Santos 4 x 0 Atlético Mineiro

Ataque brilha, e Santos goleia o vice-líder Atlético-MG na Vila Belmiro

Peixe mostra força ofensiva e volta a encostar no G-4 com bela atuação diante do Galo. Time mineiro mantém distância para o Corinthians, mas vê Grêmio chegar

A derrota para a Ponte Preta no último domingo quebrou uma série de 13 jogos de invencibilidade do Santos. Na mesma oportunidade, o Atlético-MG viu a distância para o Corinthians aumentar após empate com o Cruzeiro. No encontro de alvinegros nesta quarta-feira, o Peixe deu show: com gols de Gabriel (dois), Ricardo Oliveira e Marquinhos Gabriel, goleou o Galo por 4 a 0 e ficou novamente a um ponto do G-4 do Brasileirão.

O ataque santista protagonizou o duelo. Lucas Lima foi o garçom da noite, criando as jogadas para dois dos quatro gols do Peixe. Por outro lado, a defesa atleticana teve uma atuação a ser esquecida: deu liberdade para os donos da casa e teve influência direta no resultado.

O Peixe chegou aos 40 pontos e subiu para a sétima colocação do Brasileirão. Agora, torce contra  São Paulo e Flamengo, que jogam nesta quinta, para permitir que a distância para o G-4 continue em um ponto.

Já o Galo segue com 49 pontos: se por um lado o time mineiro pode comemorar a derrota do Corinthians para o Internacional no Beira-Rio, por outro viu o Grêmio chegar aos 48 e encostar na disputa pela vice-liderança do torneio.

Após vencer o segundo colocado, o Santos agora volta a campo contra o líder Corinthians, no próximo domingo, às 11h (horário de Brasília), na arena de Itaquera. Já o Atlético-MG encara o Flamengo, no mesmo dia, às 16h, no Independência.

O jogo

No duelo de dois dos ataques mais fortes do Brasileirão, ironicamente, os 10 primeiros minutos reservaram inacreditáveis gols perdidos de ambos os lados: Gabriel, pelo Santos, recebeu dentro da pequena área, sem goleiro, e mandou por cima do travessão; Carlos, pelo Atlético-MG, recebeu cruzamento e desviou, cara a cara com Vanderlei, para fora.

Depois de começar tentando pressionar o Galo, o Santos passou a esperar o adversário em seu campo de defesa. O objetivo do Peixe era apostar nos contra-ataques. E começou a dar certo. Enquanto o Atlético-MG tentava tocar a bola, o Alvinegro abriu o placar com Gabriel, que se redimiu após chances perdidas.

O domínio santista foi ampliado no segundo tempo. Sob a batuta de Lucas Lima, os donos da casa criaram, pressionaram e neutralizaram o jogo do Atlético-MG: foram 35 desarmes, contra 15 do Galo. Mesmo dominando a posse de bola, os visitantes esbarravam nos próprios erros.

Não demorou até que Gabriel ficasse novamente na cara do gol: em jogada iniciada no campo de defesa, Lucas Lima deixou o atacante às costas da zaga atleticana. Cara a cara com Victor, que ainda tentou sair do gol, ele apenas empurrou para a rede, com categoria.

Para coroar uma grande noite para o setor ofensivo do Peixe, faltava o do artilheiro do Brasileirão. Em mais um vacilo da defesa do Galo, que errou na saída de bola, Ricardo Oliveira tabelou com Lucas Lima e tocou para a trave vazia. O máximo que o Atlético atingiu foi o travessão, com Leonardo Silva.

E ainda deu tempo de mais um belo gol do Santos: Marquinhos Gabriel recebeu do estreante Vitor Bueno na entrada da área, limpou a marcação de dois jogadores e bateu na saída de Victor.

GLOBO ESPORTE.COM

Santos 1 x 2 Corinthians – Copa do Brasil 2015

Santos faz valer DNA, elimina o rival Corinthians e avança na Copa do Brasil

Com gols de Gabriel e Ricardo Oliveira, Peixe desbanca mais uma vez o Timão e vai às quartas de final. Aos corintianos, o “consolo” é a liderança do Brasileirão

O Santos é sempre Santos. Pouco importa o momento. Se a fase é boa ou ruim, o DNA ofensivo do Peixe está ali, no sangue de um menino da vila, no suor de um experiente atacante e até nas ondas cerebrais de um craque lapidado à moda santista. Nas oitavas de final da Copa do Brasil, tudo deu certo. Tão certo que nem mesmo o líder do Brasileirão foi páreo. Nesta quarta-feira, em Itaquera, na casa do maior rival, o Santos fez 2 a 1 no Corinthians (já tinha vencido por 2 a 0 na Vila Belmiro), com gols de Gabriel e Ricardo Oliveira, e avançou às quartas de final do torneio.

