A nova moda do nome e sobrenome no futebol

b6153-3

Terça-Feira Gorda de Carnaval – e são tantas e diferentes as explicações da sua gordura, que é melhor ficar numa só: Mardi Gras, Terça-Feira Gorda em francês, é o último dia permitido para comer tudo que tem vontade, antes do jejum quaresmal.

Dia que, por ser feriado, permite divagar por outros assuntos, igualmente intrigantes, mas que também devem ter explicações das mais lógicas para todos eles.

Antes, era comum no nosso futebol, se ouvir no rádio as jogadas de Didi, Garrincha, Belini, Mazola, Tostão, Vavá, Pepe, Gilmar, Gerson, Clodoaldo, Dino, Jairzinho, Zito, Tatá, Zico, Zózimo, Dudu, Zagalo, Felix, Rivellino, entre tantos tão simples assim, até chegar ao maior de todos, Pelé, ante outros, mas poucos, chamados Domingos da Guia ou seu filho Ademir da Guia, Nilton Santos, De Sordi, Carlos Alberto.

Hoje, verifica-se, nos gramados, que uma boa maioria resolveu fazer uso do nome e sobrenome, como Felipe Rodrigues, André Castro, Pedro Carmona, Gabriel Leite, Martin Silva, Gustavo Scarpa, Diego Cavalieri, Thiago Neves, Rafael Sóbis, Felipe Melo, Michel Bastos, Marcos Rocha e Everton Souza, além de outros. Até no já aposentado Ronaldo inventaram um questionável “fenômeno”.

Nada que diminua ou aumente o tamanho da bola, mas que só fez crescer o trabalho dos narradores.

O número de palavras usadas em cada jogo, no mínimo, dobrou.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

14 anos atrás , Porto dos Milagres estreava na Rede Globo

Livre adaptação de Mar Morto A Descoberta da América Pelos Turcos, do escritor Jorge Amado, Porto dos Milagres se sustenta em uma trama política que contrapõe o simplório pescador Guma (Marcos Palmeira), um representante do povo, ao poder exercido pelo inescrupuloso Félix (Antonio Fagundes) e sua ambiciosa mulher, Adma (Cássia Kiss). A história contemporânea transcorre na fictícia cidade de Porto dos Milagres, localizada na região do Recôncavo Baiano e formada por duas classes sociais distintas: a burguesia porto-milagrense com suas famílias tradicionais, instaladas na parte alta da cidade, e os moradores pobres do cais do porto, habitantes da parte baixa. A base da economia local é a pesca, mas a cidade também é uma das entradas de contrabando do país. A mitologia e a religiosidade estão presentes na trama através da figura de Iemanjá, a “rainha do mar”, padroeira de Porto dos Milagres e que, de forma fantástica, exerce influência na vida dos habitantes. Como outras histórias de Aguinaldo SilvaRicardo Linhares, a novela tem muitas cenas de realismo fantástico.

Félix e Adma são vigaristas que vivem foragidos na Espanha desde que Félix vendeu ilegalmente parte das terras do pai, deixadas como herança para ele e seu irmão gêmeo Bartolomeu (também Antonio Fagundes). Durante uma fuga, após aplicar mais um de seus golpes, Félix encontra uma cigana, que profetiza que ele vai atravessar o mar e ser rei. Ele e Adma concluem que tal profecia só pode se concretizar no Brasil e decidem voltar ao país. Quando chegam a Porto dos Milagres, descobrem que Bartolomeu se transformou no homem mais poderoso da cidade. Adma, então, envenena o cunhado à revelia do marido, e Félix assume o lugar do irmão. O que os dois ignoram é que Bartolomeu tem um herdeiro. Ele teve um filho com a prostituta Arlete (Letícia Sabatella), que procura Félix para lhe apresentar o menino. Adma recebe Arlete e, sem contar nada ao marido, manda o capataz Eriberto (José de Abreu) matar a prostituta e seu filho. Eriberto vira o braço direito de Adma, por quem é apaixonado, e, a mando dela, mata outras pessoas ao longo da trama.

