‘Comércio de armas é atentado à segurança da população’, diz ministro

Raul Jungmann, da Defesa, se referiu à morte de narcotraficante na fronteira.
Em Foz do Iguaçu (PR), falou sobre ações de reforço e de cooperação.

Bandeira do estado do Paraná

Ministro da Defesa, Raul Jungmann, defende que reforço da segurança nas fronteiras deve ser feita de forma conjunta e cooperada com países vizinhos (Foto: Reprodução / RPC)
Ministro da Defesa, Raul Jungmann, defende que reforço da segurança nas fronteiras deve ser feita de forma conjunta e cooperada com países vizinhos (Foto: Reprodução / RPC)

Para o ministro da Defesa, Raul Jungmann, o confronto que resultou na morte do narcotraficante paraguaio Jorge Rafaat em Pedro Juan Cabalero, na região de fronteira com Ponta Porã (MS), a organização e o poder de fogo dos dois grupos rivais são preocupantes para a segurança do país e da população. A caminhonete onde o chefe do tráfico de drogas foi assassinado na quarta-feira (15) era adaptada com uma metralhadora de calibre ponto 50, capaz de derrubar aviões e helicópteros.

“Este tipo de armamento demonstra que estas quadrilhas estão, além de organizadas, utilizando um tipo de armamento que nos preocupa muitíssimo. Por isso, o Brasil precisa em cooperação com outros países inibir este tipo de comércio de comércio de armas, que é um atentado à segurança das nossas populações”, declarou o ministro em visita a Foz do Iguaçu, no oeste doParaná, onde acompanhou algumas das ações da 11ª edição da Operação Ágata.

A operação deflagrada na segunda-feira (13) em pontos estratégicos dos quase 17 mil km de fronteira e encabeçada pelas Forças Armadas conta com o apoio de outras 20 corporações federais, estaduais e municipais e tem como objetivo reforçar o combate aos crimes de fronteira como o contrabando e o tráfico de armas e de drogas. A ação que envolve cerca de 13 mil pessoas não tem prazo para ser encerrada e deve custar o equivalente a R$ 9 milhões.

“Rei da Fronteira”
Rafaat foi condenado pela Justiça brasileira por tráfico internacional de drogas em 2014, mas vivia no Paraguai como um empresário de sucesso. Ele era conhecido como o “rei da fronteira”. A polícia apreendeu muitas armas e munição, deteve sete suspeitos e acredita que o motivo de crime tenha sido uma disputa pelo controle do tráfico de drogas na região.

O processo que levou à condenação do narcotraficante foi presidido pelo juiz federal Odilon de Oliveira. “A população da fronteira, dos dois lados, tem que conviver com essa insegurança. Na fronteira, todo dia, morre gente assassinada, isso é histórico, já faz parte do cotidiano daquela gente”, disse o magistrado.

Moradores da região de fronteira ficaram assustados com o atentado. Uma testemunha paraguaia disse que parecia “filme de terror”. Ela passava pelo local quando viu o carro com a metralhadora atirar contra o carro de Rafaat. “Tive medo de morrer porque os tiros não paravam. Eu só rezava”, fala a jovem.

A jovem afirma que execuções são comuns no município, mas, normalmente, são vítimas pessoas suspeitas de envolvimento em crimes. “A fronteira tem fama de ser perigosa, mas, nunca aconteceu isso assim porque sempre passam e matam quem querem matar e pronto”, diz a paraguaia, que afirma ter ficado com medo depois do episódio de quarta-feira.

Oito pessoas foram presas depois da execução de Rafaat, de acordo com a Polícia Nacional do Paraguai. Um deles é um brasileiro suspeito de manusear a metralhadora ponto 50 que estava em uma caminhonete adaptada. Os outros sete presos são apontados como seguranças pessoais do narcotraficante e ficaram feridos durante a emboscada.

 

G1.COM.BR

‘Não sabia que médico reside no hospital’, diz vereador ao cometer gafe

Paulo Rocha rebatia requerimento sobre bolsa-auxílio a médicos residentes.
Comentário provocou risos durante sessão na Câmara de Foz do Iguaçu (PR).