Se Tite conseguiu reinventar o Timão nos pontos corridos do Brasileirão, Dorival Júnior fez algo semelhante com o Santos nesse mata-mata. Com o futebol apresentado nos duelos das oitavas, o Peixe aparece como um dos favoritos. Ao Corinthians, então, cabe foco total na manutenção da liderança do Brasileirão. Mas é preciso superar mais uma eliminação em sua nova casa. Antes, o time de Tite havia sofrido quedas para o Palmeiras, no Paulistão, e Guaraní, na Libertadores.

Quem esteve de olho nos jogadores de Corinthians e Santos nesta quarta-feira, na arena, foi Dunga, técnico da seleção brasileira.

O adversário do Santos nas quartas de final da Copa do Brasil será definido em sorteio, marcado para a próxima segunda-feira. As partidas serão nos dias 23 e 30 de setembro.

Líder do Campeonato Brasileiro, o Corinthians volta a campo pela Série A no domingo, às 16h, para encarar a Chapecoense, em Chapecó. O Santos, em ascensão na competição, encara o Cruzeiro, também no domingo, só que às 18h30, no Mineirão, em Belo Horizonte.

Corinthians x Santos (Foto: Marcos Ribolli)
Gabriel comemora com Lucas Lima, Renato e Thiago Maia na Arena Corinthians
(Foto: Marcos Ribolli)

O jogo

Tite foi obrigado a mudar o Corinthians para essa partida decisiva. A lesão muscular de Jadson e os desgastes de Fagner e Elias fizeram Matheus Pereira, Edílson e Ralf ganharem oportunidade. Do lado do Santos, nenhuma mudança. Nem no time, muito menos na postura. Muito embora já tivesse construído vantagem de 2 a 0 no jogo de ida, na Vila, o Peixe não se escondeu.

O clima criado pela torcida corintiano jogou o Timão para o ataque. Era necessário mesmo. Mas uma jogada espetacular de Lucas Lima derrubou o ímpeto dos donos da casa. O meia santista, aos 14 minutos, deu belo lançamento para Geuvânio. Ele cruzou na medido para Gabriel abrir o placar e complicar a vida do Corinthians, que passou a precisar de quatro gols para classificar.

Autor do gol, Gabriel sentiu lesão muscular logo na sequência e deixou o gramado. E o Timão, então, tentou se reorganizar em busca de uma difícil reação. Bem articulado no meio de campo, o time de Tite tinha dificuldade para penetrar na área do Santos. Renato Augusto, com chutes de fora da área, era a principal arma. Na defesa, Cássio salvou dois chutes de Ricardo Oliveira.

O experiente atacante, porém, não desistiu. Com o Santos sem abdicar do ataque, vez ou outro ele aparecia em boa condição. Ricardo Oliveira chutou por cima, parou em Cássio, mas acertou o alvo aos 19 minutos. Marquinhos Gabriel aproveitou brecha na zaga adversária e cruzou para o camisa 9 completar para o gol, sem chance para o goleiro corintiano. Na comemoração, bola por baixo da camisa para homenagear a esposa grávida.

A vantagem santista aumentava ainda mais o nível de dificuldade da missão corintiana. Só cinco gols dariam a classificação. Chances remotas com tão pouco tempo. Mesmo assim, Romero, aos 27 minutos, recebeu na grande área e bateu cruzado para diminuir. Tarde demais para reagir. A vaga nas quartas de final da Copa do Brasil é do Santos e do seu DNA ofensivo.

