Ceará 1 x 1 Figueirense

Em um jogo de ‘apenas um tempo’, Ceará e Figueirense empataram em 1 a 1 nesta terça-feira, no Estádio Domingão, em Horizonte, em partida válida pela sexta rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Pablo e Magno Alves marcaram os gols da partida ainda na primeira etapa. E foi só. Com o resultado, o Alvinegro catarinense vai a dez pontos, voltando momentanemante ao G-4 e ocupando a quarta posição, e o Vovô sobe para sete pontos, em 14º.

As equipes só voltam a campo após a Copa das Confederações, em julho. O Ceará visita o Icasa, no clássico cearense, no Romeirão, no dia 6 de julho, às 21h. Já o Figueirense recebe o Boa Esporte, no mesmo dia e horário da partida do time cearense.

Início fraco e melhora do Ceará

O jogo começou fraco. Sem criatividade, os times não conseguiam articular as jogadas no ataque. Nos primeiros minutos, os goleiros Ricardo e Fernando Henrique não foram exigidos. A partida começou a melhorar a partir dos 16 minutos quando Lulinha driblou a zaga do Figueira e chutou com força, obrigando Ricardo a fazer boa defesa. O Figueirense respondeu à altura, em seguida, com um bom chute de Luan que raspou a trave.

O primeiro gol saiu aos 26 minutos, com um belo lance de Pablo. O atacante recebeu a bola e, na saída do goleiro Fernando Henrique, tocou de leve para o fundo do gol do Alvinegro de Porangabuçu. No entanto, o time catarinense mal teve tempo de comemorar. Dois minutos depois, Magno Alves aproveitou uma cobrança de escanteio e, de cabeça, deixou tudo igual no estádio Domingão.

A partir daí, o Ceará melhorou na partida e perdeu inúmeras chances de virar e até mesmo ampliar o placar. Diogo Orlando desperdiçou a oportunidade mais clara para balançar as redes. O volante recebeu a bola dentro da área e chutou totalmente descalibrado, mandando a bola para longe da meta de Ricardo.

Figueirense Ceará empate Tinga Mota (Foto: Divulgação/Ceará SC)
Figueirense e Ceará ficaram no empate em 1 a 1, no Domingão (Foto: Divulgação/Ceará SC)

Segundo tempo sem emoção

Na etapa complementar, os dois times deixaram a empolgação do final do primeiro tempo no vestiário. A partida voltou a ser morna, sem muitas chances nos primeiros minutos. Aos 20 minutos, o técnico do Vovô, Dimas Filgueiras, promoveu a entrada de Foguinho no lugar de Diego Ivo, buscando dar maior poder ofensivo ao time.

A mudança não surtiu o efeito esperado. No entanto, mesmo com poucas oportunidades, a melhor chance da etapa complementar ainda foi do Ceará. Aos 36 minutos, em cruzamento na área do Figueira, Anderson Marques subiu e mandou a bola na trave, assustando a defesa do time catarinense. E foi só. Com pouca técnica, os times não forçaram nenhuma defesa difícil dos goleiros, no segundo tempo, e a partida ficou no 1 a 1, no Domingão.

Em queda, Ceará e Figueirense duelam para retomar rumo vitorioso

Vovô está cada vez mais perto da zona de descenso; time catarinense, por sua vez, sonha voltar ao G-4 antes da parada da Copa das Confederações

Ceará e Figueirense medem forças, nesta terça-feira, no Estádio Domingão, em Horizonte, a partir das 19h30m (de Brasília). Será a sexta rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. E a partida mostrará equipes em situações bem parecidas na competição. De um lado, os donos da casa vêm de resultados adversos seguidos. Já o clube visitante é um dos primeiros da Segundona, mas vem caindo de produção.

Comandado novamente por Dimas Filgueiras e sem técnico efetivo ainda, após a demissão de Leandro Campos, há duas rodadas, o Ceará tenta reverter os maus resultados que o aproximaram da zona de rebaixamento da Série B. Na última partida, após estar ganhando do Boa Esporte, o Vovô permitiu a virada da equipe mineira e só empatou no finalzinho do jogo.

Por outro lado, invicto e líder nas três primeiras rodadas, o Figueirense vem de duas derrotas consecutivas – para a Chapecoense, em casa, e Paraná, no último sábado -, o que fez o time ligar o sinal de alerta. Com nove pontos, os mesmos de Sport e Palmeiras, o time catarinense está fora do G-4 pelos critérios de desempate. Terceiro melhor ataque, com dez gols, o time do técnico Adilson Batista também vem sofrendo muitos gols: são nove em cinco jogos.

estádio Domingão (Foto: Divulgação)
Domingão recebe o confronto entre Ceará e Figueirense nesta terça-feira (Foto: Divulgação)

O amazonenese Edmar Campos da Encarnação apita o jogo, auxiliado por pelos pernambucanos Elan Vieira de Souza e Bruno Cesar Alcântara. Ceará x Figueirense terá transmissão ao vivo pelo PremiereFC 1 e será acompanhado em Tempo Real pelo GLOBOESPORTE.COM, a partir das 19h.

header as escalações 2 (Foto: arte esporte)

Ceará: embora tenha empatado na última rodada em casa, com o Boa Esporte, e o seu time tenha perdido rendimento ao longo do jogo, o técnico Dimas Filgueiras praticamente não fará alterações nos titulares. Raphael Macena perderá vaga no ataque para Mota, dono da posição, que está votlando de suspensão. E Ricardinho deve retornar à titularidade, após lesão, no lugar de Luiz Henrique. Sendo assim, o time deve ser esse: Fernando Henrique; Eric, Anderson Marques, Diego Ivo e Vicente; Diogo Orlando, João Marcos, Ricardinho e Lulinha; Mota e Magno Alves.

