Paysandu 2 x 0 Ceará

Mesmo com derrota Vozão segue na vice liderança

Site do Ceará Sporting Club

Retrospectiva 2015 – Ceará campeão da Copa do Nordeste 2015

Jogo da Ida

Vozão joga bem, vence o Bahia e sai na frente na busca pelo título

Marinho participou do gol que definiu a partida, teve boa movimentação, mas não vai jogar na partida de volta por suspensão

Marinho participou do gol que definiu a partida, teve boa movimentação, mas não vai jogar na partida de volta por suspensão
(Foto: Felipe Oliveira / EC Bahia)

Os primeiros 90 minutos da grande Final da Copa do Nordeste 2015 foram disputados na noite desta quarta-feira, 22/04, quando o Ceará Sporting Club foi até Salvador/BA para enfrentar o Bahia, na Arena Fonte Nova. O jogo entre as duas equipes foi muito disputado, mas o Vozão mostrou muita garra e empenho, conseguindo uma grande vitória por 1 x 0. Ricardinho colocou o Vozão na frente e garantiu a vantagem para o jogo de volta, afinal, o Ceará vai poder levantar a taça do Nordestão 2015 até com um empate no duelo da Arena Castelão, na próxima semana.

O primeiro tempo começou com muita marcação e com os dois times tentando levar perigo na bola aérea. Pelo Vozão, Charles tentou de cabeça, mas foi travado, enquanto isso, o Bahia respondeu com Leo Gamalho, que recebeu cruzamento e desviou, mandando rente à trave esquerda. Ricardinho também trabalhou com muita movimentação e tentou três vezes em chutes de fora da área, mas não acertou o alvo.

A etapa inicial seguiu muito disputada por parte dos dois times, que tomavam cuidados para não se expor. Aos 35 minutos, Ricardinho cruzou com perigo, mas Jean espalmou. No rebote, Marinho tentou o chute rasteiro, mas o camisa 1 do Bahia fez a defesa em dois tempos. Os donos da casa responderam dois minutos depois, porém, a cabeçada de Keiza passou por cima.

No decorrer do primeiro tempo, o confronto não mudou seu panorama e cada equipe teve mais uma chance perigosa. Aos 39 minutos, Assisinho arriscou de fora da área, mas mandou por cima do gol. Em seguida, Souza chutou, mas foi travado. Na sequência, o volante recebeu cruzamento e cabeceou para defesa tranquilda de Luís Carlos, mantendo 0 x 0 no placar do primeiro tempo.

No segundo tempo, o Vozão voltou um pouco mais  à vontade, mas a marcação no meio-campo e a quantidade de faltas excessivas atrapalhou o jogo. A primeira finalização surgiu apenas aos 18 minutos, quando Ricardinho chutou cruzado, Marinho dominou na área e finalizou com força, no entanto, a bola passou rente à trave esquerda, com muito perigo.

O Bahia tentou reagir aos 23 minutos, quando Zé Roberto arriscou de fora da área, mas mandou nas mãos de Luís Carlos. Dois minutos depois, Marinho viu a passagem de Samuel Xavier, que foi à linha de fundo e cruzou para Ricardinho. O meio-campista chutou de primeira, contou com a colaboração do goleiro Jean, que aceitou, e marcou o gol do Alvinegro Cearense: 1 x 0.

Com 29 minutos, Marinho recebeu de Magno Alves, disputou com o goleiro Jean e caiu na área. A arbitragem entendeu o lance como simulação do camisa 10 e ainda advertiu o atacante com o cartão amarelo. Um minuto depois, após troca de passes, a bola chegou para Zé Roberto, que chutou de primeira, mas parou na defesa sensacional de Luís Carlos.

Com o objetivo de dar novo fôlego ao setor ofensivo, o técnico Silas colocou Wescley e William nos lugares de Assisinho e Magno Alves, respectivamente. Perdendo diante do seu torcedor, o Bahia se lançou ao ataque e Maxi Biancucchi quase empatou aos 34 minutos, porém, a cabeçada do meia saiu pelo lado direito do gol. O Vozão respondeu dois minutos depois, com William, que recebeu passe de Ricardinho e cabeceou, mas mandou para fora.