Renato Augusto Corinthians x Santos (Foto: Marcos Ribolli)
Renato Augusto lamenta a eliminação do Corinthians nas oitavas de final da Copa do Brasil
(Foto: Marcos Ribolli)
GLOBO ESPORTE.COM

Santos 5 x 2 Avaí

Santos ratifica boa fase com goleada sobre o Avaí, que entra no Z-4

Com vitória, Peixe vai a 27 pontos e abre sete de vantagem para o próprio Leão, primeira equipe abaixo da linha vermelha. Ricardo Oliveira quebra jejum

Mais três pontos para se afastar de vez da zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro. Com a vitória por 5 a 2 sobre o Avaí, neste sábado, na Vila Belmiro, o Santos ratifica sua boa fase, sobe para o 10º lugar, com 27 pontos, abrindo sete de vantagem para o próprio time catarinense que, com a derrota, é o primeiro time do Z-4, com 20. Gabriel, Thiago Maia, Ricardo Oliveira, Nilson e Lucas Lima marcaram os gols do Peixe. O estreante Léo Gamalho marcou os gols do Leão.

O Peixe agora acumula seis partidas consecutivas sem derrotas do Brasileirão: foram quatro vitórias (Joinville, Coritiba, Vasco e Avaí) e dois empates (Flamengo e Atlético-PR). Já o Leão tem três derrotas seguidas (Ponte Preta, Corinthians e Santos).

Ricardo Oliveira Santos Avaí (Foto: Lucas Baptista / Agência Estado)
Ricardo Oliveira voltou a marcar após três partidas (Foto: Lucas Baptista / Agência Estado)

O Santos não foi intenso como na última quarta-feira, quando não deixou o Corinthians respirar, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Neste sábado, o Alvinegro foi um time mais cadenciado, esperando o Avaí. Mesmo assim, não teve dificuldades para abrir vantagem. Em 12 minutos de partida, o Peixe já vencia por 2 a 0, gols de Gabriel, aos 10, e de Thiago Maia, aos 12 – foi o primeiro gol do garoto revelado na Vila Belmiro.

O Avaí tinha como melhores opções as descidas de Nino Paraíba, pela direita, e Romário, pela esquerda, que conseguiam espaços às costas dos laterais santistas. A equipe visitante conseguiu chegar ao ataque tocando a bola, mas marcou o seu gol num lançamento longo, que Léo Gamalho, estreante da noite, recebeu, se aproveitou de falha de David Braz e diminuiu, aos 28.

O Santos marcou o terceiro logo aos 2 minutos do segundo tempo: Ricardo Oliveira, após ótimo lançamento de Geuvânio. O artilheiro do Brasileiro, com 11 gols, não marcava desde o duelo contra o Coritiba. Passou em branco contra Vasco, Atlético-PR e Corinthians (pela Copa do Brasil). Além disso, contra cariocas e paranaenses ele perdeu pênaltis. Como foi criticado por torcedores durante o jejum, ele não comemorou com a torcida. Preferiu cumprimentar amigos e familiares que estavam num camarote.

O jogo estava fácil para o Peixe, que chegou ao quarto gol com Nilson, que havia acabado de entrar no lugar de Ricardo Oliveira. Aos 35, ele se aproveitou de vacilo da defesa do Avaí, após cruzamento de Leandro, e marcou.

O Leão não estava morto, porém. Embora comandasse a partida, o Santos deixava espaços. Aos 37, Gamalho marcou mais um, após receber de Camacho.

Esse gol não assustou os santistas, que chegaram ao quinto gol com a colaboração da arbitragem. Já aos 45, Lucas Lima invadiu a área, tropeçou no gramado e caiu. O árbitro Leandro Vuaden acabou marcando a penalidade. O próprio Lucas bateu e ampliou, fechando o placar.

GLOBO ESPORTE.COM

Corinthians poupa árbitros para o Brasileirão e perde do Santos: “Estão trabalhando muito”

TIte incentiva time, mesmo sabendo que vai perder sem ajuda do juiz (FOTO: Penaldo)

TIte incentiva time, mesmo sabendo que vai perder sem ajuda do juiz
(FOTO: Penaldo)

O líder do Brasileirão foi surpreendido na Vila Belmiro e perdeu a partida contra o Santos, por 2 a 0, na Copa do Brasil, com gols de Gabriel e Marquinhos Gabriel. Questionado como um time que lidera a maior competição nacional conseguiu demonstrar um futebol tão ruim, Tite explicou:

“Nossa focabilidade está no Brasileirão. Você viu algum gol anulado do adversário? Algum pênalti para o Corinthians? Não. Porque a poupabilidade ocorreu e nossos árbitros não jogaram. Depois de atuar fortemente pelo clube nas últimas três rodadas, eles também precisam de descanso”, disse o técnico gaúcho.

