Fernando Prass nega ter recebido mala branca e é absolvido pelo STJD

Em julgamento no Superior Tribunal de Justiça Desportiva, goleiro do Palmeiras diz que foi mal interpretado, escapa de punição e estará em campo contra o Atlético-PR

Coletiva Palmeiras - Fernando Prass (Foto: Marcelo Hazan)

Fernando Prass em entrevista coletiva, na Academia de Futebol (Foto: Marcelo Hazan)

Um problema a menos para o Palmeiras para o duelo contra o Atlético-PR, neste domingo, às 17h, na nova casa do Verdão, pela última rodada do Campeonato Brasileiro. Em julgamento realizado no Superior Tribunal de Justiça Desportiva, nesta quarta-feira, no Rio de Janeiro, o goleiro Fernando Prass acabou absolvido da acusação de ter recebido “mala branca” no passado.

Denunciado pela promotoria do STJD, o goleiro do Verdão foi indiciado no artigo 238 (Receber ou solicitar vantagem indevida em razão de cargo ou função, remunerados ou não, em qualquer entidade desportiva ou órgão da Justiça Desportiva, para praticar, omitir ou retardar ato de ofício, ou, ainda, para fazê-lo contra disposição expressa de norma desportiva) do Código Brasileiro de Justiça Desportiva.

A pena prevista para o caso era de multa entre R$ 100 a R$ 100 mil. O atleta ainda corria o risco de receber uma suspensão de 360 a 720 dias.

Na semana passada, Prass foi questionado na Academia de Futebol sobre incentivos financeiros que clubes possam vir a receber nas rodadas finais do Campeonato Brasileiro. Na entrevista, um repórter perguntou se ele já havia recebido incentivo de outro clube. Ele disse que “sim”.

Por isso, foi denunciado pela Promotoria. Nesta quarta-feira, porém, o goleiro negou ter recebido “mala branca”, termo utilizado no futebol para o dinheiro pago por clubes que necessitam da vitória de outros times sem motivação na competição, e acabou convencendo os auditores, que o absolveram por unanimidade O goleiro afirmou que foi mal interpretado.

– Deve ter havido um erro do repórter. O que eu disse que é normal receber prêmio por vitória. Em nenhum momento me foi perguntado sobre mala branca.  Nunca recebi de clube que não fosse o meu. De um terceiro, não – afirmou, de acordo com o site “Lancenet.com”.

Com a decisão do STJD, o técnico Dorival Júnior não terá problema para escalar o goleiro na rodada final do Brasileirão. Líder do elenco, Prass deve estar em campo no duelo que vale a permanência do Palmeiras na elite do futebol nacional.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Fernando Prass é denunciado pelo STJD e pode levar gancho pesado

Goleiro é indiciado pela entidade por admitir ter recebido “mala branca” e pode ficar até dois anos suspenso. Dorival é absolvido por expulsão em clássico.

Fernando Prass Treino Palmeiras Arena Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli)

Fernando Prass durante treinamento do Palmeiras (Foto: Marcos Ribolli)

O goleiro Fernando Prass, do Palmeiras, foi denunciado pela Procuradoria do STJD por ter admitido que já recebeu “mala branca” e será julgado pela entidade. A pena prevista para o caso é de multa entre R$ 100 a R$ 100 mil e suspensão pelo prazo de 360 a 720 dias. O julgamento ainda não tem data definida.

Prass foi indiciado no artigo 238 (Receber ou solicitar, para si ou para outrem, vantagem indevida em razão de cargo ou função, remunerados ou não, em qualquer entidade desportiva ou órgão da Justiça Desportiva, para praticar, omitir ou retardar ato de ofício, ou, ainda, para fazê-lo contra disposição expressa de norma desportiva).

Na denúncia, o STJD explica os motivos pelos quais enquadrou o goleiro do Palmeiras em tal artigo.

“A prática da denominada “MALA BRANCA” se mostra extremamente perniciosa ao esporte, fere os mais comezinhos princípios éticos e morais do homem médio e é diametralmente contrária ao fair play, é o que deve prevalecer entre aqueles que aplicam a legislação desportiva. Isso porque a “MALA BRANCA” ou “doping financeiro” gera a desigualdade entre os clubes e valoriza a capacidade econômica em detrimento da motivação pessoal dos atletas e do espírito desportivo”

Nesta sexta, em Porto Alegre, Prass comentou sobre o assunto e se defendeu.

