Portugal deixa fugir a vitória nos descontos

Golo de Cédric a quatro minutos do final parecia ser suficiente. Mas novo erro defensivo permitiu ao México igualar a partida nos descontos. Nani viu um golo anulado pelo vídeoárbitro na primeira parte

Portugal e México empataram a dois golos este domingo na Kazan Arena, em jogo relativo à 1.ª jornada da fase de grupos da Taça das Confederações, num jogo marcado pelo facto de ter sido pela primeira vez anulado um golo pelo vídeoárbitro na Taça das Confederações, por fora de jogo de vários jogadores portugueses no lance em que Nani marca.

Portugal entrou mal no jogo e demorou a encontrar-se, perante um México com muito mais posse de bola e com Chicharito Hernández a lançar o pânico na área dos portugueses. Contudo, contra a corrente do jogo, contudo, Quaresma colocou a seleção nacional a vencer, após uma assistência de Ronaldo (este golo surgiu já depois do vídeoárbitro ter anulado o lance a Pepe).

Antes do intervalo, contudo, o México chegou à igualdade, num golo de cabeça de Chicharito Hernández, que surgiu após um falhanço de Raphäel Guerreiro ao não conseguir cortar uma bola.

O Grupo A é neste momento liderado pela Rússia, que venceu a Nova Zelândia por 2-0 no sábado. Portugal e México somam um ponto.

Onze de Portugal: Rui Patrício; Cédric, Pepe, José Fonte e Raphäel Guerreiro; William, João Moutinho, Ricardo Quaresma e André Gomes; Nani e Cristiano Ronaldo.

Onze do México: Ochoa; Salcedo, Moreno, Diego Reyes e Layún; Jonathan Dos Santos e Herrera; Guardado; Vela, Jiménez e Chicharito.

 

Diário de Notícias

Retrospectiva 2015 – Com golaço no fim da prorrogação, México vence EUA e vai à Copa das Confederações

Publicado em 11/10/2015, 01:10 /Atualizado em 11/10/2015, 01:35 ESPN.com.br

Jogadores do México comemoram gol na vitória sobre os Estados Unidos
Jogadores do México comemoram gol na vitória sobre os Estados Unidos

Em uma quente noite na cidade de Pasadena, na Califórnia, o que mais se ouviu foi “olé”. Com um imenso apoio de seus torcedores, o México venceu os Estados Unidos no Rose Bowl por 3 a 2 e garantiu vaga na Copa das Confederações de 2017, na Rússia.

No tempo regulamentar, Javier Hernández havia aberto o placar para os visitantes, enquanto Geoff Cameron tinha empatado. Na prorrogação, Oribe Peralta deixou os mexicanos em vantagem, mas Bobby Wood deixou tudo igual. A dois minutos do fim, Aguilar fez um golaço para determinar a vitória.

O jogo, chamado de Copa Concacaf e que foi realizado pela primeira vez, só foi realizado para determinar o representante das Américas do Norte e Central na próxima edição da Copa das Confederações. A Concacaf sempre manda o campeão da Copa Ouro como seu representante.

No entanto, como os EUA venceram a edição de 2013 e o México a de 2015, um jogo desempate foi necessário para determinar o representante da entidade.

15 MINUTOS, DOIS GOLS

O México praticamente não foi incomodado nos primeiros dez minutos de partida. Com posse de bola, a equipe trocava passes até com certa paciência. E conseguiu abrir o placar. Após boa tabela, Oribe Peralta passou para Chicharito Hernández, no meio da área, desviar para fazer 1 a 0. A vantagem mexicana, no entanto, durou pouco.

Apenas cinco minutos depois, quando o relógio marcava 15min, Michael Bradley cobrou falta lateral para a área e Geoff Cameron saiu da marcação para cabecear firme e empatar a partida.

SEGUNDO TEMPO

Na segunda etapa, os mexicanos ficaram com mais posse de bola desde o começo. Jimenez, três vezes, e Hernández tiveram boas chances de marcarem o segundo dos visitantes, mas falharam – o primeiro viu o goleiro Brad Guzan fazer uma ótima defesa na sua primeira tentativa.