Bandeira do estado do Paraná

O comentário do vereador Paulo Rocha (PMDB) durante a sessão na Câmara de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, na quinta-feira (16) provocou risos de parlamentares, funcionários e pessoas que acompanhavam as votações do dia. Ao falar sobre um requerimento defendido pelo vereador Nilton Bobato (PCdoB), Rocha declarou não saber que “médico reside [mora] no hospital”.

“Vou ler o requerimento dele aqui. Requerimento 276/2016: Requer do prefeito municipal informações sobre a previsão de pagamento de bolsa-auxílio aos médicos residentes no hospital. Eu não sabia que tem médico que reside no hospital. Uai, médico residindo no hospital?”, questionou.

Em nota divulgada nesta sexta-feira (17), um dia após a suposta gafe viralizar na internet, o vereador defendeu-se dizendo que sabia o que são médicos residentes, mas que aproveitou a oportunidade para criar polêmica já que, segundo ele, uma grande parte da população não tem conhecimento deste tipo de exigência feita aos médicos recém-formados e que usam a residência para se especializar e praticar o conhecimento.

“É claro que eu sei o que é um médico residente, mas quis chamar a atenção da população para um problema que temos na saúde. Nas vistorias que fazemos nos postos, vemos que faltam médicos e usei isso para chamar atenção e ‘zuar’ com o vereador Bobato. Se não tem médico para trabalhar, tem para morar no hospital?”, lembrou ao explicar que estava sendo irônico ao fazer o comentário. “Agora as pessoas sabem o que é um médico residente.”

Já o vereador que teve o requerimento apresentado e aprovado na mesma sessão, Rocha não sabia o que estava falando. “Não cabe a mim julgar a opinião de ninguém. Se não concorda com uma posição, o vereador precisava pelo menos ter estudado o assunto. Isso mostra claramente ele não fez isso e que a intenção era só atacar a proposta”, rebateu Nilton Bobato.

Polêmicas
Paulo Rocha é conhecido na Câmara Municipal por outras polêmicas, como ir trabalhar montado em um pônei e usar ternos coloridos, atitude que chegou a resultar na mudança do regimento interno da Casa estabelecendo limites para as cores das roupas usadas pelos vereadores durante as sessões em plenário.

“Eu procuro chamar a atenção mesmo. A população precisa olhar para a Câmara e saber sobre os problemas da cidade e o que os vereadores estão fazendo. Eu não sou analfabeto. Sou um homem experiente. Sei de onde saí, onde estou e onde pretendo chegar. Vergonha quem passou foi o deputado Tiririca que teve que provar que sabia ler e escrever”, reforçou.

Confira a nota de esclarecimento do vereador Paulo Rocha na íntegra:

NOTA DE ESCLARECIMENTO

Criei a polemica porque uma grande parte da população não sabe e não tem conhecimento o que significa médico residente.
Oque é residência médica?
Residência é onde o médico formado em clínica geral que quer se especializar, como por exemplo: Cardiologista, Ginecologista, Ortopedia, Cirurgião, Oftalmologista, Pediatria etc…
Oque é um médico residente?
O médico presta um vestibular novamente na área que ele que ser especializado. Após ingressar na área especializada o médico deve estudar em um hospital credenciado e acompanhado por professor medico especialista.
O médico residente estuda no hospital mais ou menos 12 horas, é responsável pela área especializada junto com o coordenador médico.
O médico passa a ser chamado de residente… Símbolo R1, R2 e R3. Dai ele estuda 3 anos, a e ele faz um novo exame para ser aprovado.
Por isso que se chama médico residente, para não ser chamado de medico estudante.
O médico residente somente pode estudar em hospital, motivo pelo qual recebe um auxílio-bolsa, conforme determina a lei da bolsa auxílio.
“Queremos dar conhecimento para o povo, o que é um médico residente.”

