Ceará perde para o Vila Nova por 3 a 2 e dá adeus à briga pelo acesso

3 a 2 na décima sétima rodada do returno da série B

 

Site do Ceará Sporting Club

Com golaço de Felipe, Ceará vence o Sampaio Corrêa em São Luis (MA)

Segunda vitória seguida na Série B

Site do Ceará Sporting Club

Ceará vence o Goiás e conquista primeiro triunfo em casa na Série B

TATIANA FORTES

Felipe teve boa atuação e marcou o primeiro gol do Ceará no jogo

Enfim o Ceará conquistou sua primeira vitória em casa nesta Série B. O Alvinegro não fez um grande jogo, mas com gols do meia Felipe e de Ramires, contra, bateu o Goiás por 2 a 1 na noite desta terça-feira, 31, e conquistou um triunfo que garante tranquilidade ao time para a sequência da Segundona.

Com o resultado, o Vovô chegou aos sete pontos conquistados depois de cinco rodadas disputadas, e assumiu a 10ª colocação da tabela. O Alvinegro volta a campo no próximo sábado, 4, para enfrentar o Sampaio Corrêa, às 16 horas, em São Luis.

O JOGO
Mais compactado, o Ceará iniciou o jogo mostrando maior comprometimento tático e foi superior durante os 45 minutos iniciais. A defesa, que vinha sendo o setor mais criticado pelas recentes falhas, teve atuação mais consistente que nos últimos jogos, sem deixar que o Goiás oferecesse grandes perigos ao gol de Éverson.

Do meio pra frente, o Vovô mostrou eficácia nas chances que teve, com Felipe e Bill sendo as principais peças no setor ofensivo. Aos 18 minutos, o meia aproveitou falha de Willian, saiu cara a cara com Renan e, com categoria, marcou o primeiro gol do jogo.

Aos 37, Bill tocou de calcanhar para Felipe, que cruzou na área e Ramires tentou afastar, mas acabou marcando contra. 2×0 para o Vovô, placar que se manteve até o fim da primeira etapa.

Com a vantagem no marcador, o Vovô voltou para o segundo tempo administrando o resultado e esperando o Goiás sair pro jogo em busca do empate para tentar surpreender no contra-ataque. O técnico Enderson Moreira fez mudanças que garantiram mais ofensividade ao time esmeraldino, enquanto Sérgio Soares tentou garantir consistência no meio campo para segurar o resultado, mas sem abdicar de atacar.

Com os dois times em busca do gol, a partida ganhou mais emoção. Enquanto o Goiás tentava reagir, o Vovô buscava explorar o contra-ataque, mas sem sucesso.

Após crescer com as substituições, o Goiás marcou com Thalles, aos 31 minutos. O meia, qua havia acabado de entrar no lugar de Wendell, acertou um chutaço da entrada da área, sem chances para Éverson.

O restante da partida foi de pressão dos visitantes, que buscaram o empate até o fim. Mas nem a entrada do atacante Cassiano na reta final foi capaz de tirar a vitória do alvinegro, que conseguiu administrar o placar até o apito final.

 

O POVO

Ceará é derrotado em Santa Catarina

4 a 2 no Estádio Ressacada

Site do Ceará Sporting Club

Coritiba 1 x 1 Corinthians

Coritiba arranca empate contra o Corinthians, mas ainda sofre no Z-4

Timão vencia o jogo até os 46 do 2º tempo, mas se encolhe e leva o gol, perdendo a chance de empatar com o Atlético-MG na ponta. Coxa segue na penúltima posição

A situação do Coritiba no Campeonato Brasileiro ainda é complicada, mas ao menos o time demonstrou reação neste domingo, diante do Corinthians, no Couto Pereira, pela 15ª rodada. A equipe paulista vencia o jogo até os 46 minutos do segundo tempo, gol de Felipe, marcado na etapa inicial. Mas Evandro empatou a partida, após pressão intensa da equipe paranaense.

Assim, o Timão se mantém na vice-liderança do Brasileirão, com 30 pontos, dois atrás do Galo – tivesse vencido, teria empatado com os mineiros. O Coxa está no outro extremo da tabela: é o penúltimo colocado, com 11 pontos, cinco atrás do Figueirense, primeiro time fora do Z-4 – o Joinville, com nove, é o lanterna.

Coritiba Corinthians  (Foto: Giuliano Gomes/ Agência PR PRESS)
Coritiba e Corinthians ficaram no empate neste domingo 
(Foto: Giuliano Gomes/ Agência PR PRESS)

O Coritiba passou a maior parte do primeiro tempo com a bola no pé: 61% de passe de bola, contra 39% do Corinthians. No entanto, faltou saber o que fazer com ela. O time paranaense cercou a área dos visitantes, mas não conseguiu arremates a gol. Tanto que Cássio fez apenas uma defesa, em chute de Thiago Galhardo, aos 32.

