR separar as suspeitas e pedir novas investigações.

O ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal (STF), homologou nesta terça-feira (15) a delação premiada firmada entre o senador Delcídio do Amaral (PT-MS) e a Procuradoria Geral da República (PGR) para colaborar com as investigações da Operação Lava Jato.

A homologação confere validade jurídica ao acordo, atestando que ele cumpre regras estabelecidas em lei. A partir desse ato, a PGR poderá separar fatos narrados pelo senador, em depoimentos já prestados, que levantam suspeitas sobre crimes e pessoas neles supostamente envolvidas.

Com o material, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, poderá pedir novas investigações ao Supremo Tribunal Federal (STF) – no caso de suspeitas sobre autoridades com o chamado foro privilegiado – ou anexar elementos a inquéritos já em andamento – atualmente, são ao menos 40 parlamentares e ministros investigados na Corte, junto com outras 32 pessoas sem prerrogativa de foro também alvo de diligências.

Em acordos de colaboração premiada, uma pessoa investigada confessa seus crimes e aponta envolvimento de outras pessoas, apresentando meios para a Polícia e o Ministério Público coletarem provas. Em troca, pode obter redução de pena caso condenada pela Justiça.

O teor da delação de Delcídio ainda permanece sob sigilo, que poderá cair quando a PGR apresentar denúncias contra os suspeitos ou quando entender que a revelação dos depoimentos não poderia mais prejudicar as investigações.

Várias partes da delação, no entanto, foram reveladas nas últimas semanas pela revista “Istoé”, envolvendo o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a presidente Dilma Rousseff, além de políticos do PMDB e ex-ministros de governo (leia abaixo trechos citados pela revista).

Acusações contra Dilma
Na edição desta semana, a revista afirma que a ex-ministra da Casa Civil Erenice Guerra, braço-direito de Dilma até 2010, teria sido a principal operadora de um desvio de R$ 45 milhões de obras da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, para campanhas do PT e do PMDB.

De acordo com a reportagem, no acordo de colaboração, Delcídio conta que Erenice Guerra e os ex-ministros Silas Rondeau, do governo Lula, e Antonio Palloci, dos governos Lula e Dilma, movimentaram cerca de R$ 25 bilhões e desviaram pelo menos R$ 45 milhões dos cofres públicos diretamente para as campanhas eleitorais do PT e do PMDB em 2010 e 2014.

O senador explica, segundo a revista, que os desvios da usina vieram tanto do pacote de obras civis, que consumiram cerca de R$ 19 bilhões, como da compra de equipamentos, que chegou a R$ 4,5 bilhões. Em todas as etapas do processo teria havido superfaturamento.

Na semana passada, “IstoÉ” revelou outro trecho em que Delcidio contou que Dilma agiu para manter na Petrobras os diretores comprometidos com o esquema de corrupção e atuou para interferir no andamento da Operação Lava Jato.

Uma dessas ações, segundo o senador, foi a nomeação para o Superior Tribunal de Justiça(STJ) do ministro Marcelo Navarro, que se teria se comprometido a votar, em julgamentos no tribunal, pela soltura de empreiteiros já denunciados pela Lava Jato.

Delcídio ainda afirma, que, como presidente do Conselho de Administração da Petrobras, Dilma sabia que havia um esquema de superfaturamento por trás da compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, e atuou para que Nestor Cerveró, ex-diretor da estatal e um dos presos na Lava Jato, fosse mantido na direção da Petrobras. A presidente, segundo o senador, indicou Cerveró para a diretoria financeira da BR Distribuidora.

Delcídio descreveu ainda uma operação de caixa dois na campanha de Dilma em 2010 feita pelo doleiro Adir Assad, também preso na Lava Jato. Segundo o senador, o esquema seria descoberto pela CPI dos Bingos, mas o governo conseguiu barrar a investigação dos parlamentares.

As acusações contra Lula
Ainda de acordo com a revista, Delcídio afirmou que Lula tinha conhecimento do esquema de corrupção da Petrobras, que agiu pessoalmente para barrar as investigações da Lava Jato e que seria o mandante do pagamento para tentar comprar o silêncio de testemunhas.

O ex-presidente, segundo Delcídio, foi o mandante dos pagamentos que o senador ofereceu à família de Cerveró e que resultaram na prisão do senador, em novembro. De acordo com Delcídio, Lula pediu “expressamente” para que ele ajudasse o pecuarista José Carlos Bumlai, porque estaria implicado nas delações do lobista Fernando Baiano e de Cerveró.

O senador afirma, segundo a revista, que Lula não queria que Cerveró mencionasse o esquema de Bumlai na compra de sondas superfaturadas feitas pela estatal. Na delação, Delcídio diz que intermediaria o pagamento à família de Cerveró com dinheiro fornecido por Bumlai.

O senador também afirma, de acordo com a publicação, que em 2006 Lula e o ex-ministro da Fazenda e da Casa CivilAntonio Palocci teriam articulado um pagamento ao publicitário Marcos Valério para que ele não dissesse o que sabia durante o processo do mensalão.