Se os mexicanos criaram chances, os americanos nem isso. Sem efetividade, o jogo foi para a prorrogação.

PRORROGAÇÃO

O começo da prorrogação seguiu a tendência da maior parte do jogo: o México com a bola e os EUA mais recuado. E os mexicanos conseguiram o segundo gol. Aguilar disparou pela direita, recebeu a bola e cruzou. Chicharito Hernández fechou pelo meio e puxou a marcação, deixando Peralta livre. O atacante não desperdiçou e chutou firme para fazer o segundo.

Quando parecia ter o jogo controlado, o México sofreu o segundo gol. Aos três minutos da segunda etapa do tem po extra, Yedlin deu ótimo passe entre os defensores mexicanos e Wood finalizou firme para deixar tudo igual.

A dois minutos do fim, o gol vencedor. Após a zaga americana afastar, Jimenez desviou e a bola voltou para a parte direita da grande área. Aguilar entrou como um raio e pegou na veia, cruzado e de primeira, para determinar a classificação com um golaço.

COPA DAS CONFEDERAÇÕES

A seleção mexicana se juntará agora ao grupo de times já garantidos na Copa das Confederações de 2017. São elas: Rússia (país-sede), Alemanha (atual campeã mundial), Chile (campeão da Copa América) e Austrália (campeã da Copa da Ásia).

As outras três vagas serão preenchidas pelo time campeão da Euro de 2016 (ou vice, caso os alemães conquistem o torneio), o campeão da Copa das Nações da Oceania e o vencedor da Copa Africana de Nações de 2017.

Será a sétima participação do México na competição. O melhor desempenho do país no torneio foi em 1999, quando se sagrou campeão.

 

 

Croácia 1 x 3 México

Croácia 1 x 3 México

O México domou a Croácia na Arena Pernambuco, dizimou os discursos autoconfiantes dos adversários na véspera. A vitória por 3 a 1 foi a melhor resposta a uma certa falta de respeito à tradição da camisa verde. Sim, o México está nas oitavas de final de uma Copa do Mundo pela sexta vez consecutiva. A Croácia volta para casa eliminada ainda na primeira fase pela terceira vez em quatro participações.

O meia do Real Madrid Luka Modric chegou a dizer que a Croácia tinha melhor time, melhores valores individuais e que iria provar em campo. Mordeu a língua. Ele e o artilheiro Mandzukic foram meras sombras diante do organizado time mexicano. Rafa Márquez, Guardado e Chicharito Hernandez marcaram os três gols do México, todos no segundo tempo.

Só no fim, já aos 43, Perisic descontou. Já não havia mais tempo para nada. A Arena Pernambuco estava em festa, ninguém se importou com o fato de o goleiro Ochoa ter sido vazado pela primeira vez.  Era tempo de festejar. A bagunça mexicana que invadiu Recife continuará espalhada Brasil afora. Pelo menos até domingo. Classificado em segundo lugar no Grupo A, por conta do saldo de gols inferior ao do Brasil, o México enfrenta a Holanda nas oitavas de final, no domingo, às 13h, na Arena Castelão.

Primeiro tempo sem sal

A Croácia teve bola no pé no primeiro tempo, 59% da posse, mas não conseguiu achar os espaços. Pranjic, Rakitic, Modric, Perisic e Srna cansaram de trocar passes. Mais uma vez, o sistema defensivo mexicano esteve seguro à frente de Ochoa. Mandzukic simplesmente não finalizou. Nenhuma vez sequer. Os companheiros arriscaram chutes de fora da área sem sucesso.

Perigoso mesmo foi o México. Herrera acertou o travessão aos 15 minutos – e a Arena Pernambuco quase veio abaixo. Pouco depois, Peralta perdeu um gol cara a cara com Pletikosa. Mais rápido e objetivo, o México, diferentemente da Croácia, achava os espaços.
O resultado a favor e o sistema implatado por Miguel Herrera deixavam a seleção tricolor cada vezmais à vontade, apesar da postura precavida na maior parte do tempo. Não foi um primeiro tempo de encher os olhos, longe disso.

A mexida de Niko Kovac na escalação não deu certo. O meia brasileiro Sammir, titular na goleada sobre Camarões, perdeu a posição para Vrsaljko, escalado na lateral esquerda, enquanto Pranjic foi deslocado para o meio.

