Eduardo Martini foi citado em Salve Jorge

 

No capítulo de segunda-feira de “Salve Jorge”, Glória Perez fez questão de mencionar Eduardo Faustini, do “Fantástico”, um dos maiores jornalistas investigativos do Brasil na atualidade. Na cena, a delegada Helô, Giovanna Antonelli, por telefone, solicita matérias feitas por ele sobre o tráfico humano.

Via Twitter, Faustini agradeceu a lembrança da autora, por ter o seu nome mencionado no trabalho dela. Mas, modesto, disse que não merecia tamanha honra.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Salve Jorge teve cenas gravadas no shopping Boulevard Iguatemi

No sábado e domingo, uma equipe de “Salve Jorge”, liderada pelos diretores Adriano Melo e Marcos Pimenta, gravou sequência da novela no shopping Boulevard Iguatemi, em Vila Isabel .
Nessas gravações, Helô, Giovanna Antonelli, sai em perseguição a Wanda, Totia Meirelles.

Helô e Stênio: o único casal romântico que empolga em “Salve Jorge”

Giovanna Antonelli e Alexandre Nero como Helô e Stênio em “Salve Jorge” (Foto: TV Globo)

Théo e Morena (Rodrigo Lombardi e Nanda Costa). Théo e Érika (Rodrigo Lombardi e Flávia Alessandra). Zyah e Bianca (Domingos Montagner e Cléo Pires). Zyah e Ayla (Domingos Montagner e Tânia Khallil). Celso e Antônia (Caco Ciocler e Letícia Spiller). Pepeu e Drica (Ivan Mendes e Mariana Rios). Glória Perez bem que tenta emplacar os casais românticos de “Salve Jorge”, mas sem muito sucesso.

Com foco na trama policial da novela, Morena e Théo se perderam no meio do caminho, em uma relação mal definida, mal desenhada, tanto por conta do caráter fraco dele, quanto da personalidade forte dela e dos apuros pelos quais ela tem passado. E falta química. Assim como falta química para Théo e Érika. Ela não passa de um joguete para ele, e a relação dos dois não tem para onde evoluir.

O triângulo Bianca-Zyah-Ayla também não empolga. Ele deixa Bianca louca na caverna, mas ela não se curva ao seu modus operandiZyah se divide entre a emoção da paixão pela “chilique estrangeira” e a razão do amor por Ayla e pelas tradições de seu povo. Conflitos amorosos e étnicos já conhecidos nossos, explorados à exaustão pela autora em suas tramas anteriores.

Mesmo se envolvendo com Carlos (Dalton Vigh), Antônia representa com Celso a pimenta nas relações mal resolvidas. Uma mágoa só que chegou ao ódio. É o peso da novela. Por sua vez, Pepeu e Drica – assim como Caíque e Lurdinha (Duda Nagle e Bruna Marquezine) – fazem jus à cota jovem e descompromissada que não tem conflitos, não avança nem recua, não chega a lugar nenhum.

Ao que parece, o único casal de “Salve Jorge” que realmente empolga é Helô e Stênio (Giovanna Antonelli e Alexandre Nero). E o grande mérito está na performance dos atores – ótimos em seus personagens -, que mostram uma química perfeita em cena, capazes de arrancar risos e suspiros.

Helô e Stênio têm a torcida da empregada Creuza (Luci Pereira) e do público. Podem continuar rendendo ótimas cenas, e ainda servem de respiro cômico para a trama pesada do tráfico, que só faz degringolar o romance dos protagonistas Morena e Théo. E nem seria má ideia a promoção de Helô e Stênio a protagonistas da novela.