O “CQC” foi uma bela escola, diz Rafael Cortez, apresentador do “Got Talent”

No dia 02 de abril, a Record estreia a versão brasileira licenciada do “Got Talent”, formato da Fremantle presente em mais de 50 países e que já revelou, entre vários nomes, a cantora Susan Boyle.
 
Na manhã desta terça-feira (19), jornalistas se reuniram no estúdio M da emissora paulista, para conhecer de perto os detalhes do novo projeto, que pretende revelar o mais novo talento do Brasil. O NaTelinha esteve presente e bateu um papo com o apresentador Rafael Cortez.
 
Confira a conversa entre a repórter do site, Michele Marreira, e o ex-“CQC”:
 
NaTelinha – “Got Talent” é um programa visto mundialmente. Como você se preparou para esse formato brasileiro?
 
Rafael Cortez – Gravei no meu pendrive episódios completos do “Got” dos Estados Unidos e Reino Unido. Paralelamente, assistia muitas coisas no Youtube. E dentro desse processo, tive muitas conversas estruturais, para que eu tivesse entendimento da essência do projeto.
 
 
NaTelinha – Sentiu alguma dificuldade para assumir essa nova função de apresentador?
 
RC – Na primeira audição vi coisas que eu tinha de combater. Por exemplo, no “CQC”, eu tinha algo disperso, jovem e leve. Isso é uma coisa do meu corpo, estou olhando para você, ao mesmo tempo para o lado, prestando atenção no outro (risos). Por conta disso, fiz uma semana de aula com a Fátima Toledo [conceituada preparadora de elenco], que tirou um pouco dos meus “vícios”. Precisei domar essa coisa inquieta para o vídeo.
 
 
NaTelinha – O que o telespectador pode espera então desse novo Rafael Cortez?
 
RC – Nem sei se tem um novo Rafael Cortez… Vocês podem esperar um cara a serviço de um projeto, com toda sua dedicação e afinco. Não vou prometer que vem aí o melhor apresentador do Brasil! Eu sou um trabalhador que se envolve com os projetos que participa.
 
 
NaTelinha – Qual é o diferencial do programa?
 
RC – Esse é um programa que valoriza e contempla quem tem um trabalho artístico para mostrar. Seja ele qual for. Num mundo que só valoriza o “ser bonito” ou alguém que está na mídia apenas por namorar uma pessoa famosa…
 
 
NaTelinha – Rola um friozinho a barriga?
 
RC – Ah, sou um cara perfeccionista quando entro num projeto, me entrego de corpo e alma. Apesar de não ter sido apresentador, valeram os cinco anos que integrei um programa de humor. Foi uma bela escola, e isso eu trago comigo.

Os mineiros estão muito interessados no Got Talent Brasil ! Entenda …

A TV Leste, de Governador Valadares – MG, afiliada da Record, foi até agora a mais procurada pelos interessados no “Got Talent Brasil”.
A audição, antes prevista para um dia, aconteceu em dois por causa do número de participantes .

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery