Antes da pausa, Vitória faz sua 2ª melhor largada nos pontos corridos

Leão igualou desempenho de 2004, quando conquistou 66,7% dos pontos ao fim da 5ª rodada, porém campanha de 2013 perde no saldo de gols

O Vitória faz um início de Campeonato Brasileiro animador. Com três triunfos, um empate e uma derrota, o Leão chega ao fim da 5ª rodada na vice-liderança da competição, com 10 pontos ganhos e aproveitamento de 66,7 %. Desde que a competição passou a ser disputada no sistema de pontos corridos, no ano de 2003, essa é a segunda melhor campanha do Rubro-Negro baiano – perde apenas para o bom começo de 2004.

Apesar de ter conquistado o estadual sem qualquer dificuldade, o Vitória estreou na Série A sob o olhar desconfiado dos que questionam a fragilidade técnica do Campeonato Baiano, principalmente se comparado a uma competição de alto nível como é o Brasileirão. No entanto, os jogadores do Leão não encaram o bom desempenho da equipe com surpresa.

Para o goleiro Deola, que se recupera de uma lesão no punho e só deve voltar aos gramados em agosto, o grupo está dando uma resposta aos mais críticos dentro de campo .

– Vencemos o estadual de forma inquestionável, mas ainda duvidavam da gente. Diziam: “Estão vencendo no Baiano, quero ver no Brasileirão”. O resultado está aí. O Vitória provou que é forte – brada o goleiro.

deola; vitória (Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Vitória)
Para Deola, boa campanha é resposta a críticos que duvidavam do time (Foto: Felipe Oliveira/Divulgação/EC Vitória)

Campanhas separadas pelo saldo de gols

A campanha de 2013, até a 5ª rodada da Série A, é quase idêntica à de 2004. Após golear o Flamengo por 5 a 1 no Barradão, o Vitória fechava a 5ª rodada com os mesmos dez pontos e 66,7% de aproveitamento que detém agora, com igual número de vitórias, triunfos e empates. A diferença está no saldo de gols: naquela oportunidade, o Leão marcou 16 vezes e sofreu apenas seis.

Só que o desfecho daquele filme nenhum rubro-negro quer ver se repetir. Na sequência da competição, a equipe caiu vertiginosamente de rendimento e, após ser derrotada pela Ponte Preta, por 2 a 1, acabou rebaixada em pleno Estádio Manoel Barradas.

O Vitória ainda figurou entre os dez primeiros colocados em duas outras edições do Brasileirão. De volta à Primeira Divisão após passagens pelas Séries B e C, o time iniciou o campeonato de 2008 de maneira promissora. Em cinco partidas, foram dois triunfos, duas derrotas e um empate, que garantiram ao Leão da Barra a 8ª posição na tabela. Ao fim daquela temporada, o Rubro-Negro fechou a participação na Série A na 10ª posição, com 52 pontos.

No ano de 2009, o início de campeonato do Leão foi ainda melhor. Ao fim da 5ª rodada, o clube chegava ao 3º lugar com 3 vitórias, duas derrotas e aproveitamento de 60%. Ao final do Brasileiro, porém, a posição na tabela não foi das melhores. Com 48 pontos conquistados, o Vitória foi o 13º colocado.

Voos altos

Gabriel Paulista gol Vitória (Foto: Felipe Oliveira / Ag. Estado)
Gabriel projeta Vitória forte após volta da Série A (Foto:
Felipe Oliveira / Ag. Estado)

Nos cinco jogos que fez no Brasileirão 2013, o time do técnico Caio Junior marcou dez gols e sofreu cinco, acumulando saldo positivo de cinco gols. Com média de dois gols por partida, o Leão tem o artilheiro do Brasileirão, Maxi Biancucchi, que balançou as redes adversárias em quatro oportunidades. O argentino é um dos principais destaques do campeonato e divide o posto de maior do torneio goleador com Fernandão, do Bahia, e Éderson, do Atlético-PR.

Se para alguns a pausa de um mês da Série A vai prejudicar os times em ascendência, como o Vitória, para o zagueiro Gabriel Paulista, o pequeno recesso fará com que o time volte ainda mais forte.

– Provamos que temos condições de realizar uma ótima campanha neste difícil Campeonato Brasileiro. Estamos mantendo a regularidade em nossas apresentações e conquistando resultados importantíssimos diante de grandes adversários. Vamos voltar ainda mais fortes – avalia o defensor.

O clima é de confiança também na alta cúpula do clube. Presidente do Vitória, Alexi Portela projeta voos altos e acredita que o clube vai fazer um dos melhores campeonatos da história.

– Acredito que temos tudo para fazer um grande campeonato, um dos melhores da história do clube, pois estamos preparados para isso. Temos um grupo forte, coeso e comprometido, além de tecnicamente muito bom – projeta o mandatário rubro-negro.

Ironia do destino

Ceará encara o Vitória na última rodada da Série B e pode evitar acesso do time do seu ex-técnico PC Gusmão

Quis o destino que Ceará e PC Gusmão estivessem em lados opostos na última rodada da Série B, pouco mais de um mês depois do técnico sair do o clube.

Na última rodada da Série B, neste sábado, 24, às 15h20 (de Fortaleza), o Alvinegro pode ser algoz do Vitória, time que PC dirige, evitando o acesso do time baiano à Série A.


PC treinou o Ceará até a 33ª rodada e, com o fim das chances de acesso, preferiu deixar o clube. Pouco tempo depois, acertou com o Vitória FOTO: Kiko Silva

O time rubro-negro precisa de um empate para subir e apenas uma derrota para o Alvinegro cearense no Barradão – aliada a uma vitória do São Caetano contra o Guarani – pode evitar a festa baiana.

Mas será que o Ceará, que não vence há oito jogos na competição – sete derrotas e um empate – tem cacife para tanto?

Para os jogadores do Vovô, tudo é possível. “Nada está dando certo para nós nos últimos jogos, mas queremos nos despedir da Série B com vitória. Vamos enfrentar uma equipe que está brigando na parte de cima, joga pelo acesso, mas não podemos pensar em nada disso. Temos que fazer o nosso trabalho e buscar o resultado. Tudo pode acontecer”, declarou Eusébio.

Sobre o confronto com o ex-treinador, o goleiro Diónantan prefere pensar apenas no Ceará. “É uma ironia do destino mesmo. Mas não vamos lá passear. Queremos quebrar essa sequência de derrotas, independente se vai atrapalhar ou não o time do PC, nosso ex-técnico. Temos que pensar no nosso”.

Em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia, o técnico falou do confronto com o Vovô. Ele não acredita em desmotivação dos alvinegros, devido aos incentivos financeiros dos adversários do time baiano, São Caetano e Atlético/PR. “Conheço o Ceará, independente dos jogadores que já saíram. Vão vir motivados para jogar com a gente. A minha experiência mostra que é um time forte, apesar das dispensas que fez. Com certeza, os incentivos vão acontecer”, declarou.

Carrasco

A depender do histórico do Ceará contra PC Gusmão após 2009, quando se tornou ídolo, o técnico leva vantagem. Em três jogos, ele ganhou todos.

Ao deixar o Vovô em 2010, após sete rodadas da Série A, PC assumiu o Vasco. Contra o time cearense, foram duas vitórias: 2 a 0 no Castelão – a única derrota em casa do Ceará naquela campanha – e um novo 2 a 0 em São Januário, na última rodada.

Em 2011, uma nova vitória, agora de 4 a 1, no Serra Dourada, dirigindo o Atlético/GO.

VLADIMIR MARQUES
REPÓRTER

Diário Do Nordeste – A GRANDE JOGADA