– As leis são complicadas no Brasil. Algumas coisas são imorais e são legais, e outras são morais, mas são ilegais. Tem esse conflito. Estou de cabeça tranquila e cada um tem de fazer a sua função. Não vou entrar em detalhes agora, porque se não vamos conversar de coisas que não me interessam nesse momento – falou, completando que não se arrepende do que disse.

O técnico Dorival Júnior também fez questão de ficar ao lado do camisa 25 do Verdão.

– A sinceridade no nosso país sempre será combatida. Não vamos combater o imoral e o ilegal, e o sim o sincero. Infelizmente é isso que acontece – disse o comandante, nitidamente incomodado com a situação.

Fernando Prass admitiu durante a semana que havia recebido a “mala branca”. O ato consiste em um clube oferecer dinheiro para uma equipe vencer a outra, a fim de se beneficiar.

ABSOLVIDO

Dorival Júnior foi absolvido pelo STJD. Expulso na derrota por 2 a 0 diante do São Paulo, no clássico do dia 16 de novembro, o treinador foi julgado na tarde desta sexta-feira. Ele havia sido enquadrado no artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que fala em “desrespeitar os membros da equipe de arbitragem, ou reclamar desrespeitosamente contra suas decisões”.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Palmeiras planeja volta à elite com novo uniforme e festa no Pacaembu

camisa palmeiras (Foto: Divulgação)Parte da camisa nova do Palmeiras que foi revelada pelo clube (Foto: Divulgação)

Verdão poderá carimbar retorno à Série A em duelo contra o São Caetano, dia 26, com homenagem à Seleção e no retorno a São Paulo

mosaico da torcida do palmeiras, metade brasil, metade italia (Foto: Julyana Travaglia / Globoesporte.com)

Aguardando acesso, torcida palmeirense deve lotar
o Pacaembu (Foto: Julyana Travaglia)

O Palmeiras conta com a possibilidade de sacramentar seu retorno à Série A do Brasileirão daqui a duas rodadas – contra o São Caetano, dia 26 (sábado). O jogo tem tudo para ser especial para os palmeirenses. Além da possibilidade de acesso, a partida marcará o retorno do Verdão ao Pacaembu após seis duelos (quatro como visitante e dois em Londrina, por conta de punição imposta pelo STJD). Com a expectativa de casa cheia, o time ainda estreará o novo terceiro uniforme,com camisa amarela em homenagem à Seleção.

Com vitórias sobre o Bragantino, no próximo sábado, e sobre o próprio Azulão, o Palmeiras vai a 71 pontos e deve assegurar o retorno à Série A. Isso só não será possível em caso de uma improvável combinação de resultados que colocaria Chapecoense, Avaí, Sport e Icasa  acima do Verdão.

Se entre a torcida a data é aguardada para festejar, os jogadores preferem não cair na euforia, escondendo a expectativa pela partida contra o time do ABC paulista. A derrota para o Icasa, na última terça-feira, serviu de alerta.

– Não estamos colocando como meta subir nesse jogo ou em outro. Sendo no Pacaembu, Bragança ou Durival de Britto (Curitiba), vamos fazer de tudo para que o acesso aconteça – comentou o goleiro Fernando Prass.

Todo time está ciente das contas. Somos seres humanos, a ansiedade existe”
Wesley, meia do Palmeiras

O meia Wesley comemora o retorno ao Pacaembu e assume ter ansiedade pelo principal objetivo do Verdão na temporada. No entanto, o palmeirense declara que o foco é sempre a próxima partida, independentemente de onde for.

– Todo time está ciente das contas. Somos seres humanos, a ansiedade existe, mas temos de tranquilidade para somar pontos e, no fim do ano, poder contar história. Procuramos viver jogo a jogo. Se entrar mole, dar bobeira, as coisas que não estão nos planos acontecem mesmo – disse o meia, referindo-se à derrota para o Icasa.

Depois do jogo contra o São Caetano, restarão mais seis jogos (18 pontos): contra Paraná, Joinville, Paysandu, Boa Esporte, Ceará e Chapecoense.

Atualmente, o Palmeiras lidera, com 65 pontos, 18 à frente do Icasa, primeiro time fora do G-4.

Palmeiras 4 x 0 Icasa

O Icasa chegou a assustar, perdeu pênalti quando estava 0 a 0, mas o Palmeiras mostrou que, no Pacaembu, não perdoa erros do adversário. Com ótima atuação no segundo tempo, principalmente depois da entrada de Valdivia, que começou no banco, poupado, o Verdão goleou o time cearense por 4 a 0 e voltou à liderança da Série B do Campeonato Brasileiro, ultrapassando a Chapecoense, que perdeu para o Ceará.

