Paraná 1 x 1 Figueirense

O JOGO

DONO DA CASA

Noite de dever de casa. Na noite desta sexta-feira, na abertura da 8ª rodada da Série B, o Paraná cumpriu seu papel na Vila Capanema ao bater o Figueirense pelo placar mínimo. Felipe Alves foi o responsável pelos três pontos conquistados pelo Tricolor paranaense, garantindo o sexto seguido na competição nacional. Pelo outro lado, o Alvinegro não vence desde a segunda rodada e começa a se aproximar da zona de rebaixamento.

DESTAQUE

COMO FICA?

O resultado garantiu um crescimento do Paraná na tabela, chegando à sexta posição, com 12 pontos, mas com possibilidade de ser ultrapassado neste sábado, após com complemento da rodada. Já o Figueira segue com 8, na 14ª posição, também com chances de perder até duas posições no fim de semana, para Brasil de Pelotas e CRB.

DESTAQUE

SEQUÊNCIA

Na próxima rodada, o Figueirense volta para Santa Catarina na próxima rodada, enquanto o Paraná vai até o Rio Grande do Sul. Em mais uma chamada superterça, o time catarinense recebe o Luverdense, às 20h30. Já o Tricolor enfrenta o Inter, no Beira Rio, às 21h30.

DESTAQUE

BORDERÔ

Público total: 3.712
Público pagante: 3.519
Renda: R$66.120

DESTAQUE

OPORTUNISTA

Felipe Alves teve uma grande chance e não marcou, no fim do primeiro tempo, na cara do goleiro Thiago Rodrigues. Mas na segunda… não deixa mais uma oportunidade passar – subiu de cabeça e não deu chances para o arqueiro rival. No seu sexto jogo na Série B, marcou o segundo gol. Na temporada, são seis tentos em 22 jogos, oscilando entre reserva e titularidade

DESTAQUE

FASE RUIM

O Figueirense começou com duas vitórias nas duas primeira partidas na Série B. Depois, porém, nos outros seis jogos, empatou dois e perdeu quatro. São nove gols pró e 11 contra até agora, com 33,3% de aproveitamento.

DESTAQUE

NOTA TRISTE

Biteco deixou o campo aos 12 minutos após se lesionar sozinho e preocupa. No intervalo, ele apareceu de muletas e, segundo informações do SporTV, teve rompimento de tendão.

DESTAQUE

1º TEMPO

Buscando a aproximação do bloco principal e atuando em seu domínio, o Paraná sofreu um pequeno baque logo no início do jogo. Guilherme Biteco, uma das importantes peças do Tricolor em 2017, foi substituído logo aos 12 minutos, dando vaga para Renatinho. Assim mesmo os mandantes foram os primeiros a chegar perto do gol, com Gabriel Dias, em posição irregular. Do outro lado, o Figueira não demorou para dar o troco. Na estreia de Marcelo Cabo, o time tentou sair na frente em tiro de longe de Iago, que arriscou e assustou o goleiro paranista. Sem inspiração, os catarinense pararam por aí, enquanto o time da casa pressionou nos minutos finais e exigiu do goleiro Thiago Rodrigues.

DESTAQUE

2º TEMPO

O time da casa abriu o placar logo cedo. Felipe Alves aproveitou cruzamento pela direita de Gabriel Dias, após toque de Renatinho, para abrir o placar. E o jogo se abriu definitivamente. O Figueira exigiu, logo em seguida, duas defesas do goleiro Richard, em finalizações de cabeça de Naylhor, e com os pés, com Henan. Teria outra chance dupla com os mesmos dois jogadores, em jogada similares.

