Ceará embarca para Santa Catarina para enfrentar o Joinville

João Marcos: “Precisamos saber jogar no erro deles”

Site do Ceará Sporting Club

Treze morrem em rodovias federais de Santa Catarina no feriadão de Corpus Christi

Sábado (28) foi o dia que teve mais vítimas fatais, foram cinco mortos.
Dois caminhões se envolveram em acidentes na quinta, com duas vítimas.

Acidente ocorreu na BR-101, em Palhoça, na Grande Florianópolos (Foto: Arcanjo/Divulgação)
Dez cidades tiveram acidentes fatais entre quinta e domingo (Foto: Arcanjo/Divulgação)

Ao menos treze pessoas morreram em acidentes nas rodovias federais em 10 cidades de Santa Catarina no feriado prolongado de Corpus Christi, de quinta-feira (26) a domingo (29), conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O número aumentou em relação ao ano passado, quando foram registradas oito mortes.

No domingo, as vítimas fatais foram dois jovens. O condutor de um Palio morreu em um acidente por volta das 5h20, em Capão Alto, na Serra. De acordo com a PRF, o motorista de 23 anos bateu em uma pedra no km 296,5 da BR-116.

No Norte do estado, uma saída de pista causou a morte de uma jovem de 24 anos no km 77 da BR-101 em Araquari. Ela era passageira de um Ka onde estavam outras duas garotas, de 19 anos, que ficaram gravemente feridas e foram levadas para o hospital São José de Joinville.

Nove mortos em dois dias
No sábado (28), foram cinco mortos em acidentes. No Litoral Norte, um motociclista, que não teve a idade comunicada pela PRF, morreu após uma batida de lado com um Palio Weekend. O acidente ocorreu às 4h no km 7 da BR-470 em Navegantes.

Na Grande Florianópolis, o condutor e um passageiro de uma Amarok morreram após uma saída de pista no km 238 da BR-101 em Palhoça. O acidente ocorreu por volta das 8h15 de sábado. Outros dois passageiros ficaram gravemente feridos.

Um passageiro de 28 anos de um Peugeot morreu em um acidente no km 21 da BR-101 no distrito Pirabeiraba, em Joinville, no Norte do estado. O carro capotou por volta das 18h40 de sábado, deixando o condutor, de 29 anos, e outro passageiro, de 54, com lesões leves.

Um ciclista morreu após uma batida de lado com um Celta por volta das 18h em Capivari de baixo, no Sul. O acidente ocorreu no km 328 da BR-101. O motorista do carro não ficou ferido.

Na sexta-feira (27), quatro pessoas morreram em acidentes. O motorista, de 27 anos, e um passageiro, de 24, de um HB20 morreram após uma saída de pista no km 207, 8 da BR-101 em São José, na Grande Florianópolis. Dois passageiros do carro, de 25 e 27 anos ficaram feridos.

Uma motociclista, de 26 anos, morreu após uma colisão traseira com um caminhão por volta das 12h de sexta no km 210,6 da BR-101 em Palhoça, também na Grande Florianópolis.
O passageiro, de 51 anos, de uma Parati morreu em um acidente na BR-470 em Brunópolis, Serra na sexta. O carro bateu de lado com um caminhão às 18h.

Dois caminhão acidentados
Na quinta, foram dois mortos. Uma saída de pista causou a morte de um caminhoneiro no km 443 da BR-282 em Ponte Serrada, no Oeste. O acidente ocorreu por volta das 9h50.

Em Pouso Redondo, no Vale do Itajaí, outro motorista de um caminhão morreu após o tombamento do veículo no km 186,7 da BR-470. O acidente foi por volta das 19h30 de quinta.

