#Retrospectiva2019 Brasil campeão da Copa América de 2019

Resumão

Como é bom estar em casa. E estar de volta. Em seu retorno ao local onde mais se sente à vontade e onde mais jogou, a seleção brasileira voltou a reinar na América. O Brasil venceu o Peru por 3 a 1 na tarde deste domingo, no Maracanã, e conquistou pela nona vez a Copa América. Mas sofreu. Jogou com um a menos em boa parte da segunda etapa, ao ter Gabriel Jesus expulso. O camisa 9 havia dado assistência e feito um dos gols. Everton e Richarlison fizeram os outros gols brasileiros e Guerrero, de pênalti, fez o gol peruano, o único sofrido pela Seleção na campanha.

NOVE VEZES BRASIL

Após 12 anos, a seleção brasileira conquista a Copa América. A equipe brasileira foi campeã pela nona vez e sempre venceu quando sediou o torneio (1919, 1922, 1949, 1989 e 2019). São seis conquistas nas últimas 13 edições. O Brasil é o terceiro maior vencedor do torneio, que tem o Uruguai no topo, com 15 títulos, e a Argentina em segundo, com 14. A próxima edição é já no ano que vem, na Argentina e na Colômbia.

DO CÉU AO INFERNO

Decisivo na semifinal contra a Argentina, Gabriel Jesus novamente foi destaque. Fez um grande primeiro tempo. O camisa 9 protagonizou uma excelente jogada ao dar assistência para o gol de Everton, que abriu o placar. Depois, desempatou o jogo para a Seleção, no final da primeira etapa. No entanto, aos 24 minutos do segundo tempo, em uma disputa no alto com Zambrano, levou o segundo amarelo e foi expulso. Revoltado, ele fez sinal de roubo, socou o banco de reservas e foi aos prantos nos corredores do Maracanã. Mas sai como um dos principais jogadores da campanha vitoriosa da seleção brasileira.

OS 90 MINUTOS

Esqueça aquela seleção peruana goleada na primeira fase. O time de Gareca acertou a marcação e tomou a iniciativa no Maracanã. Mas esbarrou na eficiência brasileira. Em sua primeira finalização, a Seleção abriu o placar com Everton, eleito melhor em campo, em chute de primeira após jogadaça de Gabriel Jesus. O Peru chegou ao empate em pênalti marcado e revisado no vídeo pela arbitragem. Guerrero converteu. Mas a alegria peruana durou pouco. No último lance da primeira etapa, Gabriel Jesus acertou belo chute da entrada da área e fez o segundo: 2 a 1.

Brasileiros comemoram o gol de Gabriel Jesus, no final do primeiro tempo

Brasileiros comemoram o gol de Gabriel Jesus, no final do primeiro tempo (Foto: Luisa Gonzalez/Reuters)

O drama na segunda etapa foi ainda maior. Destaque no primeiro tempo, Gabriel Jesus foi expulso ao levar o segundo amarelo e deixou o Brasil com um a menos na reta final da decisão. Gareca não se intimidou. Lançou Ruidíaz, Andy Polo e Gonzáles para tentar o empate. Mas a Seleção se segurou. E desperdiçou chances no contra-ataque. No fim, Richarlison foi o responsável pelo ato final. Em sua redenção após sofrer com a caxumba e desfalcar o Brasil nas quartas de final, ele fez, de pênalti, o terceiro gol do Brasil: 3 a 1.

VAR EM AÇÃO

Após uma série de polêmicas ao longo da competição, a Copa América não poderia terminar sem o VAR. Ele esteve em ação duas vezes, para confirmar os dois pênaltis marcados. O primeiro, a favor do Peru, ao confirmar toque de mão em Thiago Silva na primeira etapa. O segundo, no final da partida, a favor da seleção brasileira, ao confirmar falta em Everton dentro da área.

Pênalti do Peru! Bola bate no braço de Thiago Silva e juiz aponta marca do cal, aos 40 do 1º tempo

Pênalti do Peru! Bola bate no braço de Thiago Silva e juiz aponta marca do cal, aos 40 do 1º tempo

O MAIOR CAMPEÃO DA HISTÓRIA

Daniel Alves ergueu seu 40º título da carreira, o primeiro como capitão da seleção brasileira. Ele é o jogador com mais conquistas na história do futebol. Foi a quarta vez que o lateral foi campeão pelo Brasil.