O planejamento faz parte do objetivo do clube em manter a liderança e conquistar mais um título para o Corinthians: “Se preparem que depois do descanso, com certeza nosso maior craque voltará e nos ajudará na vitória”, finalizou Tite.

Resta saber se esta ajuda será com um pênalti ou um gol anulado do adversário.

 

Santos 2 x 0 Corinthians – Copa do Brasil 2015

Genial, Lucas Lima comanda o Santos em vitória sobre o Corinthians na Vila

Meia dá os passes para os gols de Gabriel e Marquinhos Gabriel na vitória por 2 a 0. Peixe abre boa vantagem em busca de vaga nas quartas de final da Copa do Brasil

lucas lima santos (Foto: Rodrigo Gazzanel/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Lucas Lima, o craque da partida (Foto: Rodrigo Gazzanel/Futura Press/Estadão Conteúdo)

Gabriel e Marquinhos Gabriel foram os autores dos gols da vitória do Santos por 2 a 0 sobre o Corinthians, nesta quarta-feira, na Vila Belmiro, pelas oitavas de final da Copa do Brasil. Mas o protagonista da partida tem outro nome: Lucas Lima. O meia do Peixe comandou o importante triunfo. Afinal, saíram dos pés dele as duas assistências que derrubaram o rival. Apático em relação às últimas partidas da temporada, o Timão foi dominado pelo adversário.

A partida de volta entre Santos e Corinthians será na próxima quarta-feira, às 22h, em Itaquera. O Peixe joga pode perder até por um gol de diferença que se classifica às quartas de final (ou por dois, caso balance as redes do adversário). O Timão, portanto, tem que vencer por três gols de diferença para avançar de fase na competição.

Pelo Campeonato Brasileiro, o Santos volta a campo no sábado, às 18h30, contra o Avaí, na Vila Belmiro. O Corinthians joga no domingo, às 16h, contra o Cruzeiro, na arena de Itaquera.

Santos x Corinthians - Gabriel gol (Foto: LUCAS BAPTISTA - Agência Estado)
Gabriel comemora o primeiro gol do Santos no clássico contra o Corinthians
(Foto: LUCAS BAPTISTA – Agência Estado)

O jogo

O Santos dominou o Corinthians na etapa inicial. Do começo ao fim. Logo no primeiro minuto de jogo, Zeca teve chance importante na grande área. Mas Cássio defendeu. A superioridade do Peixe, no entanto, não era transformada em chances de gol. Tanto que a segunda boa chance dos donos da casa surgiu apenas aos 30, em bicicleta de Gabriel, por cima do gol.

Santos x Corinthians - Luciano (Foto: RODRIGO GAZZANEL - Agência Estado)
Luciano, do Corinthians, deixou o campo mais cedo
(Foto: RODRIGO GAZZANEL – Agência Estado)

Um minuto depois, porém, o melhor futebol do Santos virou gol. Geuvânio tocou para trás, Lucas Lima dominou e cruzou de maneira precisa para a cabeçada de Gabriel: 1 a 0 Peixe.

Em desvantagem, o Corinthians, tímido demais no primeiro tempo, teve de ir para o ataque. Mas o resultado não foi bom. Em jogada na grande área, Luciano, principal esperança de gols do Timão, sentiu um estalo no joelho direito. Depois de atendido pelos médicos, ele ainda voltou ao campo. Tentou jogar, mas não deu. Foi substituído por Vagner Love.

No retorno para o segundo tempo, logo aos três minutos, Lucas Lima deixou Ricardo Oliveira na cara do gol. Mas a conclusão do atacante foi defendida por Cássio, com os pés. O Corinthians, com marcação mais adiantada, ressurgiu no jogo e conseguiu equilibrar as ações. Só que não conseguia ser efetivo no ataque. O Peixe, quando chegava, era mais perigoso.

Mais perigoso e falta. Aos 33 minutos, o Santos ampliou. Marquinhos Gabriel tabelou com Lucas Lima e recebeu ótimo passe na grande área. O jogador teve tempo de escolher o canto e tirar de Cássio para fazer o segundo do Peixe. Ao Corinthians restou ir ao ataque de qualquer forma para tentar uma reação. Mas os donos da casa se seguraram e asseguraram o placar de 2 a 0.