Segundo tempo temperado

Logo no início da segunda etapa, o técnico croata trocou Vrsaljko pelo volante Kovavic, do Inter de Milão. Rebic substituiria Olic minutos depois. No México, entraram Chicharito Hernández, Mario Fabiane e Carlos Peña. O atropelo se deu a partir dos 25 minutos. O México precisou de menos da metade de um tempo para construir o resultado. Mas quando Rafa Márquez marcou de cabeça, após cobrança de escanteio, parecia que o árbitro já havia apitado o fim da partida.

A certeza da classificou se espalhou pelo ar, na euforia de cada mexicano presente na Arena Pernambuco. Afinal, um gol tem valido como goleada para quem tem uma defesa tão segura. A expressão dos jogadores croatas refletia isso em campo. A vaga virou certeza absoluta quatro minutos depois. Guardado anotou o segundo gol mexicano após bela troca de passes. No fim, aos 36, Chicarito Hernández, oportunista, ainda aumentou a festa ao escorar um desvio de Rafa Márquez. O gol de Perisic só serviu para constar.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Uma vaga direta e uma à repescagem

Uma vaga direta e uma à repescagem

© Getty Images

Ficou para a última rodada a decisão da terceira e última vaga direta das eliminatórias da América do Norte, América Central e Caribe para a Copa do Mundo da FIFA 2014. México eHonduras estão na briga pela honra de acompanhar EUA e Costa Rica no torneio do ano que vem. Os hondurenhos têm o destino nas próprias mãos, enquanto o México precisa vencer e torcer. O quarto colocado (que pode acabar sendo o México, Honduras ou até mesmo o Panamá) enfrentará a Nova Zelândia na repescagem intercontinental em novembro.

FIFA.com traz a prévia da última rodada de um hexagonal final cheio de emoções.

O grande jogo
Costa Rica x México
Apesar da vitória por 2 a 1 sobre o Panamá na semana passada no Estádio Azteca, o México ainda não é dono do próprio destino. Os comandados de Victor Manuel Vucetich estão atualmente em quarto lugar no hexagonal, três pontos atrás de Honduras. Para chegarem ao terceiro posto, os astecas precisam primeiro fazer a sua parte contra a Costa Rica em San José, o que não será fácil, já que os costa-riquenhos têm 100% de aproveitamento em casa no hexagonal e costumam contar com uma torcida apaixonada. Além disso, precisam torcer para que o selecionado deHonduras, que não perde há três jogos, saia derrotado do confronto com a Jamaica em Kingston.

Por outro lado, os mexicanos precisam se cuidar com outra possibilidade muito mais dramática: a de terminar em quinto e ficar de fora da Copa do Mundo pela primeira vez desde a Itália 1990. Para aproveitar a última rodada da melhor forma, o país norte-americano espera contar com boas atuações do capitão Rafa Márquez e de um Chicharito Hernández que vem sofrendo com a falta de gols.

E o que mais? 
Após baterem a Costa Rica em San Pedro Sula, os hondurenhos agora dependem apenas de si. Uma vitória, um empate ou até mesmo uma derrota apertada em Kingston contra uma Jamaica que joga apenas pela honra garantirão a terceira e última vaga direta — EUA e Costa Rica já asseguraram as outras duas. Com jogadores rápidos como Wilson Palacios, Oscar Boniek Garcia e Roger Espinoza, a seleção de Honduras vem jogando um futebol dinâmico e complicando as coisas para as potências da região.

Após garantirem o primeiro lugar, os EUA viajam ao Panamá para enfrentarem a seleção da casa em um jogo que ainda pode influenciar a classificação final. Na quinta posição, os panamenhos precisam de uma vitória (e de uma derrota do México) para terem chances de disputar a repescagem intercontinental. Os comandados do técnico Julio Dely Valdés enfrentarão uma equipe americana bastante desfalcada, pois Jürgen Klinsmann já avisou que pretende fazer alguns testes. Eddie Johnson, Clint Dempsey, Tim Howard e Landon Donovan não estarão no gramado do Estádio Rommel Fernandez, onde o Panamá não perdeu nenhuma vez em duas fases das eliminatórias.