Pelo lado tricolor, a melhor chance foi nos pés de Renatinho, após rebote de Thiago Rodrigues, encobrindo o goleiro, mas errando o alvo. Ainda tentou explorar o avanço desorganizado no fim da partida dos visitantes, buscando matar o jogo no contragolpe, mas também não teve eficiência para tal. Final, Paraná 1 x 0 Figueirense.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Juventude 2 x 1 Paraná

O JOGO

À BASE DE LUTA

Não foi uma partida brilhante, com um jogo técnico e bom de ver. Mas, em um campo molhado e castigado pela chuva no Rio Grande do Sul, o Juventude virou para cima do Paraná nos últimos momentos da partida da noite deste sábado, no Alfredo Jaconi, à base de muita luta e determinação. Em duas jogadas de bola parada, a equipe gaúcha chegou ao seus gols – Felipe Alves abrira o placar em gol um pouco estranho. Com o 2 a 1, clube da Serra gaúcha agora é o vice-líder da Série B.

DESTAQUE

COMO FICA

O Paraná já jogou pela quarta rodada da Série B – vitória sobre o Goiás – e, por isso, só volta a jogar após 10 dias na competição, contra o Londrina, dia 6 de junho, no Estádio do Café, às 20h30. Já o Juventude enfrenta o clássico local com o Inter, no próximo sábado, dia 3, às 19h, no Beira-Rio.

Com a vitória, o Juventude chegou aos sete pontos e está atrás apenas do Paysandu na competição. Já o Paraná permanece com cinco, na oitava posição da tabela.

DESTAQUE

PRIMEIRO TEMPO

O Paraná dominou as ações da etapa inicial. Sem conseguir se articular para sair da defesa, o Juventude foi pressionado e viu o goleiro Matheus virar o personagem nos 45 minutos iniciais. Os paranaenses chegaram bem especialmente pelo lado esquerdo, mas não conseguiram ser efetivos, o que sempre cobra seu preço. E foi exatamente o que aconteceu no fim.

DESTAQUE

SEGUNDO TEMPO

A conversa no vestiário fez bem ao Juventude. Com as orientações de Gilmar Dal Pozzo, o time melhorou. Criou algumas chances e rondou a área do Paraná. Mas veio forte, mesmo, nas jogadas de bola parada. Quando Felipe Alves abriu o placar, o Paraná era dominado, mas encaixou um bom contra-ataque. O Ju respondeu muito rapidamente e empatou dois minutos depois, em cobrança de falta que Assis desviou para o próprio gol. E manteve a pressão até o fim, quando em cobrança de escanteio conseguiu balançar as redes.

 
DESTAQUE
NA BASE DA BOLA PARADA

O Juventude mostrou pouca aptidão para chegar ao ataque com a bola no pé. Mas, a cada falta, mesmo longe da área, levantava para tentar ficar próximo do gol de Marcos. Leilson, com batidas de qualidade, acertou a trave. Saiu dos pés dele a cobrança para o empate gaúcho. No fim do jogo, Caprini bateu dois escanteios que levaram perigo. O segundo deles se ofereceu para Diego Felipe após desvio de Micael. E a virada veio pelo alto.

DESTAQUE

A BOLA PUNE

O Paraná esteve bem no primeiro tempo a ponto de transformar o goleiro Matheus em um dos melhores em campo. Em três oportunidades, o camisa 1, campeão gaúcho com o Novo Hamburgo e eleito craque da competição, salvou o time em investidas. Além das defesas, Assis acertou a trave.

GLOBO ESPORTE.COM

Vitória 2 x 1 Boa Esporte

Vitória vence o Boa, encosta no líder Botafogo e fica perto do acesso

Rubro-Negro baiano chega aos 55 pontos e diminui vantagem do Botafogo para apenas um. Boa Esporte completa dez derrotas seguidas e se afunda no Z-4

O encontro entre o vice-líder e o penúltimo colocado da Série B poderia sugerir um jogo fácil. Porém, não foi isso o que aconteceu. O Vitória até foi superior ao Boa Esporte durante os 90 minutos, mas teve dificuldade para superar os mineiros. No fim, prevaleceu a maior qualidade do Rubro-Negro baiano, que venceu a partida por 2 a 1, com gols de Elton e Escudero, de pênalti – Felipe Alves descontou. O duelo, válido pela 30ª rodada da competição, foi realizado na tarde deste sábado, No Barradão.

