Ceará e Fortaleza conseguem antecipar cota de R$ 200 mil da Copa do Brasil

Troféu da Copa do Brasil (Foto: Rafael Ribeiro/CBF)

Mesmo ainda sem estrear na Copa do Brasil, Ceará e Fortaleza já podem ao menos comemorar. Através do presidente da Federação Cearense de Futebol, Mauro Carmélio, os dois clubes vão receber a cota de participação da 1ª Fase.

No Rio de Janeiro, para participar do sorteio dos duelos das quartas de finais da Copa do Nordeste, que acontece nesta sexta-feira, 20, Carmélio conseguiu convencer a cúpula da CBF a antecipar a receita para tricolores e alvinegros. O valor é da cota é de R$ 200 mil.

Lembrando que o Ceará só estreia no torneio, dia 01 de abril, diante do Confiança, em Aracaju. Enquanto o Fortaleza encara o River, no dia seguinte, em Teresina.

Mário Kempes – 19/03/2015

Despesas do Clássico-Rei não superam as receitas, que foram divididas

Muitos torcedores entraram em contato com o Blog para criticar o borderô da partida Ceará 1×1 Fortaleza pela Copa do Nordeste, realizada na última quarta-feira, no Castelão.

Apesar da renda superior a R$ 500 mil, os clubes levaram para casa pouco mais de R$ 175 mil. O problema é que as receitas e despesas do Clássico foram divididas.

Então, se os dirigentes de Ceará e Fortaleza não tivessem feito o acordo para a renda ser repartida, o Vovô (no caso o mandante) teria amealhado mais de R$ 350 mil liquido.

Isso também vale para o primeiro jogo da temporada passada, por coincidência, também 1 a 1, mas com mando do Tricolor e também com renda dividida.

Confira abaixo os borderôs oficiais do 1º Clássico deste ano e de 2014.

Borderô1

 

Lembrando que no próximo jogo (marcado para o dia 18 de março) , agora com o Fortaleza mandante, a renda (despesas e receitas) também será dividida.

Blog do Mário Kempes – Jogada – Diário do Nordeste – 07/02/2015

A polêmica das retiradas das cadeiras do PV e do Castelão

Exemplo era para ter sido dado, após o jogo Fortaleza 1×1 Macaé (Foto: Diário do Nordeste)

Em maio do ano passado, neste mesmo espaço, havia publicado a informação de que as administrações do Estádio Presidente Vargas e da Arena Castelão tinham o interesse em retirar as cadeiras dos setores, onde ficam localizadas as torcidas organizadas.

O tema voltou com maior intensidade, após a confirmação de que isso pode acontecer já na próxima semana, no 1º clássico-rei da temporada, que será realizado no Castelão.

Há dois aspectos que podemos analisar. E você decide em qual deles é a sua preferência.

O primeiro é de que com a retirada das cadeiras a vitória é da violência. Os vândalos conseguiram provocar o absurdo de não haver mais assentos em um estádio do futebol, com o receio de que pode haver quebra-quebra e prejuízo para clubes.

Se a moda pegar, o receio é de o vandalismo rumar para os banheiros, lanchonetes, portões de acesso, catracas… Pelo jeito tudo deverá ser retirado para evitar prejuízos.

Se não bastasse, esses vândalos não são detidos, nem identificados, muito menos presos e pior ainda a conta vai para o time de coração dele (se é que eles têm coração ou preferência por algum clube mesmo).

O segundo aspecto, no entanto, é o que as administrações dos estádios podem fazer?  Grêmio, Corinthians, clubes alemães fazem isso em seus respectivos estádios. Por que também não copiar?

Assassinatos, estupros e roubos, muitas vezes à luz do dia, em outros pontos de Fortaleza, com câmeras flagrando o rosto dos bandidos e até prisões são feitas, mesmo assim não impedem de acontecer novos crimes.