O MELHOR? O ARTILHEIRO? SÓ DEU BRASIL

Além de conquistar seu 40º título na carreira e ampliar a vantagem como maior vencedor da história do futebol, Daniel Alves foi eleito o melhor jogador da Copa América. O Brasil também ficou com o melhor goleiro, Alisson, e o artilheiro, Everton, que terminou a competição com três gols, ao lado de Guerrero. O jogador do Grêmio, no entanto, teve mais assistências e ficou com o troféu.

Daniel Alves recebe prêmio de melhor jogador da Copa América 2019

Daniel Alves recebe prêmio de melhor jogador da Copa América 2019

CAPITÃO AMÉRICA

Tite conquista o seu primeiro título pela seleção brasileira e alcança um feito inédito: é o primeiro treinador a ser campeão de todos os torneios continentais na América do Sul. Ele tem as taças da Copa Sul-Americana (2008), pelo Internacional, Libertadores (2012) e Recopa (2013), pelo Corinthians, e, agora, a Copa América (2019) pela Seleção.

Tite é jogado para o alto pelos jogadores brasileiros

Tite é jogado para o alto pelos jogadores brasileiros

RENDA RECORDE

O futebol brasileiro tem um novo recorde de renda registrado. O público na final foi abaixo do estimado, com 58.584 pagantes, mas o valor arrecadado chegou a R$ 38.769.850,00, o maior já registrado e divulgado em uma partida de futebol no Brasil.

GLOBO ESPORTE.COM31

Brasil derrota Equador por 3 a 0 em Quito

HAVIA 33 ANOS QUE O BRASIL NÃO VENCIA O EQUADOR EM CASA
Publicado: 01 de setembro de 2016 às 20:28 – Atualizado às 23:39
Com gols de Gabriel Jesus e Neymar, o Brasil supreendeu as expectativas na noite desta quinta-feira (1) e bateu a seleção do Equador, em Quito, por 3 a 0. Foi a estreia do treinador Tite no comando da Seleção Brasileira, após a demissão de Dunga antes das Olimpíadas do Rio de Janeiro. Havia 33 anos que o Brasil não vencia o Equador em casa.O selecionado brasileiro fez um primeiro tempo morno, sem muita animação. Mas no segundo tempo, apesar da altura de 2.850 metros da capital equatoriana, os brasileiros fizeram um bom jogo, com placar tranquilo. Neymar fez de pênalti aos 26 minutos, após falta do goleiro do Equador no palmeirense Gabriel Jesus, que também ampliou o placar com dois golaços no final do segundo tempo.

Site Diário do Poder

Avaí 1 x 3 Palmeiras

Palmeiras vence o Avaí, volta ao G-4 e agora secará rivais; Leão teme Z-4

Verdão precisará torcer contra Santos e São Paulo para permanecer entre os quatro melhores; já a equipe catarinense pode terminar rodada abaixo da linha vermelha

O Palmeiras se recuperou das duas derrotas consecutivas (para Chapecoense, por 5 a 1, e Ponte Preta, 1 a 0) com um triunfo sobre o Avaí, por 3 a 1, neste sábado, na Ressacada, em Florianópolis, pela 31ª rodada do Brasileirão. O Verdão vai a 48 pontos e entra no G-4. Para permanecer na zona de classificação à Taça Libertadores, precisará torcer por tropeços de Santos e São Paulo, neste domingo. Já o Avaí, com 33, está em 16º, mas pode entrar na zona de rebaixamento se Goiás ou Coritiba vencer. Gabriel Jesus, Cristaldo e Dudu marcaram para o time paulista; André Lima descontou para os catarinenses.

O Verdão contou com a boa atuação de seus três jogadores argentinos: Mouche, Allione e Cristaldo comandaram a equipe boas jogadas e entrosamento.

Avaí x Palmeiras (Foto: Ag. Estado)
Palmeirenses festejam o gol na Ressacada (Foto: Ag. Estado)

O jogo

Mesmo atuando com um time misto (Lucas, Vitor Hugo, Dudu iniciaram a partida no banco; Zé Roberto e Barrios não viajaram), o Palmeiras começou demonstrando melhor qualidade com a bola no pé. Controlado o ímpeto inicial do Avaí, que ameaçou no início em investidas às costas do lateral-esquerdo palmeirense Egídio, o Verdão chegou ao gol aos 16 minutos.