Com apenas sete minutos em campo, o atacante William teve que ser substituído depois de sentir dores na coxa e deu lugar a Eloir. Depois disso, a única chance de ataque aconteceu aos 44 minutos, quando Maxi Biancucchi chutou forte, mas mandou para fora. Depois do apito final, os atletas comemoraram muito, afinal, o Vozão conquistou a vantagem do empate para o jogo de volta, que será na próxima quarta-feira, 29/04, no Castelão.

Agora, a delegação do Mais Querido vai retornar à capital cearense e o foco já deve ser o compromisso pelo Campeonato Cearense 2015, afinal, no próximo domingo, 26/04, o Vozão vai encarar o Fortaleza, no jogo de ida da grande Final da competição estadual. O desembarque do time será por volta das 12h30min e a reapresentação geral acontecerá somente na sexta-feira, 24/04, às 16 horas.

 

Site do Ceará Sporting Club

Jogo da volta

30/04/2015 00h17 – Atualizado em 30/04/2015 00h17

Inédito, invicto e de casa cheia! Ceará bate Bahia e leva a Copa do Nordeste

Ricardinho dá assistências para Charles e Gilvan, que decretam a maior conquista da história do Vovô. Estádio registra recorde de público: 63.903

Gilvan comemora gol do Ceará x Bahia (Foto: Juscelino Filho)

Zagueiros marcam os gols que deram a taça ao Ceará (Foto: Juscelino Filho)

Inédito, histórico, invicto… são tantas as alcunhas que talvez os 63.903 torcedores (recorde de público do estádio) que compareceram à Arena Castelão nesta quarta-feira (29), juntos, não sejam capazes de definir o tamanho da conquista do Ceará. Uma vitória maiúscula sobre o Bahia por 2 a 1 que confirmou a campanha impecável da equipe de Silas Pereira no certame nordestino. A coesão e a consistência era tamanha que se o ataque não acertava, a zaga resolvia. Os gols foram marcados pela dupla de beques Charles e Gilvan, em cruzamentos de Ricardinho. Um tento em cada etapa. Mas nem o gol de Max Biancchuchi foi capaz de desfazer a festa que coloriu de preto e branco o Castelão.

O domínio foi tão completo que se Magno Alves não resolvia, Ricardinho dava as cartas. O camisa 8, melhor jogador das finais, foi responsável pelas duas assistências que encontraram as cabeças de Charles e Gilvan, a dupla de zaga que se firmou na titularidade do Vovô. Pelo Bahia, nem Kieza nem Souza conseguiram resolver. Max Biancuchi até marcou, mas não adiantava mais. A festa foi caseira. E o torcedor sabe bem como comemorar.

O Bahia agora volta as atenções para o estadual. O Tricolor encara o Vitória da Conquista, no domingo (3), na Fonte Nova. Nos mesmos dia e horário, o Ceará enfrenta o Fortaleza, na mesma Arena Castelão, na finalíssima do Cearense. Tanto Tricolor Baiano (3 a 0) quanto Vovô (2 a 1) perderam o primeiro jogo nos estaduais.

Usa a cabeça, Vovô!

Na coletiva que precedeu o jogo contra o Bahia, Magno Alves garantiu: O jogo não iria para os pênaltis. Além de artilheiro, seria Magnata vidente? Façam suas apostas. Após os cerca de vinte minutos de atraso, uma franca troca de ataques brindou os torcedores da arquibancada. Rômulo, pelo Bahia, Magno Alves, pelo Ceará. Falta de oportunidade não foi. Sandro Manoel, bobamente, perdeu bola na intermediária e Kieza quase completou um contra-ataque perfeito para o Tricolor de Aço.