Fernando Prass defendeu pênalti de Radamés e teve muito trabalho com o ataque cearense, mas Vinicius, também de pênalti, Alan Kardec (duas vezes) e Wesley consolidaram o resultado.

Por precaução, o técnico Gilson Kleina deixou Valdivia no banco e iniciou com Mendieta, que teve boa atuação. O chileno entrou aos 18 minutos do segundo tempo, começou a jogada do terceiro gol e fez magia no quarto, grudando a bola no pé, passando por três marcadores e soltando com açúcar para Kardec fechar a goleada.

Com o resultado, o Palmeiras chega aos 25 pontos, dois a mais do que a Chapecoense, agora vice-líder, que tem um jogo a menos. Já o Icasa estaciona nos 13 pontos, mas cai para a 11ª posição.

Na próxima rodada, o Palmeiras recebe o Bragantino, sexta-feira, às 19h30m, no mesmo Pacaembu. O Icasa, por sua vez, enfrentará o São Caetano, sábado, às 16h20m, no Romeirão, em Juazeiro do Norte (CE).

Palmeiras x Icasa (Foto: Marcos Ribolli / Globoesporte.com)Mendieta fez sua estreia como titular, substituindo Valdivia, poupado (Foto: Marcos Ribolli)

Quem não faz de pênalti, leva

Iguais no apelido e nas cores do uniforme, mas opostos nas propostas de jogo. Palmeiras e Icasa confrontaram estilos. O mandante, confuso, martelava com a bola. O time cearense marcava com dez atrás do meio de campo e explorava os contra-ataques.

Nos 15 minutos iniciais, o time do Palestra Itália dominou, mas sem organização. A ponto de irritar Gilson Kleina, pedindo para Vinicius abrir pela ponta, em vez de afunilar no meio. Chegando de trás, Charles era opção interessante nas finalizações de longe. Mas sem sucesso.

Fernando Prass, Palmeiras x Icasa (Foto: Marcos Ribolli)Fernando Prass defende pênalti cobrado por Radamés (Foto: Marcos Ribolli)

Percebendo a deficiência de Juninho, o Icasa explorou as costas do lateral e levou perigo. Juninho Potiguar caiu pelo setor e cruzou para Roberto, que foi derrubado por Henrique. O árbitro Eduardo Tomaz assinalou pênalti. Radamés bateu rasteiro à direita de Fernando Prass, que defendeu a cobrança. Festa palmeirense no Pacaembu, aos 23 de jogo.

O Icasa ainda teve outra ótima chance criada nas costas de Juninho, mas Carlinhos, livre, errou o alvo. Animado pela defesa de Prass, o Palmeiras pressionou até abrir o placar. Leandro, um dos destaques do time ao lado de Mendieta, invadiu a área pela esquerda e foi derrubado por Gilmak. Na cobrança, Vinicius não perdoou: 1 a 0 no primeiro tempo.

Vinicius, Palmeiras x Icasa (Foto: Marcos Ribolli)Vinicius marcou de pênalti para o Palmeiras contra o Icasa (Foto: Marcos Ribolli)

Alan Kardec e Wesley definem

Palmeiras e Icasa voltaram acesos do intervalo e protagonizaram jogo eletrizante nos 15 minutos inicias do segundo tempo. Luis Felipe e Vinicius, pelo time do Palestra Itália, além de Carlinhos e Juninho Potiguar, pela equipe cearense, assustaram.

O jogo começava a cair de rendimento quando Kleina fez duas alterações: Valdivia no lugar de Mendieta, e Alan Kardec na vaga de Vinicius. Todos, aliás, muito aplaudidos pelos palmeirenses no Pacaembu. E o centroavante, em sua primeira atuação com a camisa alviverde no Pacaembu, deixou sua marca.

Em escanteio pela esquerda, Juninho se redimiu dos erros e colocou na cabeça de Alan Kardec, que desviou para a rede de João Ricardo: 2 a 0, aos 32 minutos. O centroavante quase fez o terceiro e teve boa atuação.

O técnico Sidney Moraes ainda tentou reação, substituindo Juninho Potiguar por Leandrinho, e Chapinha por Adalgísio Pitbull, mas não teve sucesso. Quem matou a partida foi mesmo o Palmeiras. Após troca de passes dentro da área do Icasa  iniciada por Valdivia, Wesley acertou o ângulo esquerdo de João Ricardo: 3 a 0.