Mouche, que disputava apenas o seu quarto jogo no ano, assumiu o controle do meio-campo. Após ganhar dividida de Emerson, o argentino lançou o conterrâneo Cristaldo, que entrou pela direita e rolou para Gabriel Jesus marcar.

O primeiro tempo ficou nisso. A partir do gol, o jogo apresentou acentuada queda, com os times mais interessados em chutões e faltas.

No segundo tempo, o técnico Marcelo Oliveira reforçou a marcação no meio-campo palmeirense, colocando Amaral no lugar de Andrei Girotto. Com a mudança, a princípio, o Avaí passou a ter mais dificuldades para chegar – a cobertura de Egídio melhorou.

Assim, o Verdão tinha mais tranquilidade para chegar à frente e, aos 14, chegou ao segundo gol, com Cristaldo aproveitando cobrança de escanteio de Allione e falha da zaga catarinense.

Para tentar mudar o panorama da partida, Gilson Kleina arriscou: tirou o volante Adriano, que já tinha amarelo, e reforçou o ataque do Leão com Roberto. O time catarinense cresceu, ganhou terreno no campo de ataque e diminuiu aos 23, com André Lima completando cruzamento da direita.

O jogo se tornou mais agradável, com as duas equipes buscando o ataque sem se preocupar tanto com a marcação. Dudu, que começou o jogo no banco, poupado, entrou aos 21 minutos. Em seu primeiro lance de perigo, aos 32, o gol: Thiago Santos acertou o lançamento, a zaga do Avaí falhou, e a bola sobrou para o atacante, que ainda driblou o goleiro antes de marcar e fechar o placar.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Fluminense 1 x 4 Palmeiras

Barrios faz três, Palmeiras goleia no Maraca e amplia crise do Fluminense

Vestindo camisa 8, seu número favorito, pela primeira vez no Verdão, paraguaio entra no segundo tempo e resolve a partida. Tricolor chega ao sétimo jogo sem vitória

Lucas Barrios sempre gostou do número 8. Foi com essa camisa que o centroavante se notabilizou pela seleção paraguaia. No Palmeiras, ele vinha usando a 10, mas anunciou a troca na noite da última terça. Sorte alviverde? Na estreia do estrangeiro vestindo seu talismã, ele marcou três vezes, e o Verdão goleou o Fluminense por 4 a 1, de virada, nesta quarta-feira, no estádio do Maracanã, reacendendo a briga pelo G-4 e afundando o adversário na crise – nos vestiários, Enderson Moreira acabou demitido.

Apesar do placar, o domínio dos cariocas no primeiro tempo foi completo. Diante de um visitante apático, que só finalizou uma vez em 45 minutos, o Flu não precisou de muitas chances para abrir o placar com Jean. A defesa do Verdão voltou a falhar: Jackson deixou a bola de graça para o meio-campista do Tricolor, livre, marcar o primeiro gol da partida.

Porém, as mudanças de Marcelo Oliveira na etapa complementar surtiram efeito. Após Fred cobrar pênalti para fora, Lucas Barrios, que havia substituído Alecsandro, aproveitou vacilo e igualou o marcador. Mais ofensivo, o Palmeiras cresceu muito no jogo. O Fluminense passou a ter menos posse de bola e não aproveitou as chances restantes. Gabriel Jesus, apagado na maior parte do jogo, virou. E o paraguaio coroou uma noite iluminada.

Entre faixas de “Vergonha”, “Luto” e “Queremos raça”, o time carioca chegou à sétima partida sem vitória: são seis derrotas e um empate no Brasileirão. O Verdão, após cinco tropeços consecutivos como visitante, voltou a vencer fora de casa.

O Fluminense volta a campo no próximo sábado, às 21h (horário de Brasília), contra a Ponte Preta, no Moisés Lucarelli. No mesmo dia, às 18h30, o Palmeiras recebe o Grêmio no estádio do Pacaembu.