O Ceará, dominante com a bola nos pés, sabia exatamente o que fazer. O maestro Ricardinho, decisivo no jogo da Fonte Nova, novamente apareceu para marcar seu nome na história do centenário Vovô. Um cruzamento perfeito, na cabeça de Charles, deu a dianteira aos donos da casa. Explosão da massa alvinegra. De fato, não haveria mais disputa de pênaltis.

Ataque não marca? Zaga resolve!

Na volta do intervalo, Sérgio Soares precisava ir ao ataque. Sacou Rômulo e colocou Zé Roberto, mas o efeito não foi o desejado. Mais uma vez, foi o Ceará quem chegou com perigo. E mais uma vez, com os pés de Ricardinho, que acertou a trave e viu, caprichosamente, a bola correr pela área, sem que ninguém a colocasse para dentro do gol. O domínio era completo do Ceará. Dentro ou fora de campo. Dentro ou fora do estádio. A supremacia alvinegra era gritante. Tanto que, em nova cobrança de falta de Ricardinho, Gilvan, desta vez, subiu mais alto para decretar nova mudança no placar: 2 a 0 Vovô.

Se não vai na técnica, quem sabe na raça. O Bahia partia com o que tinha para o ataque. Saiu Pittoni, entrou Willians Santana. Até Sérgio Soares apressava uma reposição de bola, apostando as últimas fichas em alguma reação do Tricolor. Reação que não viria. Nem Kieza, nem Souza, nem nenhum tricolor seria capaz de colocar água no chopp do Ceará. Nem mesmo o gol de Max Bianccuchi, já nos minutos finais. A taça ficou no Ceará. O Castelão se coloriu de preto e branco.

GLOBO ESPORTE.COM

Flávio Ricco comenta que algumas coisas ditas em narrações esportivas poderiam ser descartadas

 propósito…

De narrações esportivas, aqueles que se encarregam disso precisam partir do princípio que o telespectador está vendo tudo. As 33 câmeras colocadas no estádio de futebol permitem a todos acompanhar o que acontece. Nos mínimos detalhes.
E que em determinados momentos é necessário homenagear o silêncio. Entre outras coisas, para evitar a redundância e não cair no grotesco.
Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Tom Barros comenta dois nomes decisivos na conquista do Ceará na Copa do Nordeste

"Sabemos da qualidade do Bahia e vamos tentar ao máximo anulá-los", analisou o zagueiro

“Sabemos da qualidade do Bahia e vamos tentar ao máximo anulá-los”, analisou o zagueiro
(Foto: Christian Alekson / cearasc.com)

 

Heróis

Numa festa de título, quem faz os gols merece lugar especial no pódio. Daí a menção especial a Charles e Gilvan, os zagueiros que assinalaram os dois gols da vitória alvinegra. De repente, o sentimento próprio dos artilheiros foi assumido por quem está mais para defender que para atacar. O gol de Charles abriu caminho; o gol de Gilvan consolidou.

 

Tom Barros – Jogada – Diário do Nordeste – 30 de abril de 2015

Tom Barros comenta lances decisivos na vitória do Ceará sobre o Bahia anteontem

Autor do primeiro gol do jogo desta noite, o zagueiro Charles comemorou muito com os companheiros

Autor do primeiro gol do jogo desta noite, o zagueiro Charles comemorou muito com os companheiros
(Foto: Christian Alekson / cearasc.com)

 

Nomes

Ontem, Ricardinho esteve notável. Conseguiu, numa questão de segundos, salvar um gol certo do Bahia e, logo em seguida, deixar Magno Alves na cara do gol. Combateu, criou. E tudo com incrível lucidez. Depois dele, Magno Alves. Bela partida. O passe de Magno para Marcos Aurélio fazer o terceiro gol foi sutil, especial. Pena Marcos ter desperdiçado.

 

Tom Barros – Jogada – Diário do Nordeste – 30 de abril de 2015

Com recorde de público no Castelão, invicto Ceará vence e conquista o Nordestão

O Vozão fez 2 x 0, se tranqüilizou em campo e sofreu um gol nos minutos finais

Site do Ceará Sporting Club