 

G1.COM.BR

CPI da Operação Pecúlio deve pedir colaboração da Assembleia do Paraná

Vereadores querem que seja investigada relação de citados com a Sanepar.
PF e Câmara apuram esquema de propina na Prefeitura de Foz do Iguaçu.

Bandeira do estado do Paraná

Vereadores que integram a CPI da Operação Pecúlio, em Foz do Iguaçu, iniciaram nesta quarta-feira (8) a análise dos dados e depoimentos colhidos até agora (Foto: Câmara Municipal de Foz do Iguaçu / Divulgação)

Vereadores que integram a CPI da Operação Pecúlio, em Foz do Iguaçu, iniciaram nesta quarta-feira (8) a análise dos dados e depoimentos colhidos até agora
(Foto: Câmara Municipal de Foz do Iguaçu / Divulgação)

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Operação Pecúlio, aberta pela Câmara Municipal de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, deve encaminhar para a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep) um relatório preliminar solicitando a colaboração nas investigações. Tanto a comissão como a Polícia Federal apuram um suposto esquema de propina na prefeitura por meio de contratos para a realização de obras e serviços de Saúde.

Os vereadores querem que a Assembleia investigue a relação entre algumas empresas e funcionários e ex-funcionários da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) citados na operação conduzida pela PF. Entre os dias 19 de abril e 3 de maio dez pessoas foram presas temporariamente e seis preventivamente. O inquérito policial foi concluído e encaminhado para a Justiça Federal e o Ministério Público Federal nesta quarta-feira (8).

De acordo com o presidente da CPI, vereador Dilto Vitorassi (PV), informações apontam que em há indícios de que servidores se beneficiavam de contratos entre o poder público e a Sanepar. “Tudo leva a crer que funcionários ligados à empresa Sanepar se especializou em serem donos ou ‘testas de ferro’ de um pequeno grupo de empresa para fazer contratos com o setor público. Isso precisa ser investigado em todas as dimensões”, destacou.

Procurada pelo G1 a assessoria de imprensa da Sanepar informou que ainda não foi notificada sobre as suspeitas da CPI, mas que em breve deve comentar o assunto.

Depoimentos
Desde o dia 1º, a CPI ouviu 12 pessoas. E, a partir desta quarta iniciou o trabalho de análise dos depoimentos colhidos de convocados e colaboradores. Para segunda-feira (13), foi chamado para prestar esclarecimentos aos vereadores da comissão o superintendente do Instituto de Habitação de Foz do Iguaçu (Fozhabita), Valmir Griten.

 

G1.COM.BR

PF diz que prefeito de Foz do Iguaçu tentou neutralizar Operação Pecúlio

Gravações mostram Reni Pereira negociando cargos para evitar denúncias.
Segundo polícia, ele e ex-secretários encabeçavam esquema de corrupção.

Bandeira do estado do Paraná

Gravações telefônicas feitas com autorização da Justiça mostram o prefeito de Foz de Iguaçu, Reni Pereira (PSB), tentando neutralizar o trabalho da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Finanças, realizada em 2015, na Câmara dos Vereadores.

As conversas foram gravadas durante a Operação Pecúlio, que investiga desvio de dinheiro na prefeitura.

Segundo a Polícia Federal (PF), cargos de empresas com contratos municipais eram usados como moeda de troca para impedir investigações de desvios em licitações em obras na área da saúde.

A PF diz que o prefeito “envidou esforços pessoais no sentido de acalmar os ânimos da Câmara Municipal, a de evitar o avanço da CPI. Várias pessoas ligadas a vereadores ou indicadas por eles foram nomeadas por Reni Pereira, para agradá-los, afirma a polícia.

Em um dos grampos, o prefeito fala com Melquizedeque Souza, ex-secretário de Tecnologia e considerado o operador do esquem de corrupção, sobre as indicações.

Pereira diz: “Consegui resolver metade das nomeações dos vereadores”. O ex-secretário questiona: “Conseguiu?”. O prefeito continua: “É, mas vamo ter que arrumar função para eles. Ficou tudo como assessor especial (sic)”.