Eriberto leva Arlete e o menino para alto-mar, mas, antes que possa fazer alguma coisa, a mãe coloca o cesto com o bebê na água e se atira. Uma forte onda faz com que o cesto navegue nas águas revoltas, protegido por forças sobrenaturais, sendo guiado até outro barco. Nesta embarcação, estão o pescador Frederico (Maurício Mattar) e sua mulher Eulália (Cristiana Oliveira), que está prestes a dar à luz. Frederico é um dos pescadores que, para melhorar o sustento da família, está envolvido nos negócios de contrabando de Bartolomeu. O filho de Eulália nasce morto, e Frederico, ao ver o cesto e ouvir o choro da criança, pega o bebê e mostra à mulher, como se ele fosse seu filho. Eulália diz que ele vai se chamar Gumercindo e morre em seguida. Desolado, Frederico promete o menino a Iemanjá – assim como Arlete já fizera –, e é dessa forma que o filho de Bartolomeu, herdeiro legítimo de sua fortuna, vai parar na comunidade de pescadores. Anos depois, Frederico entra no mar para tentar salvar o irmão, o pescador Francisco (Tonico Pereira), e desaparece. Gumercindo acaba sendo criado por Francisco e a mulher, Rita (Joana Fomm). Conhecido como Guma (Marcos Palmeira), e ignorando sua verdadeira origem, ele se transforma em um líder respeitado na cidade baixa.

Outra história que remonta ao passado é a da menina Lívia (Flávia Alessandra), sobrinha de Augusta Eugênia Proença de Assunção (Arlete Salles), a mulher mais influente da alta sociedade de Porto dos Milagres. Lívia é filha de Laura (Carolina Kasting), que abriu mão do dinheiro da família para viver com o pescador Leôncio (Tuca Andrada). Augusta Eugênia nunca se conformou com a escolha da irmã e acabou provocando, indiretamente, a morte de Laura e seu marido, ao denunciar o cunhado à polícia por fazer contrabando. Ao saber do plano para prejudicar Leôncio, Laura foi atrás dele, e o casal morreu em uma explosão do barco, após uma perseguição policial. Lívia foi criada no Rio de Janeiro por Leontina (Louise Cardoso), outra irmã de Laura. A moça volta a Porto dos Milagres em companhia do namorado Alexandre (Leonardo Brício), filho de Adma e Félix. Na Bahia, ela conhece Guma, e os dois se apaixonam, mas encontram muitas dificuldades de concretizar esse amor, pois pertencem a mundos diferentes. Além de enfrentarem a hostilidade de Alexandre, que não se conforma em perder Lívia para Guma, e também de Augusta Eugênia, que quer ver a sobrinha casada com o herdeiro de Félix, os dois têm que lidar com as armações da sedutora Esmeralda (Camila Pitanga), moça da cidade baixa apaixonada pelo pescador.

Uma das personagens de destaque de Porto dos Milagres, e cuja história se relaciona à trama principal, é Rosa Palmeirão (Luiza Tomé), irmã de Arlete e Cecília (Luiza Curvo). Na primeira fase da novela, no dia de seu casamento com Otacílio (Eduardo Galvão), ela é condenada a 20 anos de prisão pelo assassinato do coronel Jurandir de Freitas (Reginaldo Faria). A moça mata o coronel porque ele violentou Cecília, que se suicidou em seguida. Rosa deixa a cadeia na segunda fase da novela, quando sua valentia já a transformou em uma lendária personagem de cordel. Ela volta à cidade disposta a descobrir o paradeiro do filho de Arlete, abre um bordel e lá conhece e se apaixona por Félix, sem saber de seu envolvimento no desaparecimento da irmã e do sobrinho.

Na reta final de Porto dos Milagres, Félix tenta matar Guma, mas acaba se rendendo ao pescador, implorando que ele salve seu filho Alexandre, que arrasta Lívia para o alto-mar, disposto a morrer com ela. Guma, mais uma vez, enfrenta as águas do mar para salvar o primo e a amada. Os dois são salvos, mas Guma não sobrevive. Esmeralda, então, em um final redentor para a personagem, dá a sua própria vida a Iemanjá para salvar a de Guma. Ela vira mãe de santo, e Guma, salvo, casa-se com Lívia, com quem tem um filho.

Abandonada por Félix após tudo o que fez pelo marido, Adma morre do próprio veneno: ela envenena uma bebida para dar a Eriberto, que percebe a artimanha e troca as taças. Em seguida, o capataz também toma a bebida, morrendo ao lado da mulher que sempre amou. Félix, eleito governador, é morto por Rosa Palmeirão no dia da cerimônia de sua posse. Após uma curta passagem de tempo, Guma é eleito o novo prefeito da cidade, marcando o início de uma nova era em Porto dos Milagres.