Figueirense: mesmo derrotado para o Paraná Clube, na última rodada, o técnico Adilson Batista deve manter a base do time titular. Quem pode pintar são o lateral-direito William e o meia Rennan Oliveira. O atacante Pablo também pode aparecer, e assim a equipe voltar ao 4-3-3. O time deve ser: Ricardo, André Rocha (William), Thiego, Douglas Silva e Wellington Saci; Luan, Ronaldo Tres, Maylson e Botti (Rennan Oliveira ou Pablo); Ricardinho e Rafael Costa.

header quem está fora (Foto: Editoria de Arte/Globoesporte.com)

Ceará: todos os jogadores estão à disposição do treinador para a partida.

Figueirense: o meia Gérson Magrão, que volta de suspensão, não viajou com a delegação, e está fora da partida. O volante Willian Magrão, que teve uma fratura no tornozelo esquerdo, deve perder o resto da temporada. O atacante Marcelo Toscano segue em tratamento para se recuperar de uma lesão muscular na coxa.

header pendurados (Foto: ArteEsporte)

Ceará: Anderson Marques.

Figueirense: Ricardinho.

Paraná 1 x 0 Figueirense

A chance de voltar a jogar dentro de casa e com piso novo era a arma que o Paraná precisava para voltar a vencer na Série B do Brasileirão. No retorno à Vila Capanema, o Tricolor fez 1 a 0 no Figueirense, após três rodadas de resultados ruins. O gol foi marcado por Anderson, em cobrança de falta. No início, o time mostrou intensidade e pressionou o Figueirense no campo de defesa. O problema era que o time seguia com o mesmo erro dos jogos anteriores, a falta de pontaria. Lucio Flavio e Léo chegaram perto, mas não conseguiram balançar as redes. Já pelo lado do Figueirense a proposta foi de apostar na marcação para sair nos contra-ataques. A equipe chegou a ter mais posse no final do jogo, mas sem efetividade na hora da conclusão.

Apesar do retorno ao estádio, o público foi modesto: apenas 4.468 pagantes, com um total de 5.234 torcedores. A renda bruta foi de R$ 92,220.00.

Os times encerram os jogos antes da parada na terça-feira. O Paraná encara o ASA na próxima rodada, às 21h50m (de Brasília), na Vila Capanema. O Figueirense duela com o Ceará, às 19h30m, no Estádio Domingão.

Anderson comemora vitória do Paraná Clube sobre o Figueirense (Foto: Site oficial do Paraná Clube/Divulgação)
Anderson comemora o gol da vitória tricolor (Foto: Site oficial do Paraná Clube/Divulgação)

Pressão do Paraná e gol de zagueiro

No embalo da torcida, o Paraná começou o jogo pressionando o Figueirense. Antes dos quatro minuto, o time teve duas chances claras para abrir o placar. Na primeira, Lucio Flavio bateu de fora e Ricardo salvou o Figueira, espalmando pela linha de fundo. No escanteio, Léo antecipou a zaga e carimbou a trave. A vantagem do time paranaense era a marcação adiantada com Edson Sitta e Ricardo Conceição. Recuado, o Figueira mantinha a boa marcação atrás e tenta a saída em contra-ataque.

A pressão do Paraná deu resultado aos 24 minutos. Em cobrança de falta, bastante reclamada pelo time do Figueirense, o meia Rubinho cobrou baixo. Anderson cabeceou de costas aporá o gol e abriu o marcador na Vila. Após o gol, os donos da casa continuaram pressionando. As principais jogadas de ataque do Figueirense eram pelo lado esquerdo do campo com Ricardinho, já que Roniery apoiava o setor ofensivo. A equipe chegou a mandar para as redes antes do intervalo com Botti, mas o árbitro marcou impedimento do meia e anulou o gol.

Figueirense asssuta, mas Paraná confirma a vitória

Os dois times voltaram com a mesma formação para o segundo tempo e o panorama do jogo seguia o mesmo. O Paraná quase aumentou, em chute de Edson Sitta, mas a Ricardo fez a defesa. Para tentar dar novo gás ao ataque, Adilson Batista sacou Botti e colocou o atacante Pablo, e tirou Wellington Saci para a entrada de Henrique Miranda. No lado do Paraná, Léo sentiu a perna e teve que dar lugar para Ronaldo Mendes. Sem a mesma intensidade do primeiro tempo, o Tricolor mantinha a posse, mas já não assustava o goleiro Ronaldo.

As alterações de Adilson deixaram o Figueirense com mais volume. O Paraná recuou e, perigosamente, deixou o os visitantes ganhar terreno. Diguinho teve a chance de empatar, mas foi travado em cima da hora por Anderson. O final da partida teve tom dramático. Com o Figueira no ataque, o Paraná apenas se defendia. Mesmo após a entrada de Fernando Gabriel, o time seguia sem ter o mesmo volume. O meia, inclusive, teve a chance de matar o jogo, mas chutou para fora.

Roniery e Wellington Saci, Paraná e figueirense (Foto: Joka Madruga / Agência estado)
Roniery e Wellington Saci disputam a bola no Durival (Foto: Joka Madruga / Agência estado)