Santos x Corinthians (Foto: Rodrigo Gazzanel/Futura Press/Estadão Conteúdo)
Jadson disputa a bola com Thiago Maia na Vila Belmiro
(Foto: Rodrigo Gazzanel/Futura Press/Estadão Conteúdo)
GLOBO ESPORTE.COM

Santos 2 x 0 Joinville

Gabriel faz dois gols e sai machucado, mas tira o Santos da zona da degola

Atacante marca mais duas vezes na Vila Belmiro, depois de dois tentos contra o Sport na última quarta, e faz o Peixe respirar no Brasileirão. Joinville continua em último

Santos x Joinville Gabriel (Foto: Fred Casagrande/Frame/Estadão Conteúdo)
Gabriel comemora o primeiro de seus dois gols marcados na Vila
(Foto: Fred Casagrande/Frame/Estadão Conteúdo)

O Santos começou bem a disputa de seu “campeonato à parte”, como definiu o técnico Dorival Júnior na semana passada. Na manhã deste domingo, na Vila Belmiro, o Peixe fez 2 a 0 no Joinville, o primeiro dos quatro adversários diretos que enfrenta na luta contra o rebaixamento no Brasileirão – na sequência, pega Flamengo, Coritiba e Vasco.

Com essa vitória, diante de 12.974 pagantes (renda de R$ 335.725,00), uma parte do objetivo já foi alcançada: o time paulista saiu do Z-4 e, com 16 pontos, não volta para lá até o fim da 15ª rodada. Já o adversário catarinense continua na lanterna, com apenas nove pontos.

Os dois gols foram anotados por Gabriel, que já tinha feito outros dois na última quarta-feira, quando o Santos, também em casa, eliminou o Sport da Copa do Brasil. Depois, o artilheiro sentiu a coxa direita e teve que ser substituído.

No próximo domingo, pela 16ª rodada, o Santos enfrenta o Flamengo no Maracanã, às 16h. Nos mesmos dia e horário, o Joinville faz clássico estadual em sua arena contra o Avaí.

O jogo

Mesmo com o desfalque de última hora de Lucas Lima, que acordou com febre e dor de garganta, o primeiro tempo foi tranquilo para o Santos desde o início. Logo aos 3 minutos, Gabriel abriu o placar ao completar de carrinho um cruzamento de Zeca. Aos 18, o camisa 10 marcou o segundo gol após lançamento de Marquinhos Gabriel. Se não fossem três defesas de Agenor, goleiro do Joinville, a diferença no placar poderia ter sido maior.

Tanto que, com 34 minutos da etapa inicial, Adilson Batista mudou o JEC para tentar tirá-lo da pressão em seu campo: saiu volante Naldo, entrou o meia Marcelo Costa. Sua tática foi ajudada pela contusão de Gabriel, que sentiu a coxa direita nesse mesmo momento, tentou continuar no jogo, mas foi substituído por Marquinhos aos 41.

Sem seu artilheiro da partida e com a vantagem tranquila no placar, o Peixe diminuiu o ritmo no segundo tempo. Mesmo assim, foi pouco ameaçado pela adversário.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Atlético Mineiro 2 x 2 Santos

Galo consegue virada, mas cede empate ao Santos no Independência

Atlético-MG não se recupera de derrota para o rival, no clássico de sábado;
resultado pode dar sobrevida ao técnico Marcelo Fernandes no comando do Peixe

O Horto já não assusta tanto mais. Pelo menos nas duas últimas rodadas. O Atlético-MG apenas empatou com o Santos, em 2 a 2, no Independência, e não se recuperou da derrota para o rival Cruzeiro, no último final de semana. Assim, o time de Levir Culpi, considerado um dos favoritos ao título no início da competição, perdeu o quinto ponto em seis disputados em casa nas últimas duas rodadas. Já no Peixe, o empate fora de casa dá sobrevida ao técnico Marcelo Fernandes, que está ameaçado no cargo. Werley (contra) e Dátolo marcaram para o Galo, que ocupa a quinta posição, com 11 pontos. Ricardo Oliveira e Gabriel fizeram os gols do Santos, está em 15º lugar, com sete pontos. O público foi de 10.536 torcedores, para uma renda de R$ 346.240,00.

Independência Atlético-MG Santos Thiago Ribeiro (Foto: Bruno Cantini/CAM)
Atlético-MG e Santos fizeram um jogo bastante disputado, que terminou com empate em 2 a 2
(Foto: Bruno Cantini/CAM)

Os dois times terão um bom tempo para descansar no Brasileiro. As duas equipes só voltam a campo no próximo dia 20 de junho, sábado. O Santos recebe o Corinthians, na Vila Belmiro, enquanto o Galo vai ao Rio de Janeiro, onde encara o Flamengo, no Maracanã. As duas partidas acontecem às 16h30 (de Brasília).