Não vamos longe. Na Bolívia, uma criança foi morta, após um integrante da torcida organizada do Corinthians jogar um sinalizador. O que foi feito? O autor do disparo escapou, acusaram 13 outros torcedores e nunca deu em P… nenhuma.

Mesmo assim, vamos lá. Exercitar a imaginação. Três vândalos são identificados pelas câmeras de segurança do Castelão ou do PV, ao quebrarem 15 cadeiras. Quando a Polícia fizer o cerco é capaz dos outros comparsas ajudarem na fuga. Mas não há problema, com muita eficiência e ajuda de todas pessoas de bem, os três são detidos.

Vão para a delegacia e vão responder por vandalismo. Está na Lei.

Código Penal: Artigo 163 – Destruir, inutilizar ou deteriorar coisa alheia:
Pena – detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa.
Dano qualificado
Parágrafo único – Se o crime é cometido:
III – contra o patrimônio da União, Estado, Município, empresa concessionária de serviços públicos ou sociedade de economia mista;
Pena – detenção, de 6 (seis) meses a 3 (três) anos, e multa, além da pena correspondente à violência.

Veja só, a Lei diz que o vândalo pode ficar preso por até três anos. Seria uma punição exemplar. Justa.

Então, se você é daqueles que acreditam que uma pessoa, por ter quebrado uma cadeira de um estádio de futebol, vai ser presa e pegar pelo menos um mês de prisão (não falei nem no mínimo que é seis, nem que o advogado do criminoso vai protelar a sentença do juiz etc), realmente você está mais do que certo em concordar com o primeiro aspecto.

Agora, se você é daqueles que acreditam na impunidade, na letargia da justiça e de que não se prende nem pune sequer assassinos, quanto mais um “torcedor de futebol”, é muito mais prudente retirar as cadeiras e evitar novos prejuízos.

Os organizadores e administradores do futebol cearense (Arena Castelão, FCF, Fortaleza, CBF, STJD) tiveram a grande chance de darem o exemplo, no episódio das cadeiras quebradas na partida Fortaleza 1×1 Macaé. O que foi feito?

Uma nota da gestora do Castelão informando que o que aconteceu foi “pequenos danos compatíveis com o porte do evento”. Quando se viu um grande quebra-quebra de cadeiras jamais visto na Arena.

O futebol brasileiro já levou de 7 dentro de campo e ficou completamente desorientado. Fora das quatro linhas, todos os dias nós levamos de 7.

 

Blog do Mário Kempes – Diário do Nordeste – 28/01/2015

Sem patrocínio, Federação cancela Taça dos Campeões Cearenses

03635-122750779219917607d89-escudo2bicasa

A Federação Cearense de Futebol não vai realizar a Taça dos Campeões Cearenses em 2015. Em entrevista à Rádio Verdes Mares, nesta quarta-feira, o presidente da entidade, Mauro Carmélio, confirmou o cancelamento.

“Não conseguimos patrocínio para bancar a despesa dos dois clubes e também não haveria tempo hábil para os times se prepararem”, argumentou Carmélio, que também não conseguiu com que o Esporte Interativo transmitisse a partida.

A Taça dos Campeões seria disputada por Ceará (atual campeão cearense) e Icasa (campeão da Copa Fares Lopes) no dia 11 de janeiro, no Castelão. O objetivo da FCF era oferecer uma partida para abrir a temporada no futebol cearense.

Criada no final do ano passado, a Taça até foi disputada neste ano, com vitória do Ceará por 2×0 sobre o Barbalha, mas com várias substituições permitidas durante a partida e também realizada depois do início do Estadual, a disputa acabou sofrendo duras críticas.

 

Blog do Mário Kempes – Diário do Nordeste – 17/12/2014

Patrocínios nos uniformes da arbitragem agora ficam sob administração da Federação Cearense de Futebol

Vestimentas e calções deverão ter novo fornecedor (Foto: Reprodução/Facebook)

A partir de 2015, os árbitros do futebol cearense não poderão mais contar com os valores recebidos de patrocínios em seus uniformes.

