Náutico 2 x 1 Santa Cruz

Com um a menos, Náutico arranca vitória contra o Santa e volta ao G-4

Timbu sai na frente, perde Ronaldo Alves expulso aos 17 do 2º tempo, toma empate, mas busca vitória com gol de Gil Mineiro, que saiu do banco; Tricolor cai para 12º

Vindo de derrota para o lanterna, sem jogadores de criação, e com um atleta a menos durante quase todo o segundo tempo. Foi dessa maneira que o Náutico se impôs para vencer o Santa Cruz, por 2 a 1, na tarde deste sábado, na Arena Pernambuco. Mostrando aplicação tática superior ao adversário e, principalmente, mais vontade, o Timbu neutralizou as ações da equipe de Marcelo Martelotte e chegou aos 24 pontos. Com o resultado, o Náutico voltou ao G-4, ocupando a terceira colocação. Enquanto isso, o Tricolor, que teve a sequência de três vitórias consecutivas quebrada, caiu para 12º, com 15.

Os gols do jogo foram marcados todos no segundo tempo. Guilherme, cobrando falta, Anderson Aquino de pênalti e Gil Mineiro, saindo do banco, aos 28 minutos.

Pela Série B do Brasileiro, as duas equipes voltam a campo no próximo sábado. O Náutico encara o Botafogo, no Engenhão. O Santa recebe o Atlético-GO, no Arruda. Antes, na quarta-feira, o Timbu ainda decide vaga na próxima fase da Copa do Brasil com o Flamengo, na Arena PE. O primeiro duelo terminou 1 a 1, no Maracanã.

náutico x santa cruz (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)
Elenco do Náutico comemora muito gol de Gil Mineiro (Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

Primeiro tempo

Com o mando de campo, o Náutico escalou o meio de campo com três volantes e nenhum armador, para encarar o Santa Cruz, que adotou a postura oposta. Três armadores e apenas um marcador: Wellington César. Quando a bola rolou, no entanto, o técnico Lisca provou que, às vezes, menos é mais.

Com o volante Marino responsável por ajudar o trio de ataque, o Timbu anulou o setor de criação do Tricolor e criou, pelo menos, três grandes chances. A principal delas com Douglas, que ficou frente a frente com Fred, aos 15 minutos, mas esbarrou na eficiência do camisa 1.

Acuado, o Santa chegou ao ataque apenas uma vez, aos 31, mas João Paulo, dentro da pequena área alvirrubra, não conseguiu dominar a bola. Vendo o seu time sucumbir, o técnico Marcelo Martelotte tentou inverter as posições de Luisinho e Lelê. Mudança que pouco acrescentou.

Segundo tempo

Decidido a apagar a má impressão deixada no primeiro tempo, o Santa Cruz subiu para a etapa final tentando lançar-se ao ataque. No entanto, a iniciativa esbarrou na péssima atuação de Renatinho e Lelê, que pouco fizeram. Com o Náutico organizado, mas sem criatividade, coube ao arbitro José Rufino Filho, o “empurrãozinho” para que o jogo ganhasse emoção. Logo aos sete minutos, ele deu falta duvidosa na entrada da área coral, que Guilherme cobrou com maestria, para abrir o placar.

Aos 12, foi a vez de João Paulo cair na área alvirrubra e ver o árbitro marcar pênalti, também duvidoso. Chance que Anderson Aquino aproveitou. Logo em seguida, o atacante coral ainda conseguiu a expulsão de Ronaldo Alves, aos 17 minutos. E quando o panorama apontava para uma virada coral, Gil Mineiro saiu do banco e aproveitou a falha da zaga tricolor para anotar o segundo do Timbu e garantir a vitória.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Náutico 2 x 1 Oeste

Náutico vence, sobe para terceiro e deixa Oeste ameaçado pelo Z-4

Com gols de Douglas e Gil Mineiro, Timbu volta a vencer e segue firme no G-4; Júnior Negão marca para paulistas, que podem entrar na zona da degola após fim da rodada

Foi difícil, mas o Náutico, enfim, voltou a vencer na Série B do Brasileiro. Após três jogos sem o sabor da vitória, o Timbu bateu o Oeste por 2 a 1 na Arena Pernambuco, neste sábado. Com o resultado, a equipe pernambucana se manteve firme no G-4 (de onde não saiu desde que entrou, na segunda rodada), ocupando a terceira colocação, com 21 pontos. Já a derrota foi um golpe duro ao Rubrão, que está na 16ª posição, com 10 pontos e vê a zona de rebaixamento de muito perto. Uma vitória do Boa diante do CRB, as 21h, empurra os paulistas para o Z-4.

O prognóstico que o elenco do Náutico fez durante toda a semana se confirmou: o Oeste jogou retraído, abusando da marcação e esperando um erro para contra-atacar. O primeiro tempo foi assim. Mas apesar disso, o Timbu não conseguiu chegar ao gol. Tentou, é verdade – principalmente nos primeiros minutos – mas não conseguiu ser efetivo. Já o rubro-negro, que muitas vezes se postava atrás da linha do meio campo, fez o seu papel. Marcou (mesmo que de forma confusa) e aos poucos foi se soltando. Mas não teve nenhuma chance clara de gol.

O que faltou no primeiro tempo, sobrou no segundo. Sentindo a necessidade da vitória, os dois times se lançaram ao ataque. O Náutico, que começou a todo vapor, marcou aos 11 minutos, quando Douglas recebeu na grande área e fuzilou. À frente no placar, o Timbu passou a se defender e foi sufocado pelo Oeste, que chegou a colocar uma bola na trave com Marcelinho três minutos depois.

Aos 25, o Rubrão chegou ao empate, após Júnior Negão encobrir Júlio César. Os alvirrubros precisaram tomar um gol para acordarem e retomarem o ímpeto inicial. Coube a Gil Mineiro – que recebeu um bom passe de Hiltinho – fazer o seu primeiro gol com a camisa alvirrubra e dar números finais ao jogo: 2 a 1.

As duas equipes voltam a campo na próxima terça-feira, pela 11ª rodada da Série B. O Náutico encara o Mogi Mirim, no estádio Romildo Ferreira. O Bragantino pega o Criciúma, também fora de casa.

Náutico x Oeste (Foto: Antônio Carneiro / Pernambuco Press)
Douglas abriu o placar para o Náutico na vitória diante do Oeste
(Foto: Antônio Carneiro / Pernambuco Press)
GLOBO ESPORTE.CON