Segundo as investigações, quem centralizava as indicações era o ex-secretário de governo, Sérgio Beltrame, conhecido como Serginho.

Várias ligações apontam Beltrame negociando cargos com vereadores e atribuindo ao prefeito a responsabilidade de autorizar ou não a contratação de servidores.

A vereadora que presidiu a CPI, Anice Gazzaoui (PTN), disse que a investigação foi concluída e enviada ao Ministério Público (MP). A abertura de uma Comissão Processante contra o prefeito, no entanto, não foi possível porque a oposição era minoria na Câmara.

“Lembrando que para constituir uma Processante para investigação de um prefeito nós precisaríamos de dez votos. E somos quatro vereadores na oposição. Então, com certeza, nunca teríamos esses votos necessários”, afirma.

Outro lado
A reportagem tentou contato com o prefeito Reni Pereira, mas o advogado dele afirmou que ele só se pronunciaria ao vivo.

A defesa de Melquizedeque Souza diz que aguarda o desfecho das investigações e que não vai se manifestar sobre as ligações telefônicas interceptadas.

O advogado de Sergio Beltrame afirma que ele prestou depoimento à Polícia Federal e que, na ocasião, deu os esclarecimentos necessários para a investigação.

 

G1.COM.BR

PF prende líder de quadrilha de tráfico internacional de drogas em Fortaleza

Outro mandado de prisão preventiva foi cumprido contra a mulher dele.
Organização criminosa traficava cocaína entre Brasil e Paraguai.

Bandeira do estado do Ceará

A Polícia Federal prendeu em Fortaleza, na manhã desta quinta-feira (2), um homem suspeito de ser o líder de uma quadrilha internacional de drogas. A mulher dele também foi presa, em uma casa no Bairro Lagoa Redonda. A organização criminosa que eles integravam é suspeita de tráfico de drogas e lavagem de dinheiro.

Segundo a PF, o grupo comprava cocaína na fronteira do Brasil com o Paraguai e revendia no Nordeste brasileiro, tendo Recife como base operacional. A organização lavava o dinheiro do tráfico adquirindo veículos, apartamentos e terrenos, onde eram construídos empreendimentos para revenda. Por isso, o nome da operação é ”Construtor”.

Na capital cearense, além dos dois mandados de prisão preventiva, foram cumpridos um mandado de busca e apreensão e o sequestro de seis imóveis.

A Polícia Federal informou que o líder da organização reside atualmente em Fortaleza com a mulher. Em nome deles, estão registrados alguns dos imóveis sequestrados nesta quinta. O homem já foi preso e indiciado por homicídio, por causa de um acidente de carro, supostamente causado por embriaguez, que resultou na morte da motorista do veículo atingido, uma mulher que estava grávida de oito meses.

Operação Construtor
Os mandados da operação são cumpridos simultaneamente, também, no Recife, João Pessoa eFoz do Iguaçu (PR). No total, 45 policiais federais atuaram.

Na operação, três veículos foram apreendidos, além do bloqueio de oito contas bancárias de pessoas físicas e jurídicas, e do afastamento de sigilo fiscal de quatro pessoas físicas e jurídicas. Todas as medidas cautelares foram expedidas pela 13ª Vara da Justiça Federal de Pernambuco.

Investigações
As investigações são conduzidas pela Delegacia de Repressão a Drogas e tiveram início em 2014, quando uma organização criminosa comandada por um indivíduo que utilizava nome falso, promovia a internação de cocaína na fronteira Brasil/Paraguai, remetendo para Recife, onde a droga era pulverizada para várias cidades do Nordeste.

Três dos oito membros da organização foram presos em flagrante delito em agosto de 2014, com 24,4 quilos de cocaína, em pousada em Jaboatão dos Guararapes (PE), quando um químico da quadrilha veio do Paraguai para melhorar a qualidade da droga.

Os integrantes são investigados pela prática dos crimes de associação e tráfico internacional de drogas, lavagem de dinheiro e constituir/integrar organização criminosa. Em caso de condenação, as penas somadas podem chegar a 65 anos de reclusão.