Barrios gol Fluminense x Palmeiras (Foto: DHAVID NORMANDO - Agência Estado)
Barrios resolveu contra o Fluminense nesta quarta-feira (Foto: Dhavid Normando – Agência Estado)

O jogo

O Fluminense precisou de apenas dois minutos para explorar a principal falha defensiva do Palmeiras: a bola parada. Cruzamento de Jean, desvio de Antonio Carlos e grande defesa de Fernando Prass. Mesmo com impedimento no lance, uma previsão do que seria restante do primeiro tempo no Maracanã. Mesmo com limitações, o Tricolor dominou as chances na metade inicial partida.

Sem domínio da posse de bola, o Verdão apenas marcava e se limitava a assistir os donos da casa tocarem a bola. O time paulista não finalizou nenhuma vez e passou a jogar recuado.

O Tricolor aproveitou: Fred perdeu gol feito, dentro da pequena área, mas o que parecia apenas questão de tempo se concretizou aos 36 minutos. Em cobrança de lateral, Jean aproveitou falha do zagueiro Jackson, que tentou afastar de cabeça, mas deu uma assistência, e abriu o placar.

Ciente do trabalho quase nulo do setor ofensivo na etapa inicial, Marcelo Oliveira lançou o Palmeiras para o ataque no segundo tempo. Entraram Rafael Marques, Allione e Lucas Barrios. E o paraguaio, em parceria com Gabriel Jesus, resolveu o jogo para o Palmeiras.

Fred teve, aos 16 minutos, a chance de “matar” a partida para o Fluminense, em pênalti cometido por Fernando Prass. Jogou para fora. Mal sabia ele que o vacilo se transformaria em goleada adversária. Inspirado, Lucas Barrios, agora com a camisa 8, marcou o primeiro, viu Jesus virar a partida e ainda foi às redes mais duas vezes. Uma noite iluminada longe de casa e o retorno à briga pelo G-4.

Fred - Fluminense x Palmeiras (Foto: André Durão)
Fred desperdiçou cobrança de pênalti no início do segundo tempo, quando o Flu vencia por 1 a 0 (Foto: André Durão)

Palmeiras 3 x 2 Joinville

“Glória, aleluia”: Gabriel Jesus lidera vitória do Palmeiras e ganha música

Depois de abrir 2 a 0, Verdão leva o empate em menos de dois minutos e conta com a estrela do garoto para vencer o vice-lanterna Joinville e voltar ao G-4 do Brasileirão

Gabriel Jesus tem sobrenome de peso, o número 33 na camisa e agora um canto exclusivo da torcida do Palmeiras. Carismático e eficiente, o atacante fez valer tudo isso ao comandar a vitória por 3 a 2 sobre o Joinville neste domingo, na arena, pela 21ª rodada do Brasileirão. O garoto fez o primeiro gol do Verdão, Dudu, o segundo, mas Marcelinho Paraíba, do time catarinense, fez dois e empatou. Jesus, então, precisou reaparecer para assegurar o triunfo alviverde e trocar a “rádio” da torcida de sintonia. Saíram as vaias e entrou: “Glória, glória, aleluia, é Gabriel Jesus”.

– Ouvi (a música), mas não entendi muito. Fiquei muito feliz de ter o nome gritado. Estou feliz de verdade mesmo – declarou Gabriel Jesus, depois da partida.

Agora com 34 pontos, o Palmeiras está em quarto lugar na tabela de classificação. Já o Joinville segue em situação delicada, na vice-lanterna, com apenas 19 pontos em 21 rodadas.

Na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, o Joinville tem mais um desafio contra paulista. Só que dessa vez como mandante. O time recebe o São Paulo, quarta-feira, às 19h30.  No mesmo dia, só que às 22h, o Palmeiras faz uma visita ao Goiás, no estádio Serra Dourada.

Gabriel Jesus Palmeiras x Joinville (Foto: Marcos Ribolli)
Gabriel Jesus comemora um dos seus dois gols na vitória sobre o Joinville (Foto: Marcos Ribolli)

O jogo

Casa cheia, jogo em casa e gol no primeiro minuto. Gabriel Jesus, depois de lançamento feito por Victor Ramos, tocou na saída do goleiro Agenor e abriu o placar para o Verdão aos 50 segundos. A vantagem logo de cara animou o Palmeiras. E o segundo gol de Gabriel Jesus só não saiu, aos 7 minutos, por detalhe. Após lindo passe de letra de Dudu, ele demorou a bater e foi travado.