No Vitória, tudo é sorriso. Com o triunfo, a equipe de Vagner Mancini completou sete jogos de invencibilidade, chegou a 55 pontos e intensificou a caçada ao Botafogo. A distância para o líder da Série B caiu para apenas um ponto, embora os cariocas tenham um jogo a menos.

A situação do Boa Esporte fica cada vez mais complicada. Após mais uma derrota, a décima consecutiva, a equipe mineira fica mais perto de disputar a Série C no próximo ano. O Boa está estacionado nos 23 pontos e é o 19º colocado.

Vitória e Boa Esporte voltam a campo pela Série B na próxima sexta-feira. O Rubro-Negro recebe o Paraná na Arena Fonte Nova, enquanto a equipe mineira enfrenta o Mogi Mirim no Municipal de Varginha.

Frame comemoração Vitória  (Foto: Reprodução)
Elton marcou o primeiro gol do Vitória (Foto: Reprodução)

Elton marca no início

O Vitória não deu nem brecha para que o esquema do Boa Esporte de jogar fechado, forçando o erro do adversário. Os donos da casa foram para cima desde o início da partida e conseguiram o gol cedo. Aos nove minutos de jogo, Vander tabelou com Diego Renan e deixou Elton na boa para abrir o marcador. Depois de inaugurar o placar, o Rubro-Negro continuou pressionando e teve pelo menos outras três boas chances de ampliar o resultado. Na metade da primeira etapa, os baianos até diminuíram o ritmo, ofereceram espaços na sua defesa, mas o Boa tropeçava nas próprias pernas na hora de levar perigo ao gol de Gatito Fernádez. O mesmo não se pode dizer do goleiro Douglas, que se virou como pôde para parar Escudero, Elton e companhia e evitar que o Boa Esporte fosse para os vestiários perdendo por um placar mais elástico.

Vitória administra o resultado

O técnico Nedo Xavier tentou aumentar o poder ofensivo do Boa colocando o atacante Mateus na vaga do volante Jonatan Paulista. De início, não funcionou. Os donos da casa continuaram melhor e novamente conseguiram marcar cedo. Aos oito minutos, depois de jogada de Flávio, a bola bateu no braço de Raphael Silva dentro da área. Pênalti para o Vitória. Douglas defendeu a cobrança de Escudero, mas o argentino aproveitou o rebote e balançou as redes. A alegria não durou muito tempo, pois Felipe Alves diminuiu o placar em chute forte da entrada da área. Quem imaginou que o gol poderia botar fogo no jogo, enganou-se. O Boa tentou partir para o famoso abafa, mas novamente esbarrou na falta de qualidade. Sem forçar muito, o Leão levou o jogo do jeito que quis e administrou o resultado até o apito final do árbitro.

GLOBO ESPORTE.COM

Boa Esporte 1 x 3 Club de Regatas Brasil

Boa perde de 3 a 1 para o CRB e fica ainda mais perto do rebaixamento

Com direito a golaço de Bocão, equipe visitante saiu com os 3 pontos e se aproximou do G-4; Felipe Alves marcou para os anfitriões, mas não evitou 9ª derrota seguida

O Boa Esporte não conseguiu segurar o CRB e perdeu por 3 a1 na tarde deste sábado (3) no Estádio Municipal de Varginha (MG), o Melão. O time mineiro amargou a 9ª derrota seguida na Série B e viu o rebaixamento ainda mais próximo. Enquanto isso, os alagoanos saíram com os três pontos, chegaram a seis partidas sem derrotas e mantiveram vivo o sonho do G-4. Zé Carlos, de pênalti, Bocão, em linda jogada individual, e Leandro, após bobeira da zaga do Boa, fizeram os gols dos visitantes; Felipe Alves, de cabeça, diminuiu para os donos da casa.