 

G1.COM.BR

Princípio de incêndio assusta pessoas em shopping de Foz do Iguaçu, no Paraná

Segundo os bombeiros, fumaça foi provocada por pane em motor de exaustor.
Supermercado funcionou normalmente; loja fechou por causa de fumaça.

Bandeira do estado do Paraná

Trabalho dos bombeiros para conter o princípio de incêndio em um shopping de Foz do Iguaçu (PR) (Foto: Reprodução / RPC)
Trabalho dos bombeiros para conter o princípio de incêndio em um shopping de Foz do Iguaçu (PR) (Foto: Reprodução / RPC)

Um princípio de incêndio assustou algumas pessoas em um shopping de Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, na tarde desta quinta-feira (24). De acordo com a assessoria de imprensa de um mercado que funciona no local, uma pane no motor de um exaustor que fica no estacionamento e é ligado por um duto até o forno da cozinha provocou muita fumaça.

O trabalho dos bombeiros durou cerca de 40 minutos. Neste período, o mercado permaneceu funcionando normalmente. Uma loja de departamento, porém, que fica no andar superior, precisou fechar mais cedo por causa do grande volume de fumaça que invadiu o local. Ninguém ficou ferido.

 

G1.COM.BR

Após quatro anos, vertedouro de Itaipu volta a abrir todas as comportas

Vazão de água na manhã deste domingo (22) passou de 11 milhões de l/s.
Cheia vem sendo monitorada por comissão que alerta sobre enchentes.

Bandeira do estado do Paraná

As três calhas do vertedouro de Itaipu foram abertas neste domingo (22) por volta das 10h (Foto: Patrícia Iunovich / Itaipu Binacional / Divulgação)

As três calhas do vertedouro de Itaipu foram abertas neste domingo (22) por volta das 10h

(Foto: Patrícia Iunovich / Itaipu Binacional / Divulgação)

Com vazão recorde, a Usina de Itaipu, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, abriu na manhã deste domingo (22) todas as 14 comportas do vertedouro. Situação semelhante foi registrada pela última vez em 2011. Por volta das 10h, o volume de água dispensado pelas três calhas passava de 11 milhões de litros por segundo, o equivalente a sete Cataratas do Iguaçu em dias normais. Previsão é que siga todo aberto até as 12h.

A vazão do excedente de água não usado na produção de energia elétrica é a maior do ano. Por causa do espetáculo raro, o Complexo Turístico da hidrelétrica disponibilizou ônibus extras para a visitação neste domingo e lembra que moradores de Foz do Iguaçu e região não pagam para fazer a visita panorâmica. Para tanto, é preciso apresentar comprovante de endereço recente.

Por ser uma usina que opera com reservatório um pequeno volume de água se comparado à vazão do rio – do tipo fio d’água -, Itaipu não tem como “segurar” a água do Rio Paraná. Por isso, toda a água que chega até a barragem segue o curso do rio barragem abaixo, seja passando pelas unidades geradoras e produzindo energia, ou dispensada pelo vertedouro, quando há mais água do que o necessário para a geração.

O reservatório opera no sistema de cotas mínima e máxima de armazenamento. A cota máxima fica aos 220,30 metros acima do nível do mar. Até hoje, a cota mínima utilizada por Itaipu foi de 215,35 metros, em 2001, quando a binacional precisou operar em carga máxima para atender o setor elétrico brasileiro. Naquele ano, o Brasil chegou a enfrentar um racionamento de energia e a usina precisou ser acionada com maior potência.