O controle da partida era do Palmeiras. O Joinville não tinha espaço para fazer nada. E o cenário ficou ainda pior para os catarinenses aos 23 minutos. Zé Roberto, após escanteio, acertou forte chute de fora da área. Agenor defendeu, mas, no rebote, Dudu completou para o gol:  2 a 0. Na arquibancada, empolgação e muitos aplausos.

Só que o futebol é dinâmico. E qualquer vacilo pode ser fatal. Quando são dois, então… Aos 26, Victor Ramos bobeou no meio de campo e viu William Popp servir Marcelinho Paraíba. Gol do Joinville. Um minuto depois, João Pedro tentou afastar a bola da área e chutou em cima de Zé Roberto. Marcelinho Paraíba, atento, ficou com a bola e empatou o jogo.

No apito final do primeiro tempo, a torcida do Palmeiras trocou os aplausos pelas vaias. E na saída de campo, os jogadores do Verdão lamentaram o apagão. Os do Joinville, comemoraram.

Marcelinho Paraíba Joinville (Foto: Marcos Ribolli)
Marcelinho Paraíba, autor dos dois gols do Joinville na partida em São Paulo (Foto: Marcos Ribolli)

No segundo tempo, o panorama do jogo voltou a ser o Palmeiras no ataque e o Joinville atrás. O terceiro gol do Verdão, aliás, parecia questão de tempo. O time de Marcelo Oliveira teve uma boa oportunidade aos 14 minutos. Dudu bateu falta para área, Alecsandro desviou de cabeça e viu o goleiro Agenor espalmar. No rebote, Gabriel Jesus mandou por cima.

Gabriel, no entanto, voltaria a ser protagonista na partida. Aos 22 minutos, depois de boa troca de passes do Palmeiras, Dudu cruzou na medida para o garoto Jesus completar: 3 a 2. Minutos depois, porém, ele, com dores musculares, teve de ser substituído por Thiago Santos. Grata, a torcida do Verdão gritava: “Glória, glória, aleluia, é Gabriel Jesus”.

E com essa vitória, o Palmeiras voltou ao G-4 do Brasileirão. O Joinville, por sua vez, continua em situação delicada na zona de rebaixamento.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Cruzeiro 2 x 3 Palmeiras – Copa do Brasil 2015

Palmeiras vence, avança na Copa do Brasil e agrava crise no Cruzeiro

No dia do aniversário de 101 anos, equipe paulista derrota Raposa por 3 a 2 e passa às quartas de final; time celeste foca na luta contra o rebaixamento no Brasileiro

Com direito a vitória fora de casa, golaço e classificação para as quartas de final da Copa do Brasil, o Palmeiras comemorou seus 101 anos de vida. Venceu o Cruzeiro, por 3 a 2, dentro do Mineirão, num jogo que foi decidido ainda no primeiro tempo . Amplamente superior em campo, o aniversariante do dia deu um presentão para a “torcida que canta e vibra”. O time paulista tirou o pé do acelerador no segundo tempo e poupou o mineiro de vexame maior. O apertado placar não reflete o que foi o jogo. Os gols foram marcados por Gabriel Jesus (2) e Lucas Barrios, para o Palmeiras, e Vinícius Araújo e Alisson , para o Cruzeiro.

A merecida derrota faz o técnico Vanderlei Luxemburgo balançar no cargo. A paciência da torcida do Cruzeiro acabou com Luxa e também com alguns jogadores como Paulo André, Charles e Leandro Damião. Os quatro foram muito vaiados. Os dois times voltam a campo domingo, pelo Campeonato Brasileiro. Às 16h (de Brasília), o Palmeiras recebe o Joinville, na Arena Palmeiras, em São Paulo. O Cruzeiro tem pela frente o Santos, às 18h30. A partida será no Mineirão, em Belo Horizonte.

Jogo de um time só

A proposta de jogo do Cruzeiro, de ter paciência no campo de defesa e esperar a hora certa para dar o bote, foi por água abaixo logo no começo da partida. Afinal, o gol marcado por Lucas Barrios, logo aos oito minutos, fez com o time mineiro tivesse que fazer pelo menos três, naquele momento, para avançar. No lance, o paraguaio concluiu uma linda jogada feita por Dudu e Gabriel Jesus com um toque cruzado, indefensável para Fábio. Foi o quarto jogo consecutivo em que o Palmeiras faz um gol com menos de 10 minutos de jogo.