O que eles disseram 
“Não consigo imaginar um jogo maior do que esse, contra a Costa Rica. Precisamos ir lá, e precisamos vencer. Não podemos controlar todos os fatores dos outros jogos, mas precisamos fazer o possível, que é sair de San José com os três pontos.” Com apenas 22 anos, o mexicano Raúl Jiménez já fala com a voz da experiência após ter marcado de bicicleta nos minutos finais do jogo contra oPanamá no Estádio Azteca o gol que manteve vivas as esperanças astecas no hexagonal

Décima rodada do hexagonal final da CONCACAF
15 de outubro
Costa Rica x México
Jamaica x Honduras
Panamá x EUA

Classificação
1. EUA (19 pontos – classificados)
2. Costa Rica (15 – classificada)
3. Honduras (14)
4. México (11)
5. Panamá (8)
6. Jamaica (4 – eliminada)

 

FIFA.com

Honduras a um ponto da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014

Honduras a um ponto do Brasil

© AFP

A seleção de Honduras derrotou a já classificada Costa Rica por 1 a 0, em partida disputada nesta sexta-feira, na cidade de San Pedro Sula, pelas Eliminatórias da CONCACAF, e ficou bem perto de garantir a vaga para a Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014. Jerry Bengtson, aos 19 minutos do segundo tempo, fez o único gol do jogo.

E faltou muito pouco para que a seleção hondurenha carimbasse seu passaporte já nesta sexta-feira. Um empate entre México e Panamá no Estádio Azteca teria garantido a vaga de Honduras, mas Raul Jimenez, aos 39 da etapa final, deu a vitória ao time da casa por 2 a 1. Oribe Peralta abriu o placar para os mexicanos aos 40 e Javier Hernandez, o Chicharito, perdeu um pênalti. Em seguida, Luis Tejada conseguiu o empate para o Panamá aos 36.

Tudo indicava que a partida terminaria igualada, mas Jimenez dominou na entrada da área, arriscou de bicicleta e acertou um chute perfeito, que ainda tocou na trave direita do goleiro Jaime Penedo antes de balançar as redes.
Com os resultados, Honduras ocupa a terceira posição nas eliminatórias da CONCACAF, com 14 pontos, e precisa de apenas um empate com a Jamaica, na próxima terça-feira, para assegurar seu lugar no Brasil. O México, com 11, vem logo atrás, em quarto – lugar que lhe daria uma vaga no play-off intercontinental contra a Nova Zelândia. O Panamá, com oito pontos, ainda têm chances, embora pequenas, de ultrapassar o México.

A primeira posição na tabela é dos Estados Unidos, que derrotaram por 2 a 0 a Jamaica, também nesta sexta-feira. Graham Zusi, aos 22 da segunda etapa, e Jozy Altidore, três minutos depois, deram a vitória à equipe do técnico Juergen Klinsmann. A seleção americana, já classificada, acumula 19 pontos. A vice-liderança é da Costa Rica, outra seleção com vaga assegurada, com 15 pontos. A Jamaica, em último lugar, com quatro pontos, já não tem mais chances de ir ao Brasil.

 

FIFA.com

Mexico sack Chepo after Aztecazo

Mexico sack Chepo after Aztecazo

© AFP

Embattled Mexico coach Jose Manuel Chepo de la Torre was sacked by the Mexican FA after Friday’s loss in FIFA World Cup™ qualifying to Honduras. The announcement came just hours after the 2-1 defeat which leaves El Tri in fourth-place in the six-team field and currently out of the running for a direct ticket to Brazil 2014.

Mexico, current Olympic champions and 13-time FIFA World Cup participants, suffered an unprecedented collapse under the man known popularly as Chepo, who took over the reins at the start of 2011. Not even the normally intimidating Estadio Azteca could offer the team shelter in the final round of CONCACAF qualifying. Their first three games at home ended in goalless draws and the loss to Honduras, who came back from a goal down, was simply a road too far for fans and officials.