Imagem rara: vertedouro de Itaipu teve todas as calhas abertas pela última vez em 2011 (Foto: Alexandre Marchetti / Itaipu Binacional)
Imagem rara: vertedouro de Itaipu teve todas as calhas abertas pela última vez no dia 24 de julho de 2011, quando a estrutura passou por testes (Foto: Alexandre Marchetti / Itaipu Binacional)

Alerta para enchentes
A Comissão de Cheia permanece monitorando e avaliando a situação, com a divulgação deboletins permanentes de alertas hidrológicos para a região. No sábado (21), cerca de 40 casas no bairro San Rafael, em Hernandárias, no Paraguai, foram atingidas pela elevação do Rio Paraná na região da Ponte da Amizade, na fronteira entre o Brasil e o país vizinho. Naquele ponto, o nível do rio chegou a 113,3 metros, mais de 4 metros acima do normal.

Vazão no vertedouro passou de 11 milhões de litros de água por segundo, o equivalente a mais de sete Cataratas do Iguaçu (Foto: Isabeli Zucheli / RPC)
Vazão no vertedouro passou de 11 milhões de litros de água por segundo, o equivalente a mais de sete Cataratas do Iguaçu (Foto: Isabeli Zucheli / RPC)

Estrutura segura
Apesar do grande volume de água no lago, técnicos de Itaipu asseguram que a população não precisa temer possíveis rompimentos da barragem.

“Não há motivo algum para preocupação com Itaipu”, afirma o coordenador da Comissão de Concreto do Comitê Brasileiro de Barragens (CBDB), engenheiro José Marques Filho, que esta semana esteve na usina para ministrar um curso sobre segurança de barragens, direcionado a 25 funcionários de Itaipu.

Completo Turístico preparou esquema especial de visitação disponibilizando ônibus extras para turistas e moradores da região (Foto: Patrícia Iunovich / Itaipu Binacional / Divulgação)
Completo Turístico preparou esquema especial de visitação disponibilizando ônibus extras para turistas e moradores da região (Foto: Patrícia Iunovich / Itaipu Binacional / Divulgação)

Para ele, a combinação de três fatores – projeto, obra e monitoramento bem feitos – faz com que o risco em Itaipu seja considerada mínimo, apesar de sua dimensão gigantesca. “Uma obra deste porte tem importância monstruosa, do ponto de vista econômico e de responsabilidade com as pessoas do entorno. Imagine ter um problema na usina que contribui com quase 17% do consumo de energia do País? Seria desastroso”, observa.

Itaipu conta com mais de 2,5 mil instrumentos para acompanhar o comportamento das estruturas de concreto e da fundação das suas barragens, além de 5.295 drenos e do próprio vertedouro, com capacidade para vazão de 60 milhões de litros por segundo.

 

G1.COM.BR

Com vertedouro aberto, Itaipu alerta para enchentes no oeste do Paraná

Famílias de comunidades ribeirinhas no Paraguai estão deixando as casas.
Previsão da usina é que no domingo (22) todas as três calhas sejam abertas.

Bandeira do estado do Paraná

A Comissão de Cheia da Usina de Itaipu, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, está alertando para os riscos de enchentes na região a partir desta sexta-feira (20). Em Ciudad del Este, no Paraguai, famílias das comunidades ribeirinhas ao Rio Paraná, abaixo da hidrelétrica, já estão deixando as casas.

“Estamos ajudando as famílias a tirar seus pertences de casa. Pelo menos 56 famílias devem ter que deixar suas casas por causa da enchete”, comentou o representante da prefeitura de Ciudad del Este Juan Cáceres, referindo-se ao bairro San Rafael.

Na manhã desta sexta-feira (20), o vertedouro de Itaipu vertia 6,2 milhões de litros de água por segundo, mais de quatro vezes a vazão média das Cataratas do Iguaçu (Foto: Erikson Rezende / RPC)
Na manhã desta sexta-feira (20), o vertedouro de Itaipu vertia 6,2 milhões de litros de água por segundo, mais de quatro vezes a vazão média das Cataratas do Iguaçu
(Foto: Erikson Rezende / RPC)

Por causa da grande quantidade de água no reservatório de Itaipu, o vertedouro precisou ser novamente aberto. Na manhã desta sexta, a vazão na calha aberta era de 6,2 milhões de litros de água por segundo. E, a previsão para domingo (22) é que todas as três calhas permaneçam abertas entre as 9h e as 14h para escoar o excedente não utilizado na produção de energia. Devem ser escoados 9 milhões de l/s, o equivalente a seis Cataratas do Iguaçu em períodos normais.