O Atlético-MG parecia de ressaca por conta da primeira derrota no novo Independência para o rival Cruzeiro, no último sábado, depois de onze clássicos de invencibilidade. Tanto que o Santos se aproveitou de uma bobeada geral de todo o sistema defensivo e abriu o placar com Ricardo Oliveira, que ficou mano a mano com Leonardo Silva, ganhou na corrida e chutou cruzado para vencer Victor.

O time de Levir Culpi também sentia a falta de Luan, uma espécie de motor da equipe atleticana, que está lesionado. Mesmo assim, depois de insistir pela direita em cruzamentos errados (foi dali que surgiu o gol do Peixe), Thiago Ribeiro tentou mais uma vez e Werley, ex-Atlético-MG, mandou para as próprias redes.

Independência Atlético-MG Santos (Foto: Bruno Cantini/CAM)
Galo e Peixe fizeram jogo que abriu a 7ª rodada do Brasileirão, nesta quarta, no Independência (Foto: Bruno Cantini/CAM)

A partir daí, só deu Galo. Se o time tem o lado direito como o principal setor vulnerável na defesa – dos nove gols sofridos, cinco foram pela direita da defesa – o segundo gol também veio pelo lado direito do ataque. Patric foi à linha de fundo, rolou para Dátolo, livre, que só teve o trabalho de escolher em qual parte do gol de Vladimir acertar.

Empate

Mas o segundo tempo começou e logo o Peixe empatou. Victor Ferraz ficou livre pela esquerda e cruzou para Gabriel, que também estava livre na área, empatar em chute rasteiro.

Depois do gol de empate do Peixe, o Atlético-MG até que tentou, na pressão, ir em busca da vitória, com Guilherme e Jô, mas o Santos se manteve bem postado em campo e levou um ponto do Horto.

GLOBO ESPORTE.COM

Renato Maurício Prado comenta que Cristóvão Borges já está sendo ameaçado de perder o emprego no Flamengo

Decisão maluca

É verdade que Marcelo Cirino não tem sido nem sombra do atacante insinuante e goleador que pintou assim que chegou ao Flamengo. Mas colocá-lo no banco de um ataque formado por Gabriel, Eduardo da Silva e Éverton me parece um exagero e até uma certa falta de inteligência. Já que a diretoria resolveu liberar Alecsandro bem antes da chegada de Paolo Guerrero (outra medida incompreensível), que Cirino assuma, então, o comando do ataque, onde, bem ou mal, vinha sendo o destaque do time rubro-negro, sob o comando de Vanderlei. É o mínimo que se espera.

E que Cristóvão abra bem os olhos. Pois com Oswaldo de Oliveira na área, qualquer tropeço pode se transformado em pênalti. Contra ele. Porque Oswaldo sempre foi um dos sonhos de consumo dos atuais dirigentes.

 

Renato Maurício Prado – O GLOBO – 12/06/2015

 

Figueirense 2 x 1 Palmeiras

Figueirense vence nos erros do Palmeiras e deixa a zona da degola

Verdão falha duas vezes na defesa, e Figueira aproveita, ampliando sua fase invicta no Orlando Scarpelli para 17 jogos. Time paulista fica a dois pontos do Z-4

Invicto no Orlando Scarpelli em 2015, o Figueirense soube se aproveitar dos erros do Palmeiras para vencer por 2 a 1, na noite deste domingo, saindo do Z-4. Carlos Alberto abriu o placar, Gabriel empatou para o Verdão, mas Thiago Santana recolocou o Figueira na frente.

Os gols do Figueirense foram em vacilos do Palmeiras, que se lançou todo ao ataque, tentando recuperar fora de casa os pontos que andou perdendo em seus domínios. No primeiro, Carlos Alberto pegou rebote de Fernando Prass, numa saída em falso do goleiro. No segundo, Clayton pegou a avenida Egídio e serviu Thiago Santana.

Com o resultado, o Figueirense pulou para 14º, com sete pontos, um a mais do que o Palmeiras, que está ao lado do Santos, pouco à frente do Z-4. O Figueira agora soma 13 vitórias e quatro empates como mandante na atual temporada. Já o técnico palmeirense Oswaldo de Oliveira saiu vaiado pelos torcedores alviverdes no Orlando Scarpelli.