Com este resultado, o Boa Esporte se manteve em 18º lugar, com 23 pontos em 29 jogos. O CRB se manteve em 11º, mas chegou a 40 pontos e ficou a apenas 8 pontos do Bahia, primeiro time no G-4.

Na próxima rodada, o Boa Esporte enfrenta o Vitória, sábado (10), às 16h30, no Barradão, em Salvador (BA). O CRB volta a jogar no Estádio Rei Pelé, em Maceió, onde enfrenta o Santa Cruz já na terça-feira (6), às 20h30.

Comemoração Boa Esporte x CRB (Foto: Assesoria CRB)
CRB bate o Boa Esporte e chega a seis jogos de invencibilidade na Segundona
(Foto: Júnior de Melo/Assesoria CRB)

O jogo

A partida começou morna, com as duas equipes se estudando bastante em busca de espaços na defesa adversária. Quem primeiro ameaçou foi o Boa Esporte, com Gabriel Dias, aos 8 minutos. O goleiro Júlio César, no entanto, fez linda defesa e evitou o gol dos anfitriões. A resposta do CRB veio rápida. Aos 13 minutos, Maxwell foi derrubado na área justamente por Gabriel Dias e o juiz assinalou o pênalti. Zé Carlos bateu no meio do gol e fez CRB 1 a 0. Mas a grande jogada da partida ainda estava por vir. Aos 26, Bocão recuperou a bola no campo de defesa, arrancou, fez fila no Boa Esporte e tirou do goleiro Douglas para marcar o segundo dos alagoanos.

Os donos da casa voltaram mais ofensivos para a etapa final. O jogo ficou aberto e, aos 15 minutos, Felipe Alves recebeu cruzamento de Moacir para diminuir a diferença. Nedo Xavier colocou mais um atacante e colocou o time todo no campo de ataque em busca do gol de empate. Apesar de criar boas chances, o time voltou a bobear, Patrick perdeu uma bola na defesa para Leandro, que disparou, já aos 47, para fazer mais um e dar números finais à partida: Boa Esporte 1 x 3 CRB.

 

GLOBO ESPORTE.COM

Boa Esporte 2 x 2 Atlético Goianiense

Atlético-GO arranca empate e quase surpreende o Boa Esporte no fim: 2×2

Equipe mineira fica à frente no placar duas vezes, mas Dragão consegue igualar o placar com dois gols do artilheiro Arthur; resultado mantém os clubes na confusão

Boa Esporte e Atlético-GO fizeram um grande jogo, movimentado e no qual a vitória esteve muito próxima de ficar com o time da casa. Porém, a ousadia dos visitantes deu resultado. Atrás no placar por duas vezes, o Dragão não se entregou e arrancou o empate. No fim, até pressionou em busca do terceiro gol, mas prevaleceu o 2 a 2 no estádio do Melão, em Varginha, no sul de Minas Gerais.

No primeiro tempo, Felipe Alves abriu o placar para o Boa, mas logo Arthur empatou. Tadeu voltou a colocar a equipe mineira à frente, e o marcador permaneceu 2 a 1 até os 37 minutos da etapa final, quando o atacante rubro-negro, inspirado, voltou a deixar tudo igual.

O resultado foi ruim para ambos. O Boa foi a 23 pontos, mas caiu para o 17ª lugar e retornou para a zona de rebaixamento. O Atlético-GO foi a 24, mas estacionou na 15ª colocação. Os dois clubes voltam a campo no próximo sábado (29), às 16h30. Os mineiros viajam para enfrentar o Náutico na Arena Pernambuco. Já os goianos recebem o Ceará no estádio Serra Dourada.