Em nota, a Itaipu explicou que “a programação da vazão está sendo estimada com base na afluência do Rio Paraná, que não para de subir. Chove muito tanto a montante (acima) quanto a jusante (abaixo) da usina. Por causa do aumento do nível dos rios Iguaçu, que abriga as Cataratas, e Paraná, onde está localizada a Itaipu, há risco de enchentes nos próximos dias em toda a região ribeirinha, especialmente na margem paraguaia.”

A usina tem 40 estações de medição de nível e chuva instaladas nos rios que desaguam no reservatório. Com estas informações, os técnicos de Itaipu conseguem prever a quantidade de água que chega ao lago. “Está chovendo muito na região norte do Paraná e isso tem influência direta nos rios que fluem no Lago de Itaipu. A previsão é que isso continue nos próximos dias”, observou o gerente de operação do sistema, Alberto Araújo.

Previsão é que no domingo (22) vazão no vertedouro do Itaipu passe dos 9 mihões de litros de água por segundo (Foto: Erikson Rezende / RPC)
Previsão é que no domingo (22) vazão no vertedouro do Itaipu passe dos 9 mihões de litros de água por segundo (Foto: Erikson Rezende / RPC)

Dezoito das 20 unidades geradoras de Itaipu estão produzindo energia. Duas passam por manutenção periódica.

Nas Cataratas do Iguaçu, a vazão no início da manhã desta sexta passava de 5,7 milhões de litros por segundo, quase quatro vezes o volume normal de 1,5 milhão de l/s.

Estrutura segura
Apesar do grande volume de água no lago, técnicos de Itaipu asseguram que a população não precisa temer possíveis rompimentos da barragem.

“Não há motivo algum para preocupação com Itaipu”, afirma o coordenador da Comissão de Concreto do Comitê Brasileiro de Barragens (CBDB), engenheiro José Marques Filho, que esta semana esteve na usina para ministrar um curso sobre segurança de barragens, direcionado a 25 funcionários de Itaipu.

Para ele, a combinação de três fatores – projeto, obra e monitoramento bem feitos – faz com que o risco em Itaipu seja considerada mínimo, apesar de sua dimensão gigantesca. “Uma obra deste porte tem importância monstruosa, do ponto de vista econômico e de responsabilidade com as pessoas do entorno. Imagine ter um problema na usina que contribui com quase 17% do consumo de energia do País? Seria desastroso”, observa.

Itaipu conta com mais de 2,5 mil instrumentos para acompanhar o comportamento das estruturas de concreto e da fundação das suas barragens, além de 5.295 drenos e do próprio vertedouro, com capacidade para vazão de 60 milhões de litros por segundo.

 

G1.COM.BR

Exército começa Operação Fronteira Sul 2015 em Foz do Iguaçu, no Paraná

Ações reforçam fiscalização contra crimes como contrabando e narcotráfico.
Barreiras estão sendo montadas nas pontes da Amizade e Tancredo Neves.

O 34º Batalhão de Infantaria Mecanizado, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, iniciou nesta terça-feira (3) a Operação Fronteira Sul 2015, coordenada pelo Comando Militar do Sul (CMS). A ação em regiões limítrofes do país tem como objetivo reforçar o combate a crimes como o contrabando e o tráfico de drogas e de armas. Além de Foz do Iguaçu, haverá bloqueios em outros pontos de fronteira do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul.

Barreiras estão sendo montadas nas pontes internacionais da Amizade, na fronteira com o Paraguai, e Tancredo Neves, na Argentina. Serão montados postos de fiscalização ainda em rodovias como a BR-277, avenidas no Centro da cidade e estradas vicinais para a vistoria de pessoas e de veículos que circulam pela região trinacional.

Segundo o comando, a operação não tem data para ser encerrada.

 

G1.COM.BR