It was only Mexico’s second loss in 77 qualifying matches at the venerable old ground. The first so-called Aztecazo came in 2001 when Hernan Medford sealed victory for Costa Rica. The Mexicans now sit just one point ahead of Panama in the Hexagonal standings with three games to go. On Tuesday, they head to Ohio for a date with arch-rivals USA in dire need of points.

A side not lacking in talent, Gio dos Santos, Javier Chicharito Hernandez and co, will need to dig deep against the Stars and Stripes in what many observers are calling a must-win game.

 

FIFA.com

FIFA Confederations Cup: Japan 1-2 Mexico

Published on Sunday, 23 June 2013 11:57

Belo Horizonte: It was a disappointing end to the 2013 FIFA Confederations Cup for Japan as the AFC Asian Cup holders went down 2-1 to Mexico on Saturday.

Javier Hernandez, a team-mate of AFC Asian International Player of the Year Shinji Kagawa at English Premier League champions Manchester United (both pictured), scored twice but missed a last-minute penalty to leave the four-time Asian champions winless at the Confederations Cup.

Hernandez took his tally for the tournament to three as Mexico registered their first victory.

The win, however, came in a ‘dead’ game after Brazil and Italy had already made sure of their places in the semi-finals as Group A qualifiers.

Hernandez, who had scored his team’s only goal of the competition in the 2-1 loss to Italy, opened the scoring in the 54th minute.

He timed a run perfectly to meet a cross from Andres Guardado before heading the ball past Eiji Kawashima in the Japan goal.

Twelve minutes later, Hernandez made it 2-0.

Giovani Dos Santos sent over a corner which was flicked on at the near post by Hiram Mier for the Manchester United man to head home from close range.

Japan refused to give up with Yasuyuki Konno seeing a goalbound effort cleared away by the feet of keeper Guillermo Ochoa.

The World Cup qualifiers pulled one back four minutes from time when Stuttgart striker Shinji Okazaki tapped in a simple chance.

Hernandez had a chance to make it 3-1 in stoppage time when he was brought down in the area.

However, Kawashima pulled off a fine save from the resulting penalty with the striker then smashing the rebound off the crossbar.

The result allowed Mexico, who had also lost 2-0 to Brazil, to finish third in Group A.

Japan ended the tournament with three defeats, having already been beaten 3-0 by Brazil and 4-3 by Italy.

There were few chances in the first half at Belo Horizonte with Mexico enjoying more of the ball.

They were unlucky not to have taken the lead in the 40th minute when Valencia midfielder Guardado sent a flying header off the post.

Japan had thought they had gone ahead on nine minutes when Okazaki deflected a cross from captain Yasuhito Endo into the net.

But referee Felix Brych of Germany ruled it out for offside.

Photo: AFP

 

 

Japão 1 x 2 México

Vitória com a cabeça

© Getty Images

A seleção do México entrou no Mineirão, neste sábado, com um plano bem definido: trabalhar com bolas aéreas. A estratégia deu certo, e a despedida da Copa das Confederações da FIFA Brasil 2013 deu-se com uma vitória por 2 a 1 sobre o Japão, com dois gols de cabeça de Javier Hernandez, o Chicharito. Com o resultado, o México fica em terceiro lugar no Grupo A, com três pontos. O Japão, que também chegou a este sábado eliminado, volta para casa sem um ponto sequer. Brasil, em primeiro, e Itália, no segundo posto, classificaram-se para as semifinais.

Os primeiros minutos mostraram um Japão mais efetivo no ataque, levando perigo com chutes de Kagawa e Honda. Aos poucos, porém, o México foi administrando melhor a posse de bola e aproximando-se da trave adversária. O gol quase saiu no primeiro tempo, com Guardado cabeceando sozinho dentro da área. A bola, contudo, explodiu na trave direita de Kawashima.

No segundo tempo, o México seguiu investindo no jogo aéreo e foi recompensado com Chicharito, abrindo o placar de cabeça. Doze minutos depois, mais do mesmo: outro cruzamento, outro gol de Chicharito. A equipe japonesa, que á perdia o domínio do meio-de-campo, reagiu tarde demais. Okazaki anotou aos 41, incentivando o time a tentar o empate até o fim, mas não houve tempo. Chicharito ainda desperdiçou um pênalti aos 47, e o placar não mudou mais.

 

FIFA.com