 

O Boa Esporte foi melhor quase o jogo inteiro, sobretudo no primeiro tempo. O time mineiro criou várias chances e infernizou a defesa do Atlético-GO. Felipe Alves abriu o placar aos 28 minutos e deu indícios de que seria uma vitória contundente. Contudo, Arthur cobrou falta com veneno e empatou aos 31. Só que a zaga rubro-negra vacilou e Tadeu aproveitou cruzamento para fazer o segundo do Boa, que foi para o intervalo vencendo em casa.

Na etapa final, o Atlético-GO se lançou ao ataque com as mudanças feitas pelo técnico Gilberto Pereira. Deu certo quando Geraldo, atacante angolano, entrou e colocou fogo na partida. Ele foi bem e, apesar de perder algumas boas chances, deu a assistência para Arthur fazer de cabeça o gol que selou o 2 a 2. As duas equipes ainda tiveram oportunidades, mas desperdiçaram.

Boa Esporte e Atlético-GO empatam em 2 a 2 em Varginha (Foto: Régis Melo)
Boa Esporte e Atlético-GO empatam por 2 a 2 no estádio do Melão, na cidade de Varginha
(Foto: Régis Melo)
GLOBO ESPORTE.COM

Luverdense 1 x 0 Oeste

1 x 0

32ª RODADA
LUVERDENSE VENCE E COLOCA OESTE NA ZONA DE REBAIXAMENTO DA SÉRIE B
Verdão do Norte chega aos 43 pontos e se vê mais longe do risco de rebaixamento. Rubrão chega ao quinto jogo sem vencer
No primeiro jogo de Maico Gaúcho como técnico no Passo das Emas, o Luverdense venceu o Oeste por 1 a 0, pela 32ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, e conseguiu se manter longe da zona de rebaixamento para a Série C em 2015. Depois de comandar a equipe em dois jogos fora de casa, o treinador volta a Lucas de Rio Verde e conquista um resultado importante diante da torcida alviverde. A derrota marcou o quinto jogo seguido do Rubrão sem vitória na competição. O gol da partida foi marcado pelo atacante Felipe Alves.

Com o resultado, o Luverdense permanece na 12ª colocação, agora com 43 pontos, mas mais distante da zona de rebaixamento. O Oeste volta ao Z-4. É o 17º, com 35 pontos.

Pela 33ª rodada, o Luverdense volta a jogar em casa, no estádio Passo das Emas. O Verdão do Norte vai receber o Avaí, na próxima terça-feira, às 21h50 (horário de Brasília). Ainda na terça-feira, mas um pouco mais cedo, às 19h30, Oeste recebe a Portuguesa no estádio Amaros.

Primeiro tempo fraco

Em um primeiro tempo de poucas oportunidades para as duas equipes, o Luverdense teve maior posse de bola e se movimentou mais em campo, enquanto o Oeste jogou acuado, aguardando as chances para o contra-ataque.

Com Misael bem marcado, o time mato-grossense tentava avançar pelas laterais, mas sem sucesso. Clécio, em um chute de fora da área, e Rondinelly, em um chute de dentro da área desviado pela defesa dos visitantes, tiveram as melhores chances do Verdão do Norte na primeira etapa. O Oeste abusou das ligações diretas e jogadas individuais, mas só conseguiu assustar em um chute forte de Dionísio de fora da área.

Gol salvador

Diferente da primeira etapa, o 45 minutos finais da partida foram bem movimentados. As duas equipes conseguiram criar mais, levando perigo ao gol adversário. Mais ofensivo, o Oeste abriu espaço na defesa e viu o Luverdense abrir o placar aos 21 minutos. Pela direita, Jean Patrick fez um bom cruzamento e encontrou Felipe Alves na área, que cabeceou e marcou o seu primeiro gol com a camisa do Verdão do Norte.

Atrás no placar, o Oeste não conseguiu esboçar uma reação imediata e viu o Luverdense muito próximo de marcar o segundo gol com Léo e Misael. Ao final da partida Wagninho teve uma chance para o empate, mas acabou parando em boa defesa de Gabriel Leite.

 

GLOBO ESPORTE.COM