E ainda teve tempo para o quarto gol. Faltava a participação de Valdivia. Aos 46, o Mago colou a bola no pé, passou por três marcadores e soltou para Kardec bater seco, sem chance para o goleiro do Icasa. Liderança da Série B retomada, em grande estilo.

Bruno diz não se surpreender com bom rendimento do Palmeiras

Goleiro ressalta confiança do elenco após bom resultado na Libertadores, contra o Tijuana: ‘Nós nos consideramos a primeira força’

Bruno palmeiras coleitva (Foto: Gustavo Serbonchini)

Bruno destaca força do Palmeiras na reta final da
Libertadores (Foto: Gustavo Serbonchini)

De azarão a paulista com mais chances de classificação na Taça Libertadores da América. Por conta do elenco montado há mais tempo e de jogadores de renome, Corinthians e São Paulo entraram na competição sul-americana como as duas principais forças do estado na competição continental. Mas depois das oitavas de final as coisas mudaram de figura, e quem se tornou o time com mais chances de avançar às quartas de final é o Palmeiras. Tudo isso não é surpresa para Bruno, que sempre confiou na equipe.

Com um empate trazido do México – 0 a 0 contra o Tijuana –, o Verdão precisa apenas de uma vitória simples para se classificar. São Paulo e Corinthians precisarão de mais do que isso para passar de Atlético-MG e Boca Juniors, respectivamente, já que ambos perderam seus duelos na ida do mata-mata.

– Sempre nos consideramos a primeira força do estado. Não importa o que os outros pensam. Temos de saber da nossa capacidade e continuar trabalhando para isso – disse Bruno.

Com um elenco reduzido, o Verdão começou a temporada desacreditado. Com mais de 20 jogadores dispensados no fim do ano passado,  Kleina tinha poucas opções para armar a equipe no início do ano. As coisas só começaram a melhorar quando o presidente Paulo Nobre assumiu, no fim de janeiro, empossou José Carlos Brunoro como seu diretor executivo e a dupla foi ao mercado buscar opções.

Sempre nos consideramos a primeira força do estado. Não importa o que os outros pensam. Temos de saber da nossa capacidade”
Bruno

Além disso, a saída de Barcos – negociado com o Grêmio – também deixou a torcida desconfiada em relação às possibilidades da equipe em 2013.

– A imagem que as pessoas têm de nós e a opinião de fora não nos influencia. Estávamos desacreditados por muitos, mas nos classificamos no Paulista e na Libertadores com antecipação. Fomos bem contra o Tijuana. A opinião de fora não interfere muito. Estamos buscando fazer um grande ano pelo Palmeiras.

Eliminado no Campeonato Paulista nos pênaltis após grande jogo contra o Santos, o Palmeiras terá uma semana e meia sem jogos. Por isso, o treinador Gilson Kleina deu folga ao elenco neste fim de semana. O grupo se reapresenta, ao que tudo indica, na tarde da segunda-feira. Bruno comemorou o intervalo sem jogos, já que a equipe terá mais tempo para se preparar para o duelo de volta contra o Tijuana, no dia 14, no Pacaembu.

– Seria bom jogar logo na quarta. Mas não tem problema jogar só no outro. Queríamos o jogo do Paulista também, mas é bom ter um tempo para descansar depois de tanta correria. Não é do jeito que queria, mas vamos aproveitar para nos preparar.

Bruno ganhou a vaga de Fernando Prass. O então titular do Palmeiras teve uma luxação na clavícula esquerda e deverá ficar longe dos gramados até junho. Ele teve o problema no dia 21 de abril, na derrota por 2 a 1 contra o Ituano, na última rodada da primeira fase do Paulistão. Os médicos dizem que a lesão leva entre seis e oito semanas para melhorar. Até lá, Bruno seguirá como principal arqueiro do Palmeiras.

 

 

Você já viu o Vascão Esperança ?

A crise financeira do Vasco, que culminou com a debandada de jogadores como Fernando Prass e Juninho, tem sido motivo de diversão para os torcedores rivais, que criaram a campanha “Vascão Esperança”, no Facebook, para “doar” Edinho (Fluminense), Rafael Marques (Botafogo) e Renato Abreu (Flamengo). Na brincadeira existe também a opção de doar 20 litros de água para os vascaínos, em referência ao episódio no qual o Vasco teve a água cortada este ano.

Renato Maurício Prado comenta que Flamengo e Vasco precisam se reforçar para a temporada 2013

Fla e Vasco mostraram, sábado, como urge que contratem vários reforços. Que times medonhos!

Coluna redigida pelo jornalista Renato Maurício Prado para o jornal carioca O GLOBO no dia 28 de novembro de 2012