De acordo com o parlamentar, Valério exigiu R$ 200 milhões para se calar na CPI dos Correios, e Lula teria cedido. Palocci, conforme o depoimento, assumiu a tarefa de negociar o pagamento.

 

G1.COM.BR

Marcelo Odebrecht e José Carlos Bumlai darão conselhos a Dilma Rousseff ?

Dilma e Nelson Barbosa preparam um documento com “novas diretrizes econômicas” para ser apresentado ao Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social até fevereiro. De acordo com Lauro Jardim, será a primeira reunião do Conselhão desde julho de 2014.

A pergunta obrigatória: Marcelo Odebrecht e José Carlos Bumlai serão convidados para a próxima reunião?

No site do CDES, os nomes de ambos seguem na galeria de conselheiros.

Fonte : O Antagonista

James Akel comenta prisão de José Carlos Bumlai

AMIGO DE LULA PRESO COM DENÚNCIA GRAVE

O pecuarista José Carlos Bumlai, é visto no IML - Instituto Médico Legal de Curitiba, na 21ª fase da Operação Lava Jato (Foto: Giuliano Gomes/PR PRESS)

O pecuarista José Carlos Bumlai foi ao IML de Curitiba  (Foto: Giuliano Gomes/PR PRESS)

José Carlos Bumlai foi preso hoje pela Polícia Federal a mando do Juiz Moro sob acusação de fraude pra financiar o PT.
Foi fundamental o depoimento premiado de Salim Schain, dono do Banco Schain pra quem o PT devia 60 milhões e que teriam sido perdoados depois que Schain conseguiu um contrato de 1,6 bi com petróleo e a interferência de Bumlai.
Bumlai não tinha nenhum cargo político e vai ter que explicar todo seu poder de manipulação de dinheiro grande a favor de grandes empresas.
Ele pode assumir tudo sozinho e ser penalizado igual os petistas que nada falam ou então entregar seu amigo Lula de tão doces memórias.

James Akel no dia 24/11/2015

James Akel comment the escape of José Carlos Bumlai

LULA FRIEND FLED

suspect loan

Lula’s close friend is accused by the Central Bank to receive R $ 12 million of Schain, owner of US $ 1 billion contract with Petrobras

Bumlai, friend of Lula that was denounced with Lula in Lavajato just fading from Brazil and will not have to judge the present.

It is outside the guarantee that nothing will talk about his friend Lula and the received bribe money.

Everybody knows everything about Lula and no one has had the courage to do anything.

Lula had plane paid by the owner of Casas Bahia, Banco BTG, Banco Itau and everything is for this very reason.
People who paid plane to do what he did Lula is Lula’s accomplice and should be avocado in the case of Lavajato by facilitating act that is denounced the PT which is lobbying in favor of contractors.

No one understands why so far no one took the Lula for what he did and Dilma what he does.

Future will tell.

 

James Akel in 23 October 2015

James Akel comenta fuga de José Carlos Bumlai

AMIGO DE LULA FUGIU

Bumlai, amigo de Lula que foi denunciado com Lula na Lavajato acabou sumindo do Brasil e não vai ter juiz que o prenda.

Ele fora é a garantia que nada vai falar sobre seu amigo Lula e quanto recebeu de grana de propina.

Todo mundo sabe de tudo sobre Lula e ninguém até agora teve coragem de fazer nada.

Lula teve avião pago pelo dono das Casas Bahia, do Banco BTG, do Banco Itau e fica tudo por isto mesmo.
Gente que pagou avião pra Lula fazer o que fez é cúmplice de Lula e deveria ser avocado no caso do Lavajato por facilitação de ato que é denunciado o petista que é o lobismo a favor das empreiteiras.

Ninguém entende porque até agora ninguém pegou o Lula pelo que ele fez e a Dilma pelo que faz.

Futuro vai dizer.

 

James Akel no dia 23 de outubro de 2015

James Akel comment the disappearance of José Carlos Bumlai

Suspect Loan

Lula’s close friend is accused by the Central Bank to receive 12 million reais of Schain, owner of contracts 1 billion and 200 million dollars with Petrobras.

 

LULA  FRIEND IS DISSAPEARED

José Carlos Bumlai, friend of Lula since 2002 and who took care of private business Lula disappeared.

The whistleblower Fernando Baiano said Lula paid family account at the request of Bumlai.

Lula said Bumlai used his name to make money.

And Bumlai gone and all looking for now.

 

James Akel in 19 October 2015

James Akel comenta sumiço de amigo de Lula José Carlos Bumlai

SUMIU AMIGO DE LULA

José Carlos Bumlai, amigo de Lula desde 2002 e que cuidava de negócios particulares de Lula, desapareceu.

O delator Fernando Baiano disse que pagou conta de familiares de Lula a pedido de Bumlai.

Lula disse que Bumlai usava seu nome pra tomar grana.

E Bumlai sumiu e todos os procuram agora.

 

James Akel no dia 19 de outubro de 2015