Será que a Globosat vai comprar o filme Nada a Perder para o Telecine exibir?

Vai-não-vai

Ainda sobre o filme “Nada a Perder”, que por enquanto não saiu do papel, uma outra pergunta circula na praça: a Globosat terá interesse em adquiri-lo para os canais Telecine, como aconteceu com “Os Dez Mandamentos”?

Tempo ao tempo.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Programa da Mel Fronckowiak estreia em setembro no +Globosat

Mel Fronckowiak em viagem para a Itália

Mel Fronckowiak em viagem para a Itália

A estreia do “Destino Certo” foi confirmada para 3 de setembro no +Globosat, com apresentação de Mel Fronckowiak.

É um programa de viagens, mas que foge um pouco da proposta que outros tantos adotam ou já adotaram. Ela estará seguindo sempre em busca de cinco objetivos.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Globosat marca evento no Rio para mexer com programação de seus canais

Canais da Globosat

 

A Globosat marcou para o próximo dia 12, no Jardim Botânico, Rio, um evento para apresentar todas as demandas de suas emissoras, como GloboNews, SporTV, Viva, GNT e Multishow, entre outras, para roteiristas, diretores e gente de produtoras e do mercado em geral.

Com 33 canais em seu portfólio, incluindo pay-per-view, a Globosat já é a maior programadora da América Latina. Lançou na segunda metade dos anos 1990, canais como o SporTV, GNT, Multishow e Telecine, e até 1994, a sua programação era muito dependente de conteúdo importado.

O crescimento da base de assinantes gerou a necessidade de um maior investimento em produção, o que passou a acontecer a partir de 1995. A Globosat saltou de 350 funcionários e quatro canais, em 1994, para 33 canais e mais de 1.800 funcionários, em 2014.

Mas, o que se observa nos dias de hoje, em vários dos seus veículos, é que a grade se divide entre algumas coisas muito boas, como existem na GloboNews, Viva e SporTV, e outras nem tanto e até capengas ou tapa buracos, principalmente no Multishow. A ideia de agora é promover uma forte sacudida em tudo.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Globosat e Caracol vão lançar canal de TV por assinatura com língua espanhola em 2015 nos Estados Unidos

 

A programadora Globosat, do Grupo Globo, e a Caracol, maior emissora de TV aberta da Colômbia, anunciaram ontem que irão lançar em 2015 um canal de TV por assinatura de língua hispânica nos Estados Unidos.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Calor infernal – Programadora da Globo libera uso de bermudas no Rio

 

A Globosat enviou um comunicado aos seus mais diferentes setores, autorizando os funcionários a usarem bermudas, devido ao forte calor no Rio, onde fica a sua base principal.

Até então, isto era proibido. A medida, no entanto, é provisória, está em fase de testes, e vale até o fim deste mês. Para homens e mulheres.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Antenado: A briga inexplicável entre Esporte Interativo e Globosat

https://i1.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/1cb1be30c555749cbce394c0fa045940.jpg

Essa briga não vem de hoje. Quem acompanha minimamente os bastidores do jornalismo esportivo, sabe que o Esporte Interativo, único canal de esportes da TV aberta, briga ferrenhamente para entrar no line-up de Net e Sky desde sua fundação, em 2007. Mas o Esporte Interativo já existe, de fato, desde 2004, quando fez parceria com emissoras como RedeTV!, Band e Cultura.

Desde que virou canal de TV, com exibição nas parabólicas, o E+I é um fenômeno, no amplo sentido da palavra. Para comprovar isso, vou trazer números: são 35 milhões de telespectadores por mês, apenas por antena parabólica, são 7.748.230 curtidas no Facebook e 724 mil seguidores no Twitter. São números que não podem ser ignorados. O apelo do canal é inegável.

Mas, confesso que o Esporte Interativo melhorou muito desde que a Turner se associou à emissora, já que, eu mesmo disse isso no início do 2013: ele tinha uma cara amadora. Entretanto, essa cara já foi embora. É só ver hoje que o canal tem uma qualidade bem interessante em termos de imagem e técnica. Sobre sua equipe, tenho pouco a acrescentar, pois gosto demais. André Henning, seu principal narrador, mistura a graça e o melodramático e agrada. Sobre os comentaristas, destaco Vitor Sérgio Rodrigues, que há tempos admiro e digo: é um dos cinco melhores do Brasil.

Nunca entendi essa birra das operadoras de TV a cabo com o E+I. Na verdade, entendo: medo. O canal investe demais em publicidade, em mídia, propaganda, é muito bem quisto nas redes sociais, e é bastante visto nas região Nordeste, por exemplo. Tanto que, em 5 de janeiro, o grupo lançará o Esporte Interativo Nordeste, canal especializado para o público de lá. Uma sacada e tanto.

Sinceramente, eu não consigo achar meios e explicações para a negativa. E de fato, se esse país fosse sério, a Anatel interveria naquilo e dizia: “Coloquem o EI”. É absurdo uma programadora, no caso, a Globosat, mandar e desmandar nas principais operadoras. Beira o ridículo, que só é mais ridículo ainda com as operadoras dizendo que “não é bem assim”. Nós sabemos que é e não adianta negar, vide o caso do Fox Sports em 2012. É triste, mas espero que o Esporte Interativo vença essa batalha logo. Quem gosta de esporte como eu, torce para um desfecho feliz.

2013 chega ao fim

Esta é a última coluna do ano, aqui no NaTelinha. Fico feliz pela oportunidade deste espaço e aproveito aqui para desejar aos leitores um grande ano de 2014, cheio de saúde, sucesso e sorrisos.

Peço que continuem a prestigiar este espaço com a sua audiência no próximo ano.

Feliz 2014 e até lá!
Gabriel Vaquer escreve sobre mídia e televisão há vários anos. Além do “Antenado”, é responsável pelo “Documento NaTelinha”. Converse com ele. Twitter: @bielvaquer