Caminhoneiro morreu no local (Foto: Sandro Devens/Divulgação)
Caminhoneiro morreu em Ponte Serrada, na quinta-feira (Foto: Sandro Devens/Divulgação)
G1.COM.BR

Ratinho pede para Joinville jogar por honra e torcida diante do Grêmio

Lateral-direito de 29 anos encontra argumentos para que JEC esteja motivado para o confronto das 17h de domingo, diante dos tricolores na Arena Joinville

Edson Ratinho Joinville (Foto: João Lucas Cardoso)

Edson Ratinho encontra motivação para último jogo do ano do JEC (Foto: João Lucas Cardoso)

Não há aspirações na classificação em virtude da situação no Campeonato Brasileiro, rebaixamento e lanterna decretados. Mas o Joinville tem jogo contra o Grêmio, e diante da torcida. Por isso, o lateral-direito Edson Ratinho busca argumentos para dar valor ao confronto das 17h deste domingo, o último do ano e do JEC na Série A do Campeonato Brasileiro. Um deles é estar diante dos torcedores tricolores. O jogador pede uma atuação respeitosa em casa, em virtude do apoio dos joinvilenses ao longo da campanha.

– Acho que para dar um ânimo que tem é pensar no torcedor. Até conversava com alguns jogadores e, na minha opinião, o Joinville é conjunto de presidente, jogadores, diretoria e torcedor. Tenho certeza que o menos culpado de tudo é o torcedor, é o que mais sofre. Ele nunca nos abandonou, enquanto teve chance foi à Arena, incentivou. Quando não tinha mais chance, criticaram, no direto deles – descreveu o atleta de 19 anos.

Outro fator é utilizado pela motivação ao duelo, o profissionalismo. Ainda que a partida não possibilite mudar algo além da pontuação final, os atletas devem honrar o compromisso quando firmados os contratos para defender o Joinville.

– É duro ter ânimo para trabalhar sabendo que não tem mais jeito. Mas somos profissionais, como o clube é profissional com atleta, cumpriu com o que acordou desde o início. O mínimo que temos de fazer é trabalhar, o PC também é muito bom nisso. Tem um ou outro que dá uma caída, que é normal, mas ele está sempre conversando para que o jogador não largue ou abandone. Antes de representar nós mesmos, representamos o clube. Desde o início vem honrando e o mínimo que podemos fazer é honrar pelo clube.

GLOBO ESPORTE.COM

Joinville 1 x 2 Vasco

Da tranquilidade ao sufoco, Vasco vence, e Joinville cai para a Série B

Equipe cruz-maltina marca dois gols nos primeiros nove minutos, mas sofre pressão no segundo tempo e vê vitória em Santa Catarina quase escapar

Joinville x Vasco (Foto: www.jec.com.br)

PC Gusmão lamentou o revés em casa e o rebaixamento do JEC (Foto: http://www.jec.com.br)

O destino do Vasco deve ser selado apenas na última rodada. Então, por ora, a torcida tem pelo menos mais uma semana para continuar a acreditar. Tudo caminhava com tranquilidade, mas foi com sufoco nos minutos finais que a equipe cruz-maltina venceu por por 2 a 1 o Joinville, neste domingo, diante de 7.026 torcedores. Já o futuro da equipe catarinense é certo: vai disputar a Série B em 2016.

O resultado representa uma esperança para o Vasco, que passou a somar 37 pontos e subiu para 18ª posição. O time está a três pontos de sair da zona de rebaixamento, depois de ser beneficiado pela vitória do Fluminense sobre o Avaí, mas prejudicado pela vitória do Coritiba sobre o Santos. O próximo jogo será contra o próprio Peixe, inicialmente em São Januário. Já o Joinville, lanterna do Brasileiro, vai a Belo Horizonte enfrentar o Cruzeiro.

O Vasco pareceu que espantaria de cara o fantasma da Arena Joinville, local de sua queda para a Série B, em 2013, e abriu o placar aos cinco minutos. Após bola mal rebatida pela zaga, Nenê ficou com o rebote e chutou bonito para fazer 1 a 0. O time cruz-maltino manteve o ritmo e ampliou aos nove minutos. O goleiro Martín Silva chutou, Jorge Henrique desviou de cabeça e deixou Riascos na cara do gol. Ele tocou na saída do goleiro para marcar o segundo.

Depois do intervalo, entretanto, o Joinville melhorou com a entrada de Marcelinho Paraíba, que comandou a tentativa de reação do time da casa. Aos 34 minutos, Rafael Donato marcou em falha de Martín Silva e pressionou até o final. Mas o Vasco conseguiu segurar o resultado que mantém sua esperança de permanecer sua elite, enquanto o Joinville passou a conhecer sua nova realidade: a Segunda Divisão.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Motoristas esvaziam bombas com medo de falta de combustível em Joinville

Boatos em redes sociais causaram preocupação em motoristas.
Preço do litro de gasolina aumentou até R$ 0,10 em Joinville.

Bandeira do estado deSanta Catarina

A greve dos caminhoneiros causa preocupação com a falta de combustíveis em Santa Catarina. Na maior cidade do estado, Joinville, motoristas formam filas desde segunda-feira (9) para abastecer os veículos. Muitos estabelecimentos aproveitam a situação para aumentar o preço do litro de gasolina em até R$ 0,10.

De acordo com o Sindicato do Comércio Varejista de Combustíveis do estado, 30% dos postos da região Norte ficaram sem combustível, depois que uma série de boatos sobre a falta de gasolina circulou nas redes sociais. A situação deve se normalizar na cidade nos próximos dias.

Greve de caminhoneiros deixa postos sem combustíveis (Foto: Reprodução/RBS TV)
Postos ficaram sem combustíveis
(Foto: Reprodução/RBS TV)

Desde segunda-feira, as filas nos postos de gasolina causam até engarrafamentos em Joinville. Na Zona Sul da cidade, no bairro Fátima, desde então há apenas etanol. Nesta terça-feira (10), na Zona Norte e no Centro da cidade, alguns postos só dispõem de gasolina aditivada ou etanol, conforme a RBS TV.

A designer Thais Larcher precisou rodar mais do que o normal para encontrar um posto para abastecer. Depois de enfrentar uma fila extensa, levou um susto.

“O funcionário disse o preço ia passar de R$ 3,39 para R$ 3,79. Eu disse que pagaria R$ 3,39, pois já estava na fila quando o preço subiu. Ele estava sem graça com a situação. Mais tarde, passei pelo posto e vi que a placa havia sido mudada novamente, o preço voltou a R$ 3,39. Muitos postos onde o litro custava R$ 3,29 passou para R$ 3,39”, relata a moradora de Joinville.

Preço voltou ao normal depois ter aumento de até 40 (Foto: Thais Larcher/ arquivo pessoal)
Postos de gasolina aumentaram preços dos combustíveis (Foto: Thais Larcher/Divulgação)

Manifestações
Desde segunda-feira, caminhoneiros fazem manifestações em rodovias de todo país. Até 16h desta terça, havia dois pontos com protestos em Santa Catarina: na BR-280 em São Bento do Sul e na BR-116 em Papanduva, ambos no Norte do estado. Os veículos estão estacionados nos acostamentos.

O grupo que participa das manifestações foi convocado pelo Comando Nacional do Transporte. Os manifestantes são autônomos e se declaram independente de sindicatos. Eles reclamam da alta de impostos, a elevação nos preços de combustíveis, entre várias outras questões.

 

G1.COM.BR

Joinville 0 x 0 Santos

Com gramado encharcado, Joinville e Santos empatam sem gols e emoção

Em partida válida pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro, os catarinenses e os paulistas não conseguiram superar as condições ruins na Arena Joinville

Joinville e Santos se enfrentaram neste domingo à noite, pela 34ª rodada do Campeonato Brasileiro. Mas o principal adversário do JEC, e do Peixe foi a chuva, que prejudicou, e muito, as condições do gramado da Arena Joinville e não permitiu que os jogadores tocassem a bola e criassem jogadas. Sem emoção e com muita água, a partida terminou 0 a 0.

Desesperado contra o rebaixamento, o Joinville até tentou, com muita força de vontade, superar as condições ruins de seu campo, mas não foi capaz. O Peixe deixou de lado o estilo que gosta de praticar, com toque de bola e velocidade, para explorar lançamentos. Também não deu certo. Por isso, o confronto não teve grandes lances.

 

Com o empate em casa, o Joinville segue lutando contra o rebaixamento no Brasileirão. A equipe agora está em último lugar na tabela de classificação, com 31 pontos. O Santos permanece na quarta colocação, com 54 pontos, agora com um a mais do que o São Paulo, que perdeu para o Cruzeiro.