 

 

Fonte : Memória Globo

Veja como “Amor à Vida” e “Joia Rara” têm tramas muito parecidas

Antônio Fagundes (César Khoury) e Mateus Solano (Félix) em "Amor à Vida" (Foto: Divulgação/TV Globo)

Antônio Fagundes (César Khoury) e Mateus Solano (Félix) em “Amor à Vida” (Foto: Divulgação/TV Globo)

O seguidor Henrique Guzella me chamou a atenção no Twitter para uma curiosidade envolvendo os folhetins da Globo “Joia Rara”, das seis horas, e “Amor à Vida”, das nove. Já percebeu como as tramas centrais dessas novelas são parecidas?

Ernest Hauser (José de Abreu em “Joia Rara”), assim como César Khoury (Antônio Fagundes em “Amor à Vida”), são empresários poderosos, controladores e arrogantes. Ernest é dono de uma joalheria – daí o título da novela, “Joia Rara”. E César, dono de um hospital – daí o título “Amor à Vida”.

Sim, eu sei que não é exclusivamente pela joalheria que a novela se chama “Joia Rara“, mas por causa da menina que é a reencarnação de um mestre budista. Mas de “Joia Rara” para uma joalheria, a relação é óbvia. Assim como “Amor à Vida” – que é um título bastante abrangente – para o hospital da história.

Manfred (Carmo Dalla Vecchia), filho bastardo de Ernest, e Félix (Mateus Solano), filho de César, são filhos rejeitados pelos seus pais, mas com uma forte ligação com suas mães – Manfred com Gertrude (Ana Lúcia Torre) e Félix com Pilar (Susana Vieira). Os filhos lutam para serem amados e reconhecidos por seus respectivos pais ausentes.

Amor à Vida” está bem mais adiantada que “Joia Rara”, então vamos desconsiderar que Félix deixou de ser vilão e regenerou-se, e vamos nos ater ao início de Amor à Vida e sua trama original.

Tanto Manfred quanto Félix são vilões obcecados pelo poder, capazes de tudo para se apoderarem do negócio de suas famílias. Ambos trabalhavam nas empresas e superfaturavam a compra de materiais através de contratos fraudulentos. Ou seja, Manfred e Félix roubavam dentro das empresas. Manfred sempre quis a presidência da joalheria, e conseguiu, destituindo seu pai. Ernest, do cargo. Igualzinho a Félix, que também chegou a tomar o hospital das mãos de César.

José de Abreu (Ernest Hauser) e Carmo Dalla Vecchia (Manfred) em "Joia Rara" (Foto: Divulgação/TV Globo)

Ernest Hauser e César Khoury têm seus filhos prediletos: Franz Hauser (Bruno Gagliasso) e Paloma Khoury (Paolla Oliveira), o que enchia de inveja seus respectivos irmãos malvados, Manfred e Félix, que fizeram o possível para se apossar das heranças deles. Franz e Paloma se casaram com pessoas de classe social inferior, a contragosto de seus pais: Franz casou-se com Amélia (Bianca Bin) e Paloma casou-se com Bruno (Malvino Salvador). Ambos os casais tiveram uma filha: Pérola (Mel Maia em “Joia Rara”) e Paulinha (Klara Castanho em “Amor à Vida”) – ainda que Paulinha não seja filha biológica de Bruno. Parentes de Bruno (mãe e irmão) trabalham no hospital dos Khoury, enquanto o irmão de Amélia trabalhava na joalheria da família Hauser.

Ernest e César escondem mistérios nebulosos que causaram tragédias no passado. Por causa desses acontecimentos, as belas Silvia (Nathalia Dill em “Joia Rara”) e Aline (Vanessa Giácomo em “Amor à Vida”) se infiltraram nas famílias Hauser e Khoury, atrás da máscara de boas moças, com o objetivo de vingar seus algozes. Silvia quer vingança pela morte de seu pai, cujo responsável foi Ernest – ela chegou a casar-se com Franz para entrar para a família Hauser. E Aline quer vingar a morte da mãe e responsabiliza César – por isso o seduziu e casou-se com ele.