Já o Corinthians começou o jogo preso porque os meio-campistas erraram muitos passes. Love tinha dificuldades para dominar a bola e se isolou à frente. Ainda assim, a equipe comandada por Tite demonstrava um pouco mais de força no ataque. Por isso, abriu o placar aos 40, com Felipe completando de cabeça escanteio cobrado por Jadson – a bola ainda desviou em João Paulo antes de entrar.

O segundo tempo manteve o panorama do primeiro: Coxa com a bola, mas sem ameaçar, e o Timão mais agudo no ataque. As tentativas da equipe paranaense eram todas neutralizadas antes de oferecerem perigo.

Já a equipe corintiana era um pouco mais efetiva, ainda que seguisse errando muitos passes. Edu Dracena acertou ótima cabeçada, que foi desviada por Wilson. Em outra jogada pelo alto, Dracena desviou de cabeça, e a bola passou à frente de Love, que não conseguiu alcançar por centímetros.

Aos poucos, o Coxa foi intensificando sua pressão e passou a acertar passes. Acuado, o Timão não conseguia sair de dentro de sua área e se defendeu até onde pôde. Aos 46, caiu a casa alvinegra: Rafhael Lucas recebeu na direita e cruzou rasteiro para Evandro empatar.

GLOBO ESPORTE.COM

Flávio Ricco comenta nomes usados em novelas

A restauradora repreende a prima (Foto: TV Globo)

Variar um pouco

Está havendo uma repetição muito frequente de nomes nas novelas. Parece que os autores não estão conseguindo ir além de Pedro, Felipe, Miguel, João, Regina, Cris e Guto, além de outros poucos. Poderiam variar um pouquinho mais.

Flávio Ricco com colaboração de José Carlos Nery

Atlético Paranaense 3 x 0 Internacional

Atacante faz um gol, sofre pênalti e cruza para o terceiro gol do Furacão na Baixada. Focado na Libertadores, Colorado não evita derrota mesmo com “reservas de luxo”.

O atacante Walter brilhou, e o Atlético-PR venceu o time reserva do Internacional por 3 a 0 na tarde deste domingo, na Arena da Baixada, pela primeira rodada do Campeonato Brasileiro. O camisa 18, ex-Colorado, marcou um e participou dos outros dois gols. O resultado deixa o Furacão no segundo lugar e o time gaúcho em último pelo saldo de gols.

O Atlético-PR buscava, no jogo deste domingo, minimizar a pressão após ter lutado para não cair no estadual e de ter sido eliminado pelo Tupi-MG logo na segunda fase da Copa do Brasil. E o time contou com a estrela de Walter: marcou o primeiro, sofreu o pênalti do segundo (Felipe cobrou) e cruzou para Paulão, contra, fazer o terceiro. O Inter, em meio à disputa por vaga nas quartas de final da Libertadores, poupou os titulares. Mesmo com reservas de luxo, como Léo, Réver e Rafael Moura, a equipe de Diego Aguirre não conseguiu superar a marcação adversária.

Walter Atlético-PR Internacional (Foto: Giuliano Gomes/PR Press)
Walter comemora o primeiro gol da vitória rubro-negra (Foto: Giuliano Gomes/PR Press)

Na próxima rodada do Brasileirão, o Atlético-PR pega o Goiás às 18h30 (horário de Brasília) de sábado, no Serra Dourada – o jogo será com portões fechados. Já o Inter recebe o Avaí às 18h30 de domingo, no Beira-Rio. Antes, o Colorado tem o jogo contra o Atlético-MG pelas oitavas de final da Libertadores – o duelo está marcado para quarta-feira, às 22h, no Beira-Rio.

Walter é decisivo na vitória atleticana

Apesar das diferenças, Atlético-PR e Inter protagonizaram primeiro tempo equilibrado. O Furacão apostava nas jogadas pelos lados, principalmente com Eduardo e Marcos Guilherme pela direita. O gol, aliás, saiu por ali. Aos 14, Marcos Guilherme cruzou, e Walter apareceu livre para mandar o fundo da rede. Na comemoração, o jogador – que passou pelo time gaúcho – provocou a torcida rival com sinal de silêncio. O Colorado, por sua vez, levava perigo em chutes de longe, bola parada e bola aérea. Aos 23, por exemplo, Taiberson cruzou, e Kadu quase marcou contra. Talvez pelo desentrosamento, porém, os visitantes não conseguiram o gol ainda na etapa inicial.

O Inter voltou com postura mais ofensiva para o segundo tempo, mas deixou espaços atrás. Sorte dele que Marcos Guilherme e Felipe perderam chances claras, praticamente sem goleiro, nos minutos iniciais. Diego Aguirre, então, colocou Alex e Valdívia. Sem sucesso. A equipe rondava a área, mas não criava chances claras. O Furacão, então, “matou” o jogo. Primeiro, Walter sofreu pênalti – Felipe cobrou com categoria e ampliou. Depois, Walter cruzou, e o zagueiro Paulão errou no corte e marcou contra – 3 a 0. Aí o Atlético-PR valorizou o resultado, trocou passes (inclusive com gritos de olé) e só esperou o apito final para comemorar.

 

GLOBO ESPORTE .COM