A vantagem palmeirense deu tranquilidade ao time, que passou a tocar a bola com inteligência, aproveitando-se do nervosismo e dos espaços cedidos pelo Cruzeiro.  A expulsão de Bruno Rodrigo facilitou ainda mais a vida do Palmeiras, que não demorou a chegar ao segundo gol. Aos 27 minutos, Egídio cruzou para Gabriel Jesus, livre dentro da área, fuzilar o goleiro azul.

Cruzeiro x Palmeiras Gabriel Jesus (Foto: Thomas Santos/Agif/Estadão Conteúdo)
Gabriel Jesus comemora terceiro gol do Palmeiras sobre o Cruzeiro
(Foto: Thomas Santos/Agif/Estadão Conteúdo)

Soberano em campo, o Palmeiras fazia o que queria. O terceiro gol chegou com uma naturalidade incrível, parecia treino. Aos 32, Gabriel Jesus humilhou Paulo André e o goleiro Fábio, que ficou estatelado no chão, vendo o garoto marcar mais um. A partir daí, a equipe paulista passou a levar o jogo com desinteresse e, por isso, foi penalizada. Vinícius Araújo, aos 38 minutos, bateu duas vezes para vencer Fernando Prass e diminuir o placar. O vexame, porém, permaneceu e o Cruzeiro ouviu uma sonora vaia da torcida ao descer para o vestiário no intervalo do jogo.

Vinícius Araújo em ação durante a partida contra o Palmeiras (Foto: Washington Alves/ Light Press/ Cruzeiro)
Vinícius Araújo chegou marcar, mas não impediu o triunfo do Palmeiras
(Foto: Washington Alves/ Light Press/ Cruzeiro)

O segundo tempo foi morno. Com a classificação praticamente assegurada, o Palmeiras tirou o pé do acelerador e poupou o Cruzeiro de um vexame histórico, dentro do Mineirão. Como não tinha força nem talento para empatar o jogo, e muito menos para virar, o apático time mineiro bateu cabeça enquanto pôde, e se contentou com mais um gol, marcado por Alisson, de pênalti, aos 30 minutos.

O aniversariante, que não tem nada a ver com os problemas do Cruzeiro, fez seu papel e confirmou a classificação para as quartas de final da Copa do Brasil. Se o Palmeiras não é um excelente time, está no caminho, crescendo na hora certa e chegando na reta final da temporada forte e motivado.

GLOBO ESPORTE.COM

Religiosos ficam chocados após descobrirem que Jesus não perdoa

O Gabriel Jesus está tão à vontade no Mineirão que dá impressão que está jogando na igreja! (FOTO: Fábio)

Jesus é um menino tão desobediente que nem Maria ele perdoa (FOTO: Fábio)

Senhoras e senhores, Jesus voltou, e mostrou como se joga futebol. O craque do Palmeiras, Gabriel Jesus, arrebentou na partida do Mineirão e não perdoou os cruzeirenses. O atacante estava tão à vontade no Mineirão que parecia jogar na igreja!

Contudo, uma pequena confusão acabou chocando alguns religiosos, que ouviram os locutores esportivos comentando que Jesus não perdoa. Chocado e desavisado, o grupo reclamou nas redes sociais. Posteriormente, os narradores e comentaristas explicaram que Jesus perdoa sim, e que quem não perdoa é o atacante do Palmeiras e as coisas voltaram ao normal.

Já um grupo de comediantes reclamou que o fato de Gabriel Jesus não perdoar acabou com uma ótima piada: “Não dá nem para fazer a piada de que Jesus perdoa, fulano não, já que agora ficaria: Jesus perdoa, Jesus não. O moleque é tão bom de bola que acabou com a piada”, disse Ary Toledo.

Por incrível que pareça, alguns torcedores presentes no Mineirão disseram ter visto o palmeirense operando alguns milagres, como flutuar sobre o gramado, transformar a água em gol e a bola em drible.

Gabriel Jesus e o pastor Ricardo Oliveira marcaram gols na quarta-feira. Sem dúvida foi uma noite para dizer amém!