Vale lembrar que a dupla Thelma Guedes e Duca Rachid (as autoras de “Joia Rara”) e Walcyr Carrasco (autor de “Amor à Vida“), já trabalharam juntos. Elas foram colaboradoras dele em algumas de suas novelas (“O Cravo e a Rosa”, “A Padroeira”, “Chocolate com Pímenta”, “Alma Gêmea”). E ele supervisionou a primeira novela solo da dupla, “O Profeta” (também escrita com Júlio Fischer).

COMENTE: Você consegue ver mais semelhanças entre “Amor à Vida” e “Joia Rara”?

 

Nilson Xavier

“Amor à Vida”: Félix descobre que Ninho é comparsa de Aline; saiba como

https://i0.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/a9fccb6b0a683eda230093263a701de5.jpg

Divulgação

Em “Amor à Vida”, Félix (Mateus Solano) vai descobrir que Ninho (Juliano Cazarré) é o comparsa de Aline (Vanessa Giácomo).

O vilão vai desconfiar do pintor ao descobrir que ele não aparece em seu galpão há muito tempo. Ele decide ir até o local e encontra Valentin (Marcelo Schmidt) e Vivian (Angela Dip). Eles vão dizer que Ninho está morando na casa de sua namorada.

Félix vai até o hospital e resolve contar tudo para Paloma (Paolla Oliveira).

Veja diálogo:

Félix – Eu te disse que desconfiava de quem é o homem que está na casa do papi soberano, ajudando a Aline. Agora eu tenho praticamente certeza. É o Ninho.

Paloma – Como você chegou a essa conclusão?

Félix – Eu pedi para Ninho seduzir Aline e destruir o casamento de papi.  E também porque eu sabia que a vigarista ia pegar o dinheiro dele. Se o Ninho entrasse na parada e o papi descobrisse, o dinheiro ia parar de escorrer pelo ralo.

Paloma – Rebeca (Paula Braun) – a nova espiã – você pode confirmar essa informação?

Rebeca – Esse Ninho é perigoso?

Paloma – Acho que não. Ele é o pai biológico da minha filha. Rebeca, ele é crianção, sem cabeça. Ele sequestrou a Paulinha porque queria ficar comigo e com a nossa filha.

Lutero (Ary Fontoura) observa que a vilã sabe manipular todos os homens e ele trata de alertar Rebeca pedindo para ela se cuidar.

“Amor à Vida” vai ao ar logo após o “Jornal Nacional”.

NaTelinha

Félix enveredou pelo perigoso caminho da chanchada

 

Está divertido ver o personagem do Mateus Solano transformado em vendedor de cachorro quente. A camisa amarrada na barriga é qualquer coisa. Quanto ao aspecto diversão, portanto, nada contra.

O grande problema, e que todo mundo sabe, é que “Amor à Vida” foi espichada e o Walcyr Carrasco, talvez pego de surpresa, está se utilizando de todos os recursos para segurar a sua história. Compreende-se, mas será que no caso do Félix a chanchada é o caminho indicado? Ou o único que o autor poderia se utilizar? Era mesmo preciso chegar a tanto?

Mesmo em se tratando de um profissional com tantos recursos, como é o caso do Solano, essa guinada pode ser comprometedora. Qual Félix, afinal, é o verdadeiro? De qual deles os telespectadores se lembrarão ao fim da novela? Aquele, ruim até os dentes, do começo e até bem pouco tempo ou esse pitoresco de agora? Alguma coisa, inevitavelmente, vai soar falso e é por aí que entra a questão de sempre: esticar novela, depois do “no ar” piscando, nunca termina em coisa muito boa.

O final apoteótico para o Félix, do jeito que vai, é virar coroinha, sacristão ou até se candidatar a santo. Alguém sabe se um “São Félix” já existe? Respondam pro Walcyr.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

“Amor à Vida”: Félix recebe ajuda de Jonathan e ajudará Márcia no hotdog

https://i0.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/5845feb0f5c0fb60290eb1b395e0490a.jpg

Sem dinheiro, Félix recorre a sanduíche de mortadela e ao trabalho com Márcia vendendo cachorro-quente – Divulgação/Globo