O Campeonato Brasileiro será pausado por causa da disputa das eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. Por isso, o Joinville só volta a campo no próximo dia 18 (quarta-feira), às 21h (de Brasília), para enfrentar o Avaí na Ressacada. O Santos joga no dia seguinte, 19 (quinta-feira), às 22h (de Brasília), na Vila Belmiro, contra o Flamengo.

O jogo

Com o gramado da Arena Joinville em péssimo estado por causa das fortes chuvas na cidade, as duas equipes não conseguiram tocar a bola para criar jogadas. O volante Renato, do Santos, admitiu que o time buscaria a ligação direta entre zaga e ataque para tentar surpreender o adversário, mas nem isso surtiu efeito. O Joinville também não foi capaz de superar as poças d’água do campo, e o primeiro tempo terminou sem emoções.

Kempes Joinville x Santos (Foto: Divulgação/JEC)
Kempes e Renato dividem bola durante empate na Arena Joinville (Foto: Divulgação/JEC)

Depois do intervalo, a única alteração foi no lado dos times em campo, porque as condições ruins continuaram atrapalhando os atletas das duas equipes. Dorival Júnior tentou mudar a postura do Santos colocando Alison no lugar de Lucas Lima, mas as chances diminuíram ainda mais – se era possível. Sem emoção e sem gols, o confronto terminou empatado.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Liga Sul-Minas-Rio tem os três grupos definidos. Confira quais são os times

Tabela da competição será anunciada na próxima segunda-feira

Alexandre Kalil em coletiva de imprensa no Independência (Foto: Bruno Cantini \Flickr Atletico-MG)

Alexandre Kalil é o executivo-chefe da Liga (Foto: Bruno Cantini \Flickr Atletico-MG)

A Liga Sul-Minas-Rio já tem os três grupos definidos. A competição, cuja primeira edição será no ano que vem – com início previsto para o fim do mês de fevereiro -, contará com 12 times participantes.A divulgação oficial do calendário e do regulamento será na próxima segunda-feira. A Sul-Minas-Rio recebeu o aval da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) no último dia 9, quando o executivo-chefe da liga, Alexandre Kalil, esteve na entidade.

Confira os grupos:

Grupo 1: Cruzeiro, Fluminense, Avaí, América-MG
Grupo 2: Grêmio, Internacional, Atlético-PR, Chapecoense
Grupo 3: Atlético-MG, Flamengo, Figueirense e Coritiba

São 15 os clubes integrantes da liga, mas apenas 12 participarão da primeira edição, com início marcado para fevereiro do ano que vem – a final também já tem data: 30 de março.

– Isso já estava formatado. Nós temos nos reunido de 15 em 15 dias. Fomos à CBF, já havíamos ido à CBF outras vezes, e o que aconteceu ontem (quinta-feira) foi que o Kalil (Alexandre), representante da Liga, discutiu as datas com o pessoal da CBF. Serão três grupos de quatro times cada, se classificando para as semifinais os melhores de cada grupo e o melhor segundo colocado – disse o presidente da Liga, Gilvan de Pinho Tavares, que explicou o que ficou acordado com a CBF.

– Fizeram alguma alteração de datas. Concordaram com tudo o que foi acordado pela Liga. E a CBF disse que daria toda a assistência no aspecto dos árbitros. Além do tribunal. Precisávamos de um modelo, como acontece na Copa do Mundo, Copa América, porque o torneio é curto. Não dá para ter primeira, segunda instância. Então, será um julgamento mais rápido, um caráter diferente de julgar, mas aplicando o Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD). Vai ter mais uma reunião na segunda-feira, mas já está tudo definido.

Fazem parte América-MG, Avaí, Atlético-MG, Atlético-PR, Chapecoense, Coritiba, Criciúma, Cruzeiro, Figueirense, Fluminense, Flamengo, Internacional, Joinville, Grêmio e Paraná. Quando o grupo foi criado, a ideia era que a primeira edição do torneio contasse apenas com 10 participantes, sem Chape, Criciúma, Joinville, além de Paraná e América-MG, que se filiaram por último.

Há quem faça oposição à Liga Sul-Minas. O presidente da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), Rubens Lopes, irritado com a participação da dupla Fla-Flu na competição,não crê que o presidente da CBF, Marco Polo del Nero, autorizará o torneio.

 

GLOBO ESPORTE.COM