Na próxima rodada, os dois times jogam no domingo, às 16h: o Palmeiras recebe o Fluminense em São Paulo, e o Figueirense faz o clássico de Florianópolis contra o Avaí, na Ressacada.

Figueirense x Palmeiras (Foto: THIAGO PEDRO - Agência Estado)
Figueirense e Palmeiras duelaram no Orlando Scarpelli (Foto: Thiago Pedro – Agência Estado)

O jogo

Foram dois gols em 11 minutos: o Figueirense abriu o placar com Carlos Alberto aos 7, aproveitando falha de Fernando Prass, e Gabriel empatou aos 11, num chutaço de fora da área. Finalizar mais a gol, aliás, parecia a ordem de Oswaldo de Oliveira para os palmeirenses, já que o time vinha sendo criticado por arriscar pouco. O próprio Gabriel chegou a ter uma segunda boa chance para marcar. O Palmeiras se mostrou mais bem arrumado do que o Figueirense, que perdeu dois jogadores lesionados no primeiro tempo: Carlos Alberto e Fabinho.

Na etapa final, o Verdão se lançou todo ao ataque e acabou dando espaço para os contragolpes. Num desses lances, Ricardinho e Clayton pegaram a avenida Egídio, e a bola chegou limpa para Thiago Santana, aos 16, recolocar o Figueirense na frente.

Oswaldo de Oliveira trocou Dudu por Cristaldo e depois Arouca por Cleiton Xavier. O Palmeiras pressionou, mas sem qualidade. Em nenhum momento o time conseguiu criar uma chance clara para empatar o jogo no final. Vitória merecida do Figueirense.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Flamengo 1 x 0 Chapecoense

O JOGO

PARA O GASTO

Não foi uma atuação de encher os olhos. Longe disso. Nem para dar esperança ao torcedor de sonhar com algo melhor. Porém, o Flamengo fez o suficiente para ganhar a primeira no Brasileirão. Teve uma dose de sorte, verdade. Dois minutos depois de Vilson ser expulso, Gabriel marcou o gol do 1 a 0 sobre a Chapecoense, na noite deste sábado, no Maracanã, que tirou o Rubro-Negro, ao menos temporariamente, da zona do rebaixamento. Foi ainda a primeira vitória de Cristóvão Borges. Ao Verdão do Oeste, que sonhava em chegar ao grupo da Libertadores em caso de vitória, ficou a lição de que precisa melhorar como visitante: são três derrotas em três jogos.

PANORAMA

Com quatro pontos, o Fla deixou temporariamente o Z-4. É o 16º colocado. Tem de torcer por derrotas do Figueirense contra o Palmeiras e do Coritiba contra o Inter para não voltar ao setor dos últimos. Aí, sim, enfim, terá uma semana tranquila. A Chapecoense, com nove pontos, permanece em sétimo. As duas equipes voltam a campo no sábado. Em Curitiba, no Couto Pereira, a partir das 16h30 (de Brasília), o Flamengo desafia o Coritiba. Mesmo horário que, na Arena Condá, em Chapecó, a Chapecoense recebe o São Paulo.

PÚBLICO E RENDA

A média de 27 mil pagantes ficou longe de ser repetida no Maracanã. Neste sábado, os presentes somaram 20.156 (16.960 pagantes). A renda foi de R$ 619.907,50.

90 MINUTOS

Flamengo em busca do ataque, Chapecoense apenas se defendendo. O contraste sintetizou o primeiro tempo. Com mais competência, o time catarinense levou a melhor. Se finalizou apenas duas vezes, sem perigo a Paulo Victor, não vazou atrás. Verdade que levou sustos: Wallace cabeceou para fora após má saída de Danilo e Eduardo da Silva chutou cruzado, rente à trave. As chances não apagaram a lentidão e o jeito burocrático de atacar rubro-negro. Após o intervalo, ao apostar em jogadas laterais, o Fla melhorou. Quase abriu o placar com Gabriel. Reclamou de pênalti de Apodi. Marcelo Cirino, livre, foi derrubado por Vilson, corretamente expulso. No lance seguinte, Gabriel marcou. Pegou rebote do goleiro Danilo, que cansou de sair errado, e bateu de primeira: 1 a 0. Eduardo da Silva e Jonas perderam chances. No fim, Paulo Victor garantiu a vitória ao fazer grande defesa em chute de Apodi.