Rejeitado por praticamente todos de sua família, inclusive por sua mãe Pilar (Susana Vieira) e por sua antiga aliada Glauce (Leona Cavalli), Félix só conseguirá sensibilizar duas pessoas nos próximos capítulos de “Amor à Vida”.
Félix recebe o apoio de Jonathan, que lhe dá um sanduíche e sua mesada 
Divulgação/Globo
Sem dinheiro, Félix pedirá ajuda a Jonathan (Thalles Cabral), que lhe entregará um sanduíche de mortadela em um banco de praça. Ele também dará toda sua mesada para o pai, que se sensibilizará. “Jonathan, eu nem sei o que dizer. Eu sei, eu devia ter aumentado sua mesada quando você me pediu. Hoje você me daria mais..Mas deve dar pra pagar algum hotel pulguento por uns dias”, dirá o vilão.
Será Jonathan quem recomendará Félix a buscar por Márcia (Elizabeth Savalla) e questionará o fato de ela tê-lo chamado de “meu menino”. “O que uma vendedora de hot dog pode fazer por mim?”, perguntará o ex-presidente do San Magno.
Jonathan também incentivará o pai a buscar uma ocupação. “Compra um carrinho de pipoca, sei lá”, sugere. “Jonathan, eu nem tenho grana pra comprar a pipoca, quem dirá o carrinho. E mesmo que tivesse, preferia que o chão se abrisse a meus pés do que ser pipoqueiro. Félix, o pipoqueiro..É o apocalipse”, rebaterá o ex-milionário sem perder a pose.
Félix recorre a Márcia e começa a ajudar na venda de cachorro-quente
Divulgação
Apesar de tudo, Félix irá procurar por Márcia. Após ter seus cartões bloqueados e de ter dormindo uma noite em um hotel com baratas, Félix irá à casa da mulher, a quem se referia como “rainha do hotdog”.
Mateus Solano gravou nesta semana as cenas em que ajuda Márcia na venda dos cachorros-quente. Seu personagem ainda irá se atrapalhar e tentará enganar os clientes na hora de repassar o troco.
As cenas de Solano e Thalles Cabral foram gravadas no último sábado (16), no centro do Rio de Janeiro.
A nova realidade de Félix, tanto com Márcia como com Jonathan, deverão ir ao ar entre o fim deste mês e a primeira semana de dezembro.
“Amor à Vida” vai ao ar de segunda a sábado, às 21h20.
NaTelinha

Félix vende novela para TV da França

 

O show de Mateus Solano, Félix, no capítulo de “Amor à Vida” exibido segunda-feira, na Globo, com direito a recorde de audiência, não foi destaque apenas por aqui.

No dia da gravação, o trabalho do Mateus foi acompanhado de perto por representantes de uma televisão da França.

E bastou apenas aquela sequência, onde ele foi desmascarado, para que os franceses decidissem pela compra da novela. Negócio fechado.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Quem fim Félix terá em Amor à Vida ?

 

Na Globo já existem apostas sobre o fim do Félix, personagem do Mateus Solano, em “Amor à Vida”…
… As opiniões estão bem desproporcionais. Alguns poucos acham que será preso, enquanto maioria acredita que será assassinado.

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Cheio de Baratas – Félix vai parar num hotel de 5ª categoria em “Amor à Vida”

 

Félix, Mateus Solano, acostumado a uma vida de luxo, vai comer o pão que o diabo amassou, nos próximos capítulos de “Amor à Vida”.

Irá inclusive parar num hotel de quinta categoria, com quarto de alta rotatividade e colcha “rosa choque”. Tudo caindo aos pedaços…

… Lado comédia

Lá, certa noite, Félix será atacado por… baratas. Essa cena, aliás, provocou uma recomendação, por escrito, do autor Walcyr Carrasco.

Ele entende que a barata em si “não deve ser mostrada”.

Porque “as mulheres [telespectadoras] realmente têm horror a baratas e vão sair correndo da sala”. Só as mulheres???

 

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

“Amor à Vida”: Pilar expulsa Félix da presidência e de casa: “monstro”

Félix é desmascarado pelo pai e acaba na rua, sem nada.

https://i0.wp.com/natelinha.ne10.uol.com.br/imagem/noticia/c49492dd74d3551bf34835e591edf7a1.jpg

Divulgação

Conforme notícia já publicada pelo NaTelinha, César (Antonio Fagundes) vai revelar para toda a família que Félix (Mateus Solano) jogou Paulinha (Klara Castanho) numa caçamba de lixo.