A Federação Cearense de Futebol (FCF) resolveu administrar as marcas que estarão nas vestimentas da arbitragem estadual. De acordo com o Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado do Ceará (Sindarf), a decisão partiu da própria FCF.

Em 2014, o Sindarf conseguiu cerca de R$ 50 mil em patrocinadores nos uniformes (que tinha a Lupo, o Colégio Maria Ester, a Academia Corpus Dance e a Desporto como parceiros).

Para a próxima temporada, a FCF vai mudar a fornecedora de material esportivo, a Siker deverá assumir o lugar da Desporto. Já as marcas, que irão estampar as camisas e calções, ainda serão negociadas pela Federação.

De acordo com a FCF, os valores obtidos com os patrocinadores serão destinados ao custeio da arbitragem em campeonatos das categorias de base (Sub-13, Sub-15, Sub-17 e Sub-20), que são pagos pela própria FCF. Diferentemente dos certames profissionais (1ª, 2ª e 3ª Divisão e Taça Fares Lopes), que são descontados das rendas das partidas e pagos pelos clubes mandantes.

 

Blog do Mário Kempes – Diário do Nordeste – 11/12/2014

Taça dos Campeões Cearenses 2015 está programada para o dia 11 de janeiro

03635-122750779219917607d89-escudo2bicasa

O primeiro jogo do futebol cearense em 2015 será uma decisão. A FCF já agendou para o dia 11 de janeiro a disputa da Taça dos Campeões, na Arena Castelão. A disputa reúne o campeão cearense (Ceará) e o campeão da Copa Fares Lopes (Icasa) de 2014.

Neste ano, a Taça dos Campeões foi realizada no dia 11 de janeiro, entre Ceará e Barbalha, com vitória do time alvinegro por 2 a 0. Devido ao início do Estadual ter começado uma semana antes, não foi possível a disputa abrir o calendário.

Porém, com o certame cearense começando apenas no dia 14, o presidente da FCF, Mauro Carmélio, acredita que tanto Ceará, quanto Icasa poderão colocar em campo os times para disputarem o primeiro troféu do ano.

A FCF, contudo, ainda tenta negociar os direitos de transmissão da partida. TV Diário e Esporte Interativo vão ser procuradas para exibirem a Taça dos Campeões Cearenses 2015.

 

Blog do Mário Kempes

Estreia do Fortaleza no Campeonato Estadual pode ser realizada no Coliseu Cearense

Estádio fica na cidade de Alto Santos, a 230km da capital cearense (Foto: Diário do Nordeste)

O Quixadá estuda mandar todas as partidas do time no Campeonato Cearense de 2015 na cidade de Alto Santo. O município, a 230km da Capital, ficou famoso por ter construído um estádio com formato que lembra o Coliseu de Roma.

A estreia do time do Quixadá no Estádio será contra o Fortaleza. A partida está marcada para o dia 14 de janeiro.

A Federação Cearense de Futebol já fizera uma vistoria na praça esportiva e solicitou à prefeitura da cidade alguns ajustes para o Coliseu Cearense ficar apto a receber jogos oficiais.

“Pedimos para ser feito cabines de imprensa para os profissionais de rádio e TV e mais espaço para os vestiários. E que a iluminação seja adequada para os jogos noturnos. Vamos retornar ao município na próxima terça-feira (18) para saber se os ajustes serão executados antes do início do Campeonato”, declarou o gerente operacional da FCF, Fred Gomes, que completou.

“A gente sabe das dificuldades e do ônus que geram ao poder público, mas temos certeza que a cidade e a população de Alto Santo ganharão muito não só com o Estádio apto a receber partidas oficiais, mas também por ser uma grande atração para o nosso futebol”, concluiu.

Caso o Coliseu não fique apto a tempo, o Quixadá vai tentar entrar em acordo com a prefeitura de Quixadá para poder mandar os jogos no Estádio Abilhão.

 

Blog do Mário Kempes – 26/11/2014