Ao saber da notícia, Pilar (Susana Vieira) vai ficar chocada com a atitude do filho. A situação do vilão vai ficar muito complicada em “Amor à Vida”.

Depois de César fazer a revelação, Félix vai tentar falar com Pilar: “Mamy, a gente precisa conversar. Eu sei que você deve estar horrorizada comigo”. A médica afirma: “Horrorizada com você? Estou horrorizada comigo por ter te criado. Eu já disse e repito, Félix. Eu preciso ficar sozinha. Pensar sobre o que aconteceu. Conversamos amanhã, no café. Simplesmente não tenho condições emocionais de falar com você agora”.

No outro dia, Pilar chama Félix para conversar.

 

Veja o diálogo:

Pilar – Eu passei a noite com as palavras que todos nós trocamos ecoando na minha cabeça. Ouvia sua voz, ouvia a voz da Paloma, e do seu pai. Eu li aquele laudo, que mostra que as impressões digitais conferem. Eu sei que, se fizerem mil laudos, todos dirão que você tocou naquele pano, que você roubou o bebê da Paloma e jogou numa caçamba.

Félix – Mamy, eu não neguei. Eu mesmo confessei tudo.

Pilar – Não, você nem confessou. Você vomitou. Vomitou as palavras que estavam presas na sua garganta. Quanto ódio, Félix, quanto ódio pela sua irmã. Um crime tão horrendo não admite explicação possível. Mas, segundo seu pai, o crime já prescreveu. Também estou de acordo com o seu pai. Deixar estourar o escândalo de que o presidente do hospital e maternidade San Magno jogou a própria sobrinha numa caçamba seria o fim do hospital. E o San Magno é a base da nossa fortuna. Não vejo porque todos nós temos que pagar pelo seu erro. Vou dizer o que você vai fazer. Hoje você vai para o hospital. Vai marcar uma reunião do conselho pro fim da tarde. Você vai renunciar à presidência, Félix.

Félix – Renunciar? Nunca, mamy, eu me recuso.

Pilar – Então eu mesma convoco o conselho e anuncio que você não me representa mais. E tiro você da presidência. O que você prefere? Sair pelas próprias pernas ou de quatro, expulso por mim?

Pilar deixa o escritório e Félix vai atrás dela. Mas é impedido de entrar em seu quarto.

No outro dia, Pilar liga para César e avisa que Félix vai renunciar ao cargo de presidente do San Magno. Ela pede para o ex-marido assumir de volta e ele aceita.

No hospital, Félix renuncia e ao chegar em casa tem outra surpresa. “Félix, amanhã eu quero que você faça as malas e vá embora. Você está expulso desta casa. Eu te dou esta noite para você fazer suas malas, pegar seus objetos pessoais e ir embora”, diz Pilar.

Félix chora e diz: “É pior que levar um tiro. Não pode ser verdade. Mamy, eu estou arrasado, desesperado”.

Sem dó do filho, Pilar humilha o vilão: “Está desesperado porque perdeu a presidência do hospital. E agora mais ainda porque eu te disse para ir embora de casa. Sabe qual foi a minha vontade, quando te vi na sala de reuniões hoje? Quando você abriu mão da presidência? A minha vontade era não estar ali, não te ver mais. Eu tenho nojo do que você fez, Félix. Nojo! Dentro da minha cabeça, eu ainda não consigo entender como alguém pode ser tão cruel. Como o filho que eu criei com carinho se transformou num monstro”.

Félix faz um escândalo, mas Pilar se controla para não ceder. Ela fica arrasada no quarto escutando os gritos do filho.

Na rua

Félix vai embora da mansão e se dirige a um hotel de luxo. Quando passa o cartão de crédito, percebe que ele está bloqueado. O vilão liga para o banco e fica sabendo que todos os cartões e dinheiro estão bloqueados.

Humilhado, ele pede ajuda a Glauce (Leona Cavalli), que não atende seu pedido.

A única pessoa que ajuda Félix é Jonathan (Thalles Cabral). O vilão chega a um ponto de comer um churrasquinho na rua para economizar. Uma pessoa diz que é de gato e Félix desiste de comer. Ele se dirige a um restaurante de luxo, come e depois fica sem saber como vai pagar a conta.

 

As cenas vão ao ar a partir do dia 19. “Amor à Vida” vai ao ar logo após o “Jornal Nacional”.

 

NaTelinha